Coritiba 2 x 1 Santos

Data: 21/08/2016, domingo, 18h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 21ª rodada
Local: Estádio Major Antônio Couto Pereira, em Curitiba, PR.
Público: 7.972 pagantes (8.838 total)
Renda R$ 177.455,00
Árbitro: Claudio Francisco Lima e Silva (SE)
Auxiliares: Ailton Farias da Silva e Daniel Vidal Pimentel (ambos de SE).
Cartões amarelos: Neto Berola (C); Leo Cittadini, Gustavo Henrique e Jean Mota (S).
Gols: Ricardo Oliveira (14-2), Kléber (27-2) e Iago (41-2).

CORITIBA
Wilson, Dodô, Luccas Claro, Juninho e Benítez (Evandro); Edinho, João Paulo e Juan; Raphael Veiga, Kleber e Neto Berola (Iago).
Técnico: Paulo César Carpegiani

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Caju; Renato, Léo Cittadini e Lucas Lima (Jean Mota); Vitor Bueno (Joel), Copete (Rodrigão) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Junior.



Santos cede a virada para o Coxa e vê o Palmeiras se afastar

O Santos desperdiçou a chance de chegar à vice-liderança do Campeonato Brasileiro ao ceder na capital paranaense a virada para o Coritiba, por 2 a 1, depois de estar vencendo no estádio Couto Pereira. Com 36 pontos, o Peixe está quatro pontos atrás do líder Palmeiras, na quarta colocação. Já o Coxa termina a rodada mais longe da zona de rebaixamento, com 25 pontos, na 14ª colocação.

Depois de uma primeira etapa sem bola na rede, a equipe paulista abriu o placar aos 14 minutos do segundo tempo, com Ricardo Oliveira, que aproveitou falha de João Paulo e com liberdade foi para o gol. Kléber, aos 27 minutos, mostrou oportunismo para deixar tudo igual. Mas Iago, aos 41 minutos, com um golaço, fechou a contagem.

O jogo

Sem se importar em ser um visitante indesejável, o Peixe começou a partida tentando pressionar e logo no primeiro minuto Caju encontrou Ricardo Oliveira entrando na cara do gol, mas a arbitragem parou o lance para anotar o impedimento. Mais lançamento, aos seis minutos, desta vez para Copete, e Wilson deixou meta para interceptar. Aos oito minutos, Lucas Lima recebeu, dominou e bateu cruzado, pela linha de fundo.

O Coxa tentou reagir e chegou pela primeira vez no ataque aos 14 minutos, com Raphael Veiga, que foi carregando a bola e resolveu soltar o tiro, por cima do gol, isolando. O jogo era morno e o Santos tinha dificuldade de sair jogando. Em cobrança de falta, aos 20 minutos, Vitor Bueno mandou à direita do alvo.

Grande tentativa de Ricardo Oliveira, aos 31 minutos, pegando de primeira e obrigando Wilson a fazer grande defesa. Vacilo da defensiva alviverde, aos 36 minutos, Dodô aproveitou para dominar e cruzar rasteiro para Kléber completar e Vanderlei operar um milagre diante do ex-time. Aos 44 minutos, Neto Berola partiu para a jogada individual, invadiu a área e foi travado na bola por Caju.

Para a etapa final, as equipes retornaram sem modificações. Contra-ataque santista, aos seis minutos, com Vitor Bueno, que carregou a bola, abriu espaço e arrematou forte, para fora, com desvio. As duas equipes dependiam dos erros do adversário para criar. Mas, aos 14 minutos, o erro foi falta. João Paulo tocou para trás e serviu Ricardo Oliveira, que só teve trabalho de tirar do goleiro para abrir o placar.

O gol deu mais tranquilidade ao Peixe, que podia esperar mais para usar o contra-ataque, enquanto o Coxa dominava as ações, mas sem conseguir chegar a meta adversária. Aos 26 minutos, Juan cobrou falta fechada na área alvinegra e Luiz Felipe subiu para afastar o perigo. Mas, aos 27 minutos, Evandro chutou, Vanderlei fez uma linda defesa, mas Kléber, com oportunismo, apareceu para balançar as redes.

