The Strongest 1 x 1 Santos

Data: 17/05/2017, quarta-feira, 19h30.
Competição: Copa Libertadores – Grupo 2 – 5ª rodada
Local: Estádio Hernando Siles, em La Paz, na Bolívia.
Público e renda: N/D
Árbitro: Dario Herrera (ARG)
Auxiliares: Diego Bonfá e Ivan Nuñes (ambos da ARG).
Cartões amarelos: Julio Pérez e Raúl Castro (TS); Vanderlei, Bruno Henrique e Lucas Lima (S).
Cartão vermelho: Bruno Henrique (S).
Gols: Chumacero (39-1) e Vitor Bueno (23-2).

THE STRONGEST
Daniel Vaca; Diego Bejarano, Luis Maldonado, Fernando Marteli e Marvin Bejarano; Raúl Castro, Walter Veizaga e Jara; Chumacero, Escobar e Matías Alonso.
Técnico: César Farías

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Cleber Reis e Copete; Leandro Donizete, Renato e Lucas Lima (Jean Mota); Vitor Bueno (Léo Cittadini), Vladimir Hernández (Kayke) e Bruno Henrique.
Técnico: Dorival Junior



Santos arranca empate heroico na Bolívia e se classifica na Liberta

O Santos viveu uma típica noite de Libertadores nesta quarta-feira. Jogando na altitude de 3.660 metros de La Paz, na Bolívia, o Peixe foi pressionado desde o início pelo The Strongest, viu Bruno Henrique, seu melhor jogador, ser expulso no primeiro tempo e ainda saiu atrás no marcador. Porém, mesmo com todas as adversidades, o Peixe foi buscar o empate na segunda etapa, com Vitor Bueno, também presenciou Pablo Escobar tentando cavar e perdendo um pênalti no fim, e voltará para o Brasil nesta quinta com a classificação para as oitavas de final do torneio na bagagem.

Com a igualdade, o alvinegro manteve-se na liderança do grupo 2, com nove pontos, e confirmou a vaga na próxima fase da Liberta. O The Strongest, por sua vez, ocupa a segunda colocação, com oito, e segue lutando pela classificação.

Na última rodada da fase de grupos da competição, os santistas recebem o Sporting Cristal, na Vila Belmiro, na próxima terça-feira, às 21h45 (de Brasília). Já os bolivianos ‘jogam a vida’ contra o Santa Fe, no mesmo horário, em Bogotá. Quem vencer na Colômbia ficará com a outra vaga da chave.

O jogo

O Santos até começou o duelo na Bolívia dando impressões de que atacaria o The Strongest mesmo atuando na altitude de 3.660 metros acima do nível do mar. Aos sete minutos, Lucas Lima armou contra-ataque e lançou Bruno Henrique na esquerda. O atacante limpou o defensor e rolou para Vladimir Hernández, que foi derrubado na área. A arbitragem, porém, não marcou nada.

Logo depois, o Tigre passou a dominar o duelo e desperdiçou diversas oportunidades. O Peixe, por sua vez, se segurava do jeito que dava e tentava apostar na velocidade dos contra-ataques para chegar ao gol.

Aos 22 minutos, porém, as coisas ficaram ainda mais complicadas. Isso porque Bruno Henrique deu dura entrada em Chumacero e acabou sendo expulso pelo árbitro Dario Herrera. Com um a menos, o alvinegro praticamente abdicou de jogar no primeiro tempo e tentava apenas segurar o empate.

O castigo veio aos 39. Pérez cruzou da esquerda, Alonso chutou mascado, e bola ficou livre para Chumacero. Com tranquilidade, ele se livrou de Vanderlei e mandou para o fundo das redes, abrindo o placar na Bolívia.

Mesmo atrás do marcador, o Peixe continuou apático dentro de campo e só assustou aos 45 minutos, quando Lucas Veríssimo tentou uma bicicleta. A bola passou perto do gol de Vaca.

O segundo tempo começou na mesma tônica da etapa inicial. Em desvantagem no placar e no número de jogadores em campo, o Peixe não conseguia assustar o The Strongest. A equipe boliviana, por sua vez, seguia pressionando e buscando o segundo gol em La Paz.

