Santos 2 x 1 Fluminense

Data: 05/10/2016, quarta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 29ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.253 presentes
Renda: R$ 141.310,00
Árbitro: Igor Júnio Benevenuto (MG)
Auxiliares: Pablo Almeida da Costa e Celso Luiz da Silva (ambos de MG).
Gols: Copete (03-2), Wellington Silva (17-2) e Ricardo Oliveira (34-2).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Luiz Felipe e Zeca; Renato, Thiago Maia e Vecchio (Rafael Longuine); Jean Mota (Yuri), Copete e Ricardo Oliveira (Rodrigão).
Técnico: Dorival Junior

FLUMINENSE
Júlio César; Wellington Silva, Gum, Henrique e William Matheus; Pierre (Richarlison), Douglas, Cícero e Scarpa; Wellington (Marquinho) e Marcos Junior (Henrique Dourado).
Técnico: Levir Culpi



Atacantes decidem, Santos bate Flu e segue sonhando com título

Quem assistiu só o primeiro tempo de Santos e Fluminense, na Vila Belmiro, pode ter dormido mais cedo na noite desta quarta-feira. Mas após o início fraco, as duas equipes acordaram na segunda etapa e fizeram uma boa partida, válida pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. Porém, o Peixe contou com o brilho de seus atacantes para sair com a vitória por 2 a 1 e manter-se entre os quatro primeiros da competição nacional. De cabeça, Copete e Ricardo Oliveira, respectivamente, marcaram os tentos santistas. Wellington Silva descontou, mas não evitou a derrota do Flu.

Com o triunfo, o alvinegro chegou aos 51 pontos e ganhou uma ‘gordura’ dentro do G6. Agora, os santistas abriram oito pontos para o Grêmio, sétimo colocado e primeira equipe fora da zona de classificação para a Liberadores. Além disso, os comandados de Dorival Júnior seguem sonhando com o título do Brasileirão.

Já o Fluminense segue na quinta posição, com 46 pontos, mas viu Atlético-PR e Grêmio vencerem e encostarem na briga pelo G6.

O jogo

Estreando seu terceiro uniforme azul, o Santos foi o primeiro a chegar próximo do gol na Vila Belmiro. Aos cinco minutos, Victor Ferraz avançou pela direita e cruzou. A bola chegou no pés de Ricardo Oliveira. O atacante, porém, furou na hora do chute.

Apesar do jogo ter um início equilibrado, o Peixe teve a segunda boa oportunidade. Aos 17 minutos, após cobrança de escanteio, a bola sobrou para Luiz Felipe. Mas o zagueiro, assim como o camisa 9 momentos antes, furou na definição. Logo depois, Ricardo Oliveira tentou de fora da área e Júlio César defendeu sem dificuldade.

Mesmo com poucas chances claras de gol, o Santos mantinha a posse de bola e dominava o meio de campo. Porém, faltava o último passe entrar. Aos 24 minutos, Copete roubou a bola de Wellington Silva e conseguir acertar o toque para Ricardo Oliveira. O centroavante entrou na área em velocidade, bateu rasteiro, mas parou em Júlio César.

Após a boa chance desperdiçada, o alvinegro não mostrava-se muito incisivo e errada muitos passes, assim como o rival carioca. O jogo ficou feio na Vila. Só que aos 36 minutos, o Fluminense ‘acordou’ na partida.

Primeiro, Wellington fez linda jogada individual pela esquerda, driblou quatro jogadores e bateu no gol. Vanderlei espalmou para escanteio. Logo em seguida, William Matheus mandou a bola na área e Cícero desviou de cabeça. A bola ficou livre para Marcos Júnior, que foi travado na hora do chute. A pressão do Flu, porém, não resultou em gol e as equipes foram para o intervalo sem mexer no placar.

Na segunda etapa, o Santos voltou sem Emiliano Vecchio. Cansado, o argentino foi substituído por Rafael Longuine. Mas quem fez a diferença foi Renato. Logo aos três minutos, o volante fez belo cruzamento Copete. O colombiano cabeceou forte, tirando qualquer de defesa de Júlio César. Peixe na frente.

A abertura do placar logo no início animou o duelo. No lance seguinte, o alvinegro quase ampliou o marcador. Após boa troca de passes, Longuine apareceu livre na entrada da área e chutou por cima do gol. O Fluminense não deixou barato e respondeu na sequência. William Matheus cruzou da esquerda, a bola sobrou para Douglas na altura da marca do pênalti. O volante veio com cede e bateu de primeira, mas Zeca interceptou o chute, salvando o Santos.

Ao contrário da primeira etapa, o segundo tempo começou movimentado na Vila. Mesmo com o Peixe seguindo com a posse de bola, o Flu buscou o empate aos 17 minutos. Após cruzamento da esquerda, Marcos Junior desviou de cabeça e Vanderlei fez uma grande defesa. Porém, o arqueiro deu rebote e Wellington Silva apareceu completamente livre para estufar e rede e igualar o marcador.

