Ituano 0 x 0 Santos

Data: 21/02/2017, terça-feira, 21h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 5ª rodada
Local: Estádio Novelli Júnior, em Itu, SP.
Público: 3.564
Renda: R$ 153.120,00
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira
Auxiliares: Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo e Alberto Poletto Masseira.
Cartões amarelos: Claudinho e Mateus (I); Lucas Veríssimo e Leandro Donizete (S).

ITUANO
Fábio; Arnaldo, Lima, Mateus e Peri; Wellignton Simião, Walfrido, Guilherme (Romarinho) e Morato (Bassani); Claudinho (Lucas Crispim) e Igor.
Técnico: Tarcísio Pugliese

SANTOS
Vladimir; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Yuri e Zeca; Leandro Donizete, Thiago Maia e Léo Cittadini (Thiago Ribeiro); Vitor Bueno, Copete e Kayke (Bruno Henrique).
Técnico: Dorival Junior



Em jogo de dar sono, Santos não sai do zero contra o Ituano

Os mais de 3 mil espectadores e outros milhões de torcedores acompanhando pela TV, Internet ou rádio devem ter tirado pelo menos um cochilo durante o duelo entre Ituano e Santos, nesta terça-feira, pela quinta rodada do Campeonato Paulista. Em partida com praticamente nenhuma emoção, as equipes equipes fizeram jus ao mal futebol apresentado e não saíram do 0 a 0 no estádio Novelli Júnior, em Itu.

O resultado não foi bom para nenhum dos clubes. O Peixe acumulou seu terceiro jogo seguido sem vitória e chegou aos sete pontos. Os comandados de Dorival até voltaram para a segunda colocação do grupo D, mas só ficarão nela se a Ponte Preta perder para o Linense, nesta quarta-feira, em Lins.

Já o Ituano, por sua vez, segue em segundo no grupo A, com oito pontos. Porém, o Galo Rubro-Negro pode cair de posição caso o São Bernardo vença o Mirassol, também nesta quarta.

O jogo

Com nenhuma chance clara de gol, os primeiros momentos entre Ituano e Santos foram marcados por duas lesões no Novelli Júnior. Logo aos três minutos, o meia Guilherme, da equipe de Itu, tirou uma bola de Victor Ferraz, sentiu o joelho e precisou ser substituído por Romarinho. Pelo lado do Peixe, Léo Cittadini recebeu uma entrada forte de Claudinho. O santista chorou durante o atendimento médico, chegou a voltar para o jogo, mas acabou saindo para a entrada de Thiago Ribeiro. Com isso, Vitor Bueno foi recuado e virou o armador do time comandado por Dorival Júnior.

Pressionado após as derrotas para São Paulo e Ferroviária, respectivamente, o alvinegro começou tentando implantar seu estilo de jogo, com toque de bola e tranquilidade para chegar dentro da área adversária. Porém, os santistas não mostravam a velocidade e criatividade de outrora. Com isso, a equipe ficou lenta e previsível.

O Ituano, por sua vez, esperava os contra-ataques teve a primeira boa chance do embate. Aos 18 minutos, Morato recebeu na entrada da área, driblou dois marcadores e bateu rasteiro. O goleiro Vladimir defendeu bem e salvou o Santos.

O duelo seguiu o mesmo ritmo do Peixe e foi completamente monótono em Itu. Tanto que a única oportunidade da equipe comandada por Dorival Júnior surgiu apenas aos 46 minutos, em chute fraco de Victor Ferraz, facilmente defendido por Fábio. Logo depois, o árbitro Luiz Flávio de Oliveira apitou o fim do primeiro tempo e deve ter acordado os torcedores que dormiram durante a fraca partida no interior paulista.

Se a etapa inicial foi sonolenta, a volta do intervalo não começou muito animadora, principalmente para o lado do Santos. Ao contrário do que aconteceu no primeiro tempo, o alvinegro viu o Ituano adiantar a marcação, pressionar a saída de bola e voltar ligeiramente melhor. Tanto que aos 18 minutos, Romarinho avançou, cortou para o meio e soltou uma bomba da entrada da área. A bola passou por cima da trave e assustou Vladimir.

Na sequência, o goleiro operou um milagre no estádio Novelli Júnior. Após furada da defesa, Igor rolou para Lucas Crispim. Mesmo desequilibrado, o atacante, emprestado pelo Santos, bateu no ângulo. Porém, Vladimir apareceu, fez linda defesa e evitou o gol do Ituano.

O Santos seguiu muito fraco durante boa parte do segundo tempo. Tanto que a equipe só voltou a assustar o goleiro Fábio aos 38 minutos. Após boa jogada de Copete, Thiago Ribeiro recebeu cruzamento e completamente livre, pegou mal na bola e desperdiçou uma ótima chance.

A oportunidade animou o Peixe. Os comandados de Dorival Júnior até esboçaram alguma reação no final do duelo, mas nada que conseguisse alterar o marcador em Itu, que terminou em um 0 a 0 modorrento.

Bastidores – Santos TV:

Dorival nega pressão e vê torcida do Santos ‘mal acostumada’

O Santos chegou ao terceiro jogo seguido sem vitória no Campeonato Paulista. Previsível e pouco criativo, o time comandado por Dorival Júnior não conseguiu assustar o Ituano e ficou no 0 a 0, nesta terça-feira, no estádio Novelli Júnior, em Itu, pela quinta rodada do torneio estadual. O alvinegro, inclusive, tem seu pior início de Paulistão em cinco anos. Motivo para pressão? Não para o técnico santista.

