Santos 2 x 0 Juventus

Data: 11/05/1995, quinta feira, 20h30.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 3.663 pagantes
Renda: R$ 21.326,00
Árbitro: Cláudio Cerdeira
Cartões amarelos: Marcos Paulo (S); Nenê e Luizão (J).
Gols: Jamelli (21-1) e Marcelo Passos (41-1, de pênalti).

SANTOS
Edinho; Silva (Ronaldo), Marcelo Fernandes, Marcelo Moura e Marcos Paulo; Gallo, Carlinhos, Giovanni (Ranielli) e Marcelo Passos (Demétrios); Camanducaia e Jamelli.
Técnico: Joãozinho Rosa

JUVENTUS
Gilmar, Anderson Lima, Nildo, Sangaletti e Nenê; Ramos, Luisão, Fernando Diniz (Carmo) e Márcio Griggio (Mauro): Fabiano e Neto.
Tácnico: Basílio



Santos, comandado por Giovanni, vence Juventus por 2 a 0, na Vila Belmiro

O Santos venceu ontem o Juventus, na Vila Belmiro, por 2 a 0. O resultado foi conquistado no primeiro tempo, em dois contra-ataques comandados por Giovanni. O Santos assume o segundo lugar no Paulista, com 39 pontos.

O primeiro gol surgiu aos 21min do primeiro tempo. Em um cruzamento, a bola sobrou para Camanducaia. O ponta chutou, a bola desviou em Jamelli, que fez seu terceiro gol no Paulista.

Aos 40 minutos, em novo contra-ataque, o Santos fez o segundo gol. Giovanni lançou Jamelli que foi derrubado dentro da área. Os jogadores do Juventus reclamaram que a falta teria sido cometida fora da grande área.

Marcelo Passos cobrou e fez o 12º gol no torneio, igualando se a Giovanni na artilharia do time.

No segundo tempo, o Juventus tentou jogar no ataque, mas errava nos passes. O Santos apenas tocou a bola e esperou o jogo acabar.



Jamelli muda estilo de jogo (Em 11/05/1995.)

O jogador Jamelli, 20 anos, mudou o seu estilo de jogo no Santos. Na nova função, armando as jogadas ofensivas no meio-campo, ele disse que foi obrigado a “pensar mais taticamente”.

Repórter – De centroavante, você hoje atua mais recuado, armando as jogadas ofensivas. Você é o cérebro do time?
Jamelli – Não. Mas a função me obriga a pensar mais taticamente. Hoje, eu jogo em todas as partes do campo. É preciso pensar rápido e ter boa visão de jogo para acionar os companheiros.

Repórter – Você está tendo sucesso?
Jamelli – Todos os meus companheiros de ataque têm feito muitos gols (Giovanni, 12 gols; Marcelo Passos, 11 e Macedo, 5 gols). Acho que é uma prova que o sistema está funcionando direitinho.

Repórter – O Paulista está muito violento?
Jamelli – Não vejo deslealdade. Agora, perto do final do segundo turno, as disputas tendem a endurecer. Os árbitros precisam estar atentos.

Camanducaia vê a ‘maior chance’

Ex-funcionário de um depósito de bebidas na cidade de Camanducaia (sul de Minas Gerais), Marcelo Fernando Domingues de Rezende, 19, o Camanducaia, começa hoje o seu primeiro jogo como titular na ponta direita do Santos.

O ponta substitui o atacante Macedo, que cumpre suspensão por ter levado o terceiro cartão amarelo contra o América, no último domingo, em São José do Rio Preto.

“Sou um ponta no estilo antigo, que gosta do drible. Minha característica é levar a bola até a linha de fundo e cruzar para os atacantes”, afirmou Camanducaia.

“Essa é a primeira vez que começo jogando. É a maior oportunidade da minha carreira”, disse o atacante, que começou nas equipes de base do Santos.
Em 93, “por causa da solidão, da distância da família e de ser pouco aproveitado”, Camanducaia quase desistiu de ser jogador de futebol.
No campeonato deste ano, já marcou dois gols.

“Gosto do jeito de o Edmundo (atacante do Palmeiras) atuar, mas sem o seu lado polêmico. Sou uma pessoa pacata. Só viro animal dentro de campo”, afirmou.