Depois de nove anos, o Santos tem um novo presidente. Neste sábado, o sociólogo Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro venceu as eleições do clube e substitui Marcelo Teixeira no comando do clube alvinegro. O pleito, aliás, foi marcado por muita confusão envolvendo simpatizantes de situação e oposição.

Ribeiro venceu as eleições com 1.882 votos, contra 1.129 de Teixeira. Também foram registrados 12 votos nulos e um branco. No total, 3.024 santistas aptos a votar foram às urnas neste sábado.

Durante a apuração, enquanto ainda vencia Teixeira por uma boa vantagem, Ribeiro já prometia uma revolução no clube. “Nós vamos fazer uma varredura no Santos”, disse o agora presidente santista, mantendo o discurso feito na campanha.

Também durante a apuração, Teixeira reconheceu a desvantagem no número de votos em relação a Ribeiro e deixou as dependências do Santos antes mesmo de o processo ser concluído. A ação do agora ex-presidente, aliás, deve ser a mesma do técnico Vanderlei Luxemburgo, que prometeu deixar o Santos em caso de derrota da situação nas urnas.

Eleito presidente do Santos em 2000, Marcelo Teixeira “colocou a mão no bolso” e montou um time repleto de medalhões naquele ano, com nomes como Rincón, Márcio Santos, Galván, Carlos Germano e Valdo, mas a equipe não rendeu como ele esperava – apesar do vice paulista daquela temporada.

Em 2002, porém, o Santos revelou a geração de Robinho, Diego, Paulo Almeida, Alex e Elano, foi campeão brasileiro e consagrou Teixeira ao quebrar um jejum desde 1984 sem o clube conquistar um título relevante. Outro título brasileiro veio dois anos depois, em 2004, sob o comando de Luxemburgo – amigo de Teixeira.

No ano de 2003, com Emerson Leão, o Santos voltou a sonhar com títulos internacionais. A equipe praiana chegou à decisão da Copa Libertadores, mas parou no Boca Juniors, de Tevez.

Nos anos de 2006 e 07, o clube foi bicampeão paulista, mas já não conseguiu repetir no Brasileiro as campanhas do passado. Na Libertadores de 2006, a equipe perdeu a semifinal para o Grêmio.

Nos últimos dois anos, Teixeira não conseguiu mais fazer boas campanhas no Brasileiro e a sua imagem se desgastou perante a torcida. O último suspiro foi o vice-campeonato paulista desde ano, quando perdeu a decisão para o Corinthians de Ronaldo.

Santistas brigam em eleição e chegam a paralisar apuração

Uma confusão entre torcedores e membros da oposição do Santos interrompeu por alguns minutos a apuração dos votos da eleição presidencial do clube, neste sábado. Concorrendo ao cargo contra Marcelo Teixeira e eleito novo presidente alvinegro ao término da briga, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro liderava a contagem dos votos santistas.

A briga se sucedeu depois que urna 5 foi aberta. Integrantes de uma das torcidas organizadas do Santos partiram para cima dos oposicionistas e o clima ficou pesado nas dependências do clube – muitas cadeiras, inclusive, foram quebradas. A apuração das urnas foi retomada por volta das 20h20 (de Brasília).

Luiz Alvaro de Oliveira Ribeiro liderava a disputa até a abertura das cinco primeiras urnas com 918 votos, contra 532 de Marcelo Teixeira, que presidia o clube desde 2000. Com a volta da apuração, a oposição fechou a eleição com 1.882 votos, contra 1.129 da situação.