Santos 1 x 0 América-MG

Data: 11/12/2016, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 38ª rodada (última)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 7.531
Renda: R$ 209.660,00
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: Rafael da Silva Alves e Mauricio Coelho Silva Pena (ambos de RS).
Cartões amarelos: AMÉRICA-MG: Juninho.
Gol: Ricardo Oliveira (03-2)

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Yuri e Zeca; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima (Elano); Vitor Bueno (Jean Mota), Copete (Rafael Longuine) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Junior

AMÉRICA-MG
Glauco; Hélder, Messias, Roger e Diego; Juninho, Cristian, Renato Bruno e Guilherme Xavier (Nixon); Osman e Michael.
Técnico: Enderson Moreira



Em dia de homenagens, Santos bate América-MG e fica com o vice

O Santos é o vice-campeão brasileiro de 2016. Em tarde de domingo recheada de homenagens à Chape e ao agora aposentado Elano, o Peixe não precisou fazer muito esforço para bater o já rebaixado América-MG por 1 a 0, na Vila Belmiro, na última rodada da competição. Beneficiado pelo tropeço do Flamengo, que só empatou com o Atlético-PR, na Arena da Baixada, o alvinegro garantiu a segunda colocação do nacional.

Com o único gol da partida marcado por Ricardo Oliveira, aos três minutos do segundo tempo, o Santos alcançou os 71 pontos e igualou o Rubro-Negro. Porém, a equipe de Dorival Júnior tem uma vitória a mais, e por conta disso, ficou com o vice do Brasileirão e garantiu R$ 3,4 milhões a mais na conta. O América-MG, por sua vez, se despediu com mais uma derrota e a lanterna do torneio nacional.

Agora, os santistas entram em férias e só voltam a treinar no próximo dia 11 de janeiro, no CT Rei Pelé, visando as disputas do Campeonato Paulista e da Copa Libertadores da América, competição que o clube não joga há quatro anos. O Coelho, que havia liberado 14 atletas, também entra em período de descanso e tentará voltar à primeira divisão do Brasileiro na próxima temporada.

O jogo

Antes da bola rolar, a Vila Belmiro se encheu de emoção para homenagear as vítimas da tragédia com o avião da Chapecoense. Inicialmente, o telão do estádio passou vários gols do Santos na voz do narrador Deva Pascovicci, que foi uma das vítimas e era santista de coração. Na sequência, o índio Carlinhos, mascote do clube de Santa Catarina, entrou no gramado e saudou a torcida alvinegra.

Das arquibancadas saíram gritos homenageando o time de Chapecó, além do meia Cléber Santana e do zagueiro Neto, que já passaram pelo Peixe. Por fim, os jogadores do alvinegro, que vestiam uma camisa com os escudos da Chape e do Atlético Nacional, se juntaram a jornalistas e aos atletas do América-MG. Eles se abraçaram e no centro do gramado, fizeram um minuto de silêncio.

Se antes da partida começar a emoção tomou conta da Vila, o mesmo não pode ser dito quando a bola rolou. Mesmo trocando passes com facilidade e sendo pouco assustado pelo remendado Coelho, o alvinegro mostrava muita apatia e parecia que já havia antecipado as férias.

O jogo era tão monótono na Vila que a única chance que realmente animou a torcida na primeira etapa aconteceu apenas aos 31 minutos. Em boa movimentação, Victor Ferraz avançou e cruzou da direita. O colombiano Copete se antecipou a zaga e cabeceou na trave. No rebote, Zeca apareceu livre, mas bateu para fora.

Após o apito de Leandro Vuaden encerrando o primeiro tempo, o Urbano Caldeira voltou a ser palco de homenagens. Desta vez, o meia Elano, que fazia sua despedida como jogador profissional, foi até o centro do gramado e acompanhou um vídeo com vários amigos desejando sorte em sua nova carreira de auxiliar técnico. O jogador ainda teve seu nome cantado pela torcida alvinegra durante o intervalo.

