Santos 2 x 1 Internacional

Data: 28/09/2016, quarta-feira, 19h30.
Competição: Copa do Brasil – Quartas de final – Jogo de ida
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.592
Renda: R$ 239.880,00
Árbitro: Gilberto Rodrigues Castro Junior (PE)
Auxiliares: Alessandro A. Rocha de Matos (BA) e Fabiano da Silva Ramires (ES).
Cartões amarelos: Paulinho (S); Artur e Fernando Bob (I).
Gols: Copete (03-2), Rodrigão (10-2) e Seijas (29-2).

SANTOS
Vanderlei, Victor Ferraz, David Braz, Luiz Felipe e Zeca; Renato, Thiago Maia (Rafael Longuine), Lucas Lima e Vecchio (Paulinho); Copete e Rodrigão (Joel).
Técnico: Dorival Junior

INTERNACIONAL
Danilo; Fabinho, Eduardo, Ernando e Artur; Fernando Bob, Eduardo Henrique, Seijas (Ceará), Marquinhos (Vitinho) e Valdívia; Nico López (Rodrigo Dourado).
Técnico: Celso Roth



Santos abre pequena vantagem contra o Inter na Copa do Brasil

Jogando contra a equipe “mista” do Internacional, a torcida esperava o Santos amassando o Colorado nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, pelo confronto de ida das quartas de final da Copa do Brasil. Por 10 minutos, o alvinegro conseguiu esse feito e abriu 2 a 0 no marcador, com Copete e Rodrigão. Porém, os gaúchos contaram com a estrela de Vitinho e Seijas, diminuíram o placar e seguem vivos na disputa para avançar no torneio mata-mata.

Agora, as duas equipes se enfrentam só no próximo dia 19 de outubro, às 21h45, no Beira-Rio. E apesar da derrota, o Colorado precisa vencer por apenas um gol de diferença para chegar na semifinal da Copa do Brasil, pois tem a vantagem do tento marcado fora de casa.

O jogo

Apesar de vir com os reservas e estar em um momento difícil, o Inter teve a primeira grande chance na Vila Belmiro. Logo com um minuto de jogo, Nico López roubou a bola de Thiago Maia, partiu para cima da zaga e chutou para fora, perto do gol de Vanderlei. Mas o Santos não deixou barato e respondeu na sequência, em chute de fora da área de Lucas Lima, defendido por Danilo Fernandes.

Após as oportunidades iniciais, o Santos passou a dominar o meio de campo e buscava espaços para abrir o placar. Já o Colorado limitava-se a apostar nos contra-ataques. Porém, quem assustou novamente foi a equipe gaúcha. Aos 18 minutos, o meia Valdívia arriscou de longe. A bola passou muito perto da trave de Vanderlei.

Com o decorrer do primeiro tempo, o Peixe continuava com a bola, trocava diversos passes, mas não conseguia entrar na área adversária. A dificuldade era tanta que os santistas passaram a arriscar de longa distância. Os chutes, porém, passaram longe da meta de Danilo Fernandes. A melhor das oportunidades saiu dos pés de Rodrigão. Após bela jogada de Vecchio, a bola sobrou para o atacante, que chutou de primeira. A bola desviou na zaga e saiu para escanteio.

Antes do apito final, Marquinhos ainda perdeu uma boa chance para o Colorado e Lucas Lima desperdiçou outra para o Santos. Mas nada que mudasse o placar na Vila.

Assim como na primeira etapa, o Inter voltou do intervalo perdendo boa oportunidade logo no primeiro minuto. Após cruzamento de Valdívia, Ernando conseguiu a cabeçada e assustou o goleiro Vanderlei. Porém, quem abriu o placar foi o Santos.

Aos quatro minutos, Lucas Lima deu belo passe para Zeca. O lateral-esquerdo entrou na área e achou Copete. O colombiano apareceu entre os zagueiros colorados e tocou para o fundo das redes.

Com o placar adverso, o Inter recuou ainda mais e chamou o Santos para o seu campo. E a equipe santista não perdoou. Logo aos 10 minutos, Victor Ferraz e Lucas Lima fizeram linda tabela. O camisa 10 deixou o lateral-direito livre dentro da área, que apenas rolou para Rodrigão. De primeira, o atacante soltou uma bomba, ampliando o marcador para o Peixe.

Mesmo vencendo por 2 a 0, os comandados de Dorival Júnior continuaram apertando o Colorado, que não demonstrava reação. Para tentar mudar o quadro da partida e diminuir o placar, Celso Roth colocou Vitinho no lugar de Marquinhos. Deu certo!

Aos 29 minutos, após falta duvidosa marcada pelo árbitro Gilberto Rodrigues Castro Junior, Vitinho cruzou rasteiro dentro da área. O meia Seijas desviou de letra e a bola ainda bateu na trave esquerda de Vanderlei antes de morrer no fundo da rede, diminuindo o prejuízo do Inter na Vila.