Após passe errado de Renato aos 11 minutos, Alonso recebeu cara a cara com Vanderlei. O arqueiro santista, porém, faz linda defesa e impede o Strongest de ampliar.

E como o futebol é uma caixinha de surpresas, justamente em seu pior momento na Bolívia, o alvinegro chegou ao empate. Aos 23 minutos, Lucas Lima recebeu na entrada da área, driblou Pérez com facilidade e cruza para Vitor Bueno. Completamente livre, o camisa 7 apenas completou para o fundo das redes.

O empate deixou os bolivianos atordoados. Precisando da vitória para ficar em uma situação tranquila no grupo, o The Strongest se lançou ao ataque de forma desordenada, errando muitos passes. Quando parecia que o empate estava encaminhado, Pedrozo recebeu completamente livre dentro da área e foi derrubado por Vanderlei. Pênalti claro anotado pelo árbitro Dario Herrera.

Na cobrança, porém, Pablo Escobar tentou dar uma cavadinha e mandou por cima da trave, salvando o Peixe na Bolívia. O erro abalou ainda mais o Tigre. O time boliviano até tentou pressionar nos últimos minutos, mas esbarrou em um valente Santos, que segurou o resultado e garantiu a classificação na Liberta.

Bastidores – Santos TV:

Autor de gol salvador, Bueno vê expulsão injusta e vibra com superação

Muito criticado pela torcida desde o início do ano, Vitor Bueno foi o autor do gol que garantiu o Santos nas oitavas de final da Libertadores. Mesmo com um a menos desde o início do jogo e enfrentando a altitude de 3.660 metros de La Paz, o camisa 7 ajudou o Peixe a empatar com o The Strongest em 1 a 1 e voltar ao Brasil com a vaga na bagagem.

Herói na Bolívia, Bueno admitiu que o alvinegro sentiu bastante os problemas do ar rarefeito e ainda criticou a atuação do árbitro Dario Herrera, que expulsou o santista Bruno Henrique aos 22 minutos do primeiro tempo.

“Senti bastante a altitude, todos sentiram. Antes do jogo dissemos que seria jogo de superação, ainda mais com expulsão injusta. Esperamos ao máximo a equipe deles e conseguimos sair no contra-ataque para matar o jogo. Agradecemos ao torcedor que veio”, disse o camisa 7 na saída do gramado.

Com a igualdade, o alvinegro manteve-se na liderança do grupo 2, com nove pontos, e confirmou a vaga na próxima fase da Liberta. O The Strongest, por sua vez, ocupa a segunda colocação, com oito, e segue lutando pela classificação.

Dorival critica arbitragem, mas enaltece Santos: “Honraram a camisa”

Se jogar contra o The Strongest na altitude de 3.660 metros de Laz Paz já é complicado, atuar com um jogador a menos desde os 22 minutos do primeiro tempo torna a missão quase impossível. O Santos sentiu na pele essa dificuldade na noite desta quarta-feira, pela quinta rodada da fase de grupos da Libertadores. Mas com um gol de Vitor Bueno na segunda etapa, o Peixe arrancou um empate diante do Tigre e ainda garantiu a classificação para as oitavas de final do torneio.

Apesar de toda a euforia com a vaga, o técnico Dorival Júnior não deixou de criticar a arbitragem de Dario Herrera. Segundo o comandante, o árbitro errou na expulsão de Bruno Henrique e em vários outros lances durante o confronto desta quarta.

“Árbitro foi infeliz desde o começo. Isso acontece com o Santos nos jogos fora. Fomos muito prejudicados e por isso não tivemos pontuação ainda maior. Mas prefiro falar da partida, do que a equipe procurou a partir da expulsão. Tentamos neutralizar, marcar. Foi uma ambientação difícil, depois pegamos ritmo, nos expomos mais, e perdemos o Bruno. Fizemos força além do normal por esse ponto. Espero que o exemplo dessa partida seja levado para a sequência do nosso ano, que promete muito. Equipe está plantando para colher alguma coisa. Esse resultado é para poucas equipes. Torcedor do Santos tem que saber valorizar o que essa equipe vem fazendo, principalmente na noite de hoje. Honraram essa camisa. Fico feliz por dirigir uma equipe tão guerreira e determinada”, vibrou o treinador em entrevista coletiva após o empate.

