O pré-contrato entre a Pelé Sports & Marketing e o argentino Diego Maradona, que possibilitaria a contratação do jogador para defender Santos ou São Paulo, foi desfeito ontem à tarde em Londres (Inglaterra).

O ministro extraordinário dos Esportes, Édson Arantes do Nascimento, o Pelé, está em missão oficial na Inglaterra e aproveita para acompanhar o torneio internacional promovido pela federação de futebol local.

O presidente do Santos, Samir Abdul-Hak, comunicou ontem oficialmente a decisão de Pelé. “Infelizmente, o Maradona mudou todas as cláusulas acertadas preliminarmente.”

“A princípio, o contrato seria de US$ 4 milhões por 28 meses, exclusivamente para exploração de sua imagem. Agora, ele quer receber US$ 15 milhões e, mesmo assim, só a partir de 31 de dezembro”, disse Hak.

Antes, Maradona quer defender o Boca Juniors, da Argentina.

“Ele quer US$ 3,75 milhões na assinatura do contrato, salário de US$ 3,75 milhões, acrescidos de parcelas do mesmo valor no 15º e 20º meses do acordo”, afirmou Hak.

As negociações entre a empresa de Pelé e Maradona começaram no dia 29 de abril, durante encontro entre Pelé e o argentino no Rio de Janeiro.

Na última sexta-feira, em Santos, Pelé se mostrou pessimista. “Houve precipitação. Não tem nada acertado. Esse tipo de acordo envolve inúmeras cláusulas”, disse.

Com relação ao Santos, que seria a primeira opção para Maradona jogar no Brasil, o presidente Samir Abdul-Hak afirmou: “Sempre fomos espectadores. O jogador nos foi oferecido e aguardávamos o desfecho das negociações”.



Fontes: Jornal Folha de SP – http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1995/06/08/20//529952
Vídeo: Wesley Miranda