Ponte Preta 1 x 2 Santos

Data: 25/01/2018, quinta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 3ª rodada
Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, SP.
Público: 3.032 pagantes
Renda: R$ 51.100,00
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza
Auxiliares: Danilo Ricardo Simon Manis e Vitor Carmona Metestaine.
Cartões amarelos: Tiago Real, Marciel, Renan Fonseca, Jeferson, Ronaldo e Marquinhos (PP); Copete, Vecchio e David Braz (S).
Gols: Léo Arthur (08-1); Eduardo Sasha (28-2) e Rodrygo (47-2).

PONTE PRETA
Ivan; Emerson, Renan Fonseca, Luan Peres e Jeferson; Marciel (Ronaldo), Tiago Real e Léo Artur (Thiaguinho); Silvinho (Marquinhos), Felipe Saraiva e Felippe Cardoso.
Técnico: Eduardo Baptista

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, David Braz e Caju; Alison, Matheus Jesus (Jean Mota) e Vecchio; Copete, Arthur Gomes (Rodrygo) e Rodrigão (Eduardo Sasha).
Técnico: Jair Ventura



Com gol de joia, Santos vence a Ponte Preta de virada em Campinas

O Santos venceu a Ponte Preta, de virada, por 2 a 1 na noite desta quinta-feira, no Moisés Lucarelli, pela terceira rodada do Campeonato Paulista.

Depois de um primeiro tempo sofrível e de sair atrás com gol de Léo Arthur aos oito minutos, o Peixe melhorou na segunda etapa, empatou com os primeiros gols de Eduardo Sasha e Rodrygo pelo clube. Sasha empatou aos 28 e Rodrygo, aos 17 anos, deu os três pontos nos acréscimos após jogada individual.

Mesmo com pouca criatividade e longe da intensidade que prega o técnico Jair Ventura, foi o alvinegro quem dominou o segundo tempo. Copete e Arthur Gomes tiveram boas chances de virar antes de Rodrygo marcar. Vecchio criou jogadas importantes.

O jogo:

Ponte Preta e Santos fizeram um início de jogo morno. As equipes se estudavam em campo e pouco arriscavam. Nas primeiras movimentações, foi possível ver qual seria a tônica da partida: Peixe com a bola. Ponte à procura do contra-ataque.

E aos oito minutos, a Macaca aproveitou a primeira oportunidade. Felippe Cardoso driblou David Braz, passou fácil por Caju e cruzou. Léo Arthur dividiu com Victor Ferraz, levou a melhor e, sem ângulo, chutou por baixo das pernas de Vanderlei.

Após o gol, o Santos tentou a reação, mas esbarrava em um meio-campo de pouca criação. A chance de empatar veio só aos 25 minutos, quando Luiz Felipe, livre na pequena área, cabeceou por cima do gol.

Aos 31 minutos, Léo Arthur driblou Alison na intermediária ofensiva e finalizou com perigo, à direita do gol de Vanderlei. Cinco minutos depois, Arthur Gomes arriscou de fora da área, Rodrigão não alcançou e a bola passou perto da trave esquerda do goleiro Ivan.

No fim do primeiro tempo, Victor Ferraz cobrou falta, quase que da linha da área, na barreira. Na sequência, Caju bateu quatro escanteios consecutivos no primeiro pau.

Na segunda etapa, o cenário mudou. O Santos com a posse de bola, mas oferecendo mais perigo. Vecchio subiu de rendimento e o Peixe passou a martelar a Ponte.

Aos oito minutos, Vecchio chutou de primeira de fora da área para grande defesa do goleiro Ivan. Aos 11, Copete chutou cruzado para nova defesa do Ivan. A pressão, porém, parou nesses dois lances

O jogo caminhava para a vitória dos donos da casa, até que brilhou a estrela de Eduardo Sasha, que substituiu Rodrigão no segundo tempo. O atacante, de cabeça, aproveitou bom cruzamento de Copete para empatar aos 28 minutos.

Depois do empate, a partida ficou aberta. Aos 29 minutos, Felipe Saraiva quase fez de fora da área. Na sequência, Vecchio deu lindo passe para Arthur Gomes. Cara a cara com Ivan, o atacante cavou e a bola passou perto da trave.

Aos 36 minutos, nova falta para o Santos na entrada da área. Jean Mota acertou a barreira. No rebote, o próprio Jean finalizou por cima do gol. Dois minutos depois, Vecchio deu nova assistência para Copete, que chutou cruzado para mais uma boa defesa de Ivan.

Quando o placar marcava 41 minutos, Vecchio apareceu de novo. Destaque no segundo tempo, o argentinou arriscou, com a canhota, de fora da área. Bola passou raspando o travessão.

Segundos depois, Felippe Cardoso teve duas chances de desempatar. Na primeira, chutou cruzado. Depois do bate-rebate, chutou mascado e a bola quase traiu Vanderlei.

Nos acréscimos, brilhou a estrela do garoto Rodrygo. O atacante recebeu de Vecchio, driblou Emerson e chutou no canto de Ivan para dar a vitória ao Santos em Campinas.

Santos TV – Bastidores:

Rodrygo vibra após marcar pela 1ª vez: “Sonhando acordado”

Rodrygo foi o grande nome do Santos na vitória por 2 a 1 sobre a Ponte Preta na noite desta quinta-feira, no Moisés Lucarelli. O atacante de 17 anos entrou no segundo tempo e fez o seu primeiro gol pelo Peixe para virar o placar.