Lucas Lima destaca ‘catimba’ dos bolivianos: “Não pode deixar barato”

Após um início de ano de altos e baixos, Lucas Lima voltou a assumir um papel de protagonismo no Santos. Contra o The Strongest, nesta quarta-feira, o meia foi decisivo para a classificação santista às oitavas de final da Libertadores. Aos 23 minutos do segundo tempo, ele driblou a marcação com facilidade e encontrou Vitor Bueno na área. Sozinho, o camisa 7 só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes e decretar o empate do Peixe em 1 a 1, no estádio Hernando Siles, em La Paz, na Bolívia.

Além da boa atuação, Lucas Lima precisou conviver com a provocação dos bolivianos durante todo o jogo. Caçado em campo, o camisa 10 destacou a força do alvinegro para superar a ‘catimba’ dos rivais.

“Libertadores é isso. A gente se acostuma com essa provocação. Fizemos uma grande partida e merecemos o resultado. Não podemos deixar barato. Somos humanos. A gente provoca também. Eu não entendo nada que eles falam. Gritam para caramba, falam tudo rápido… Estou muito feliz pelo resultado”, comemorou o meia na saída do gramado.

Santistas brincam após vaga na Bolívia: “Recarregando o fôlego”

De forma heroica, o Santos arrancou um empate em 1 a 1 com o The Strongest, na noite desta quarta-feira, em La Paz, na Bolívia, e alcançou a classificação para as oitavas de final da Copa Libertadores.

Além do duelo contra o Tigre, o Peixe também precisou encarar a altitude de 3.660 metros da cidade boliviana. Durante o jogo, o zagueiro Cleber Reis chegou a cair no gramado pedindo atendimento. Além dele, o atacante Ricardo Oliveira, sacado por Dorival Júnior, passou mal no banco de reservas e precisou ir aos vestiários para ser atendido pelos médicos do clube.

Por conta de toda essa adversidade, aliada a expulsão de Bruno Henrique e ainda um pênalti desperdiçado pelo rival, os santistas aproveitaram para ‘tirar um sarro’ após a partida.

Ainda nos vestiários do estádio Hernando Siles, elenco e comissão técnica ‘simularam’ um atendimento a Cleber e postaram a foto nas redes sociais com a seguinte frase:

“Recarregando o fôlego pra próxima fase”

Reserva na Bolívia, Oliveira passou mal no banco, mas deve jogar sábado

Os torcedores do Santos tiveram uma surpresa quando viram a escalação do time antes do duelo contra o The Strongest, na noite desta quarta-feira. Afinal, o atacante Ricardo Oliveira aparecia apenas no banco de reservas, dando lugar a Vladimir Hernández. Segundo o técnico Dorival Júnior, a mudança aconteceu por conta da estratégia de explorar a velocidade nos contra-ataques.

Porém, toda a programação montada pelo treinador acabou desmoronando logo aos 22 minutos do primeiro tempo, quando Bruno Henrique foi expulso pelo árbitro Dario Herrera.

Com um homem a menos, Dorival até pensou em colocar Oliveira na segunda etapa. Porém, o camisa 9 sentiu os efeitos da altitude e, com dores de cabeça, precisou ser levado ao vestiário durante o jogo para receber oxigênio. Mesmo assim, o Peixe conseguiu arrancar o empate em 1 a 1, em La Paz, na Bolívia, e alcançou a classificação para as oitavas de final da Libertadores.

“Ricardo, a principio, não estaria jogando. Foi uma definição para tirar a referência para povoar o meio-campo. The Strongest penetra muito por dentro. Se tivéssemos um a mais flutuando, poderíamos neutralizar o início das jogadas. No banco, ele passou muito mal, não se sentiu bem, e ficou no vestiário. Agora, está mais recuperado. É natural que tenhamos ter um cuidado para saber o que aconteceu”, explicou Dorival Júnior em entrevista coletiva após o duelo.

Apesar do problema, Oliveira não deve ser desfalque do Santos contra o Coritiba, no próximo sábado, às 16h (de Brasília), na Vila Belmiro, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.