Cruzeiro 2 x 2 Santos

Data: 20/11/2016, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 36ª rodada
Local: Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, MG.
Público: 13.902
Renda: R$317.185,00
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)
Auxiliares: Kleber Lúcio Gil e Carlos Berkenbrock (ambos de SC).
Cartões amarelos: Lucas Romero, Henrique e Alisson (C); Vanderlei, Lucas Lima e Jean Mota (S).
Cartão vermelho: Arrascaeta (C).
Gols: Arrascaeta (21-1); Ricardo Oliveira (02-2), Ricardo Oliveira (16-2, de pênalti) e Manoel (43-2).

CRUZEIRO
Rafael, Lucas Romero, Léo, Manoel, Bryan; Henrique, Ariel Cabral (Bruno Nazário), Arrascaeta, Robinho (Marcos Vinicíus); Willian (Ábila) e Alisson.
Técnico: Mano Menezes

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Fabián Noguera (Léo Cittadini) e Zeca; Renato, Thiago Maia (Jean Mota) e Lucas Lima; Vitor Bueno (Lucas Veríssimo), Copete e Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Junior



Santos leva empate no fim e vê título do Brasileirão ficar distante

O que parecia difícil ficou praticamente impossível para o Santos. A equipe de Vila Belmiro começou perdendo para o Cruzeiro, com gol de Arrascaeta, conseguiu buscar a virada com dois de Ricardo Oliveira, mas acabou levando o empate nos minutos finais, após cabeçada de Manoel.

Com a igualdade, os comandados de Dorival Júnior chegaram aos 68 pontos, viram o Palmeiras vencer o Botafogo por 1 a 0, em São Paulo, e praticamente deram adeus ao título do Campeonato Brasileiro. Apesar disso, o Peixe ainda manteve a vice-liderança da competição, beneficiado pelo empate do Flamengo com o Coritiba, no Maracanã.

O Cruzeiro, por sua vez, ficou com 48 pontos, eliminou qualquer chance matemática de cair para a Série B, mas também não tem mais possibilidade de alcançar uma vaga na Copa Libertadores de 2017.

O jogo

Apesar do forte sol em Belo Horizonte, partida começou morna no Mineirão. O Santos até tentava impor seu estilo de jogo, com posse de bola e troca de passes, mas o Cruzeiro marcava em cima e até chegava mais na área do Peixe, mas sem assustar muito. Tanto que a primeira boa oportunidade surgiu apenas aos 15 minutos. Ariel Cabral desviou de cabeça na entrada da área e achou Robinho. O meio solta uma bomba e quase acertou o ângulo esquerdo de Vanderlei.

A Raposa seguiu melhor e abriu o placar seis minutos depois. Após cruzamento da esquerda, Arrascaeta ganhou pelo alto de Zeca. A bola quicou na frente de Noguera, mas o defensor não conseguiu cortar, e o uruguaio bateu rasteiro no canto direito de Vanderlei, deixando a equipe de Minas em vantagem.

Mesmo com o gol sofrido, o Santos seguiu muito mal no jogo. Com dificuldade para criar, os comandados de Dorival Júnior sofriam com a velocidade de Cruzeiro e quase levaram mais um. Aos 30 minutos, Arrascaeta apareceu novamente, driblou David Braz e Noguera com uma facilidade enorme e bateu forte, obrigando Vanderlei a fazer ótima defesa.

Percebendo os problemas defensivos e precisando vencer para seguir sonhando com título, Dorival não esperou o primeiro tempo acabar e trocou Noguera por Léo Cittadini. Com isso, o volante Thiago Maia foi recuado para atuar como zagueiro ao lado de David Braz. A mudança fez o Peixe melhorar na partida, mas nada que fizesse a equipe chegar ao empate antes do intervalo.

