Botafogo 0 x 1 Santos

Data: 14/09/2016, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 25ª rodada
Local: Arena Botafogo, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 11.422 pagantes
Renda: R$ 185.240,00
Árbitro: Paulo Henrique Schleich Vollkopf (MS).
Auxiliares: Cicero Alessandro de Souza (MG) e Marcos dos Santos Brito (MS).
Cartões amarelos: Bruno Silva e Rodrigo Pimpão (B); Jean Mota (S).
Gol: Zeca (03-1).

BOTAFOGO
Sidão; Emerson (Rodrigo Pimpão), Renan Fonseca e Emerson Silva; Victor Luis, Bruno Silva, Dudu Cearense (Leandrinho), Camilo e Diogo Barbosa; Neilton e Canales (Vinícius Tanque).
Técnico: Jair Ventura

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz (Caju), Gustavo Henrique, David Braz e Zeca; Renato, Thiago Maia, Lucas Lima (Lucas Veríssimo), Vitor Bueno (Yuri) e Jean Mota; Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Junior



Com gol no início, Santos bate o Botafogo e entra no G4

O Santos entrou no G4 do Campeonato Brasileiro ao vencer por 1 a 0 o Botafogo nesta quarta-feira, no Estádio Luso Brasileiro. Com o resultado, os paulistas chegaram a 42 pontos, à frente do Atlético-MG. Já os cariocas permanecem com 35 e desperdiçaram a chance de encostar na zona de classificação para a Copa Libertadores da América.

O Santos chegou à vitória em sua primeira chance na partida. Zeca roubou a bola de Neilton na intermediária ofensiva e chutou forte, sem chance para Sidão. A partir dai, o Botafogo foi superior e desperdiçou diversas chances de empatar. Os santistas só conseguiram equilibrar as ações no início do segundo tempo, mas se defendeu bem no restante dos 90 minutos para sair de campo com a vitória fora de casa.

O jogo

Empurrado pela torcida, o Botafogo começou a partida tentando pressionar o Santos. No entanto, na primeira oportunidade, os paulistas abriram o placar aos três minutos. Zeca roubou a bola de Neilton já no campo de ataque e acertou chute forte, no canto esquerdo, sem chance para Sidão.

Os donos da casa sentiram o revés e viram o Santos dominar o jogo por um período. No entanto, o Botafogo se restabeleceu e criou boa chance aos 12 minutos. Diogo Barbosa arriscou de fora de área e obrigou Vanderlei a fazer boa defesa. Depois, foi a vez de Bruno Silva tentar de longe e parar em mais uma boa defesa do goleiro santista.

Após os lances, os cariocas aumentaram a pressão e passaram a criar mais chances de empatar a partida. Primeiro, Dudu Cearense aproveitou bola na área, mas finalizou sobre o gol. Depois, Gustavo Henrique tentou cortar um lateral para a área e acertou o travessão. Por último, Canales aproveitou cruzamento pela direita e cabeceou, mas a bola bateu na cabeça de Ricardo Oliveira e foi pela linha de fundo.

Na parte final, o panorama do jogo não mudou. O Botafogo seguiu na pressão em busca do empate, com o Santos apenas se defendendo. Os cariocas tiveram boa chance aos 39 minutos, quando Emerson cruzou rasteiro para Neilton finalizar, mas para fora. Assim, os donos da casa tiveram que se contentar em sair de campo com a desvantagem no placar.

No segundo tempo, o Santos voltou mais organizado e impediu a pressão inicial do Botafogo. Com o confronto equilibrado, as duas equipes tinham dificuldade em criar boa jogadas. Tanto que a primeira boa chance aconteceu somente aos 17 minutos. Em contra-ataque, Lucas Lima lançou Ricardo Oliveira, mas o atacante chutou sobre o travessão. Os cariocas responderam em seguida, em chute de Neilton que passou próximo ao gol santista.

Com o passar do tempo, o Botafogo voltou a dominar o confronto e quase empatou aos 29 minutos. Rodrigo Pimpão cruzou pela direita para o meio da área onde estaca Camilo. O meia chutou de primeira, mas Vanderlei estava atento e fez grande defesa.

Nos minutos finais, os donos da casa foram para cima na última esperança de chegar a igualdade no placar. No entanto, os cariocas sofreram com o nervosismo e pouco produziram. Somente nos acréscimos, o Botafogo teve duas chances, sendo a última em uma bicicleta do goleiro Sidão no último lance do jogo. Assim, o Santos conseguiu segurar o resultado até o fim.

Bastidores – Santos TV:

Após aguentar pressão, Dorival comemora: “Aprendemos a sofrer”

O Santos conquistou três pontos importantes no Campeonato Brasileiro. Na noite desta quarta-feira, o Peixe foi até o estádio Luso-Brasileiro, no Rio de Janeiro, e bateu o Botafogo por 1 a 0, pela 25ª rodada da competição. Quem não acompanhou o duelo pode até pensar que a vitória foi fácil. Porém, para o técnico Dorival Júnior, esse foi o triunfo mais complicado do alvinegro no torneio

“Em momento algum do campeonato a gente sofreu tanto. A equipe só amadurece quando suporta esse tipo de situação. Não foi um jogo técnico, mas nós aprendemos a sofrer”, afirmou o comandante em entrevista coletiva após o jogo desta quarta.

