Santos 2 x 0 The Strongest

Data: 16/03/2017, quinta-feira, 21h45.
Competição: Copa Libertadores – Grupo 2 – 2ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 13.132
Renda: R$ 381.290,00
Árbitro: Nestor Pitana
Auxiliares: Hernán Maidana e Juan Pablo Belatti
Cartões amarelos: Thiago Maia (S); Pablo Escobar e Walter Veizaga (TS).
Cartão vermelho: Walter Veizaga (TS).
Gols: Ricardo Oliveira (46-1) e Renato (38-2).

SANTOS
Vladimir; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Renato (Leandro Donizete), Thiago Maia e Lucas Lima; Vitor Bueno (Vladimir Hernández), Bruno Henrique (Copete) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Junior

THE STRONGEST
Daniel Vaca; Diego Bejarano, Luis Maldonado, Fernando Marteli e Marvin Bejarano; Raúl Castro, Walter Veizaga e Jara (Wayar); Chumacero (Pedrozo), Escobar (Valverde) e Matías Alonso.
Técnico: César Farías



Veteranos brilham, Santos bate Strongest e vira líder na Libertadores

Após cinco anos, a Vila Belmiro voltou a viver um clima de Copa Libertadores nesta quinta-feira. Empurrado pela sua torcida, que protagonizou um ‘corredor de fogo’ nos arredores do estádio, o Santos perdeu um caminhão de gols, mas contou com a estrela dos ‘vovôs’ Renato e Ricardo Oliveira para bater o The Strongest por 2 a 0 e conquistar sua primeira vitória nesta edição do torneio continental. Com 37 e 36 anos, respectivamente, o volante e o centroavante foram fundamentais dentro de campo e marcaram os gols que decretaram o triunfo santista diante dos bolivianos.

Agora, o Santos chegou aos quatro pontos e assumiu a liderança do grupo 2 da Libertadores. Já o The Strongest caiu para terceiro, com três. A equipe boliviana, porém, está empatada com o Santa Fe, mas perde pelo saldo de gols. Por fim, o Sporting Cristal, do Peru, é o último da chave, com apenas um ponto.

Os comandados de Dorival Júnior voltam a campo pela Libertadores somente no final de abril, quando visitam o Santa Fe, na Colômbia.

O jogo

Assim como a festa do lado de fora, o jogo começou eletrizante dentro da Vila Belmiro. Empolgado pela força da torcida, o Santos começou apertando o The Strongest. Logo no primeiro minuto, Bruno Henrique, que começou como titular na vaga de Copete, avançou pela esquerda e bateu firme, obrigando o goleiro Vaca a rebater e salvar o time boliviano.

Porém, o Tigre tratou de esfriar os ânimos e dar calafrios aos santistas cinco minutos depois. Em cobrança de falta de Pablo Escobar, o goleiro Vladimir saiu mal e foi encoberto pela bola, que bateu no travessão, tocou na trave e não entrou.

Após o susto do The Strongest, o Peixe continuou tentando avançar, mas insistia muito pelo lado esquerdo, com Bruno Henrique, e não conseguia furar o bloqueio dos bolivianos. Tanto que a grande chance do alvinegro surgiu somente aos 32 minutos.

Novamente acionado, Bruno Henrique fez linda jogada dentro da área e cruzou para o meio. Antes da chegada de Ricardo Oliveira, Veizaga tentou cortar e mandou contra a própria meta. Porém, o goleiro Vaca pegou no susto e conseguiu impedir o gol.

O problema é que Veizaga estava com vontade de fazer besteira na Vila Belmiro. Isso porque aos 38 minutos ele levou cartão amarelo após entrada dura em Lucas Lima. Não satisfeito, o volante do time boliviano acertou o camisa 10 do Peixe novamente quatro minutos depois, quase dentro da área, e acabou sendo expulsou pelo árbitro Nestor Pitana.

E para completar o ótimo cenário para o alvinegro após a expulsão, Ricardo Oliveira cobrou a falta com extrema categoria, tirou completamente o goleiro Vaca da jogada. Golaço que abriu o placar na Vila e deixou o Santos tranquilo antes do intervalo.

