Santos 1 x 2 Portuguesa

Data: 09/07/1995, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 12.689 pagantes
Renda: R$ 121.140,00
Cartão vermelhos Maurício Copertino (S).
Gols: Edinho (14-1) e Macedo (22-1); Caio (38-2).

SANTOS
Edinho; Silva, Maurício Copertino, Marcelo Moura e Marcos Paulo; Cerezo, Carlinhos, Jamelli e Giovanni; Macedo (Camanducaia) e Marcelo Passos (Luís Muller).
Técnico: Joãozinho Rosa

PORTUGUESA
Paulo César; Edinho (Carlos Roberto), Jorginho, Gilmar e Zé Roberto; Capitão, Norberto, Caio (Bentinho) e Zinho; Flávio (Jorge Andrade) e Paulinho McLaren.
Técnico: Candinho



Portuguesa vence na Vila e elimina o Santos

A Portuguesa venceu o Santos por 2 a 1 ontem, na Vila Belmiro, e se manteve na liderança do Grupo 2 do Campeonato Paulista, com 10 pontos ganhos, ao lado do Corinthians.

Por ter maior número de vitórias que o rival durante toda a competição, a Portuguesa leva vantagem em caso de empate.

Se vencer o Corinthians no próximo fim-de-semana, o time do técnico Candinho garante vaga na decisão, antes mesmo de enfrentar o União São João, no dia 23.

O Santos, com a derrota de ontem, está eliminado.

No jogo de ontem, o Santos repetiu o erro da estréia na segunda fase do Paulista, quando foi derrotado pela Portuguesa por 3 a 1.

O lateral-esquerdo Marcos Paulo fazia marcação individual em Caio e deixava espaço para o lateral-direito Edinho avançar. Esta é a principal jogada da Portuguesa.

E foi Edinho o autor do primeiro gol do time do Canindé, aos 13min. Após triangulação do ataque, ele chutou forte para marcar.

Aos 21min, Edinho voltou a sentir uma contusão na coxa esquerda e teve que ser substituído por Carlos Roberto.

O Santos empatou em seguida, numa jogada em que Giovanni cometeu falta sobre Zé Roberto, da Portuguesa. O goleiro Paulo César escorregou na lama e a o bola sobrou limpa para Macedo marcar.

Aos 33min, Zé Roberto salvou, em cima da linha, uma cabeçada de Jamelli.
A expulsão do zagueiro santista Maurício Copertino, logo a 1min do segundo tempo, tornou o jogo emocionante.

Empurrado pela torcida, o Santos não se entregou e perdeu uma grande chance, aos 14min, após bela jogada de Giovanni.

Dentro da área, ele matou a bola no peito, encobriu o zagueiro Gilmar e chutou forte para o gol, obrigando o goleiro Paulo César a fazer grande defesa.

No lance seguinte, Edinho evitou um gol certo da Portuguesa, ao defender com o pé um chute cruzado de Paulinho.

Quando o jogo caminhava para o empate, Caio decidiu para a Portuguesa. Aos 39min, ele entrou livre pela direita e chutou na saída de Edinho, decretando a vitória.

Revoltada com a eliminação do time, a torcida do Santos provocou uma grande confusão nas arquibancadas que acabou sendo controlada pela ação da polícia.

Os torcedores da Portuguesa tiveram que esperar mais de uma hora para deixar o estádio da Vila Belmiro .

Lusa promete R$ 7.000 pela classificação

O presidente da Portuguesa, Manoel Gomes Pacheco, anunciou um prêmio de R$ 7.000 para cada jogador em caso de classificação para a final.

“Cumprimos à risca o esquema tático. Anulamos o Santos e saímos da Vila com muita moral para decidir, contra o Corinthians, a nossa passagem para a final”, disse o meia Capitão.

Para Caio, destaque da Portuguesa, a vitória sobre o Santos demonstrou que o time tem “totais condições de vencer o Corinthians e disputar a final do campeonato”.

Segundo Caio, o gol marcado ontem -o sexto dele no campeonato- “foi o mais importante” da sua carreira.

No vestiário santista, os jogadores elogiaram o adversário, que soube aproveitar os descuidos da defesa santista para vencer o jogo.

“Jogamos bem, mas, na correria para fazer o gol, descuidamos da defesa e acabamos tomando um gol de contra-ataque”, afirmou o meia Carlinhos.
Para o jogador, a expulsão do zagueiro Maurício Copertino desestabilizou o time.

“Fica difícil vencer um time excelente como a Portuguesa com um homem a menos. No meu entender, em razão das chances desperdiçadas, o resultado acabou sendo justo”, disse Carlinhos.

“A expulsão do Copertino acabou com o nosso esquema tático”, afirmou o goleiro Edinho.

O atacante Paulinho disse que o técnico Candinho pediu, no intervalo, para que as jogadas de ataque da Portuguesa se concentrassem em cima de Copertino.

“E acabou dando certo. Ele já tinha tomado cartão amarelo no primeiro tempo. Logo no reinício do jogo, ele entrou solando e foi justamente expulso”, observou.