O Santos sentiu o gol marcado pelo Inter. Apesar de seguir em vantagem no placar, a equipe santista perdeu o ímpeto que teve no começo da segunda etapa. Mesmo dominando o meio de campo, o Peixe encontrou dificuldades para chegar dentro da área adversária e não assustou mais o goleiro Danilo Fernandes até o apito final.

Bastidores – Santos TV:

Dorival destaca vantagem do Santos e cobra mais público na Vila

Os 10 minutos do segundo tempo entre Santos e Internacional foram animadores para o lado alvinegro. Pressionando os reservas do Colorado, o Peixe abriu 2 a 0 e seguia firme para abrir uma boa vantagem nas quartas de final da Copa do Brasil. Porém, o gol de letra marcado por Seijas reanimou o Inter no confronto.

Com o 2 a 1 no marcador, os gaúchos precisam vencer por um gol de diferença no jogo de volta, no Beira-Rio, no próximo dia 19 de outubro, para eliminar o alvinegro e chegar na semifinal do torneio mata-mata, pois tem a vantagem do tento marcado fora de casa. Apesar disso, o técnico Dorival Júnior preferiu destacar o triunfo santista.

“Saímos daqui com vitória, isso é o mais importante. Se é por uma margem pequena, não importa. Ganhamos de grande time e fizemos bom resultado. Fizemos um resultado e num torneio de mata-mata, em que você tem duas partidas, num primeiro momento foi feito o resultado. Agora, o Inter precisa construir o resultado em sua casa. Temos uma vantagem considerável. É natural que o Santos vai jogar em Porto Alegre buscando o resultado também. Não vamos apenas nos defender e apenas contra-atacar”, afirmou o comandante, em entrevista coletiva após a partida desta quarta-feira, na Vila Belmiro.

Além da disputa nas quartas de final da Copa do Brasil, o Santos está no G4 do Campeonato Brasileiro e brigando na parte de cima da tabela, com 45 pontos. Apesar do momento da equipe, o público decepcionou na Vila Belmiro. No duelo contra o Inter, nesta quarta, somente 6.592 pessoas estiveram no estádio do Peixe. Para Dorival, o apoio dos torcedores pode fazer a diferença na reta final da temporada.

“Poderíamos ter tido um público melhor. Um público que tomasse a Vila. Com uma condição melhorada, teríamos uma pressão maior”, comentou o comandante.

Lucas Lima rechaça gol sofrido e afirma: “Sempre marcamos fora”

Após pouca inspiração na etapa inicial, o Santos começou o segundo tempo fulminante contra o Internacional, na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pelo confronto de ida das quartas de final da Copa do Brasil. Em menos de 10 minutos, o Peixe marcou duas vezes, com Copete e Rodrigão, e dava impressão de que iria golear a equipe ‘mista’ do Colorado. Porém, aos 29 minutos, Seijas mandou uma letra e diminuiu o placar.

Com o 2 a 1 no marcador, a equipe gaúcha precisa vencer por apenas um gol de diferença no jogo de volta, no Beira-Rio, para eliminar o alvinegro e chegar na semifinal do torneio mata-mata, pois tem a vantagem do tento marcado fora de casa.

Apesar do gol sofrido na Vila Belmiro, o meia Lucas Lima preferiu comemorar a vitória e a vantagem conquistada pelo Peixe.

“A gente não queria tomar gol, mas tomamos. O importante é o resultado positivo. Nossa equipe jogou bem, nosso time sempre faz gol fora. Vamos focar agora no Brasileiro”, afirmou o meia, na saída de campo após a vitória desta quarta-feira, na Vila Belmiro.

O duelo de volta entre as duas equipes acontece só no próximo dia 19 de outubro, às 21h45, no Beira-Rio. Por conta disso, o Santos volta suas atenções para o Campeonato Brasileiro.

No G4 e brigando na parte de cima da tabela, com 45 pontos, o Peixe recebe o Atlético-PR, no próximo sábado, às 16h (de Brasília), na Vila Belmiro, pela 29ª rodada do Brasileirão.

Santistas lamentam gol sofrido na Vila, mas confiam em classificação

Mesmo com a vitória sobre o Internacional, na noite desta quarta-feira, os torcedores santistas saíram da Vila Belmiro sentindo um gosto amargo. Após abrir 2 a 0 com Copete e Rodrigão, o Peixe viu Seijas diminuir o placar e manter o Colorado vivo nas quartas de final da Copa do Brasil.

Os próprios jogadores do alvinegro lamentaram o tento sofrido dentro de casa, mas seguem confiantes na classificação do Santos para as semifinais do torneio mata-mata. “Acho que poderia ter sido mais. Deixamos escapar, mas ganhamos. É um resultado bom para a gente”, afirmou o volante Thiago Maia, na saída do gramado.

