Santos 1 x 1 Cruzeiro

Data: 02/09/2000, sábado, 15h45.
Competição: Copa João Havelange (Campeonato Brasileiro) – Módulo Azul – 1ª fase – 10ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 2.382 pagantes
Renda: R$ 21.265,00
Árbitro: Antonio Pereira da Silva (GO).
Cartões amarelos: Rincón e Renato (S); Alonso, Cris e Jackson (C).
Gols: Jackson (43-1) e Edmundo (29-2).

SANTOS
Pitarelli; Michel (Júlio Cesar), Sangaletti, Claudiomiro e Léo; Rincón, Renato, Valdo (Caio) e Robert; Edmundo e Dodô.
Técnico: Giba

CRUZEIRO
Jeferson; Rodrigo, Cris, Cléber e Alonso; Cleber Monteiro, Donizete Oliveira, Wendell e Jackson; Oséas e Fábio Júnior (Alê).
Técnico: Luis Felipe Scolari



Gol de Edmundo salva Santos de derrota

Cruzeiro, mesmo tendo sete desfalques, conseguiu se manter na frente do placar até os 29min do segundo tempo

Um gol de Edmundo no segundo tempo evitou a derrota do Santos para o Cruzeiro, na Vila Belmiro, pela Copa João Havelange. A partida terminou empatada em 1 a 1.

A equipe santista não conseguiu converter em gols a superioridade demonstrada no primeiro tempo, em que exerceu pressão constante sobre o rival. O Cruzeiro saiu na frente na única chance que teve.

Embalado pela vitória de 3 a 0 sobre o Corinthians, na última quarta-feira, o Santos havia imposto o resultado positivo como o seu único objetivo para conseguir a regularidade que acabaria com as frequentes ameaças de crise.

Com exceção do goleiro Carlos Germano, machucado, o técnico Giba repetiu a mesma escalação que usou contra o Corinthians, colocando Valdo ao lado de Rincón no meio-campo. A tática voltou a funcionar, levando o Santos a envolver o adversário, que ficava acuado em seu campo de defesa.

Com cinco jogadores defendendo suas seleções -o volante Ricardinho foi chamado para o jogo contra a Bolívia, o atacante Geovanni e o volante Marcos Paulo acompanham o time olímpico, na Austrália, o lateral Sorín foi convocado pela Argentina e o volante Viveiros, pela Colômbia-, o Cruzeiro tinha dificuldades até para sair em contra-ataque. A equipe mineira jogou ainda desfalcada do goleiro André, machucado, e do volante Sérgio Manoel, que teve de resolver problemas particulares no Rio.

Edmundo protagonizou a primeira chance de gol do jogo, logo no minuto inicial, cobrando falta. Jeferson, que defendeu no susto, mandou a bola para escanteio.

A melhor oportunidade, no entanto, viria aos 5min. Edmundo entrou livre na área, mas, antes de finalizar, a bola escapou de seus pés. Na saída do gol, Jeferson acabou caindo. A bola sobrou para Dodô, que desperdiçou a chance.

O Santos levava perigo constante ao gol do rival, mas a zaga cruzeirense conseguia interceptar quase todas as tabelas na área. Quando não, o goleiro estava bem posicionado para a defesa.

Aos 26min, Robert conseguiu furar o bloqueio, cruzando a bola na frente do gol de Jeferson. Edmundo, que entrava rápido pelo meio, por pouco não completou.

O gol do Cruzeiro saiu aos 43min, após uma cobrança de escanteio. A bola, rebatida, sobrou para Jackson no meio da área.

Abalado com o resultado, ao retornar para o segundo tempo o Santos ainda teve de enfrentar a perda de Valdo, que havia levado uma pancada. No intervalo, foi constatado um corte em seu pé.

A violência predominou na segunda etapa -marcada principalmente pelas cotoveladas de Rincón, ignoradas pelo juiz goiano Antônio Pereira da Silva.

O Santos conseguiu chegar ao empate em sua primeira boa jogada nessa etapa, aos 29min. Caio penetrou no ataque tabelando com Dodô, que deixou Edmundo livre na frente do gol para marcar.

“Falta de título atrapalha”, diz Edmundo

O atacante Edmundo, que marcou seu sétimo gol na Copa JH, foi um dos poucos jogadores santistas a deixar o campo sem ser vaiado.

Para o artilheiro, a ausência de títulos faz com que a torcida fique impaciente e exija mais do time.

“A falta de título atrapalha. Se o incentivo não vem de fora para dentro de campo, tem de ser de dentro para fora. Vamos trazer o torcedor para o nosso lado”, disse.

Edmundo também criticou o esquema de jogo do Cruzeiro. “O empate dentro de casa nunca é bom, mas é curioso como na Vila Belmiro todos os adversários jogam na retranca.”

Antes do início do jogo, houve um confronto entre torcedores dos dois times. A polícia interveio e retirou os cruzeirenses do estádio para revista. Dentro de um dos ônibus, a polícia encontrou uma arma e uma bomba de fabricação caseira.

Germano fica mais uma semana fora

O goleiro Carlos Germano deve ficar pelo menos mais uma semana fora dos gramados. Um exame de ressonância magnética realizado ontem pela manhã constatou uma fibrose no ligamento do joelho esquerdo do goleiro.

Fora da delegação que viajou ontem à noite para a Espanha, onde o Santos fará um amistoso com o Real Madrid, Germano passará a semana realizando trabalho de fisioterapia e reforço muscular. Segundo o médico Joger Merouço, não há risco de cirurgia.

Sem Germano, o Santos terá uma maratona nesta semana. Amanhã, o treina às 9h e às 16h, em Madrid. Na terça, pega o Real Madrid às 15h45 (de Brasília). O time viaja na quarta e deve chegar no Brasil às 4h30 do feriado. Na sexta, o time treina em Santos e embarca para Recife, onde joga, no sábado, contra o Santa Cruz.