Santos 1 x 2 São Caetano

Data: 06/10/2001, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 17ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 14.712 pagantes
Renda: R$ 136.005,00
Árbitro: Paulo Cesar de Oliveira
Gols: Magrão (14-1, de pênalti), Magrão 18-1 e Viola (44-1, de pênalti).

SANTOS
Fábio Costa; Russo, Preto, Cleber e Leandro (Renato); Marcelo Silva, Paulo Almeida, Elano e Canindé (Weldon); Marcelinho Carioca (Vagner) e Viola.
Técnico: Cabralzinho

SÃO CAETANO
Silvio Luiz; Julio Cesar, Serginho, Dininho e Paulo Cesar; Simão, Marlon, Esquerdinha e Márcio Griggio (Bechara); Anaílson (Edu Salles) e Magrão (Iriney).
Técnico: Jair Picerni



Santos perde pela 1ª vez em casa

Dominado e sem poder de reação, o Santos ruiu pela primeira vez na Vila Belmiro sob o comando do técnico Cabralzinho. Ontem, pelo Brasileiro, o time do ABC venceu os santistas por 2 a 1. Com o resultado, a equipe da Vila Belmiro deixou a zona de classificação à próxima fase, mantendo-se com 25 pontos.

Na era Cabralzinho, o time santista havia vencido América-MG, Bahia e São Paulo dentro de casa. Para piorar sua situação, a equipe santista acumulou ontem 17 partidas, uma a mais em relação aos seus principais rivais.

O próximo jogo do Santos será quarta-feira, contra o Palmeiras. Marcelinho, que recebeu seu terceiro cartão amarelo, será desfalque certo.

Já o São Caetano foi a 31 pontos na tabela e manteve a terceira colocação no Brasileiro, atrás apenas de Atlético-MG e Palmeiras.

O jogo

No primeiro tempo, o Santos foi amplamente dominado pelo time do ABC. Os erros de passes irritaram os cerca de 15 mil torcedores que foram ontem à Vila Belmiro. Enquanto o Santos não se acertava, o São Caetano continuava pressionando.

Aos 14min, os visitantes abriram o placar. Russo cometeu pênalti em Magrão. Ele mesmo bateu e fez 1 a 0.

A pressão sobre os santistas não terminou. Aos 18min, após um erro de passe do volante Paulo Almeida no meio-campo, o time do ABC armou um rápido contra-ataque para ampliar o placar. Márcio Griggio invadiu a área livre de marcação e tocou na saída de Fábio Costa. Antes de a bola entrar, Magrão completou: 2 a 0.

Em uma jogada isolada, aos 44min, o lateral-direito Júlio César cortou com o braço, dentro da área, um cruzamento de Marcelinho. Viola cobrou o pênalti, diminuiu o placar para o Santos e marcou seu nono gol no Brasileiro.

No segundo tempo, o panorama da partida não foi alterado. O Santos só chegou com perigo em uma cobrança de escanteio de Marcelinho, aos 26min. Recuado, o São Caetano levou perigo ao gol de Fábio Costa apenas nos contra-ataques.

Equipe atribui derrota a erros no meio-campo

O técnico Cabralzinho e os jogadores da equipe do Santos creditaram aos erros de passes no meio-campo a derrota de ontem diante do São Caetano.
“Um time como o Santos não pode errar tantos passes durante uma partida, principalmente dentro de casa e com a Vila Belmiro lotada”, afirmou o atacante Viola.

Segundo ele, o time do ABC conseguiu a vitória apenas se aproveitando dos erros da equipe santista. “O time (do Santos) dormiu no primeiro tempo e só tentou acordar na segunda etapa, quando já era tarde.”

Para o zagueiro Preto, o Santos sentiu a falta do meia Robert, suspenso, e do lateral-esquerdo Léo, contundido, que desfalcaram a equipe. “A equipe não jogou bem. Agora é só pensar no Palmeiras”, afirmou o zagueiro, que pega o rival na quarta, em São Paulo.

Léo, com uma contusão nos ligamentos do joelho esquerdo, será reavaliado amanhã pelos médicos do clube do litoral paulista.

No São Caetano, o volante Simão disse que a equipe chegou com humildade e soube se aproveitar do nervosismo de alguns jogadores do Santos.