Santos 4 x 2 Flamengo

Data: 24/06/2000, sábado, 16h00.
Competição: Copa do Brasil – Quartas de final – Jogo de volta
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público e renda: N/D
Árbitro: Wilson de Souza Mendonça
Cartões amarelos: Leandro Machado e Lê (F); Anderson (S).
Cartões vermelhos: Maurinho e Petkovic (F).
Gols: André Luis (32-1), Petkovic (43-1); Dodô (16-2), Dodô (35-2), Mozart (39-2) e Dodô (46-2).

SANTOS
Carlos Germano; Baiano, André Luis, Claudiomiro e Rubens Cardoso; Anderson, Rincón (Preto), Valdo (Piá) e Robert (Eduardo Marques); Caio e Dodô.
Técnico: Giba

FLAMENGO
Clêmer; Maurinho, Fabão, Luiz Alberto e Leonardo Inácio; Leandro àvila, Mozart, Lê (Rocha) e Petkovic, Lúcio e Leandro Machado (Tuta).
Técnico: Carlinhos



Santos goleia de novo e confirma classificação

O Santos reafirmou na Vila Belmiro a vantagem que havia conseguido no Maracanã e aplicou uma nova goleada no Flamengo, desta vez por 4 a 2.

Com o resultado, o time se classificou para disputar a fase semifinal da Copa do Brasil, contra o Cruzeiro, em datas a serem definidas pela CBF.

O destaque da partida foi o atacante Dodô, autor de três gols.

No jogo de ida, no Rio, ganho pelo Santos por 4 a 0, ele havia marcado outros dois. O Flamengo teve dois jogadores expulsos.

No início do jogo, predominou a marcação sob pressão do Flamengo, que tentava sufocar o Santos em seu campo e dificultar o domínio da bola do adversário.

Passados os primeiros minutos, o Santos se soltou e, aos poucos, foi criando seguidas oportunidades.

Aos 7min, Caio desperdiçou a primeira chance, ao receber a bola de Dodô e concluir para fora, em jogada iniciada por Robert.

O Flamengo respondeu no minuto seguinte. Em bola lançada na área santista, Claudiomiro falhou, e, na sobra, livre, Leandro Machado tocou por cima.

Precisando de uma vitória com ampla vantagem, o Flamengo se lançava à frente, mas ficava exposto aos contra-ataques dos santistas, que exploravam principalmente as laterais, com Baiano, pela direita, e Rubens Cardoso, pela esquerda.

Aos 12min e aos 17min, jogadas de linha de fundo de Baiano e Cardoso quase resultaram em gol. Na primeira, pressionado pela zaga, Dodô concluiu para fora. Na segunda, o mesmo Dodô, ao receber o cruzamento, ajeitou de primeira para Caio, dentro da área, e o atacante chutou por cima.

A insistência do Santos deu resultado aos 32min. Robert bateu escanteio e Caio resvalou na bola. Acossado por André Luis, o lateral Maurinho, do Flamengo, jogou a bola contra as próprias redes, mas o juiz anotou o gol para o zagueiro santista.

O gol facilitou a tarefa do Santos, que passou a ter o domínio completo da partida, trocando bolas na intermediária, aproveitando a ansiedade do Flamengo e esperando a abertura de brechas na defesa adversária.

Quando já se esperava o segundo do Santos, o meia Petkovic, em jogada individual, empatou. Ele recebeu a bola na intermediária, avançou, driblou dois santistas e concluiu de perna direita no canto esquerdo de Carlos Germano.

Logo aos 3min do segundo tempo, Maurinho, que já tinha cartão amarelo, foi expulso após cometer falta violenta em Valdo.

Mesmo assim, foi o Flamengo que ameaçou -aos 6min, em um chute forte de longe do zagueiro Fabão, e aos 7min, em jogada de Petkovic para Lúcio, dentro da área, que o goleiro Carlos Germano cortou.

O ímpeto da equipe carioca, entretanto, arrefeceu a partir dos 16min, com o segundo gol do Santos. Robert lançou Caio, que invadiu a área e cruzou. O goleiro Clemer rebateu, e, na sobra, Dodô marcou.

O Flamengo ficou ainda mais inferiorizado aos 21min, quando perdeu seu melhor jogador. O meia Petkovic, que havia acertado a trave de Carlos Germano aos 17min e já tinha cartão amarelo, foi expulso ao colocar a mão na bola.

O Santos ampliou aos 35min, quando Dodô recebeu um lançamento dentro da área e chutou forte.

Com dois a menos, o time carioca ainda conseguiu diminuir, em um lance isolado, aos 39min. Em cobrança de escanteio, Mozart subiu sozinho e fez de cabeça.

Aos 46min, Dodô completou a goleada com um bonito gol. Matou a bola no peito dentro da área e chutou forte, antes que a bola tocasse o chão.