Quando o sol parou de aparecer no gramado do Mineirão, a partida começou a ficar quente. Logo no primeiro minuto do segundo tempo, Alisson chutou de fora da área e assustou o goleiro santista Vanderlei. Apesar de boa chance, quem colocou a bola na rede foi o Peixe. E se estava difícil para o alvinegro criar boas jogadas, o Cruzeiro praticamente deu o gol de bandeja. Lucas Romero recuou errado e entregou a bola nos pés de Ricardo Oliveira. Livre de marcação, o artilheiro apenas desviou na saída de Rafael para deixar tudo igual em Minas.

O empate logo cedo animou o Santos, que melhorou e passou a ter mais a posse de bola. E não demorou muito para os comandados de Dorival Júnior ficarem em vantagem. Aos 15 minutos, Copete tabelou com Léo Cittadini e e foi derrubado na área por Lucas Romero. Pênalti. Na cobrança, Ricardo Oliveira tirou o goleiro Rafael da foto e virou a partida para o alvinegro.

Após ficar na frente do placar, o Peixe recuou e conseguiu segurar o Cruzeiro, que ainda teve Arrascaeta expulso. E quando parecia que a vitória seria santista, o zagueiro Manoel apareceu livre após cobrança de falta de Bryan, e em posição de impedimento, desviou de cabeça no canto direito de Vanderlei. Empatando o duelo e praticamente acabando com as chances do Santos ser campeão brasileiro.

Bastidores – Santos TV:

Renato joga a toalha sobre título: “Não conseguimos seguir na briga”

Após Ricardo Oliveira marcar de pênalti e virar o jogo contra o Cruzeiro, neste domingo, no Mineirão, o Santos encostava no Palmeiras e ficava a dois pontos da liderança. Porém, menos de um minutos depois, o Verdão fez 1 a 0 contra o Botafogo, no Allianz Parque, e voltou a abrir quatro de vantagem na ponta. Como se não bastasse, o Peixe ainda levou o empate da Raposa no fim e ficou em situação bem complicada na luta pelo título do Campeonato Brasileiro.

Com 68 pontos e seis atrás do alviverde, o alvinegro precisa vencer seus dois últimos jogos, contra Flamengo e América-MG, e torcer para que o rival seja derrotado por Chapecoense e Vitória. Praticamente fora da briga, o volante Renato jogou a toalha na saída de campo.

“Infelizmente não conseguimos seguir na luta pelo título com uma vitória hoje. Se não formos campeões, temos de buscar a melhor classificação. Temos de fazer um bom jogo (contra o Flamengo)”, afirmou o camisa 8 santista.

Na partida diante do Cruzeiro, os santista ainda viram Arrascaeta ser expulso. Porém, mesmo com um a mais em campo, o alvinegro acabou levando o empate aos 43 minutos do segundo tempo, em cabeçada do zagueiro Manoel, que estava em posição irregular.

“(Faltou) segurar um pouco mais a bola com um a mais. Conseguimos sair no contra-ataque para matar o jogo. Na bola parada, Manoel foi feliz. A gente treina (o posicionamento), não é loucura. A gente faz durante a partida, se precisar, como precisou. Já fizemos assim contra a Ponte Preta, entrando o Yuri, eu ficando do lado igual”, concluiu Renato.

Dorival lamenta erro de arbitragem e não desiste de título: “Até o fim”

Até os 43 minutos do segundo tempo, o Santos vencia o Cruzeiro por 2 a 1, no Mineirão, seguia a quatro pontos de distância para o líder Palmeiras e mantinha vivo o sonho do título do Campeonato Brasileiro. Porém, após cobrança de falta de Bryan, o zagueiro Manoel subiu mais que a zaga santista e deixou tudo igual no duelo. Na cabeçada, o defensor estava em posição irregular, mas a arbitragem validou o gol.

