O “novo” Santos voltou ontem a estampar seu patrocinador de camisa para esta temporada, a controversa empresa Alpha Club.

A marca havia sumido do uniforme do time santista nos últimos jogos por conta das denúncias de que a empresa era responsável por aplicar o golpe da “pirâmide da fortuna”, espécie de corrente financeira proibida por lei e considerada estelionato, que pode ter envolvido cerca de 17 mil pessoas no Rio de Janeiro e em São Paulo.

As denúncias teriam partido de consumidores lesados pela empresa, conforme reportagem da Folha veiculada no mês passado.

A Alpha Club é uma empresa italiana, patrocinadora da Juventus de Turim, que afirma em seu contrato social oferecer a seus associados descontos em hotéis e turismo.

A empresa está sendo investigada desde o início de fevereiro pelo Ministério Público por causa das denúncias.

A marca, no entanto, alcançou pouca visibilidade na partida de ontem porque o Santos jogou com seu uniforme reserva -camisas brancas com listas pretas.

A diretoria santista afirma que sua relação com a empresa é apenas de ceder o espaço nos uniformes, sem qualquer envolvimento com seus negócios.

Para esta temporada, o Santos investiu, segundo cálculos de sua diretoria, R$ 20 milhões na contratação de astros como Rincón e Carlos Germano.



Santos confirma manutenção do patrocínio com Alpha Club (Em 24/02/2000)

Depois de uma reunião que durou mais de três horas, contando com a presença de dirigentes internacionais da empresa e de representantes do Departamento Jurídico do time, a diretoria do Santos confirmou quinta-feira a manutenção do contrato de patrocínio com o Alpha Club, desde que a associação resolva a curto prazo os problemas estruturais que a envolvem com a Justiça.

A empresa vem sendo acusada de promover pirâmide financeira ilegal, prática enquadrada como estelionato, fato que já vem sendo investigado pelo Ministério Público e pela Polícia Civil, em São Paulo e no Rio de Janeiro.

As denúncias, segundo os dirigentes santistas, acabaram por demonstrar a transparência do patrocinador, tornando-se oportunas para sanar uma série de dúvidas. “Foram feitas apenas cinco queixas, o que é quase nada, diante do universo de 17 mil associados no Brasil”, argumentou o diretor do Departamento Jurídico, Vicente Cascione.

Ele acredita que a empresa, considerada prestadora de serviços no setor de turismo, já que oferece descontos em passagens e hotéis, foi prejudicada pela falta de estruturação no país.

A medida que apresentarem novos sócios, os associados terao condições de obter maiores descontos na cadeia turística.

O Alpha Club fechou contrato de patrocínio com o Santos que prevê o pagamento de 3 milhões de dólares, no prazo de um ano. Em caso de haver rescisão contratual, haverá multa de US$ 250 milhões. Independente do prazo para que a empresa resolva os seus problemas, o Santos já marcou para a próxima quarta-feira (dia 1 de março), a apresentação do novo uniforme do time com a logomarca da empresa.

Há cerca de 40 dias, o Alpha contratou o escritório Norberto Bonnavitta, para resolver todas as suas pendências. O advogado acredita que as denúncias avolumaram-se depois que o Procon apresentou um site na Internet criticando o modus operandi da empresa.

Além do presidente Dario Bellanini, também participaram da reunião de quinta-feira no Santos, os representantes europeus da Holanda, de Portugal e da Inglaterra, e ainda o ex-dirigente do São Paulo, Jaime Franco, atualmente no Clube dos 13.