O Coritiba jogava bem, especialmente após tomar e fazer seu gol. Aos 32 minutos, Evandro recebeu lançamento preciso e arrematou na trave. Na reposta, aos 39 minutos, Renato levantou, Gustavo Henrique desviou e Wilson foi tirar no ângulo para ceder escanteio. Porém, aos 41 minutos, Iago mandou um petardo, de longe, e estufou as redes para decretar a virada com um golaço.

Irritado, Ricardo Oliveira reclama de postura defensiva do Santos

O Santos parecia que iria conquistar mais três pontos no Campeonato Brasileiro até a metade do segundo tempo da partida contra o Coritiba, no Couto Pereira, quando vencia por 1 a 0. No entanto, o Peixe recuou muito na reta final e acabou sofrendo a virada dos donos da casa. Autor do gol alvinegro, o centroavante Ricardo Oliveira saiu de campo bastante irritado com a postura da equipe.

“O que aconteceu foi que recuamos e demos vida para o Coritiba. Foi isso que aconteceu, quer mais o quê? Fizemos 1 a 0, mas demos confiança para eles e levamos a virada”, disse o atacante.

Mais calmo, o volante Renato preferiu ponderar sobre a atuação do Santos. No entanto, o veterano lamentou a falta de pontaria do Peixe, que desperdiçou algumas boas oportunidades antes de sofrer o empate, apesar de também ter levado uma bola na trave.

“Tivemos oportunidade de fazer o segundo gol, mas infelizmente não conseguimos concluir em gol. Eles foram eficientes, fizéramos dois gols e a gente não conseguiu nosso objetivo que era a vitória”, afirmou o veterano.

Na próxima rodada, o Santos encara o Figueirense na Vila Belmiro, domingo, às 11h (de Brasília). Antes, porém, o Peixe recebe o Vasco, quarta-feira, às 19h30, pela Copa do Brasil. Já com o reforço de Thiago Maia, Zeca e Gabigol, campeões olímpicos pela Seleção Brasileira, o volante Renato pregou foco no jogo eliminatório e valorizou a volta dos atletas.

“São jogadores importantes e vão nos ajudar até o final do campeonato. Já temos um jogo importante na quarta, pela Copa do Brasil, então temos que virar o chip para que possamos fazer um bom jogo em casa, conseguir a vitória e só depois pensar no Figueirense em casa”, concluiu.

Após virada, Dorival pede Santos mais agressivo nos próximos jogos

Não foi só o torcedor do Santos que se desapontou com o resultado e com a atuação da equipe na derrota para o Coritiba por 2 a 1, de virada, neste domingo. O técnico Dorival Júnior fez críticas ao desempenho do Peixe, especialmente considerando-se que o Alvinegro teve uma semana livre para treinos, e pediu por uma equipe mais agressiva nas próximas partidas.

“Esperava uma melhora maior depois da semana de trabalhos, mas não aconteceu. A luta é pela melhor colocação possível, estar entre os primeiros. Não podemos bobear como hoje ou em um ou outro jogo anterior. Temos que ter uma postura mais agressiva se quisermos brigar por algo maior. Perder pontos importantes nos penaliza, como já está acontecendo, por uma colocação melhor. Temos que ter um time forte, competitivo, que lute com maior intensidade pelos resultados que temos deixado ao longo do caminho”, disse o comandante.

Até a metade do segundo tempo, o Santos vencia o jogo por 1 a 0 e, se tivesse mantido o resultado durante os 90 minutos, terminaria a rodada na segunda colocação, apenas um ponto atrás do líder Palmeiras. Com a derrota, porém, o Peixe caiu para a quarta posição e, caso o Corinthians vença o Vitória nesta segunda, o time de Dorival Júnior deixará o G4.

“Não pode acontecer o que aconteceu ao longo da partida. Tínhamos o jogo bem administrado, trabalhando a bola depois do primeiro gol, criando oportunidades, mas passamos a ter dificuldades. Coritiba começou a pressionar, entrando no nosso campo, tirando saída de bola e complicando transição. A partir desse momento eles prevaleceram e tiveram méritos. Os últimos minutos foram decisivos na definição do resultado”, finalizou.