Cruzeiro 2 x 0 Santos

Data: 29/06/2000, quinta-feira, 21h40.
Competição: Copa do Brasil – Semifinais – Jogo de ida
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte, MG.
Público: 13.321 pagantes
Renda: N/D
Árbitro: Antônio Pereira da Silva (GO)
Cartão amarelo: Baiano (S)
Gols: Geovanni (23-1, de pênalti) e Donizete Oliveira (44-2).

CRUZEIRO
André; Rodrigo, Cris, Cléber e Alonso; Donizete Oliveira, Marcos Paulo, Jackson e Muller (Joelson); Geovanni e Fábio Júnior.
Técnico: Marco Aurélio

SANTOS
Carlos Germano; Baiano, Claudiomiro, André Luis, Rubens Cardoso; Preto (Eduardo Marques), Valdo, Anderson Luiz e Robert (Marcio Santos); Dodô e Caio (Julio César).
Técnico: Giba



Cruzeiro bate Santos e abre vantagem

Time paulista precisa fazer vencer por diferença de três gols para chegar à vaga na final da Copa do Brasil

O Cruzeiro bateu ontem, no Mineirão, o Santos por 2 a 0 na primeira partida das semifinais da Copa do Brasil.

Agora, o Santos precisa vencer por três gols de diferença para passar para a final da competição que garante ao campeão vaga na Libertadores de América, principal competição sul-americana. Caso vença por 2 a 0 no domingo na Vila Belmiro, o Santos leva a decisão para os pênaltis.

O jogo:

No primeiro tempo, apesar do jogo equilibrado, o Santos mostrou mais nervosismo, errando muito na defesa, meio de campo e ataque. Teve duas oportunidades de marcar, mas deixou o Cruzeiro abrir o placar.

A primeira boa chance de gol foi do Santos, aos 9min. Após lançamento, o lateral Baiano dominou e cruzou para Caio na pequena área, mas a zaga mineira cortou.

Mas, logo depois, o time paulista falhou várias vezes na saída de jogo. Os cruzeirenses roubavam a bola e chutavam a gol. Foi assim aos 13min, quando Geovanni mandou a bola na trave santista.

Aos 21min, o Santos voltou à carga: após cobrança de falta do meia Robert, a bola foi espalmada pelo goleiro André e ainda bateu no travessão.

Mas erros da defesa do Santos se sucediam e acabaram gerando o gol rival. Aos 23min, em jogada infantil, o zagueiro André Luis derrubou o lateral Alonso na área. Geovanni executou o pênalti e marcou o 1 a 0, placar que persistiu até o final da etapa.

“O time esteve muito medroso com a bola no pé”, afirmou o atacante Caio no intervalo.

O segundo tempo começou muito travado, com poucas jogadas de área. O Cruzeiro se posicionou defensivamente, esperando ampliar o placar nos contra-ataques.

“O posicionamento da zaga foi bem, mas faltou uma maior ligação entre o meio e o ataque”, disse o treinador cruzeirense, Marco Aurélio.

A primeira chance de gol foi do Santos, aos 9min. Após passe de Robert, o atacante Dodô chutou sobre o goleiro André.

Era o Cruzeiro, porém, que tinha as oportunidades mais claras. Tanto é assim que aos 22min e 26min, o Santos tirou quase na linha o que seria um par de gols mineiros. Primeiro foi Claudiomiro. Depois, Baiano salvou a meta.

Aos 28min, o meia Jackson chutou de fora da área para a defesa de Carlos Germano.

Aos 44min, o Cruzeiro chegou ao segundo gol, com um chute de fora da área de Donizete Amorim. A bola desviou em Márcio Santos e entrou.

Nem com promoção Mineirão lota

A presença da torcida do Cruzeiro no Mineirão foi pequena, se comparada à média de torcedores que costumam comparecer aos jogos decisivos da equipe.

Menos de 20 mil pagantes compareceram ao estádio, que tem capacidade para 90 mil pessoas, apesar de a diretoria do clube mineiro ter reduzido o preço dos ingressos pela metade.

De acordo com a diretoria do Cruzeiro, o horário da partida e o fato de estar sendo transmitida pela TV ao vivo também para Belo Horizonte contribuíram para a fraca presença de público.

A Polícia Militar informou que os recentes incidentes envolvendo quebra-quebra de ônibus que levam os torcedores ao estádio e os constantes arrastões que acontecem em volta do Mineirão, em dias de jogos, podem ter desanimado a torcida.

Morte no Mineirão

O torcedor Antônio Pereira Costa, 23, morreu ontem momentos depois de cair da arquibancada do Mineirão até a geral, que ficam separadas por uma altura de cerca de 10 metros.

Costa, que teve traumatismo craniano, foi socorrido pela Polícia Militar e chegou a ser levado para o hospital. No momento do acidente, ele estaria comemorando em cima do alambrado da arquibancada o gol do Cruzeiro.