Com um a mais em campo, o Santos voltou para o segundo tempo disposto a matar a partida na Vila Belmiro. Porém, a equipe comandada por Dorival Júnior esbarrou nas inúmeras oportunidades desperdiçadas.

Foi uma avalanche de gols perdidos em Urbano Caldeira. Se impondo tecnicamente, o Peixe perdeu chances na cara do gol com Bruno Henrique (duas vezes) e Ricardo Oliveira.

Muito acionados durante todo o jogo, Bruno Henrique e Vitor Bueno deram sinais de cansaço na Vila e foram substituídos por Copete e Vladimir Hernández, respectivamente.

A dupla de colombianos, porém, seguiu sem furar o bloqueio adversário. Quando parecia que o duelo terminaria com vitória pelo placar mínimo, Lucas Lima cobrou falta dentro da área aos 38 minutos da etapa final e Renato subiu mais que todo mundo para anotar o segundo e confirmar o triunfo do Peixe, que agora lidera o grupo 2 da Libertadores.

Bastidores – Santos TV:

Dorival lamenta finalizações erradas, mas vibra com ‘agressividade’ do Santos

O Santos desta quinta-feira deu demonstrações claras de que pode voltar a ser aquele time ofensivo que a torcida se acostumou a ver nos últimos anos. Apesar de ter vencido o The Strongest pelo placar ‘magro’ de 2 a 0, na Vila Belmiro, pela segunda rodada da fase de grupos da Libertadores, o Peixe sobrou em campo e perdeu diversas oportunidades, principalmente no segundo tempo, quando tinha um homem a mais dentro de campo.

Empolgado com a boa apresentação da equipe, o técnico Dorival Júnior exaltou o poderio ofensivo da equipe, mas destacou os erros na hora de finalizar as jogadas.

“No penúltimo passe ou na finalização poderíamos ter tido atenção um pouco maior, talvez um capricho, fatalmente teríamos feito mais gols. Mas só perdemos chances porque criamos e isso é um passo importante. Em outros momentos tivemos dificuldades de criar, mas mantivemos a posse de bola, só que não com tantas infiltrações e finalizações. Hoje tivemos volume, fomos agressivos, intensos. As bolas começarão a entrar de forma mais natural, todos sabem fazer gols”, explicou o comandante, em entrevista coletiva após a vitória sobre os bolivianos.

Com o triunfo, o alvinegro chegou aos quatro pontos e lidera o grupo 2 da Libertadores. Agora, os santistas ‘viram a chave’ e focam no Campeonato Paulista. No próximo domingo, o Peixe encara o Palmeiras, às 18h30 (de Brasília), na Vila, pela nona rodada do Estadual.

E diferente do que acontece na Liberta, o Peixe vive uma situação complicada no Paulistão. Atualmente com 13 pontos conquistados, os comandados de Dorival Júnior ocupam a terceira posição do grupos D e estariam fora das quartas de final caso a competição terminasse hoje.

“É preocupante. Não imaginávamos não fazer pontos em dois jogos em casa. Buscamos pontos fora e não concretizamos os de casa. Isso causa preocupação. Teremos jogo importantíssimo no fim de semana. Os pontos que deixamos atrás podem ter um peso e temos que correr para que recuperemos os pontos que ficaram. Paulista é importante, não deixa de ser, sempre foi muito disputado. Continuamos pensando no campeonato, sim, e vamos à luta por uma das duas vagas. Temos certeza que, se tivermos méritos, iremos buscar pelo espírito de recuperação que estou sentindo”, concluiu Dorival.

Lucas Lima agracede apoio da torcida, mas diz: “Não somos os melhores”

Após cinco anos, a Vila Belmiro voltou a viver um clima de Libertadores nesta quinta-feira. Antes do duelo contra o The Strongest, o elenco do Peixe foi recepcionado com um ‘corredor de fogo’ nos arredores do estádio. Empolgados com o apoio, os santistas buscaram o triunfo por 2 a 0 e alcançaram a liderança do grupo 2 da competição continental.