O tento deixou o Peixe em situação complicada no Brasileirão e o técnico Dorival Júnior lamentou o erro contra a sua equipe. “Estávamos melhor na partida, mas fomos penalizados mais uma vez. Volto a frisar, por um erro claro que comprometeu nosso resultado e tirou o brilhantismo de uma virada e sequência de grandes jogos que vínhamos fazendo. Lamentamos, sim, porque mais uma vez nos afastamos por conta de uma condição extra, além do normal de uma partida. E um erro como esse acaba tirando possibilidade real de conquista de título”, afirmou o comandante, em entrevista coletiva após o empate no Mineirão.

Com a igualdade, os comandados de Dorival Júnior chegaram aos 68 pontos, viram o Palmeiras bater o Botafogo por 1 a 0, em São Paulo, e praticamente deram adeus ao título do Campeonato Brasileiro. Agora, o alvinegro precisa vencer seus dois últimos jogos, contra Flamengo e América-MG, e torcer para que o rival seja derrotado por Chapecoense e Vitória. Apesar da dificuldade, Dorival ainda não jogou a toalha.

“E não vai abaixar (a cabeça), vamos continuar e brigar até o fim, até a última possibilidade que exista. Acho que já vimos aí grandes viradas em outros momentos e não será diferente. Ninguém sabe o que pode acontecer. Se o Palmeiras confirmar o título, ótimo, merecido. Do contrário, estaremos aí. Teremos outra decisão com o Flamengo e não tenho dúvidas de que iremos lá fazer nosso melhor e buscar o melhor resultado”, concluiu o técnico santista.

Oliveira reclama de ‘falta de inteligência’ após empate com um a mais

Após começar perdendo por 1 a 0, no Mineirão, na tarde deste domingo, o Santos buscou a virada contra o Cruzeiro e caminhava rumo a sua quinta vitória seguida no Campeonato Brasileiro. E para facilitar as coisas, o Peixe ainda contou com a expulsão do cruzeirense De Arrascaeta após falta dura em cima de Thiago Maia. Porém, mesmo com um a mais em campo, os santistas levaram o empate aos 43 minutos do segundo tempo, após o zagueiro Manoel, em posição irregular, aproveitar cobrança de falta e cabecear para o fundo das redes.

Autor dos dois gols que colocaram o alvinegro em vantagem em Belo Horizonte, o atacante Ricardo Oliveira lamentou o erro nos minutos finais que praticamente acabou com as chances do Santos conquistar o Campeonato Brasileiro.

“O primeiro tempo não foi dos melhores, mas no segundo viramos o jogo. Com um jogador a mais, temos de ser inteligentes. Ficar com a bola, fazer o goleiro jogar e encontrar espaços. Eles avançaram e numa bola parada levamos o empate”, afirmou o centroavante na saída do gramado.

Com o empate no fim, os santistas chegaram aos 68 pontos, viram o Palmeiras bater o Botafogo por 1 a 0, em São Paulo, e ficaram em situação complicada na luta pelo título. Agora, o alvinegro precisa vencer seus dois últimos jogos, contra Flamengo e América-MG, e torcer para que o rival seja derrotado por Chapecoense e Vitória.

Perguntado sobre a remota possibilidade matemática de levantar a taça, Oliveira preferiu focar apenas no duelo contra o Flamengo, no próximo domingo, às 17h (de Brasília), no Maracanã, pela penúltima rodada do Brasileirão. “Nosso trabalho é dar o melhor a cada jogo. Hoje, infelizmente, não conseguimos o resultado. É pensar no próximo”, concluiu o artilheiro santista.

Após falha contra o Cruzeiro, Noguera pede desculpa à torcida do Santos

Durante o empate em 2 a 2 entre Cruzeiro e Santos, no Mineirão, no último domingo, uma substituição acabou chamando a atenção. Logo aos 35 minutos do primeiro tempo, o técnico Dorival Júnior sacou o zagueiro Fabián Noguera e promoveu a entrada do meia Léo Cittadini. Momentos antes, o defensor havia cometido uma falha no gol marcado por Arrascaeta.

