Decisão de afastar Márcio Santos provocou racha entre o técnico Giba e os jogadores do time, que enfrenta o Inter. Dispensa faz Santos jogar hoje sob tensão.



A decisão de afastar o zagueiro Márcio Santos colocou o técnico Giba numa situação delicada perante o grupo de jogadores do Santos, que enfrenta hoje o Inter, em Porto Alegre (RS), às 15h45, pela Copa João Havelange.

O volante e capitão Rincón disse ontem que os atletas pretendiam pedir ao treinador a reintegração do zagueiro, mas Giba afirmou que não voltará atrás.

“Os dois (Giba e Márcio Santos) falaram pelos jornais, e não concordo com isso. Mas se o “outro” empregou o poder para afastá-lo, o Márcio está no direito de fazer o que bem entender”, disse Rincón.

O próprio Giba reconhece que a medida desagradou aos atletas. “Em um primeiro instante, é natural que os jogadores sintam, porque eles são amigos. Mas existem decisões que devem ser tomadas para que a instituição Santos não passe a ser refém de atletas”, declarou.

Márcio Santos foi dispensado pelo técnico porque exigiu publicamente ser titular. Diante da recusa do treinador, o problema ficou nas mãos da diretoria, que não tem dinheiro para pagar os R$ 3 milhões de multa rescisória, para que o zagueiro deixe o clube.

Os dirigentes se reuniram na quinta-feira com Márcio Santos, mas não houve solução para o impasse. Um novo encontro está marcado para a segunda-feira.

Na quarta-feira passada, os jogadores santistas pediram o cancelamento do treino da tarde -e foram atendidos- para organizar um churrasco de confraternização no Guarujá (SP). Os integrantes da comissão técnica não foram convidados. Márcio Santos compareceu.

Indagado pela Agência Folha se Giba tinha unanimidade entre os jogadores, Rincón procurou se esquivar da questão. “Você está perguntando para mim? Essas são coisas que se acomodam na cozinha de casa”, disse.

O atacante Edmundo também evitou abordar o assunto diretamente, mas disse torcer pela volta do zagueiro. “O Márcio está com a gente o tempo todo, é bom para o grupo, mas não sei o que aconteceu antes da minha chegada. Acredito que a diretoria vá repensar o caso e trazê-lo de volta”.

Márcio Santos afirmou que Giba não possui qualificação para dirigir uma equipe formada por jogadores experientes -por isso, segundo o zagueiro, o técnico privilegia os atletas jovens. “É porque ele não conhece meu currículo”, respondeu o treinador.

Desde que Giba assumiu o cargo, Márcio Santos não foi escalado como titular. Na zaga, o treinador promoveu os ex-juniores André Luís e Preto e pediu a contratação de Sangaletti, do Sport.

“É natural que não se possa satisfazer a todos, mas o último caminho de um atleta, quando se sente prejudicado, é procurar a imprensa”, disse Giba.

O meia Robert, suspenso, será desfalque na partida de hoje.