Santos 1 x 1 Vasco

Data: 14/10/2000, sábado, 15h45.
Competição: Copa João Havelange (Campeonato Brasileiro) – Módulo Azul – 1ª fase – 17ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 16.872 pagantes
Renda: R$ 176.100,00
Árbitro: Wilson de Souza Mendonça (PE).
Cartões amarelos: Júlio César e Rubens Cardoso (S); Paulo Miranda e Júnior Baiano (V).
Gols: Juninho Paulista (42-1) e Robert (47-2).

SANTOS
Carlos Germano; Preto, André Luis, Sangaletti e Léo (Rubens Cardoso); Anderson Luiz (Júlio Cesar), Rincón, Valdo e Robert; Edmundo e Dodô (Canindé).
Técnico: Giba

VASCO
Fabio; Clebson, Odvan, Junior Baiano e Jorginho; Henrique, Paulo Miranda, Juninho Pernambucano (Alex Oliveira) e Juninho Paulista (Pedrinho); Euller (Zezinho) e Romário.
Técnico: Oswaldo de Oliveira



Edmundo erra, e Santos fica no empate

Atacante do Santos desperdiça dois pênaltis, e o time de Giba só empata em 1 a 1 com o Vasco de Romário na Vila

O Santos de Edmundo empatou com o Vasco de Romário ontem na Vila Belmiro em 1 a 1 em um dos jogos mais esperados da Copa João Havelange devido à rivalidade entre os dois atacantes.

O duelo entre os polêmicos desafetos praticamente não aconteceu. O jogo foi bastante truncado, disputado quase que apenas no meio-campo. Ambos não marcaram. Pior para Edmundo, que errou duas cobranças de pênalti.

Com o resultado, o Santos continua em crise – a posição do técnico Giba segue ameaçada no clube. Já o Vasco de Oswaldo de Oliveira chegou a 27 pontos e se mantém na briga pela liderança.

Nos minutos iniciais, o Santos e, especialmente, Edmundo mostraram mais vontade. O atacante arriscou jogadas individuais e deu trabalho à defesa vascaína.

Romário, em seu estilo, pouco apareceu. Na sua primeira chance, aos 12min, ele recebeu na área e tocou de cabeça com perigo, mas o lance já havia sido invalidado devido a um impedimento.

Com o Vasco bem fechado na defesa, o Santos tentou jogadas pelas laterais, principalmente com Robert na esquerda. Os erros nos cruzamentos, porém, dificultaram as ações de ataque.

A melhor chance santista na primeira etapa veio aos 16min, quando Léo pegou um rebote e chutou forte. A bola desviou na zaga e saiu pela linha de fundo.

O jogo seguiu em ritmo lento até os 30min. A partir daí, os meias vascaínos passaram a trocar passes com mais rapidez e envolveram a defesa santista.

Aos 33min, Romário teve sua melhor oportunidade. O atacante recebeu na área, driblou dois zagueiros, mas chutou mascado.

O gol vascaíno saiu dez minutos depois, quando Paulo Miranda fez boa jogada pela esquerda e cruzou forte. Euller recebeu sozinho e escorou a bola para Juninho, com o gol vazio, só rolar.

No segundo tempo, Júlio César entrou no lugar de Anderson, e o Santos ficou mais ofensivo.

Já no minuto inicial, os santistas pressionavam os vascaínos. Após cruzamento da direita, Clebson desviou a bola com o braço, mas o juiz Wilson de Souza Mendonça não marcou pênalti, revoltando os santistas.

Nove minutos depois, Dodô invadiu área, perdeu uma disputa de bola em choque com rival e caiu na área. Mendonça marcou pênalti, revoltando os vascaínos.

Edmundo teve a chance de empatar a partida e de se destacar no duelo com Romário, mas decepcionou duas vezes.

Na primeira, bateu o pênalti nas mãos do goleiro Fábio. O juiz mandou voltar o lance, alegando que o goleiro havia se adiantado. Na segunda tentativa, Edmundo acertou a trave.

Após o lance, o Santos se descontrolou e pouco criou. Giba tirou Dodô e pôs Canindé. O técnico e o atacante foram vaiados.

Aos 46min, o Santos arrancou o empate. Após chute de Edmundo e rebote do goleiro, Robert, desequilibrado, tocou para marcar.

Santista pede desculpas à torcida por erro

“Peço desculpas à torcida. O resultado só não foi melhor por culpa minha. Pelo menos hoje jogamos melhor que nos outros jogos”, disse o atacante Edmundo.

O atacante desperdiçou dois pênaltis consecutivos.

“Bati mal o primeiro pênalti. Tentei caprichar no segundo e caprichei demais. Só posso dizer que o time tem de ter tranquilidade para reverter a posição”, lamentou Edmundo, que marcou dez gols no campeonato, sendo quatro em cobranças de pênalti.

Ainda não foi dessa vez que o atacante marcou um gol no seu ex-clube.

Após a partida, cerca de 30 torcedores invadiram o vestiário do Santos para pedir a saída do técnico Giba. O pelotão de choque da Polícia Militar teve de intervir. Não foi a primeira vez que esse tipo de incidente acontece na Vila Belmiro, apesar dos vários seguranças do time.

Antes da partida, o presidente do clube, Marcelo Teixeira, havia afirmado que Giba seria mantido no cargo com qualquer resultado.

O Santos não vence faz quatro partidas. O próximo jogo da equipe santista será no dia 21, contra o Goiás, em Goiânia.

O lateral-esquerdo Léo sofreu entorse no joelho esquerdo ontem e é dúvida para a próxima partida.