Autor do primeiro gol nesta quarta-feira na Vila Belmiro, o colombiano Copete admitiu a maior dificuldade no confronto por conta do gol cedido em casa. “Agora se torna mais complicado com gol deles, mas fizemos bom trabalho. Nada está decidido e teremos que lutar”, destacou o atacante.

Com o 2 a 1 na Vila Belmiro, os gaúchos precisam vencer por um gol de diferença no jogo de volta, no Beira-Rio, para eliminar o alvinegro e chegar na semifinal do torneio mata-mata, pois tem a vantagem do tento marcado fora de casa. Agora, as duas equipes se enfrentam só no próximo dia 19 de outubro, às 21h45 (de Brasília), em Porto Alegre.

Após boa partida contra o Inter, Lucas Lima recebe elogios de Dorival

Com 10 minutos do segundo tempo da partida contra o Internacional, nesta quarta-feira, o Santos abriu 2 a 0 no marcador, com Copete e Rodrigão. Apesar das assistências terem sido de Zeca e Victor Ferraz, respectivamente, o que chamou a atenção foi a participação de Lucas Lima. As jogadas para os dois gols saíram dos pés do camisa 10 do Peixe.

Mesmo com o gol marcado por Seijas, o Peixe conseguiu sair da Vila Belmiro com a vantagem, pois venceu por 2 a 1, no duelo de ida das quartas de final da Copa do Brasil. Para o técnico Dorival Júnior, a boa apresentação de Lucas Lima foi um dos pontos mais importantes do triunfo sobre o Colorado.

“É nítido que o Lucas vem alcançando uma melhor condição, até o momento que ele fatalmente vai buscar uma regularidade que ele já teve em outros momentos”, afirmou o comandante, em entrevista coletiva após a partida contra o Inter.

Titular absoluto com Dorival, o meia já estava tendo sua condição na equipe questionada por alguns torcedores, por conta das apresentações ruins na temporada.

Em 16 jogos pelo Peixe no Campeonato Brasileiro, Lucas Lima deu apenas uma assistência, na partida contra o Sport, no dia 15 de junho, e marcou somente um gol, no clássico diante do São Paulo, no dia 26 daquele mês, no Pacaembu. Já na Copa do Brasil, o camisa 10 deixou sua marca uma vez e deu um passe para gol, todos na vitória por 3 a 1 sobre o Vasco, no dia 24 de agosto.

Segundo Dorival, o meia precisa de uma boa sequência de jogos para recuperar a boa fase no Santos. “Tudo é questão de tempo. O Lucas teve duas lesões muito sérias. Uma na final do Paulista e outra na sequência, o que dificulta para que o profissional alcance suas condições. Ele vinha jogando sem treinar praticamente”, completou.

Titular contra o Inter, Vecchio se diz pronto para assumir vaga de Bueno

Atuando improvisado pelo lado direito do ataque, o meia Emiliano Vecchio agradou o técnico Dorival Júnior na vitória do Santos por 2 a 1 sobre o Internacional, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, pelo confronto de ida das quartas de final da Copa do Brasil. Como Vitor Bueno sofreu uma lesão na coxa esquerda e vai seguir fora por, pelo menos, um mês, o argentino pode seguir entre os titulares do Peixe.

Porém, Vecchio terá um oponente de peso na disputa pela vaga. O meia Jean Mota, que ficou fora contra o Inter, pois já atuou na Copa do Brasil pelo Fortaleza, está à disposição de Dorival para o próximo compromisso no Campeonato Brasileiro, contra o Atlético-PR, no sábado, às 16h (de Brasília), na Vila Belmiro. Mesmo assim, o argentino afirmou ter se adaptado bem jogando pela lateral de ataque e espera seguir entre os titulares.

“Foi a primeira vez que joguei nessa posição, mas me senti muito bem. É muito fácil jogar com Lucas Lima, Victor Ferraz, são muito inteligentes. Me senti muito bem, capacitado para jogar nessa posição. No meio do jogo fomos trocando um pouco, joguei por dentro, e o Lucas caiu nas pontas. Me senti muito bem nessa posição”, afirmou o meia.

Apesar de pretender seguir atuando pelos lados, Vecchio admitiu que prefere jogar como meia centralizado. “Quando joga por fora, você é obrigado a fazer muito movimento, mas a bola não chega tanto. Tenho que ter mais paciência, conforme passar do tempo, vou melhorando. No meio tem mais posse de bola, mas me adapto em qualquer posição no campo”, completou.

