Técnico sai do Santos após derrota de anteontem para a Lusa

O Santos dispensou ontem, por telefone, às 14h30, o técnico Carlos Alberto Silva.

A decisão foi tomada numa reunião, que terminou no início da tarde, entre o presidente do clube, Marcelo Teixeira, e os dirigentes do time Nicolino Bozella, Zito e Paulo Ferreira.

Segundo a assessoria de imprensa do Santos, Teixeira afirmou que a demissão de Silva não foi motivada apenas pela derrota sofrida no sábado, por 2 a 0, para a Portuguesa, pela terceira fase do Campeonato Paulista.

“Nós investimos muito no time e tivemos uma série de resultados ruins. A situação ficou insustentável”, disse Teixeira, que vinha defendendo a permanência do treinador apesar dos resultados ruins da equipe.

Mesmo com o reforço de dez jogadores contratados para esta temporada, que totalizaram um investimento de cerca de R$ 20 milhões, o Santos vinha fazendo uma campanha irregular no Campeonato Paulista.

Silva, que estava em Belo Horizonte (MG) quando recebeu a notícia da demissão, disse estar conformado.

“Eu já esperava. É sempre o técnico quem paga o pato”, disse.

Anteontem, após a derrota para a Lusa, Silva negou que estivesse preocupado com uma possível demissão do Santos.

“Estou tranquilo. Tenho contrato até o dia 4 de janeiro”, afirmou o treinador.

Ele assumiu a culpa pelo resultado negativo contra a Lusa no Canindé. “Quem tem a responsabilidade de uma derrota é o treinador, porque é ele quem dirige o time”, disse.

Para o técnico, as ofensas de que vinha sendo alvo não o atingiam, mas perturbavam os jogadores da equipe.

“Não me preocupo com o que a torcida fala, mas com os jogadores, que estão sentindo. Germano (goleiro do Santos) me disse que fica triste com os xingamentos”, afirmou.

A torcida e os dirigentes do clube estavam pedindo a demissão de Silva desde o término do Torneio Rio-São Paulo, quando o time santista teve a segunda pior campanha.

Nas últimas partidas, Silva vinha sendo hostilizado pelos torcedores santistas pelas más atuações da equipe, mesmo nas ocasiões em que o time conseguia a vitória. No jogo contra a Lusa, o treinador foi novamente chamado de burro pela torcida.

A principal insatisfação ficou por conta da goleada, por 5 a 1, que levou do Corinthians, na segunda fase do Campeonato Paulista, em março.
A chegada do ex-treinador em Santos (litoral de São Paulo) está prevista para amanhã.

Hoje, Silva deve receber em Porto Alegre o prêmio de melhor treinador do ano de 99, conferido por uma empresa gaúcha de comunicações.

O contrato de Silva, assinado com o clube em dezembro do ano passado, relacionava a sua permanência no cargo a bons resultados, conforme informações dadas pela assessoria de imprensa do Santos.

O substituto ainda não foi definido. O técnico da equipe de juniores do Santos, Antonio Gilberto Maniaes, 38, o Giba, assumirá o cargo interinamente.

Giba foi lateral-direito do Corinthians no início da década de 90 e venceu a Copa São Paulo de juniores, em 97, como treinador do Paulista de Jundiaí.

Os técnicos mais cotados para preencher a vaga são Oswaldo Alvarez, treinador do Atlético-PR; Dario Pereyra, que já dirigiu diversos dos atuais jogadores do time; Muricy Ramalho, técnico da Portuguesa Santista; e Carlos Alberto Parreira, ex-treinador do Fluminense, do Rio.

Na quarta-feira, o Santos enfrenta o São Paulo, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Paulista. O clube santista precisa de uma vitória para manter as chances de classificação para as semifinais da competição.

Apenas as duas primeiras equipes do grupo se classificam e o Santos, com os resultados da última rodada, está na terceira posição, atrás de São Paulo e Lusa. Em duas partidas por esta fase, o Santos venceu uma e perdeu outra.

Frases:

“Nós investimos muito no time e tivemos uma série de resultados ruins. Ficou insustentável.”
Marcelo Teixeira, presidente do Santos.

“Eu já esperava. É sempre o técnico quem paga o pato.”
Carlos Alberto Silva, ex-treinador santista.



Robert diz que partida contra o São Paulo é decisiva

O meia Robert, que entrou no lugar de Caio e teve atuação elogiada pelo ex-técnico Carlos Alberto Silva, acredita que a partida de quarta-feira, contra o São Paulo, será decisiva para o Santos no Campeonato Paulista.

“A derrota para a Lusa é um sinal de alerta. Perdemos para os nossos próprios erros e temos que definir a nossa vida no jogo contra o São Paulo”, disse.

Robert confia que o Santos “vai dar a volta por cima” e se classificar para as semifinais.

Com a vitória do São Paulo por 3 a 1 sobre o Guarani, ontem em Campinas, o Santos ocupa a terceira colocação no Grupo 7, com três pontos. São Paulo e Lusa têm quatro pontos e o Guarani, nenhum.

Para essa partida, o novo treinador não poderá contar com o volante Baiano, que recebeu o segundo cartão amarelo, nem com o zagueiro Galván, expulso no jogo contra a Lusa.

O atacante Julio Cesar e o meia Piá, novos reforços do Santos, se apresentaram ontem, foram submetidos a exames médicos e já treinaram. Ambos assinaram contratos por dois anos.