Ferroviária 2 x 2 Santos

Data: 10/02/2018, sábado, 16h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 6ª rodada
Local: Estádio da Fonte Luminosa, em Araraquara, SP.
Público: 3.861 pagantes
Renda: R$ 165.160,00
Árbitro: Marcelo Ribeiro Aparecido de Souza
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa.
Cartões amarelos: Hygor, Welinton Junior, Moacir e Marco (F); Daniel Guedes, Gabigol, Jean Mota e Rodrygo (S).
Gols: Eduardo Sasha (28-1), Léo Castro (18-2), Gabriel (20-2) e Luan (31-2).

FERROVIÁRIA
Tadeu, Alisson, Patrick, Luan e Daniel Vançan (Marco); Bruno Silva, Velicka e Moacir; Hygor, Misael (Welinton Junior) e Eliandro (Léo Castro).
Técnico: PC de Oliveira

SANTOS
Vanderlei, Daniel Guedes, Gustavo Henrique, David Braz e Caju; Renato, Vecchio (Léo Cittadini) e Jean Mota; Arthur Gomes (Rodrygo), Eduardo Sasha e Gabigol (Yuri Alberto).
Técnico: Jair Ventura



Gabigol marca, mas Santos só empata com a Ferroviária

Com gol de Gabigol na reestreia, o Santos empatou com a Ferroviária em 2 a 2 na tarde deste sábado de Carnaval, em Araraquara. Eduardo Sasha também marcou. Léo Castro e Luan fizeram para os donos da casa.

O Peixe esteve duas vezes à frente do placar, no primeiro e no segundo tempo, mas cedeu o empate. O lateral-direito Daniel Guedes, com duas assistências, se destacou. O goleiro Vanderlei defendeu um pênalti na etapa inicial.

Nos minutos finais, o alvinegro buscou a vitória, mas não criou grandes chances. A defesa, em compensação, mostrou insegurança e cedeu muitos espaços. O lateral-esquerdo Caju, além do pênalti cometido, errou nos dois gols da Ferroviária e foi o pior entre os santistas.

O jogo:

Os primeiros minutos da partida foram mornos. O Santos deixou claro desde o começo que ficaria com a posse de bola e tentaria controlar o jogo. Postada na defesa, a Ferroviária buscaria o contra-ataque.

A primeira chance do Peixe veio aos nove minutos, em cabeceio de Eduardo Sasha após cruzamento de Arthur Gomes. O goleiro Tadeu desviou para escanteio.

O alvinegro pressionava a Ferroviária com cruzamentos e passes longos de Renato e Jean Mota. Aos 24 minutos, Vecchio assustou em chute de fora da área para nova boa defesa de Tadeu.

Quando o placar marcava 28, o Santos fez a pressão surtir efeito. Cruzamento perfeito de Daniel Guedes para Eduardo Sasha cabecear no contrapé de Tadeu. 1 a 0 em Araraquara.

O Santos dominava o jogo e estava mais perto do segundo gol do que sofrer o empate. Aos 35 minutos, Gabigol recebeu grande passe de Sasha e chutou cruzado, mas fraco, para Tadeu espalmar.

Segundos depois, veio o susto. Caju fez pênalti bobo ao chutar o pé de Alisson. Velicka cobrou no canto esquerdo para grande defesa do goleiro Vanderlei.

Nos minutos finais, o Santos administrou o resultado no forte calor do interior de São Paulo e foi para o vestiário com a vantagem mínima.

A Ferroviária voltou para a segunda etapa com novo jeito de jogar. Com a desvantagem, os donos da casa foram para cima do Santos e quase empataram com Hygor, que recebeu na pequena área e chutou para grande defesa de Vanderlei. Na sequência, Hygor teve nova chance e cabeceou por cima do gol.