O meia Lucas Lima, que já foi um dos alvos dos torcedores após a derrota para o São Paulo, em fevereiro, vibrou com o apoio recebido nesta quinta-feira.

“Queria agradecer o apoio da torcida. Sempre que eles comparecem na Vila é difícil os adversários ganharem da gente”, resumiu o camisa 10, na saída do gramado.

Com o triunfo, o alvinegro chegou aos quatro pontos e lidera o grupo 2 da Liberta. Além de alcançar o topo, a vitória sobre os bolivianos serviu para o Santos espantar de vez a má fase que passou no início do ano. Apesar disso, Lucas Lima prefere manter os pés no chão.

“Começo de temporada é isso. A gente oscilou um pouco no começo. Quando ganhamos não somos os melhores, e quandro perdemos não somos os piores”, concluiu Lucas Lima.

Reforços deslancham e concorrência no ataque anima Dorival

Após sofrer com a falta de opções na última temporada e no início deste ano, o Santos parece finalmente ter encontrado peças de reposição no ataque. Se Kayke ainda não conseguiu fazer frente ao incontestável Ricardo Oliveira, os reforços Vladimir Hernández e Bruno Henrique deslancharam na equipe. O último, inclusive, tomou a vaga de Copete e começou como titular ao lado de Vitor Bueno na vitória de 2 a 0 sobre o The Strongest, nesta quinta-feira, na Vila Belmiro, pela segunda rodada da fase de grupos da Libertadores.

Os dois colombianos, porém, entraram no segundo tempo e conseguiram manter a força ofensiva do Peixe diante do Tigre. Contente com as boas atuações, o técnico Dorival Júnior exaltou a concorrência entre os “titulares”.

“O Bruno (Henrique) fez um grande jogo no domingo. Ele se credenciou a jogar, mas Copete também é um titular. Assim como Vladimir Hernández, que está muito bem preparado, voltando a atuar com tranquilidade. Copete e Hernández brigarão com Bruno ou com (Vitor) Bueno. O que queríamos era uma condição onde eles não se sintam confortáveis e tenhamos opções para mexer”, ressaltou o comandante.

Apesar das boas opções no banco de reservas, o treinador não deve promover mudanças na equipe que encara o clássico contra o Palmeiras, no próximo domingo, às 18h30 (de Brasília), na Vila Belmiro, pela nona rodada do Campeonato Paulista.

Porém, como o embate diante do The Strongest aconteceu na última quinta-feira, o Santos terá um dia a menos de preparação para o clássico. O alvinegro faz apenas dois treinamentos antes do duelo com o Verdão e irá definir os titulares após uma conversa com os preparadores físicos.

O provável time para o clássico será formado por: Vladimir; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Vitor Bueno, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira.

Liderança na Liberta dá tranquilidade para Santos buscar arrancada no Paulista

Após passar por um período de turbulência no início da temporada, Santos retomou o caminho do bom futebol e bateu o The Strongest por 2 a 0, na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro. Além de garantir a liderança do grupo 2 da competição continental, o triunfo sobre os bolivianos deixou o Peixe mais tranquilo para buscar a recuperação no Campeonato Paulista.

Afinal, se as coisas estão indo muito bem para o Santos na Liberta, o mesmo não pode ser dito do Estadual. Com apenas 13 pontos em oito rodadas, os comandados de Dorival Júnior ocupam a terceira posição do grupo D e estariam fora das quartas de final caso a primeira fase terminasse hoje.

Porém, como o próximo compromisso pela Libertadores será apenas no dia 19 de abril, contra o Santa Fe, em Bogotá, os santistas terão tempo para focarem apenas no Paulistão.

“A equipe nunca deixou de ter tranquilidade, mesmo em jogos anteriores, com movimentação toda que existia. Ambiente foi calmo e tranquilo. Fizemos um grande jogo com volta dos nossos jogadores no Peru. Equipe readquiriu uma condição que, de repente, em duas ou três partidas foi um pouco abaixo. Espero que voltemos a ter esse nível”, explicou o técnico Dorival Júnior, em entrevista coletiva após o jogo desta quinta-feira, na Vila Belmiro.