Com a dúvida entre Jean Mota e Vecchio, o técnico Dorival Júnior elogiou a atuação do argentino nesta quarta-feira, mas desconversou sobre quem será o titular no jogo contra o Furacão. “Vou pensar agora, porque ainda é muito cedo. O importante é que o Vecchio entrou, vinha trabalhando muito forte e deu uma resposta. Fico muito satisfeito de poder estar ganhando um profissional em condições de manter o mesmo nível que a equipe está”, disse o comandante.

Thiago Maia culpa maratona por queda de rendimento: “Ninguém é robô”

A última vez que o Santos teve uma semana livre de treinamentos foi entre o dia 28 de agosto, quando perdeu para o Figueirense por 1 a 0, na Vila Belmiro, e o dia 8 de setembro, na derrota por 2 a 1 para o Internacional, no Beira-Rio. De lá pra cá, os comandados de Dorival Júnior tiveram uma sequência de seis partidas, entre Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil, sempre jogando no final de semana e na quarta-feira. E nos últimos jogos, as atuações do Peixe viraram alvo de críticas da torcida. Para o volante Thiago Maia, a queda de rendimento da equipe está sendo causada por conta dessa maratona.

“Ninguém é robô. Somos jovens, mas não robôs. Tivemos um jogo no Rio de Janeiro e fomos para Recife. Aí voltamos, concentramos, e isso desgasta muito. Complica a gente, mas não é desculpa. Temos que nos concentrar e lutar pelo que a gente quer”, disse o jogador nesta quinta-feira, em entrevista coletiva no CT Rei Pelé.

Convocado para a Olimpíada no Rio de Janeiro e cobiçado fortes clubes europeus, Thiago Maia caiu de rendimento justamente após a conquista do ouro olímpico. O próprio jogador admitiu o mau momento vivido na temporada e credita isso a rotina de treinos na Seleção.

“Peguei o campeonato do ano passado no meio do ano. Agora, estou desde o início e está diferente. Fui pra Seleção ainda e voltei muito abaixo. Agora, aos poucos, estou me recuperando. Preciso de um pouco mais. Estava fazendo físico a parte, fora do CT, mas sinto meu peso no jogo, canso muito rápido durante o jogo. Mas ainda temos mais 10 rodadas, e podemos melhorar isso aí. Todo mundo voando, e estou ficando para trás. Mas vou melhorar, buscar esse ritmo”, disse o volante.

Apesar do desgaste, a rotina do Santos não deve mudar muito nas próximas semanas. Afinal, o alvinegro ainda disputa a Copa do Brasil (está nas quartas de final) e o Campeonato Brasileiro. Por conta disso, Thiago Maia admite que existe a possibilidade do elenco “escolher” uma das competições.

“Conversaremos com os fisiologistas e vamos ver o que podemos fazer para dosar essas competições, que são muito diferentes. Tem de ver os jogadores, se vamos abrir mão de alguma, se aguentamos as duas. Mas acho que vamos subir de produção e agradar muita gente”, completou.

Recuperado, Ricardo Oliveira treina e deve voltar contra o Atlético-PR

O técnico Dorival Júnior ganhou uma boa notícia na tarde desta quinta-feira. Após ficar três jogos afastado por conta de uma lesão de grau um na coxa, o atacante Ricardo Oliveira participou normalmente do treino no CT Rei Pelé e deve voltar ao time titular do Santos no duelo contra o Atlético-PR, no próximo sábado, às 16h (de Brasília), na Vila Belmiro, pela 28ª rodada da competição.

Foi a primeira atividade do camisa 9 em campo após se lesionar na vitória por 3 a 2 sobre o Santa Cruz, no último dia 18, no Pacaembu. O treinamento desta quinta-feira reuniu apenas os reservas e os atletas que não entraram em campo na partida contra o Inter, nesta quarta, na Vila Belmiro, vencida pelo Peixe por 2 a 1, pelo confronto de ida das quartas de final da Copa do Brasil.

Durante o treino, Ricardo Oliveira participou normalmente de um tipo de coletivo, mas em campo reduzido. Caso o centroavante tenha condições de jogo, Rodrigão deve voltar para o banco de reservas na partida contra o Furacão.

Mesmo com o possível retorno do camisa 9, o técnico Dorival Júnior segue com a ausência de Gustavo Henrique e Vitor Bueno. Enquanto o zagueiro rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo e não defende mais o Santos neste ano, o meia sentiu uma lesão na coxa esquerda e vai seguir fora por, pelo menos, um mês.

Para a vaga do defensor, David Braz deve entrar na equipe titular. Já no lugar Bueno, Dorival segue em dúvida entre Jean Mota e Emiliano Vecchio.

Com isso, o alvinegro deve encarar o Atlético-PR com: Vanderlei, Victor Ferraz, Luiz Felipe, David Braz e Zeca; Thiago Maia, Renato e Lucas Lima; Jean Mota (Vecchio), Copete e Ricardo Oliveira (Rodrigão).