O Peixe só respondeu aos oito minutos. Daniel Guedes cruzou fechado e Tadeu espalmou a bola que ia direto para o gol. No rebote, Jean Mota chutou fraco, sem trabalho para o goleiro. Segundos depois, Vanderlei apareceu de novo. David Braz perdeu a bola para Moacir. O meia avançou e o goleiro saiu bem nos seus pés.

Aos 18 minutos, o Santos, com a vantagem no placar, sofreu o empate no contra-ataque. Jean Mota reclamou de falta não assinalada pela arbitragem. Na sequência, a Ferroviária disparou com Welinton Junior, que cruzou para Léo Castro marcar.

O Peixe não sentiu o empate e rapidamente voltou à frente. Daniel Guedes arrancou e deu mais uma assistência, dessa vez para Gabigol marcar na reestreia. O camisa 10 limpou o marcador e finalizou com categoria. Bola para um lado, goleiro do outro. E aos 23, Gabriel teve nova chance, mas parou em Tadeu.

E quem não faz… toma. Aos 31 minutos, o zagueiro Luan aproveitou bate-rebate e acertou um lindo chute no ângulo de Vanderlei para empatar novamente.

Com o empate, o Santos se lançou ao ataque nos minutos finais. Eduardo Sasha, bem no jogo, chutou cruzado para nova defesa de Tadeu. Segundos depois, Gabigol foi substituído. Ele aguentou 80 minutos na reestreia.

Nos minutos finais, o Peixe se expôs em busca da vitória, mas não criou grandes chances. Léo Cittadini e David Braz cabecearam por cima do gol. A Ferroviária se contentou com o empate.

Bastidores – Santos TV:

Jair lamenta irregularidade e vê 1º tempo de ‘almanaque’ no Santos

Jair Ventura ficou muito satisfeito com o primeiro tempo do Santos, mas lamentou os 45 minutos finais no empate em 2 a 2 com a Ferroviária neste sábado, em Araraquara. O técnico acredita que a tapa inicial foi de “almanaque”.

“Fizemos um primeiro tempo muito bom, de encantar, aqueles de almanaque. E pelo número de situações, queríamos mais. Criamos muito e sofremos dois gols em bate-rebate. Temos que buscar equilíbrio. Santos vinha tomando gol no começo dos jogos, não sofremos, jogamos bem, mas não fomos regulares. Resultado não foi bom, lógico, mas vamos lá. Conseguimos ver luz no fim do túnel. No momento mais decisivo, Santos estará forte”, disse Jair, em entrevista coletiva.

O treinador acredita que a formação ofensiva, sem um volante de contenção, pode ter atrapalhado o Peixe na busca por dois tempos de alto nível.

“Perdemos o Alison, homem de marcação, e optamos por recuar o Renato. Jogamos praticamente sem homem de marcação, três meias, e não sofremos no primeiro tempo. No segundo, sim, Ferroviária veio mais forte. Tivemos diversas oportunidades e no bate-rebate, bola duvidosa lá na frente, e o gol… Depois, em uma falta, uma bobeira nossa, outro gol em bate-rebate. Teve pênalti que eles perderam e nós perdemos diversos gols. Não está tudo bom. Precisamos jogar bem e vencer”, completou o treinador.

Jair pede tempo para Gabigol após reestreia: “Fará os gols que não fez”

Gabigol marcou na reestreia pelo Santos em empate por 2 a 2 com a Ferroviária neste sábado, em Araraquara, mas desperdiçou algumas boas oportunidades na frente do goleiro Tadeu. O técnico Jair Ventura acredita que com tempo e ritmo de jogo, a situação mudará.

“Gabriel jogou em dezembro pela última vez, em 17 minutos (pelo Benfica) E hoje estava muito calor, é difícil, não teve pré-temporada. Mesmo assim, fez gol e criou outras oportunidades. Sabemos que os jogadores que não fizeram pré-temporada estão um pouco atrás. Gabriel foi importante e continuará sendo. Ele se cobra bastante e com ritmo, ele fará os gols que não fez hoje”, projeta Jair.