Após abrir o placar logo aos 3 minutos do primeiro tempo, o Santos recuou e foi pressionado pelo Botafogo. Com o fantasma dos gols sofridos nos minutos finais, Dorival optou por segurar o placar mínimo na reta final da partida, colocando o volante Yuri e o zagueiro Lucas Veríssimo nas vagas dos meias Vitor Bueno e Lucas Lima, respectivamente.

Apesar da pressão sofrida pelo Fogão, as mudanças surtiram efeito e o Peixe conseguiu sair com os três pontos. E segundo Dorival, a vitória vale mais que a atuação da equipe. “Foi um resultado importantíssimo para a nossa sequência. Com muita luta e sofrimento. Acredito que reencontramos o caminho. Se a gente manter a postura de hoje, podemos chegar mais perto dos times que estão na frente”, completou.

Paredão, Vanderlei vibra com vitória, mas critica gramado

Se o Santos saiu do Rio de Janeiro com a vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo, na noite desta quarta-feira, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro, muito se deve ao goleiro Vanderlei. Como um paredão, o arqueiro santista fechou a meta e, com várias defesas difíceis, garantiu os três pontos para o Peixe.

Apesar do triunfo, o camisa 1 criticou a situação do campo no Estádio Luso-Brasileiro. “Foi um jogo difícil. Infelizmente, o gramado estava ruim, mas, felizmente, a gente venceu”, afirmou o goleiro.

A vitória do Santos foi construída logo na primeira bola. Aos 3 minutos, Zeca desarmou Neilton já no campo de ataque e acertou chute forte, no canto esquerdo, sem chance para Sidão. Após abrir o placar, o Peixe viu o Botafogo partir pra cima e alçar muitas bolas na área. Porém, a equipe carioca parou na zaga e nas defesas de Vanderlei.

O goleiro acredita que a pressão dos cariocas foi algo normal e vibrou com o triunfo no Rio de Janeiro. “Tem que se fechar bem para não tomar o gol. A gente soube sofrer, sabíamos que tomaríamos muitas bolas na área. Para chegar, tem que vencer fora de casa. A gente fica feliz pelo bom trabalho”, completou.

Mesmo após sufoco, Ricardo Oliveira vê boa apresentação do Santos

“Meio a zero é goleada”. Esse famoso jargão do futebol pode definir o que foi a vitória do Santos sobre o Botafogo, nesta quarta-feira, no estádio Luso-Brasileiro, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro. Após abrir o placar no início da partida em um belo chute de Zeca, o Peixe sofreu com a pressão dos botafoguenses, mas conseguiu sair do Rio de Janeiro com os três pontos.

Apesar das ótimas defesas do goleiro Vanderlei e do sofrimento até o último minuto, quando quase levou um gol de bicicleta do arqueiro Sidão, o centroavante Ricardo Oliveira acredita que o Alvinegro Praiano realizou uma boa partida contra o Fogão.

“Acho que nós fizemos uma boa apresentação. Fomos envolventes. É normal sofrer pressão. Equipes boas chegaram aqui e perderam os jogos. Tivemos a capacidade de sofrer dentro do jogo. Procuramos aproveitar os espaços, temos que valorizar bastante isso”, afirmou o experiente camisa 9 santista na saída do gramado.

Sequência favorável anima Dorival Júnior: “Podemos arrancar”

As três derrotas seguidas para Coritiba, Figueirense e Internacional, fizeram a disputa pelo título ficar distante para o Santos. Porém, como em torneio de pontos corridos tudo muda em pouco tempo, o alvinegro já começa a pensar novamente na liderança do Campeonato Brasileiro. Com a vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo, nesta quarta-feira, no estádio Luso-Brasileiro, o Peixe engatou o segundo triunfo seguido e já voltou ao G4, com 42 pontos.

Além disso, os comandados de Dorival Júnior se apoiam na sequência favorável da tabela para dar uma arrancada de vez na competição. Dos próximos seis jogos, quatro são com mando santista e um é o clássico contra o São Paulo, no Pacaembu, considerada a ‘segunda casa’ do Peixe.

“Voltamos a acreditar que podemos estar dando uma arrancada no campeonato. Continuo achando que o Brasileiro está em aberto. Vai ser um perde e ganha até o final. Acho que reencontramos o caminho”, afirmou o técnico do Santos, em entrevista coletiva após a vitória sobre o Botafogo.

No domingo, às 18h30 (de Brasília), o Peixe pega o Santa Cruz, no Pacaembu. Depois, a equipe visita o Sport, no dia 24, na Ilha do Retiro. Em seguida, os santistas têm duas partidas na Vila Belmiro, diante de Atlético-PR e Fluminense. Logo depois, tem o clássico com o São Paulo, também no Pacaembu, mas com torcida são-paulina. Fechando a sequência, os comandados de Dorival Júnior encaram o Grêmio, dentro de casa.

Para buscar a liderança e o título do Campeonato Brasileiro, o técnico do Santos tira como exemplo a campanha do Flamengo em 2009. Naquele ano, a equipe carioca terminou o primeiro turno apenas na 10ª colocação. Porém, após uma arrancada nas 18 últimas rodadas, nas quais foi derrotado apenas duas vezes, o Rubro-Negro levou o caneco.

“Ainda não tem nada definido. Eu me lembro do Flamengo em 2009, onde eles deram uma arrancada. Acredito que até o oitavo colocado ainda tem chance. Campeonato não está decidido. Se as duas equipes da frente (Palmeiras e Flamengo) não tiverem uma boa sequência, acho que as coisas vão acontecer como no final do primeiro turno”, completou.