Na volta para o segundo tempo, o Peixe quebrou a morosidade inicial e foi para cima do América-MG. Tanto que logo aos três minutos, Copete avançou na lateral esquerda e cruzou na medida para Ricardo Oliveira. O atacante subiu mais que a zaga rival, escorou para o gol e abriu o placar na Vila Belmiro. Na comemoração, o artilheiro deu uma ‘flechada’ no ar, prestando mais uma homenagem à Chape.

Após ficar na frente do marcador, o alvinegro apenas administrou o jogo. O Coelho, por sua vez, mostrava pouco poder de reação e não assustava o Santos. Com o resultado praticamente garantido, o técnico Dorival Júnior promoveu a substituição que todos queriam ver. Aos 33 minutos, o meia Lucas Lima saiu para a entrada de Elano, que pisava no gramado da Vila pela última vez como jogador profissional.

A entrada do ídolo, porém, pouco alterou o andamento do jogo, que seguiu monótono até o último apito do árbitro Leandro Pedro Vuaden, que garantiu o Santos na segunda colocação do Campeonato Brasileiro.

Bastidores – Santos TV:

Oliveira comemora vice e acredita em “coisa boa” reservada para 2017

O Santos é o vice-campeão brasileiro de 2016. Mesmo sem mostrar um futebol brilhante, o Peixe bateu o já rebaixado América-MG por 1 a 0, na Vila Belmiro, na última rodada da competição. Beneficiado pelo tropeço do Flamengo, que só empatou com o Atlético-PR, na Arena da Baixada, o alvinegro garantiu a segunda colocação do nacional. Para Ricardo Oliveira, autor do último gol santista no ano, a temporada pode ser vista com bons olhos pela torcida, mesmo sem a conquista do título.

“O vice representa uma equipe que lutou o tempo todo pelo titulo, que não se deu por vencida e que termina em segundo merecidamente. Foi um ano muito bom, com um título e com vaga na Libertadores. Agora é descansar, desligar tudo e esquecer o futebol, porque ano que vem tem Liberta, que é uma competição que a torcida gosta e nós também”, afirmou o artilheiro na saída do gramado.

Com o tento anotado por Oliveira, o Peixe alcançou os 71 pontos e igualou o Flamengo. Porém, o alvinegro uma vitória a mais, e por conta disso, ficou com o vice do Brasileirão e garantiu R$ 3,4 milhões a mais na conta. Segundo o centroavante, os santistas podem esperar uma boa temporada em 2017.

“A vitória de hoje também representou uma quantia importante para o clube e estamos aqui pra isso. É difícil falar o que faltou ao time. Deixamos a desejar em algum momento da competição sim, mas não é para lamentar. Estamos em uma evolução constante. Acredito que no ano que vem tem coisa boa reservada para nós”, concluiu Oliveira, que só volta ao Santos no próximo dia 11 de janeiro, ao lado do restante do elenco.

Dorival vibra com ano positivo e lamenta desfalques que custaram título

O Santos terminou 2016 com o saldo de um título no Campeonato Paulista e um vice no Brasileirão. Segundo análise dos próprios jogadores do Peixe, a temporada pode ser vista de forma positiva pelos torcedores, mesmo deixando a conquista do torneio nacional ficar com o rival Palmeiras. O técnico Dorival Júnior também segue por essa linha e acredita que o alvinegro tirou bons proveitos durante o ano.

“Foi uma temporada positiva. Colocamos seis jogadores na seleção. O Santos é respeitado e joga dentro e fora de casa com propósito, desenvolve conceito de jogo. Faz uma campanha melhor a cada temporada. Finalizamos com o vice, que é um fato importante para uma equipe que era contestada”, afirmou Dorival, em entrevista coletiva após a vitória do Santos por 1 a 0 sobre o América-MG, na Vila Belmiro, pela última rodada do Campeonato Brasileiro.

Neste Brasileirão, o Peixe faz sua melhor campanha na história do torneio disputado por pontos corridos, confirmou o vice-campeonato após o triunfo sobre o Coelho e ainda garantiu vaga direta na fase de grupos da Copa Libertadores da América de 2017, coisa que não acontecia há quatro anos. Mesmo assim, segundo Dorival, os resultados poderiam ter sido ainda melhores caso a equipe não tivesse tantos desfalques durante o ano.

