Santos 0 x 1 Mogi Mirim

Data: 09/04/2000, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Wilson Fernandes de Barros, em Mogi Mirim, SP.
Público e renda: N/D
Árbitros: Edson Borborema e Alfredo Loebeling.
Cartões vermelhos: Alexandre (MM) e Galván (S).
Gol: Alexandre (24-1).

MOGI MIRIM
Mauro; Picón, Fábio Paulista e Alexandre Salles (Júlio César); Ronaldo, Márcio, Zé Luiz, Moreno (Rogerinho) e Alexandre; Ênio (Régis) e Sandro Gaúcho.
Técnico: Pedro Rocha

SANTOS
Carlos Germano; Michel, Galván, Márcio Santos e Dutra (Rubens Cardoso); Rincón, Baiano, Valdo (Robert) e Caio; Valdir e Dodô (Deivid).
Técnico: Carlos Alberto Silva



Santos perde em Mogi Mirim, e Silva pode ser demitido hoje

Num jogo em que os atacantes Valdir, Caio e Dodô perderam muitos gols, o Santos foi batido por 1 a 0 pelo Mogi Mirim.

A derrota pode provocar a demissão do técnico Carlos Alberto Silva. O Santos foi o time que mais contratou para o Paulista, mas não vem mostrando regularidade.

Jogando em casa e precisando da vitória para fugir das últimas colocações, o Mogi Mirim partiu para o ataque. Em cinco minutos, ameaçou o goleiro Carlos Germano duas vezes.

A partir daí, o Santos apertou a marcação no meio e também criou duas chances. Aos 7min, Valdir ficou na cara do goleiro Mauro, mas chutou para fora.

No minuto seguinte, foi a vez de Dodô. Ele avançou e na entrada da área bateu forte. Dessa vez, Mauro teve que fazer a defesa.

Com o domínio do meio-de-campo, o Santos quase abriu o placar aos 17min. Rincón lançou Dodô, que, diante do goleiro, chutou a bola por cima do gol.

Aos poucos, o Mogi começou a equilibrar a partida. Aos 19min, Sandro Gaúcho quase abriu o placar. Ele ganhou dos zagueiros e, quando ia ficar na frente do goleiro Carlos Germano, foi derrubado por Galván na entrada da área. Na cobrança da falta, Moreno bateu, mas Carlos Germano espalmou para escanteio.

O gol do Mogi veio aos 23min. Alexandre abriu o placar, após cobrança de escanteio.

Em seguida, enquanto o Mogi ainda comemorava, Dodô recebeu a bola na pequena área, mas uma vez mais, chutou para fora.

Aos 35min, Rincón virou a jogada para Michel, que, de primeira, deixou Valdir na frente do goleiro Mauro, que espalmou para fora.

Na segunda etapa, o técnico Carlos Alberto Silva optou por avançar ainda mais o time.

Com o objetivo de garantir o resultado, o Mogi voltou recuado e apenas contra-atacava. E, dessa maneira, o Mogi quase ampliou aos 6min. Ronaldo bateu forte, de dentro da pequena área, mas Carlos Germano defendeu com o pé direito.

Aos 20min, para tentar o empate, Silva sacou Dodô e Valdo e pôs Deivid e Robert.

Aos 23min, Alexandre foi expulso. Com um jogador a mais, o Santos aumentou a pressão, mas chegava ao gol do adversário sem organização. Quase no final, Galván, do Santos, foi expulso.

Pressionado, técnico prefere silêncio

O técnico Carlos Alberto Silva e os dirigentes do Santos evitaram comentários após a derrota para não ter que falar sobre a possível demissão de Silva, que deve ser discutida hoje.

“Prefiro não falar nada agora”, disse Silva ao deixar o vestiário.

A razão do silêncio é que todos os diretores de futebol são favoráveis à demissão há pelo menos duas semanas. O que tem mantido Silva no cargo é o apoio do presidente Marcelo Teixeira.

O atacante Dodô voltou a ser vaiado pela torcida santista. As vaias mais fortes ocorreram na hora da sua substituição por Deivid, que não repetiu a atuação do meio da semana, quando fez dois gols contra o Serra (ES).

Depois da partida, a torcida não poupou nem os demais jogadores, nem a comissão técnica santista. Todos foram vaiados.