Os santistas sentiram o tento marcado pelos cariocas. Após o gol, o Peixe viu o tricolor chegar com mais facilidade ao ataque e ter algumas chances para virar o placar. Tanto que o alvinegro só conseguiu uma boa oportunidade com um defensor que se aventurou no ataque. Aos 29 minutos, Luiz Felipe avançou pela lateral direita e ao invés de cruzar, mandou uma bomba de longe, surpreendendo Júlio César, que espalmou no susto e mandou para escanteio.

Porém, o desafogo do alvinegro veio após duas bolas paradas. Primeiro, Rafael Longuine manou uma bola na trave. Na sequência, Ricardo Oliveira aproveitou cobrança de escanteio de Jean Mota, desviou de cabeça e colocou o Santos em vantagem novamente.

Após o gol, o jogo seguiu com boas chances para os dois lados, mas nada que mudasse o marcador na Vila Belmiro.

Bastidores – Santos TV:

Com ‘gordura’ por Liberta, Dorival ainda acredita em título brasileiro

A vitória por 2 a 1 sobre o Fluminense, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, fez o Santos ganhar um fôlego extra na briga por uma vaga na Liberadores de 2017. Com o triunfo, o alvinegro chegou aos 51 pontos e abriu oito para o Grêmio, sétimo colocado e primeira equipe fora do G6. Mesmo com essa ‘gordura’, o técnico Dorival Júnior não quer o Peixe relaxando no torneio e ainda segue sonhando com o título.

“É muito cedo para falar em classificação para a Liberadores. O Brasileiro requer muita atenção e nós temos pretensões no campeonato, não é só Libertadores. Nós temos nove rodadas, se eu não acreditar na minha equipe eu teria que sair do clube. Desde o início foi assim, do ano passado pra cá nós melhoramos em muitos quesitos. Tem coisas boas que estão acontecendo com o Santos”, afirmou o comandante, em entrevista coletiva após o duelo contra o Flu.

O jogo desta quarta-feira, inclusive, foi decisivo na busca do Peixe por uma vaga na Libertadores de 2017. Caso perdesse, o alvinegro seria ultrapassado pelo tricolor carioca. Mesmo seguindo no G6, os santistas ficariam mais longe das três primeiras colocações, principal objetivo da equipe atualmente. Por conta disso, Júnior gostou do ímpeto do alvinegro contra o Flu, principalmente quando foi pressionado.

“Acho que fomos uma equipe corajosa, que buscou o gol a todo instante, mesmo sabendo que tínhamos um contra-ataque deles muito forte. O contra-ataque do Fluminense é mortal. São duas equipes que se conheciam, se respeitaram, mas que foram agressivas na busca pelo gol. O jogo ficou muito franco em determinado momento, poderia ter acontecido tanto de um lado quanto do outro”, completou.

Rei dos escanteios, Jean Mota recebe elogios após nova assistência

Aos 34 minutos do segundo tempo, o Santos vivia seu pior momento na partida contra o Fluminense, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro. Após levar o empate dentro da Vila Belmiro, o alvinegro era pressionado e quase levou a virada do Flu. Porém, um escanteio cobrado por Jean Mota fez a diferença. O meia cruzou na cabeça de Ricardo Oliveira, que se antecipou e escorou para o fundo da rede, decretando a vitória santista por 2 a 1, no duelo válido pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.

A assistência foi a quinta de Jean neste Brasileirão, sendo que quatro foram de escanteios, contra Atlético-MG (duas vezes) e Corinthians, respectivamente. Para o técnico Dorival Júnior, o meia foi um ótimo investimento do clube.

“Das quatro equipes que estão na frente no Brasileirão, o Santos é a que tem o menor volume de investimento. Mesmo assim, nós encontramos alguns atletas que chegaram nesse grupo sem muitos gastos e deram soluções para os nosso problemas. O Jean é um deles”, afirmou o comandante, em entrevista coletiva após o triunfo sobre o Flu.

Indicação direta de Dorival Júnior, o armador chegou ao Peixe em junho após se destacar pelo Fortaleza na Série C, assinando contrato com o Santos até 2020. O atleta de 22 anos pode atuar como lateral-esquerdo, volante, meia e ponta, mas a comissão técnica prefere que ele atue como armador.

“Fico feliz por cobrar o escanteio na cabeça do Ricardo e ajudar o Santos a ganhar os três pontos. Aos poucos estou conseguindo minha vaga na equipe. É um time grande, com vários jogadores de qualidade. Estou buscando aos poucos meu espaço”, afirmou Jean Mota, na saída do gramado.

Na próxima rodada, o Santos provavelmente terá o retorno do meia Lucas Lima. Com isso, a presença de Jean Mota segue sendo dúvida para o clássico contra o São Paulo, no Pacaembu, no dia 13, às 21h (de Brasília).

Dorival se diz orgulhoso por trabalho e critica boatos por Luxemburgo

Nos últimos dias, circularam nos arredores da Vila Belmiro alguns boatos nos bastidores de que conselheiros do clube apoiavam a troca de Dorival Júnior por Vanderlei Luxemburgo no comando técnico da equipe.

