Santos 3 x 1 Vasco

Data: 24/08/2016, quarta-feira, 19h30.
Competição: Copa do Brasil – Oitavas de final – Jogo de ida
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.130 presentes
Renda: R$ 231.065,00
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)
Auxiliares: Kléber Lúcio Gil e Nadine Schramm Camara Bastos (ambos de SC).
Cartões amarelos: Lucas Lima (S); Masdon e Diguinho (V).
Gols: Renato (30-1) e Ricardo Oliveira (36-1); Lucas Lima (19-2) e Éder Luiz (50-2).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Zeca; Renato, Thiago Maia, Lucas Lima (Léo Cittadini) e Vitor Bueno; Gabriel (Copete) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Junior

VASCO
Martin Silva; Madson (Evander), Rodrigo, Luan e Julio Cesar; Diguinho, William (Yago Pikachu), Andrezinho e Nenê (Éder Luiz); Jorge Henrique e Éderson.
Técnico: Jorginho



Santos atropela o Vasco na Vila, mas leva gol no fim e vaga fica em aberto

O Santos não tomou conhecimento do Vasco da Gama no primeiro confronto entre os alvinegros pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Com muita facilidade, o Peixe fez 3 a 0 nos cariocas e parecia encaminhar sua vaga às quartas de final da competição por mata-mata. Mas, um gol dos cariocas aos 50 minutos do segundo tempo deixou a pulga atrás da orelha dos santistas. As duas equipes voltam a se enfrentar dia 21 de setembro, às 21h45, em São Januário, no Rio de Janeiro e, se antes só uma goleada histórica reverteria a situação para colocar os cruzmaltinos na próxima fase, agora uma simples vitória por 2 a 0 classifica o Vasco em casa.

A partida marcou os retornos de Gabriel, Thiago Maia e Zeca ao time santista depois da conquista da medalha de ouro nos Jogos Olímpicos, mas, quem brilhou na noite desta quarta-feira na na Vila Belmiro foi Lucas Lima, que após muitas cobranças, sobrou em campo. O camisa 20 criou muitas jogadas de perigo, cruzou a bola para o gol de cabeça de Renato – outro em noite inspirada – e fechou a vitória. Antes, Ricardo Oliveira deixou ao colocar a bola na gaveta de Martin Silva em cobrança de falta. O gol que manteve o Vasco vivo no confronto saiu no último lance, com Éder Luiz

Apesar do balde de água fria no fim, a vitória contundente pode motivar o Santos a reagir no Campeonato Brasileiro depois da derrota para o Curitiba, que derrubou o time para a 5ª colocação.

O jogo

O público na Vila Belmiro voltou a decepcionar. Nem mesmo o retorno do trio campeão olímpico e o caráter decisivo do confronto com o Vasco motivaram os torcedores do Santos à lotar o velho alçapão. Mas, seja in loco, pela TV, pelo rádio ou pela internet, a torcida do Peixe certamente gostou do que viu.

No primeiro tempo, a equipe de Dorival Júnior foi soberana. Lucas Lima voltou a jogar bem depois de muitas críticas sobre suas últimas apresentações. O meia assustou ao arriscar chute de fora da área logo no início da partida e cruzou uma bola na medida, que Ricardo Oliveira acabou desperdiçando muito em função do quique da bola.

O gol estava maduro e veio com Renato, aos 30, ao aproveitou cobrança de escanteio curta de Gabriel para Lucas Lima. Completamente sozinho no miolo da área, o volante cabeceou sem chance para Martin Silva.

O Peixe não se conteve após abrir o placar. E se Vitor Bueno por pouco não marcou um golaço da intermediária, Ricardo Oliveira teve mais sorte aos 36. O centroavante cobrou falta da entrada da área, o que não é muito comum, e saiu para o abraço depois da bola tocar o travessão e morrer no fundo da rede. Um golaço do centroavante, que chegou à marca dos 299 gols na carreira.

O Vasco parecia perdido diante da movimentação so santistas e das constantes viradas de jogo da equipe da casa. Mesmo assim, os cariocas tiveram duas grandes oportunidades e, em ambas, Vanderlei se sobressaiu diante dos atacantes. A coincidência é que os dois lances foram protagonizados por duas falhas do zagueiro Luiz Felipe.

