Santos 1 x 0 Chapecoense

Data: 19/07/2017, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 15ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.533 pagantes
Renda: R$ 155.900,00
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Auxiliares: Fabricio Vilarinho da Silva e Cristhian Passos Sorence (ambos de GO).
Cartões amarelos: Lucas Lima, Matheus Ribeiro, Vanderlei e Vecchio (S); Lucas Mineiro e Fabrício Bruno (C).
Gol: Vecchio (15-2).

SANTOS
Vanderlei; Matheus Ribeiro, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Yuri (Alison), Vecchio e Lucas Lima; Copete, Thiago Ribeiro e Kayke (Arthur Gomes).
Técnico: Levir Culpi

CHAPECOENSE
Jandrei; Apodi, Douglas Grolli, Fabrício Bruno e Diego Renan; Lucas Marques, Moisés Ribeiro, Lucas Mineiro (Lourency) e Seijas (Túlio de Melo); Arthur Caike (Wellington Paulista) e Luiz Antônio.
Técnico: Vinícius Eutrópio



Vecchio decide, Santos vence a Chape e segue entre os líderes do Brasileirão

Taffarel, preparador de goleiros da Seleção Brasileira, esteve na Vila Belmiro para acompanhar de perto Vanderlei, nesta quarta-feira. O campeão mundial de 1994 deve até ter se animado com o camisa 1, que fez boas defesas e não levou gols. Porém, quem roubou a cena foi Emiliano Vecchio. Surpresa no time titular de Levir, o meia marcou seu primeiro tento com a camisa do Peixe e garantiu a vitória por 1 a 0 sobre a Chapecoense, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com a vitória, o alvinegro chegou aos 27 pontos e manteve-se na terceira colocação do torneio. Já a o Verdão do Oeste segue estacionada nos 18 e pode encostar na zona de rebaixamento até o final da rodada.

O jogo:

Com a entrada de Vecchio no lugar de Leandro Donizete, o técnico Levir Culpi tinha a intenção de fazer o Santos ser mais ofensivo na Vila. Porém, quem começou assustando foi a Chapecoense. Em menos de três minutos, o goleiro Vanderlei foi obrigado a defender chutes e Lucas Mineiro e Diego Renan.

O Peixe, por sua vez, mantinha a posse de bola, mas não conseguia chegar com qualidade do gol do Verdão do Oeste. Abusando dos lançamentos longos, alvinegro só tirou um ‘UH’ dos torcedores aos 27 minutos, quando Lucas Lima acertou lindo passe para Kayke. O atacante avançou, mas bateu muito mal com a perna esquerda e isolou a melhor chance santista em todo o primeiro tempo.

A boa oportunidade não fez a equipe de Levir se animar. Sentindo bastante a ausência de Bruno Henrique, suspenso pelo terceiro amarelo, o Santos seguiu apostando nas bolas longas e viu diversos impedimentos serem anotados na Vila, principalmente com Copete e Kayke.

Já a Chape parecia satisfeita com o empate e buscava chegar apenas em contra-ataques rápidos, porém, o time comandado por Vinícius Eutrópio só conseguiu assustar mesmo nas duas chances iniciais e a primeira etapa terminou em um fraco 0 a 0.

Após o intervalo, as duas equipes voltaram com o mesmo padrão, mas dando sustos maiores aos goleiros. Assim como na etapa inicial, a primeira chance foi da Chape. Logo aos dois minutos, Seijas soltou uma bomba da entrada da área e a bola explodiu no travessão.

Porém, o Santos voltou com mais gana de vencer e conseguiu furar o bloqueio do Verdão em várias oportunidades. De tanto martelar, o Peixe abriu o placar aos 15 minutos. Lucas Lima deu lindo passe para Vecchio dentro da área. O argentino driblou o goleiro Jandrei e, mesmo sem ângulo, bateu firme para colocar o alvinegro em vantagem no marcador. Após o gol, o argentino teve seu nome gritado por toda a torcida no estádio.

No decorrer da segunda etapa, a Chape se lançou ao ataque, mas parou em Vanderlei. O camisa 1 fez diversas defesas importantes, garantiu a vitória santista e deixou uma boa impressão em Taffarel.

Bastidores – Santos TV:

Vecchio vibra com vitória do Santos ‘na raça’ e diz: “Nem sei como fiz o gol”

Emiliano Vecchio passou por uma verdadeira reviravolta no Santos. Após ficar afastado por Dorival Júnior e quase ser emprestado pelo Peixe, o argentino ‘renasceu’ no clube com a chegada de Levir Culpi e marcou o gol da vitória santista sobre a Chapecoense, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Apesar de comemorar bastante seu primeiro tento com a camisa do alvinegro, o meia precisará acompanhar o lance novamente pela TV para saber o que aconteceu. Afinal, Vecchio admitiu que não viu como a bola entrou na meta de Jandrei.

“Nem eu sei como fiz o gol (risos). Vi que o goleiro saiu e que não tinha passe. Como contra o Atlético-PR errei, hoje fui feliz. Para nós era um jogo muito importante para nos aproximar do Grêmio. A Chape é um grande time. Às vezes se ganha jogando bem, outras se ganha na raça”, vibrou o argentino na saída do gramado.

A escalação do meia foi uma surpresa de Levir no jogo desta quarta-feira. Com apenas 15 jogos com a camisa santista, Vecchio ganhou a chance como titular na vaga de Leandro Donizete, que foi mal contra o Vasco, no último final de semana, no Engenhão.

Eutrópio vê resultado injusto e Chape ofensiva na Vila Belmiro

A Chapecoense venceu apenas uma das últimas nove partidas que disputou. Após a derrota desta quarta-feira contra o Santos, na Vila Belmiro, o técnico Vinicius Eutrópio repetiu um discurso comum nos últimos jogos, e julgou que o resultado foi injusto.

“Jogar como jogamos com o Santos, acredito que o placar foi injusto pela postura que o time teve fora de casa e jogando de igual para igual criando as melhores oportunidades. Prova disso foi que o Vandelei foi aplaudido até depois que terminou o jogo. Eu fico esperançoso porque a gente mantém esse nível de um jogo bom no domingo passado, fizemos esse, é uma maratona, mas a gente está demonstrando que queremos mais no campeonato”, afirmou o treinador, antes de seguir sua análise.

“Vamos ficar batendo nisso porque o placar foi injusto por tudo o que fizemos, Vamos para casa chateados com o placar, mas ficamos esperançosos para que a equipe mantenha esse nível. É esse nível que temos que manter”, completou.

Apesar de duas chances claras criadas logo nos primeiros minutos, a Chapecoense passou a maior parte da partida apenas se defendendo. Para Eutrópio, porém, o Verdão teve uma formação ofensiva e o gol sofrido se deveu a um lance brilhante de Lucas Lima, que encontrou uma assistência para o argentino Vecchio.

“O time foi ofensivo. O que se pontua com os princípios de jogo e como se acha os espaços para concluir. Nós fizemos isso. Pode ser com três, pode ser com um, depende. O importante é o seu propósito e a estratégia de jogo. Hoje, por exemplo, funcionou muito bem. Tivemos mais chances que o Santos na casa do Santos. Os jogadores chegaram para reforçar mais e ajudar esse elenco que aqui já está”.

“É natural em algum momento do jogo o Lucas Lima achar um passe. O que tenho que pontuar mesmo é o nível de concentração que o time não estava tendo, tomando gols no final, gols bobos. Contra o Sport fizemos um jogo maravilhoso em 94 minutos e em dois minutos nos desconcentramos. Contra o São Paulo foi um jogo bem concentrado”, finalizou.