Gabriel atuou como centroavante, função que desempenhava na base e que lhe rendeu o apelido. No profissional, ele se firmou como atacante pelos lados do campo e só atuou como um 9 com o técnico Oswaldo de Oliveira, em alguns jogos de 2014.

Gabigol seguirá como titular do Santos na partida contra o São Caetano, quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), na Vila Belmiro, pela sétima rodada do Campeonato Paulista.

O camisa 10 foi contratado pelo Peixe por empréstimo junto a Internazionale-ITA até o dia 31 de dezembro. Na negociação, não foi estipulado um valor de compra fixado.

Sasha admite relaxamento do Santos em empate: “Não voltamos tão ligados”

O Santos empatou em 2 a 2 com a Ferroviária neste sábado, em Araraquara. Com um primeiro tempo bom, o Peixe foi para o intervalo com 1 a 0, com gol de Eduardo Sasha. Na segunda etapa, o Peixe relaxou, sofreu o empate, conseguiu ficar à frente do placar, mas sofreu mais um gol na metade final.

“Começamos bem o jogo, coisa que não vinha acontecendo, mas não voltamos tão ligados para o segundo tempo. Deixamos escapar um resultado que era nosso, mas vamos recuperar esses pontos perdidos”, disse Sasha.

O atacante santista reclamou da arbitragem. Na origem do primeiro gol do Ituano, Jean Mota caiu e pediu falta, não assinalada. No contra-ataque, a Ferroviária marcou.

“No primeiro gol deles, não tinha motivo para o Jean Mota se atirar, ele ficaria de frente para o goleiro. No contra-ataque, sofremos o gol…”, alertou.

Em dois jogos no Santos, Guedes supera número de assistências de 2017

Em dois jogos no Campeonato Paulista, Daniel Guedes fez três assistências, mais do que as duas realizadas em 18 partidas pelo Santos em 2017. As boas atuações pressionam o técnico Jair Ventura pela titularidade.

Até então titular, Victor Ferraz se recupera de luxação no ombro direito e não tem previsão de retorno. Enquanto isso, Guedes, além dos passes para gol, teve atuações defensivas seguras diante de Palmeiras e Ferroviária.

Para não dizer que Daniel Guedes merece o 10, é preciso que o lateral tenha mais atenção nas faltas cometidas. Ele recebeu um cartão amarelo diante da Ferroviária e após infração dele na linha de fundo, os donos de casa chegaram ao gol de empate com Luan.

Revelado nas categorias de base do Peixe, Guedes nunca teve status de titular. Em entrevista coletiva na última sexta-feira, Jair Ventura disse que ter dois bons laterais-direitos melhora o rendimento da equipe e não garantiu Victor Ferraz como titular em seu retorno.

Cabeceador, Eduardo Sasha tem bom início de 2018 pelo Santos

Enquanto Gabigol reuniu todos os holofotes na Vila Belmiro, Eduardo Sasha foi uma contratação sem grife no Santos. O atacante, sem espaço no Internacional, chegou por empréstimo como aposta do técnico Jair Ventura. E tem dado certo.

Com dois gols em quatro jogos, Sasha já se tornou titular do Peixe. Centroavante diante do Palmeiras, o atleta mostrou polivalência e foi ponta-esquerda contra a Ferroviária.

E com 1,73 m de altura, Eduardo Sasha mostra a qualidade em um fundamento que não era esperado: o cabeceio. Os dois gols marcados foram pelo alto. E ele quase fez outros dois dessa forma contra Ituano e Palmeiras.

Sasha deve ser mantido como titular na partida contra o São Caetano, quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), na Vila Belmiro, pela sétima rodada do Campeonato Paulista. Com Gabigol escalado como centroavante por Jair, o ex-Colorado vai seguir pelos lados do campo.

Eduardo Sasha tem contrato de empréstimo até o dia 31 de dezembro. O Santos fixou um valor de compra, mas o número pedido pelo Internacional não foi divulgado.