“Turbulência não existe. Convivemos com harmonia no CT. Buscando melhorar, resultados. A diretoria sempre abraçou a equipe. Não sinto essa pressão que se fala. Cobrança vai existir. A torcida do Santos está mal acostumada em razão dos bons resultados na Vila Belmiro por longo tempo e natural que uma derrota ou outra ocasione nisso. É questão de tempo para recuperarmos. Está iniciando o campeonato. Será o mais difícil dos últimos anos. Estamos vivendo isso. A equipe vem evoluindo, sim”, ressaltou o treinador do Peixe, em entrevista coletiva após o duelo desta terça.

Com a igualdade em Itu, o Santos acumulou seu terceiro jogo seguido sem vitória e chegou aos sete pontos. Os santistas até voltaram para a segunda colocação do grupo D, mas só ficarão nela se a Ponte Preta perder para o Linense, nesta quarta-feira, em Lins.

Mesmo com o pouco futebol apresentado diante do Ituano, Dorival crê que o alvinegro está no caminho certo e que os erros na conclusão das jogadas foram fundamentais para o empate no estádio Novelli Júnior.

“O que ficou faltando foi o último passe. Tivemos produção ofensiva condizente com o que o time faz. Na hora de colocar alguém em condição de definir, falhamos. Fizemos jogo bem seguro em razão de mudança de postura. Foi jogo pesado, complicado. Tivemos mais coisas positivas do que negativas. Natural que o resultado não acontecendo, existam questionamentos. A equipe vai readquirir confiança”, concluiu o técnico santista.

Ferraz vê erro no último passe e diz: “Tem bastante coisa para acertar”

O Santos foi nulo contra o Ituano, nesta terça-feira, no estádio Novelli Júnior, em Itu. Mesmo mantendo a posse de bola, principalmente no primeiro tempo, o Peixe não conseguiu criar oportunidades de gol, ficou no 0 a 0 e chegou ao terceiro jogo seguido sem vitória no Campeonato Paulista. Apesar das pouquíssimas oportunidades criadas, o lateral-direito Victor Ferraz acredita que a equipe não esteve tão abaixo do esperado.

“Fizemos um primeiro tempo bom, faltou acertar o último passe. No segundo tempo deixamos cair, eles tiveram chances. A gente tem uma forma de jogar, e as equipes jogam fechadas. Por isso, a gente acaba não encontrando espaços. Precisamos caprichar o último passe para que possamos dar a alegria para o torcedor”, explicou o santista na saída do gramado.

Mesmo crendo que o alvinegro fez uma apresentação razoável diante do Galo Rubro-Negro, Ferraz também acredita que a equipe comandada por Dorival Júnior precisa melhorar para alcançar a recuperação no Campeonato Paulista.

“Temos bastante coisa para acertar, principalmente no que a gente deseja. Temos que treinar e conversar mais, na próxima partida vamos voltar a jogar o que a gente deseja. Não está faltando confiança. É ter a última bola com clareza. Mas vamos acertar. Logo mai , voltaremos apresentar o futebol que estamos acostumados”, completou.

Cittadini fará exames nesta quarta e pode ser desfalque no Santos

A lista de desfalques do Santos não para de aumentar. Sem Vanderlei, Renato, Lucas Lima e Ricardo Oliveira, o Peixe pode perder mais um jogador para o departamento médico. O meia Léo Cittadini saiu de campo lesionado no empate contra o Ituano, válido pela quinta rodada do Campeonato Paulista, nesta terça-feira, no estádio Novelli Júnior. O jovem fará exames nesta quarta-feira para detectar a gravidade da contusão.

Ainda no início do primeiro tempo em Itu, o santista recebeu uma entrada forte de Claudinho. O camisa 19 chorou durante o atendimento médico, chegou a voltar para o jogo, mas acabou saindo para a entrada de Thiago Ribeiro. Com isso, Vitor Bueno foi recuado e virou o armador do time comandado por Dorival Júnior.

“Ele não tinha mais condições. Sofreu uma pancada forte na lateral do joelho e aí trava, perde completamente a mobilidade. Ele ficou chateado porque tinha uma nova oportunidade”, explicou o técnico Dorival Júnior após a partida.

Como Lucas Lima não deve ser liberado para entrar em campo contra o Botafogo-SP, no próximo sábado, às 17h (de Brasília), na Vila Belmiro, Cittadini seguiria na equipe titular. Porém, caso uma lesão grave seja constatada, Dorival precisará quebrar a cabeça durante a semana para encontrar um substituto.

Sem Jean Mota, que tem a mesma lesão de Lucas Lima (estiramento no ligamento colateral lateral do joelho), mas na perna esquerda, o técnico do Peixe tem apenas Vitor Bueno e Rafael Longuine como meias de origem.

A tendência é que o comandante repita o que foi feito nesta terça, recuando o camisa 7 e promovendo a entrada de um atacante de beirada. Como opões, Dorival conta com Bruno Henrique, Arthur Gomes e Thiago Ribeiro.