Na primeira, Éderson se atrapalhou ao sair cara a cara com Vanderlei. E no último lance antes do intervalo, Andrezinho inexplicavelmente demorou a finalizar praticamente dentro da pequena área, com a bola limpa. Quando decidiu concluir, chutou fraco, em cima do camisa 1 do Peixe, para delírio das arquibancadas.

Aos 6 minutos da segunda etapa, uma situação inusitada interrompeu a partida entre Santos e Vasco. Torcedores das duas equipes e policiais entraram em confronto nas ruas do entrono do estádio Urbano Caldeira. A confusão gerou muita correria do lado de fora. A PM disparou diversos tiros de bala de borracha e usou muito spray de pimenta para dispersar o tumulto. E o gás acabou chegando ao campo de jogo, causando dois minutos de interrupção.

Com o recomeço da segunda etapa, Yago Pikachu entrou na vaga de Willian e Jorginho tentou mudar o panorama do jogo. O Santos, mesmo assim, era soberano e controlava o confronto, porém, já sem o mesmo ímpeto. Assim, o ritmo do duelo foi caindo até que Andrezinho resolveu arriscar e acabou carimbando a trave de Vanderlei, que apostou apenas no golpe de vista. Era o Vasco começando a crescer na Vila Belmiro em busca de ao menos um gol que lhe desse uma boa condição para o jogo de volta.

Mas o plano foi por água abaixo aos 19 minutos. O Santos mais uma vez encontrou muito espaço no meio de campo e chegou com facilidade à entrada da área de Martin Silva. Renato, com um lindo toque de calcanhar, deixou Lucas Lima de frente para a meta. O camisa 20, então, só colocou no canto, bola rasteira. 3 a 0 classificação encaminhada.

A festa só não foi completa porque a arbitragem anulou de forma muita duvidosa o que seria o quarto gol do Santos no jogo, o segundo de Ricardo Oliveira, que assim poderia comemorar seu 300º gol na carreira.

Para piorar, no último minuto do jogo, o Vasco tentou sua última investida e foi feliz. Éderson chutou cruzado, Vanderlei espalmou e Éder Luiz mandou para as redes, já de carrinho. É o gol que mantém o Vasco vivo na briga por uma vaga nas quartas de final da Copa do Brasil.

Bastidores – Santos TV:

Santistas tentam evitar abatimento com gol vascaíno no último lance

O Santos construiu uma bela vantagem sobre o Vasco no primeiro confronto das oitavas de final da Copa do Brasil, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro. A vitória por 3 a 1, no entanto, não deixou torcedores e jogadores tranquilos depois do gol vascaíno aos 50 minutos do segundo tempo. Se antes os cariocas necessitariam de uma goleada em São Januário, agora se classificam com um simples 2 a 0. O abatimento dos atletas após o apito final foi notório, mas todos fizeram questão de ressaltar a vantagem construída.

“A gente não quer tomar gol nunca. A gente fica com muita raiva. A gente sabe que esse gol tem um peso por ser fora de casa, mas vamos jogar lá para ganhar”, avisou Victor Ferraz, com discurso compartilhado por Vitor Bueno. “Não dá tranquilidade. Tomamos um gol agora no final, mas vamos valorizar. Aqui é o Santos. Nós vamos lá em busca da vitória também. Não vamos nos preocupar se podemos perder de dois ou três”, explicou o meia.

Gabriel e Lucas Lima também fizeram questão de valorizar a vitória independente do gol que a equipe acabou levando segundos antes do apito final. “Claro que esse gol complica um pouco, mas, mesmo se não saísse o gol, ia ser muito complicado jogar lá”, comentou o camisa 10. “Esse gol não vai apagar a partida que fizemos. Sabemos que pudíamos ter evitado, mas estamos no caminho certo. Vamos pensar no Campeonato Brasileiro agora”, completou Lucas Lima, que voltou a fazer uma boa partida após muitas críticas.

