Coritiba 2 x 1 Santos

Data: 05/11/2000, domingo, 17h00.
Competição: Copa João Havelange (Campeonato Brasileiro) – Módulo Azul – 1ª Fase – 20ª rodada
Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba, PR.
Público: 2.332 pagantes
Renda: R$ 25.120,00
Árbitro: Reinaldo Ribas Vieira (RJ)
Cartões amarelos: Williams, Djames e Luís Carlos (C); Sangaletti, Robert, Dodô, Léo e Claudiomiro (S).
Cartão vermelho: Reginaldo Araújo (C).
Gols: Da Silva (04-1) e Dodô (26-1, de pênalti); Da Silva (44-1).

CORITIBA
Gilberto; Reginaldo Araújo, Allan, Leonardo (Ataliba) e Luiz Carlos; Williams, Vitor, Djames (Leandro Tavares) e Alexandre; Da Silva e Gelson. Técnico: Ivo Wortmann

SANTOS
Carlos Germano; Michel, Preto (Júlio Cesar), Claudiomiro e Leo; Anderson Luiz, Sangaletti, Eduardo Marques (Renato) e Robert; Deivid (André Luis) e Dodô.
Técnico: Carlos Alberto Parreira



Santos perde e fica com chances remotas

Coritiba chega aos 2 a 1 no final, quando time de Parreira dominava jogo; equipe da casa reclama de arbitragem

O Santos desperdiçou ontem grande oportunidade para vencer o Coritiba, resultado que Carlos Alberto Parreira considerava obrigatório para que o time continuasse na luta pela classificação.

No final, acabou sendo derrotado -2 a 1 em Curitiba- e o próprio treinador reconhece que as chances de passar para a próxima fase ficaram muito remotas. O time da Vila Belmiro continua com 24 pontos. O Coritiba, por sua vez, passou para 17, deixando o Corinthians, com 15, no penúltimo lugar da Copa João Havelange.

Após um primeiro tempo em que a equipe de Parreira esteve muito mal em campo, deixando o Coritiba comandar as ações, o Santos reagiu na fase final e criou pelo menos quatro excelentes chances de gol. Em duas ocasiões chegou a acertar a trave do rival.

No final, deixou o Coritiba marcar o segundo gol, quando a equipe da casa estava com um jogador a menos em campo -Reginaldo Araújo havia sido expulso.

Na etapa inicial, o atacante Da Silva abriu a contagem para o Coritiba, marcando logo aos 4min, de cabeça, após cruzamento de Djames.

Aos 24min, o meia Vítor levou uma bolada no rosto, dentro da área santista, e o juiz marcou pênalti, como se o atleta do Coritiba tivesse colocado propositalmente a mão na bola -o que não ocorreu- para salvar o gol do adversário.

No segundo tempo, o panorama da partida mudou. Aos 23min, depois de já ter mandado a bola numa das traves do goleiro Gilberto, o Santos voltou a acertar a trave, com Michel. Em seguida, Dodô, livre, errou o chute.

Cinco minutos depois foi a vez de Claudiomiro desperdiçar grande chance, após um escanteio cobrado por Robert.

Justamente quando o Santos parecia mais próximo da vitória do que o time da casa, o Coritiba surpreendeu. Depois de ter reclamado de pênalti que não foi assinalado pela arbitragem e de ter um jogador -Reginaldo Araújo- expulso, a equipe paranaense chegou a seu segundo gol. O meia Vítor cruzou, e o atacante Da Silva só tocou para colocar o Coritiba em vantagem.

Na saída, o árbitro Reinaldo Ribas Vieira foi muito xingado pelos torcedores, não só pelo pênalti dado contra o Coritiba, mas também pelo pênalti que não marcou no final do jogo e pela expulsão de Araújo por reclamação.

Quem também teve problemas com a torcida local foi Parreira. O treinador, poupado pelos torcedores do Santos que foram ao Couto Pereira, deixou o gramado sendo chamado de “”burro”.

Apesar de reconhecer que as chances de o Santos se classificar ficaram muito pequenas, Parreira não cogita sair antes do final da Copa JH. Ele assinou contrato por dois meses, até dezembro, e na semana passada levou o time para um “retiro” em Jarinu (interior de SP).

Até agora, o Santos perdeu os dois jogos sob seu comando.

Para Parreira, falta tranquilidade

Para o técnico Carlos Alberto Parreira, faltou tranquilidade para o time sair com uma vitória de Curitiba.

“Tem que entrar em campo, correr e marcar os gols que estamos perdendo. Estamos numa situação desconfortável, mas temos de suportar a pressão. Nossas chances são matemáticas, mas vamos atrás delas”, disse o técnico, que ainda não conseguiu vencer no comando do Santos.

“Não sei direito o que acontece conosco. Fomos melhores, acertamos duas bolas na trave. Mas o momento não é bom. Estamos praticamente eliminados”, lamentou o atacante Dodô, que perdeu duas grandes chances de gol durante a partida.

O zagueiro Claudiomiro também se mostrava inconformado com o resultado. “Houve uma desatenção, e acabamos perdendo”, reclamou o atleta santista.