Após a troca, o argentino mostrou abatimento no banco de reservas e foi até uma rede social para pedir desculpas aos torcedores do alvinegro. Criticado por parte da torcida, que o considera “lento”, Noguera justificou o erro cometido no lance, afirmando que estava com o medo de cometer pênalti no meia cruzeirense.

“Em primeiro lugar, quero pedir desculpas e admitir meu erro no primeiro gol do Cruzeiro. Na cobertura, eu tentei ir perto dele, mas não tão fortemente, por medo de ser marcado um pênalti contra nós… Como todos devem saber, não por culpa das minhas decisões, eu vim arrastando um tempo de inatividade de um ano que me custou muito. Trabalhei em dois períodos todo esse tempo, o que me fez chegar em ótimas condições físicas. Esta é a minha primeira experiência internacional, em um novo país, com novos costumes, língua nova e longe da minha família. Ainda estou me adaptando”, escreveu.

A igualdade no Mineirão deixou o Santos precisando de um milagre para conquistar o título do Brasileirão. Com 68 pontos e seis atrás do Palmeiras, o alvinegro precisa vencer seus dois últimos jogos, contra Flamengo e América-MG, e torcer para que o rival seja derrotado por Chapecoense e Vitória.

“Infelizmente, alguns dos pontos que deixamos na estrada em encontros anteriores, contra rivais que lutam para evitar o rebaixamento, nos levou a estar em uma posição para matar ou morrer. Mas eu não considero justas as críticas para mim e para a equipe, já que temos feito um grande esforço para que hoje ainda tenhamos chances matemáticas para ganhar o Brasileirão e termos alcançado a vaga para a fase de grupos da Copa Libertadores depois de vários anos”, concluiu Noguera.

Tropeço do Galo garante Santos na fase de grupos da Libertadores

Agora é oficial: o Santos está garantido na fase de grupos da Copa Libertadores da América de 2017. Após ficar no 2 a 2 contra o Cruzeiro, neste domingo, no Mineirão, o Peixe foi beneficiado pelo empate do Atlético-MG por 3 a 3 com o Santa Cruz, no Arruda, e não tem mais possibilidade de sair do G3 do Campeonato Brasileiro.

Se a igualdade diante da Raposa praticamente acabou com a chance do alvinegro conquistar o título, o tropeço do Galo foi um alento para os santistas, que agora entrarão diretamente nos grupos da Liberta, fugindo da disputa da primeira fase da competição continental em 2017.

Como o Atlético não venceu o Santa, acabou ficando com 62 pontos, seis a menos que o Peixe. Por conta disso, mesmo que os comandados de Dorival Júnior percam para Flamengo e América-MG, o Galo precisará vencer todos os seus jogos para empatar em pontos com o alvinegro. Porém, mesmo que isso aconteça, os mineiros ainda ficarão atrás dos santistas por conta do número de vitórias.

Vale lembrar que na próxima temporada, a chamada ‘pré-Libertadores’ terá um grau de dificuldade maior que as edições anteriores. Com as novas regras da competição, será preciso passar por dois times até entrar na fase de grupos, totalizando quatro jogos a mais no calendário do próximo ano

O Peixe não disputa uma Libertadores desde 2012. Na oportunidade, ainda com Neymar e Ganso na equipe, o alvinegro acabou sendo eliminado pelo Corinthians na semifinal, após empate em 1 a 1, no Pacaembu, no dia 20 de junho daquele ano.

Com título longe e G3 garantido, Santos pega o Fla por R$ 3,4 milhões

Matematicamente, o Santos ainda está vivo na disputa pelo título do Campeonato Brasileiro. Porém, com o empate em 2 a 2 com o Cruzeiro, no último domingo, no Mineirão, os santistas dependem de um milagre para levantar a taça. Em contrapartida, os comandados de Dorival Júnior garantiram a vaga na fase de grupos da Copa Libertadores da América de 2017, beneficiados pelo tropeço do Atlético-MG contra o Santa Cruz.