Joia das categorias de base, Rodrygo mostrou personalidade. O garoto, nos acréscimos, recebeu passe de Vecchio, driblou o marcador e chutou forte, no canto, para vencer o goleiro Ivan.

“Estou sonhando acordado. Ficha não caiu, vai cair quando eu chegar em casa e ver o vídeo do gol. Fico muito feliz pela vitória. Bola sobrou e eu sabia que teria alguma chance e tinha que guardar”, disse Rodrygo, em entrevista ao SporTV.

Outro que marcou pela primeira vez foi Eduardo Sasha. Contratado para 2018, o atacante ex-Internacional empatou o jogo em Campinas.

Rodrygo e Sasha pressionam Copete, Arthur Gomes e Rodrigão por uma vaga no time titular para a partida contra o Ituano, domingo, às 19h30 (de Brasília), no Pacaembu. Bruno Henrique, contusão na retina do olho direito, e Gabigol, que ainda precisa recuperar a forma física e técnica, não estarão à disposição.

Jair cogita mudanças no ataque do Santos, mas pede calma com Rodrygo

Jair Ventura não descarta mexer no ataque titular do Santos para a sequência do Campeonato Paulista, mas pede calma ao torcedor com Rodrygo, autor do gol da virada na vitória por 2 a 1 sobre a Ponte Preta nesta quinta-feira, em Campinas.

O ataque tem sido escalado com Arthur Gomes, Copete e Rodrigão. Bruno Henrique se recupera de contusão na retina do olho direito. Rodrygo, aos 17 anos, entrou bem no segundo tempo das partidas contra Bragantino e Ponte.

“Eu gosto muito de lançar jovens. Rodrygo é sensacional. Falei que vou trazê-lo como um filho, brinco demais com ele. Menino bom, que merece, é diferente, mas temos que ter calma. Vão falar nele titular logo, mas se jogasse 80 minutos, teria força para fazer o gol no final? A importância é a mesma para todos. O banco mudou o jogo. Esperamos contratações, lógico, mas temos que olhar para dentro enquanto não chega”, analisa Jair Ventura.

O treinador pensa em mexer na equipe para a partida contra o Ituano, domingo, às 18h30 (de Brasília), no Pacaembu, pela quarta rodada do Campeonato Paulista. Em Campinas, Romário (barrado) e Renato (poupado) deram lugar a Caju e Matheus Jesus.

“Temos que saber momento de cada jogo. Pode ser (que haja mudanças). Renato e Romário não jogaram, podemos fazer revezamentos, mas tem Libertadores batendo na porta. Tenho que conhecer o elenco e temos que conhecer nos jogos, é mais difícil nos treinos. Posso pensar em mudanças em todas as partes do time”, resumiu.

Novo raio no Santos? Rodrygo supera Neymar pela terceira vez na carreira

Rodrygo foi o primeiro jogador nascido em 2001 a marcar um gol como jogador profissional do Santos. O chute nos acréscimos deu a vitória ao Peixe na noite desta quinta-feira, contra a Ponte Preta, em Campinas, e fez o jovem de 17 anos superar Neymar pela terceira vez na carreira.

Rodrygo, com 17 anos e 16 dias, fez seu primeiro gol pelo alvinegro. Neymar balançou as redes quando tinha 17 anos e 40 dias, diante do Mogi Mirim, em 15 de março de 2009.

Rodrygo também estreou mais cedo que Neymar. A nova joia da base santista entrou em campo com 16 anos, na vitória por 3 a 1 sobre o Atlético-MG, no dia 4 de novembro de 2017. O craque do PSG, com 17 anos, debutou no dia 7 de março de 2009.

Outro feito de Rodrygo foi, aos 11 anos, ser o jogador mais novo a assinar contrato com a Nike, empresa de material esportivo. Neymar, seu ídolo, era quem ocupava o posto, por ter firmado vínculo aos 13 anos.

Em 2016, os dois atacantes tiveram a oportunidade de entrar em campo juntos, em uma pelada no Instituto do camisa 10 da seleção brasileira, em Praia Grande, litoral de São Paulo.

Vecchio defende Santos sem armador clássico e elogia Rodrygo

Segundo volante de origem, Vecchio tem sido utilizado como meia armador do Santos por Jair Ventura. O argentino relata que conversou com o técnico sobre a função que gostaria de exercer em 2018.

“Antes de começar o campeonato, tive uma reunião com o Jair. Eu falei para ele que me sentia melhor como segundo volante. Quem decide é ele, que é muito capacitado. Estou jogando de meia, mas com a liberdade. Ele pede para não ter uma posição fixa. Hoje, um meia tradicional não existe. Todos têm de correr, ajudar, independentemente da posição”, disse Vecchio, em entrevista coletiva nesta sexta-feira.

Vecchio ainda comentou sobre a ascensão de Rodrygo, de 17 anos, que fez seu primeiro gol como profissional do Peixe na vitória por 2 a 1 diante da Ponte Preta nesta quinta-feira, em Campinas.

“O Santos tem algo que é muito especial. Falei com um amigo ontem que por aqui você vê jogadores de 15, 16, 17 anos muito importantes. O Rodrygo parece ter 30 anos em campo. É muito maduro, um menino especial, educado, que trabalha muito bem. Ajudou muito o time, fez o gol da vitória. Confiamos muito nele, mas temos de ter paciência. Ele tem um potencial muito grande”, analisou o camisa 20.