“Tivemos problemas que outras equipes não tiveram na temporada. Nos momentos que saem jogadores, demora três ou quatro jogos para encontrar um caminho. Na volta também. Ficamos sem zaga titular… Se tivéssemos menos problemas, talvez pudéssemos ter um final diferente. As perdas são de jogadores que já estavam adaptados no nosso grupo. Só conseguimos repor quando já tinham saído. Aí fomos ao mercado para trazer elementos. Temos que manter a equipe e vamos precisar de alguns elementos para reforçar”, concluiu Dorival.

Após marcar, Ricardo Oliveira presta homenagem ao mascote da Chape

Autor do gol da vitória santista deste domingo sobre o América Mineiro, Ricardo Oliveira prestou uma homenagem ao pequeno Carlinhos, o jovem mascote que se tornou xodó da torcida da Chapecoense ao entrar no gramado da Arena Condá vestido de índio. Após receber o convidado especial antes da partida começar, o centroavante alvinegro, depois de balançar as redes, comemorou o tento como se lançasse um arco com uma flecha.

Depois da tragédia envolvendo o elenco do time catarinense, no dia 29 de novembro, o mascote da Chape foi convidado por diversas equipes para ser homenageado na última rodada do Brasileirão. No entanto, o menino de cinco anos escolheu ir ao litoral paulista e contemplar a equipe santista garantir a vice-colocação do torneio.

Antes do confronto contra o lanterna do Campeonato Brasileiro, o camisa 9 do Peixe encontrou com Carlinhos no CT Rei Pelé e recebeu do menino um arco e uma flecha de presente.

Também como forma de homenagem às vítimas, o Santos entrou em campo neste final de semana com o símbolo do Verdão do Oeste na camiseta, além da mensagem “Força Chape” no local designado para o patrocinador master. O Atlético Nacional de Medelim, que encantou o mundo pelo carinho e solidariedade com a equipe de Santa Catarina, também foi lembrado e teve seu escudo estampado no manto alvinegro.

Santos encerra 2016 como time que mais venceu e menos perdeu

Mesmo com o título do Campeonato Brasileiro ficando com o rival Palmeiras, o Santos pode ir para as festas de final de ano com a sensação de dever cumprido. Apesar do pouco investimento, se comparado com o Verdão, o Peixe fez bonito na temporada, conquistando o Paulista e terminando o Brasileirão com o vice garantido, após a vitória por 1 a 0 sobre o América-MG, neste domingo, na Vila Belmiro.

No torneio nacional, o alvinegro fez sua melhor campanha na história do torneio disputado por pontos corridos, confirmou o vice-campeonato após o triunfo sobre o Coelho e ainda garantiu vaga direta na fase de grupos da Copa Libertadores da América de 2017, coisa que não acontecia há quatro anos. Além disso, o clube ostenta do fator de ter sido o melhor time do Brasil no ano.

É isso mesmo. Apesar de conquistado apenas o Paulistão, o Santos é o time que mais venceu e que menos foi derrotado em 2016, entre os 20 clubes da Série A do Campeonato Brasileiro. Ao todo, o Peixe disputou 66 partidas, conquistando 38 vitórias, 15 empates e sofrendo apenas 13 derrotas. O aproveitamento santista foi de 65%, três por cento a mais que o segundo colocado.

“Eu acho que foi uma temporada muito favorável ao Santos. A conquista do Campeonato Paulista, a recuperação do elenco, vários jogadores nas seleções. Falava-se até em rebaixamento em julho do ano passado. Acho que foi sim uma campanha muito boa. Tivemos muitos problemas ao longo da temporada que outras equipes não tiveram, com a saída de jogadores. O torcedor vê uma representatividade em sua equipe bem diferente do que há um tempo atrás”, afirmou o técnico Dorival Júnior.

Mesmo avaliando que teve uma boa temporada em 2016, o Santos pretende alcançar voos mais alto no próximo ano. E para isso, a equipe se reapresenta no dia 11 de janeiro para o inicio da preparação para as disputas do Campeonato Paulista e da Copa Libertadores da América.