Por conta disso, o Peixe teoricamente ficaria sem pretensões nas duas últimas rodadas do Brasileirão. Porém, o duelo do próximo domingo contra o Flamengo, no Maracanã, às 17h (de Brasília), ainda tem seu valor. Na verdade, são exatamente R$ 3,4 milhões.

A quantia é válida pela premiação de acordo com a posição dos times na tabela do torneio. O vice-colocado, por exemplo, receberá R$ 10,7 milhões. Já o terceiro, R$ 7,3 milhões. O campeão levará R$ 17 milhões para casa. No total de premiações, a CBF desembolsará R$ 60 milhões.

Atualmente na terceira colocação e sem chances matemáticas de título, o Fla precisa vencer o alvinegro para garantir a premiação. “Logicamente que estamos frustrados, mas passamos a ter o objetivo secundário, que é a disputa do vice-campeonato. É um confronto direto. Temos que nos recuperar para estarmos preparados para o jogo da semana que vem”, disse o técnico rubro-negro Zé Ricardo.

O Santos, por sua vez, ainda sonha com a conquista da taça. Com 68 pontos e seis atrás do líder Palmeiras, o Peixe precisa vencer seus dois últimos jogos, contra Flamengo e América-MG, e torcer para que o rival seja derrotado por Chapecoense e Vitória. Apesar da missão praticamente impossível, Dorival Júnior ainda não jogou a toalha.

“Teremos outra decisão e não tenho dúvidas de que iremos lá fazer nosso melhor e buscar o resultado. Não estamos abrindo mão (do campeonato), pelo contrário. Vamos acreditar até o último momento. O Santos ainda tem reais condições de estar chegando”, afirmou o comandante santista.

Paulinho é dispensado do Santos após discutir com torcedor na Vila

Paulinho não faz mais parte do plantel santista. O atacante foi dispensado do clube antes mesmo do término de seu contrato de empréstimo, que vai até o dia 31 de dezembro. Após discutir com um torcedor no triunfo santista sobre o Vitória, na última quinta-feira, na Vila Belmiro, o jogador foi cortado do treinamento do último sábado, ficou fora da lista de relacionados para o embate diante do Cruzeiro, no último domingo, no Mineirão, e não vestirá mais a camisa do Peixe.

O atleta deve ir ao CT Rei Pelé ainda nesta semana apenas para pegar seus pertences e logo seguida voltará ao Flamengo, dono de seus diretos.

Relacionado para o duelo contra o Vitória, Paulinho sequer saiu do banco de reservas. Porém, durante um aquecimento, ele foi provocado por torcedor, que também é conselheiro do clube. Como resposta, o atacante fez um sinal com as mãos, dando a entender que tinha dinheiro no bolso. Alguns dirigentes do clube viram a situação e logo em seguida pediram o desligamento do jogador.

Vale lembrar que Paulinho já havia sido afastado pelo técnico Dorival Júnior em outra oportunidade, no começo de agosto. Na ocasião, o clube pensou em devolvê-lo ao Flamengo. Porém, após ficar cerca de dois meses treinando separado, o atacante foi reintegrado ao elenco e ganhou algumas oportunidades, sendo até titular na derrota do Santos por 2 a 0 para o Internacional, no Beira-Rio, no duelo que culminou com a eliminação do clube na Copa do Brasil.

Com seu ‘renascimento’, a diretoria chegou até a cogitar uma possível prorrogação do empréstimo ao Rubro-Negro. Esse último problema, porém, acabou sendo a pá de cal na passagem de Paulinho pelo Peixe.

O atacante chegou ao alvinegro no início da temporada por indicação de Dorival. Na época, o Santos pagou R$ 300 mil pelo empréstimo do jogador de 28 anos. No começo do ano, ele começou o Campeonato Paulista como titular, mas nunca conseguiu emplacar uma boa sequência de jogos, e perdeu espaço com as chegadas de Rodrigão, Jean Mota e Copete.