Com o Santos na quarta colocação do Campeonato Brasileiro e disputando uma vaga na semifinal da Copa do Brasil, o presidente Modesto Roma Júnior, negou ter recebido uma carta de conselheiros do clube pedindo a saída do comandante e a contratação de Luxemburgo. E após a vitória por 2 a 1 sobre o Fluminense na noite desta quarta-feira, o próprio Dorival afirmou não se importar com “matérias infundadas” e se vê tranquilo no cargo até o atual momento.

“Esse conselheiro deve estar muito preocupado com o Santos, porque há tempos não via o Santos se firmar entre os primeiros, e agora tem o desprazer de conviver com isso. Eu tenho pena dele. Não merece meu respeito. Nunca me foi colocada situação nenhuma do presidente e do clube, que sempre foi correto comigo. Não precisa de conselheiros tomarem qualquer iniciativa, mas que venham para torcer pelo Santos, porque estamos merecendo mais apoio do que quem tenta infiltrar”, desabafou Dorival.

Durante a declaração do presidente na última segunda-feira, ele chegou a afirmar que o trabalho realizado pelo treinador é “aceitável”. O treinador preferiu não entrar em polêmica e disse ter orgulho do trabalho no clube.

“Cada um faz a colocação que ache conveniente, não vou questionar. Acredito que seja realmente um trabalho aceitável, e que tenho orgulho do que o grupo tem feito. Me orgulha estar à frente disso”, completou.

Com o triunfo sobre o Fluminense, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, o Santos chegou aos 51 pontos e ganhou uma ‘gordura’ dentro do G6. Agora, os santistas abriram oito pontos para o Grêmio, sétimo colocado e primeira equipe fora da zona de classificação para a Liberadores.

Mesmo com desgaste, Dorival deve escalar titulares contra o Benfica

O técnico Dorival Júnior bem que tentou, mas o Santos deve ir com força máxima no amistoso contra o Benfica, neste sábado, às 16h05 (de Brasília), na Vila Belmiro. O comandante chegou a afirmar que pretendia poupar alguns atletas, mas um acordo prevê que as equipes utilizem os titules no encontro. A partida marca as festividades pelos 100 anos do estádio, além de homenagear os ídolos Léo e Giovanni, que estarão em campo.

“O amistoso serve também como um treinamento de excelente nível. Porém, tenho de respeitar outra situação, caso cheguemos ao limite de um ou outro atleta. Do contrário, não, colocarei em campo a melhor equipe possível, até porque é um compromisso que exige uma seriedade”, afirmou o treinador santista.

A principal preocupação de Dorival é com o desgaste físico dos atletas, pois o amistoso acontece entre a vitória por 2 a 1 sobre o Fluminense, na última quarta, e clássico contra o São Paulo, no próximo dia 13. Caso o embate diante dos portugueses não acontecesse, o treinador poderia aproveitar a semana livre para preparar a equipe.

“Sequência de jogos é um complicador, alguns jogadores ressentem falta de recuperação melhor. Teria que ter tirado um ou outro jogador contra o Fluminense, mas com a bola parada tive que segurar um pouco. Temos que repensar, porque precisamos do time bem postado contra o São Paulo”, disse.

O único desfalque certo é Lucas Lima. Convocado para a Seleção Brasileira, o meia participa dos jogos contra a Bolívia, nesta quinta-feira, às 21h45 (de Brasília), na Arena das Dunas, e diante da Venezuela, na próxima terça, às 21h30 (de Brasília), em Mérida. Já o Benfica pode ter a ausência de até 15 jogadores, entre convocados e lesionados.

Gustavo Henrique passa por cirurgia no joelho e começará tratamento

O primeiro passo para a recuperação de Gustavo Henrique foi dado nesta quinta-feira. Após romper o ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo, o zagueiro passou por uma cirurgia de reconstrução no Hospital do Coração (HCor), em São Paulo.

O procedimento foi realizado pelo Dr. Rene Abdala, reconhecido por operações deste tipo em atletas, e supervisionada pelo médico do próprio clube, Mauricio Zenaide. Seguindo as projeções dos médicos, o atleta deve voltar a jogar apenas entre abril e maio de 2017.

O camisa 6 do Peixe deve receber alta do hospital já nesta sexta-feira, um dia após a cirurgia. Assim que for liberado, o defensor seguirá segue direto para o CT Rei Pelé, onde dará início aos trabalhos de fisioterapia no Cepraf do clube.

O zagueiro se lesionou na derrota do Santos para o Sport por 1 a 0, no último dia 24 de setembro, na Ilha do Retiro, logo aos três minutos do primeiro tempo, após dividir uma bola com o meia Diego Souza. A realização da cirurgia somente duas semanas após a lesão foi necessária para que acontecesse uma diminuição do inchaço no local.

É a segunda vez que Gustavo Henrique passa por cirurgia ligamentar no joelho. Em 2014, o zagueiro rompeu o ligamento do joelho direito. Sem o defensor, Dorival Júnior deve manter David Braz como titular até o final deste ano.

Por conta da ausência de Gustavo Henrique, a diretoria do Peixe pensa em contratar mais um zagueiro para compor o elenco em 2017. O ídolo Alex, inclusive, já voltou a entrar na mira do alvinegro.