Juventude 1 x 1 Santos

Data: 23/08/2000, quarta-feira.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Alfredo Jaconi , em Caxias do Sul, RS.
Público: 3.618 Pagantes
Renda: R$ 21.158,00
Árbitro: Léo Feldman
Cartão vermelho: Rincón (S) e Marcelinho (J) ambos aos 06-2.
Gols: Michel (02-1) e Júlio César (41-2).

JUVENTUDE
Julio Cesar; Maxsandro, Marcos Aurélio, Paulo Cesar e Marcelinho; Edmílson, Luiz Fernando, Michel (Vandick) e Aderaldo; Alex e Luciano Fonseca (Sidnei).
Técnico: Roberto Davino

SANTOS
Pitarelli; Michel (Júlio Cesar), André Luis, Claudiomiro e Rubens Cardoso (Valdo); Anderson Luis (Caio), Rincón, Renato e Robert; Edmundo e Dodô.
Técnico: Giba



Santos chega a empate no fim e revolta Edmundo

Atacante diz que equipe está ressuscitando “times mortos” na Copa JH

Jogando mal, o Santos ainda conseguiu empatar em cima da hora com o Juventude, ontem, jogando em Caxias do Sul (RS).

Mesmo com o time arrancando o 1 a 1 aos 42min do segundo tempo, o santista Edmundo não diminuiu suas críticas ao time.

“É brincadeira. Nosso time não quer jogar futebol. A gente pega tudo quanto é time morto e ressuscita”, disse o atacante, que também deve atuação apagada -perdeu todos os lances diante de seus marcadores.

Após chegar “”manso”, o jogador começa a tirar as mangas de fora. Depois de perder para o Atlético-MG, no último sábado, já havia apontado falhas na zaga. Ontem, ele gritou com vários companheiros durante o jogo, principalmente com o lateral-esquerdo Rubens Cardoso. Razões não faltaram para as reclamações, afinal, a equipe santista mostrava uma defesa muito aberta, um meio-campo que não criava ou destruía e um ataque que não conseguia entrar na área adversária.

Por seu lado, o Juventude, fraco tecnicamente, foi superior ao time visitante, principalmente explorando as falhas do lado esquerdo da defesa contrária.

Os times só chegaram a seus gols no segundo tempo, que foi bem mais movimentado que a primeira metade, quando quem brilhou foi o goleiro santista. Pitarelli protagonizou um lance raríssimo aos 13min: salvou o que seria um gol rival defendendo de bicicleta próximo à linha.

A jogada começou com um cruzamento da esquerda. Michel dominou a bola, driblou a zaga, mas Pitarelli espalmou o chute. Nesse instante, a bola bateu na zaga e ia em direção ao gol, quando o goleiro fez a defesa acrobática. Passados três minutos, ele interceptou uma nova finalização à queima-roupa de Michel.

Depois desses dois lances, o Santos recuou para acertar sua marcação. O Juventude, a partir desse momento, se contentou com chuveirinhos na área e chutes de longa distância.

Já o Santos dependia de lances individuais, como um de Dodô, aos 17min -driblou três defensores, mas chutou para fora.

No segundo tempo, teve duas jogadas decisivas logo nos primeiros minutos.

Aos 3min, o Juventude marcou seu gol. Após cruzamento da esquerda (área de responsabilidade do lateral Rubens Cardoso), Michel dominou e chutou no canto esquerdo de Pitarelli.

Aos 6min, o santista Rincón se desentendeu com o gaúcho Marcelinho -ambos foram expulsos.

O Santos só empatou no final, com um chute de fora da área de Júlio César, que acabara de entrar no lugar de Michel.