“Muita gente me critica, mas minha cabeça é muito tranquila quanto a isso. Eu sabia que com o tempo eu ia fazer uma partida boa”, disse o jogador convocado mais uma vez para defender a Seleção Brasileira. “Eu vinha de contusão, muito tempo parado. Estou muito feliz pela convocação, pela partida, pelo gol. É a consequência do trabalho que venho fazendo, independentemente dessas partidas (ruins), eu não parei de trabalhar”, concluiu.

Luis Felipe, zagueiro do Peixe que acabou “criando” duas chances para o adversário ainda no primeiro tempo, foi o último a deixar o gramado e seguiu o mesmo tom dos companheiros ao analisar a partida. “Sem dúvida (o gol incomoda). Tomamos um gol no fim. Conversamos que isso não poderia acontecer, mas, tudo bem. A gente tem uma vantagem e vamos lá para nos classificarmos”, encerrou.

Dorival admite incômodo com mais um gol no fim, mas valoriza vitória

O técnico Dorival Júnior foi para a coletiva de imprensa depois da vitória do Santos sobre o Vasco na Vila Belmiro preparado para as perguntas sobre o gol que tirou uma larga vantagem que a equipe da Baixada teria para o segundo jogo diante dos cariocas, dia 21 de setembro, na briga por uma vaga às quartas de final da Copa do Brasil. Éder Luiz marcou aos 50 minutos do segundo tempo e definiu o placar de 3 a 1 favorável ao Peixe, mas que manteve o time de São Januário vivo na disputa.

“Futebol é assim. A atenção vai até a última ação. Por outro lado, nos deixa ainda mais atentos. Tem os dois lados. Estamos enfrentando uma grande equipe, que exigiu muito, e construímos um resultado maravilhoso, criando, envolvendo, com jogadas bonitas. Do outro lado há um grande treinador e grandes jogadores, uma equipe bem definida. O gol saiu, fazer o quê? Tenho que olhar muito mais pelo resultado, parabenizar, incentivar, e mostrar que estaremos mais atentos ainda. Já seria complicado com 3 a 0, com 3 a 1 dá outra posição, outra conotação, mas não vou deixar de enaltecer a apresentação”, avaliou o técnico santista.

O maior incômodo é que o problema tem sido recorrente na temporada do Santos. O Alvinegro Praiano já levou gol nos minutos finais em oito oportunidades. Foi assim contra o Figueirense (aos 46 do segundo tempo – placar 2 a 2), frente ao Internacional (aos 38 do segundo tempo – placar 1 a 0), no clássico com o Corinthians (aos 36 do segundo tempo – placar 1 a 0), diante do Atlético-PR (aos 43 do segundo tempo – placar 1 a 0), contra o Grêmio (aos 44 do segundo tempo – placar 3 a 2), contra o América-MG (aos 44 do segundo tempo – placar 1 a 0) e na última rodada do Brasileirão, contra o Cotitiba (aos 41 do segundo tempo – placar 2 a 1).

“Há um momento que sentimos, temos que ter equilíbrio. Não há treinamento para isso. Em alguns instantes é natural que a equipe se retraia para aproveitar o contra-ataque. Mas não podemos perder a agressividade, a combatividade. O Vanderlei fez uma bela defesa e o Éder Luiz fez o gol no rebote, mesmo marcado. Temos que ter consciência que o equilíbrio vai até o minuto final. Tudo isso é discutido, conversado, mas é difícil resolver isso em treinamentos. Procuramos achar o caminho, porque já perdemos vários pontos por causa dos minutos finais”, tentou explicar Dorival Júnior.

Confira os principais trechos da coletiva do treinador do Peixe após a vitória sobre o Vasco, nesta quarta-feira:

Poupar Gabriel
“O descanso vai ser atuando. O Gabriel é importante no esquema. Pode não ter tido uma grande atuação, mas não deixa de ser perigoso, preocupa o adversário. Ele participa da maioria das ações ofensivas, tem espaço na equipe e sabe muito bem o que representa e a sua responsabilidade”.

Boa partida de Renato
“Não tenho nem o que falar do Renato. É assim desde a minha primeira partida. Já havia visto o Paulista anterior à minha chegada e vinha sendo tão importante quanto hoje. Prima pela regularidade, qualidade, leitura, posicionamento, poucos erros em passes. É fantástico e a cada momento passa a ser mais importante, com equilíbrio fantástico à garotada, um time jovem. Fico muito satisfeito de comandar um jogador desse nível, com a idade e o apetite que tem”.

