Carlos Alberto Silva, 60 anos, foi apresentado ontem como novo treinador do Santos. Ele assinou contrato com o clube por um ano, após deixar o Guarani anteontem.

Silva substitui Paulo Autuori, que pediu demissão no mês passado e foi para o Cruzeiro.

A apresentação do técnico aconteceu na chancelaria da Universidade Santa Cecília, de propriedade da família de Marcelo Teixeira, virtual presidente do clube no biênio 2000-2001.

A cerimônia não ocorreu na Vila Belmiro porque quem decidiu a contratação do técnico foi o próprio Teixeira, vencedor da eleição do último domingo pela chapa de oposição, mas que ainda não é o presidente. Oficialmente, ele será eleito pelo Conselho Deliberativo somente em 14 de janeiro.

Nenhum dos integrantes da atual diretoria compareceu à cerimônia. O presidente Samir Abdul-Hak estava viajando de navio, em um cruzeiro promovido pela Federação Paulista de Futebol.

A prioridade do grupo que assume o comando do Santos é a conquista do título paulista de 2000. O time não consegue se sagrar campeão de uma competição de importância desde 1984.

“Ele (Carlos Alberto Silva) tem uma missão muito importante: resgatar as vitórias para que o Santos conquiste títulos”, disse Teixeira.

Segundo o treinador, todo o esforço do primeiro semestre estará orientado para a equipe profissional. Somente a partir de julho, ele começará um trabalho de integração com o Departamento Amador, para facilitar a observação dos jovens atletas.

“A única coisa que me preocupa de imediato no Santos é fazer desse time um time campeão”, afirmou Carlos Alberto Silva, que no dia 27 iniciará o trabalho no único dos chamados “grandes” paulistas que ainda não havia dirigido.

O treinador programou uma pré-temporada entre 3 e 18 de janeiro em um hotel-fazenda na região de Jaguariúna. Dos jogadores do grupo atual, ele pretende levar 15. Quatro emprestados serão reintegrados, e outros dois retornarão para serem observados.

Definido o novo técnico, Marcelo Teixeira diz ter agora como meta a formação da equipe.

“Será uma briga contra o relógio para montar o time. Neste momento, o Santos não tem uma equipe-base”, declarou Silva.

Teixeira afirmou que a contratação de reforços não dependerá da concretização de uma parceria, mas também não explicou de onde pretende tirar dinheiro para investir em reforços.

“Pelo que eu sei, o presidente (Samir Abdul-Hak) vai deixar valores em caixa”, declarou.

Com as negociações dos passes de Alessandro, Marcos Assunção e Argel, o clube arrecadou neste ano US$ 12,5 milhões.

Parte desse dinheiro foi comprometido com a compra do passe do atacante Dodô (US$ 5,5 milhões) e com o empréstimo de Paulo Rink (US$ 500 mil).

Na manhã de ontem, três representantes do consórcio formado pelas empresas Octagon-Koch Tavares e CIE, do México, estiveram em Santos reunidos com Marcelo Teixeira. Essa foi a única proposta de parceria que o Santos recebeu até agora.

Clube prepara lista com 12 reforços

O virtual presidente do Santos, Marcelo Teixeira, elaborou uma lista com 12 jogadores para contratar para a próxima temporada.

O técnico Carlos Alberto Silva disse ter acrescentado dois jogadores ao rol de possíveis reforços, embora concorde com os nomes relacionados.

Da lista, constam os goleiros Velloso (Atlético-MG) e Carlos Germano (Vasco). A contratação de um goleiro representaria o fim do ciclo de Zetti, cujo contrato se encerra no próximo dia 31.

Também estão incluídos na lista o lateral Cafu (Roma), o volante Flávio Conceição (La Coruña), os meias Valdo (Cruzeiro) e Ramón (Vasco) e os atacantes Edmundo (Vasco) e Valdir (Botafogo).

É possível o retorno à Vila Belmiro do atacante Viola, hoje no Vasco, e do zagueiro Argel, que defende o Porto (POR).