Disputa por vaga acirra clássico ( Em 09/07/1995 )

Santos joga sua última ‘cartada’ contra Portuguesa, que tenta manter liderança do grupo

Santos e Portuguesa fazem hoje, às 16h, na Vila Belmiro, um clássico decisivo pelo Paulista-95. Os dois times ainda brigam pela vaga de campeão do Grupo 2 da segunda fase do campeonato, o que garantiria passagem para a decisão do torneio.

A Portuguesa, com sete pontos ganhos, é a líder da chave ao lado do Corinthians. O Santos, com quatro pontos, precisa vencer para continuar com chances de classificação.

Apesar da derrota para o Corinthians na rodada passada, a Portuguesa não pretende modificar seu sistema de jogo nos três jogos restantes da segunda fase.

“Quem é o líder do campeonato?”, pergunta Candinho, treinador da Portuguesa. “Não vejo razões para mudanças.”

O time, portanto, continuará fazendo uma marcação forte e explorando as laterais do campo para iniciar os contra-ataques.

Os laterais Edinho e Zé Roberto são as armas do técnico Candinho. “Eles são habilidosos e devem ser muito úteis contra o Santos.”

O técnico do Santos, Joãozinho, preparou uma marcação especial sobre o meia Caio, da Portuguesa. “Ele é o cérebro do time, um dos jogadores mais lúcidos e criativos. Nosso esquema irá triunfar se a estratégia de anular o Caio der certo”, disse Joãozinho.

O treinador santista decidiu iniciar o jogo com Marcelo Passos no ataque, substituindo Luís Muller.

A mudança, segundo Joãozinho, foi feita para dar mais poder de marcação ao meio-campo. Marcelo Passos jogará recuado, marcando os avanços do lateral-direito Edinho, da Portuguesa. Assim, Joãozinho espera dar mais liberdade a Giovanni.

No meio-campo, existe uma dúvida quanto ao substituto do volante Gallo, suspenso. Cerezo e o júnior Kiko disputam a vaga.

Giovanni cobiça a artilharia

Em grande fase, o meia santista Giovanni disse que pretende ser o artilheiro do Campeonato Paulista.

“Se tudo der certo, neste domingo eu alcanço o Paulinho na liderança da artilharia”, disse.

Giovanni tem 18 gols no campeonato, contra 20 de Paulinho, da Portuguesa.

Destaque do Santos no torneio, Giovanni será o ponto de partida da reformulação que a diretoria pretende fazer no time para o Campeonato Brasileiro, que será disputado a partir de agosto.

Segundo o presidente Samir Abdul-Hak, o clube e a Unicór (o patrocinador) devem trazer um ponta-esquerda, um lateral e um zagueiro para completar o elenco.

“Estamos procurando grandes jogadores no Brasil e no exterior. Queremos formar um time para levar o título brasileiro”, disse Hak. No projeto, a permanência de Giovanni é fundamental.

Hak disse que recebeu duas propostas para vender seu principal jogador. “No momento, ele é inegociável.”

O ministro dos Esportes, Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, avaliou o passe de Giovanni em US$ 15 milhões.

Marcelo Passos volta e promete gol

Após perder a posição para Luís Muller, o meia ofensivo Marcelo Passos volta a ser titular do Santos hoje, contra a Portuguesa.

Ele acredita que vai marcar pelo menos um gol no adversário. Passos disse que costuma jogar “muito bem em clássicos”.

Repórter – É bom voltar ao time em um jogo decisivo?
Marcelo Passos – Além de gostar de desafios, eu me dou muito bem em clássicos.
Contra o Palmeiras, na Vila, marquei os três gols da vitória. Contra o Corinthians, também na Vila, fiz dois dos três gols do time.

Repórter – Você quer dizer que dá para prometer um gol contra a Portuguesa?
Marcelo Passos -Sinto que vou deixar a minha marca no gol do Paulo César.

Repórter – Você se sentiu injustiçado por ter ficado na reserva em três jogos?
Marcelo Passos -Confesso que eu fiquei muito abatido. De qualquer forma, o Joãozinho me disse que a mudança não foi por motivos técnicos, mas sim por motivos táticos.

Santos explora os lançamentos

O Santos procura aperfeiçoar a sua principal qualidade -o lançamento- na partida de hoje, contra a Portuguesa.

Explorando este fundamento, a equipe da Vila Belmiro acha que ficará mais próxima da vitória.

Entre os times que disputam a segunda fase do Paulista, o Santos é, ao lado de Corinthians e Guarani, o time que mais dá lançamentos por jogo: 12, em média, segundo o Datafolha.

A preocupação do técnico santista Joãozinho é o número excessivo de lançamentos errados: sete por partida. A média do time tende a diminuir com a ausência do volante Gallo, suspenso. Ele é o jogador que mais erra lançamentos na equipe: três por jogo.

O ponto de referência dos lançamentos santistas é o meia Giovanni. De acordo com o Datafolha, ele recebe 31,3 bolas por partida, a média mais alta do time.

Outros jogadores bastante explorados são os atacantes Macedo e Jamelli. Eles recebem uma média de 28 bolas por jogo.

O volante Carlinhos é outro atleta importante no esquema santista. Ele é quem mais acerta passes no time, com uma média de 35,3 passes certos.

O lateral-direito Silva é o líder nos desarmes: 27, em média, por partida.



Fonte: Estadão