Reabilitação de Lucas Lima
“Fizemos trabalho forte com ele. Ele se dedicou com intensidade nos últimos 15 dias. Sabia da dificuldade que teria no primeiro jogo, e disse para não abaixar a cabeça pela atuação em Coritiba, porque sabíamos que as coisas aconteceriam, e tendem a ser muito melhor do que hoje. Depois desse trabalho, com estabilidade, ele vai voltar a jogar dentro das melhores condições. Com ele em forma, a equipe fica ainda mais segura e fortalecida”.

Briga fora do estádio que paralisou o jogo
“Só temos que lamentar. Não são torcedores, são vândalos. O Ministério Público tem que tomar conta dessa situação. A Polícia deteve algumas pessoas e elas precisam responder. Se estarão soltas, não adianta. Nosso país não pune no mais alto grau e nem aqui embaixo. A sociedade vive nesse dilema. Infelizmente, é uma crescente. Nossas casas a cada dia são mais gaiolas, com grades, ferro.. Triste”.

Importância do retorno dos atletas
“Nós conseguimos desenhar um elenco. Esse é o maior ponto. O fato mais importante. Com a montagem quase completa, natural que torçamos para perder o mínimo possível. Acontecem saídas com a Seleção, que é um reconhecimento. Poderíamos aproveitar para treinamentos, mas não acontece pela falta de dois, três, outro por lesão.. É uma dificuldade grande. A equipe totalmente composta é muito forte, com condições de brigar pelas melhores colocações. O jogo tem 180 minutos e precisamos repetir a grande atuação. Temos que estar preparados, focados e treinados por uma nova grande apresentação”.

Vanderlei e briga no Brasileiro
“O Vanderlei faz um grande ano. Sempre que necessário ele participa da construção de resultados. Até inicia as jogadas com posse de bola e troca de passes, fora defesas importantes. Temos feito bons jogos, podemos contar nos dedos os jogos que jogamos fora do nível. Mas precisamos de algo a mais porque o campeonato é equilibrado. Sempre que tiramos vantagem, perdemos na rodada seguinte. Temos que ter equilíbrio para ter um escape nesse grupo, que queira ou não briga desde o começo do campeonato.”

Gol no final do jogo contra o Santos devolve otimismo a Jorginho

O técnico Jorginho admitiu que chegou a dar a vaga na próxima fase da Copa do Brasil como perdida, mas o gol marcado por Eder Luis nos acréscimos da partida contra o Santos, que venceu por 3 a 1, devolveu a sua confiança. Ele fez questão de convocar a torcida para o jogo da volta, em 21 de setembro, em São Januário.

“O gol foi muito importante, colocou a gente de novo na competição”, definiu Jorginho, que viu o Vasco ser dominado pelo Santos na Baixada Santista. Ainda assim, apostou que, se o seu time abrir o placar no Rio de Janeiro, a torcida irá ajudar a construir uma vitória por dois gols de diferença na volta.

“O torcedor terá que fazer a diferença. É o incentivo que a equipe vai precisar para o jogo de volta”, concluiu o técnico vascaíno.

Santos quita atraso de direitos de imagem com os jogadores

Após o atacante Ricardo Oliveira confirmar que o Santos devia valores referentes aos direitos de imagens para o elenco santista, a diretora do Peixe conseguiu quitar as pendências com os jogadores nesta semana. Os atletas alvinegros conviviam com um mês de atraso em parte do salário.

O atraso no pagamento de direitos de imagem dos jogadores é um problema recorrente no Santos desde dezembro de 2014, quando o presidente Modesto Roma Júnior assumiu o clube. Mesmo assim, os problemas financeiros não impediram o time de conquistar o Campeonato Paulista de 2015 e 2016 e brigar pelo título da Copa do Brasil e do Brasileirão no último ano.

Ainda nesta janela de transferências, existe a possibilidade de o clube ter seu caixa reforçado para as próximas temporadas. O atacante Gabigol já recebeu propostas oficiais de quatro grandes clubes europeus, conforme revelou o empresário Wagner Ribeiro, e deve deixar o Peixe até o início do próximo ano.