A saída do técnico Emerson Leão do Santos, decidida na noite de anteontem na Vila Belmiro pela diretoria do clube, provocou uma verdadeira confusão no último treino da equipe, realizado na manhã de ontem, antes do jogo contra o Guarani. Sétimo colocado no Brasileiro, o time não vence há seis partidas (incluindo três amistosos internacionais).

Os jogadores foram todos reunidos no centro do gramado do Centro de Treinamento do Santos às 8h30 em ponto para a despedida de Leão.

O técnico demitido elogiou o grupo e garantiu aos jogadores que torceria por eles hoje na partida contra o time de Campinas na Vila Belmiro.

Perdidos e constrangidos, os jogadores ficaram brincando com bolas até que Leão saísse do campo, esperando orientações para a equipe que enfrenta o Guarani.

Após alguns minutos, ficaram sabendo que a equipe seria dirigida interinamente pelo preparador físico Walmir Cruz e pelo preparador de goleiros Pedro Santili.

Os dois resolveram então promover um “rachão”, um treino recreativo, na tentativa de amenizar o ambiente pesado. Não conseguiram.

O clima piorou de vez quando quase todos os diretores chamaram 11 jogadores para o centro do gramado após o fim do “rachão”, enquanto o restante do elenco voltou a ficar brincando com bolas pelo campo.

Ficou claro que aquele é que seria o time que jogaria contra o Guarani. As mudanças foram reveladoras: Narciso, afastado por deficiência técnica por Leão, voltava ao meio-campo, assim como Jean recuperava a posição de zagueiro de Valdir.

Não bastasse isso, o volante Claudiomiro seria improvisado como lateral-esquerdo no lugar de Gustavo Nery.

Inconformado, o meia-atacante Caíco, que estava em alta com o técnico demissionário, ficou revoltado e abandonou o treino. Trocou-se rapidamente, evitou os repórteres e foi embora para casa.

O vice-presidente José Paulo Fernandes declarou após as definições no campo do CT que a decisão de demitir Leão foi tomada em consenso dentro da diretoria na noite de anteontem. “Eticamente, decidimos comunicar o técnico na mesma noite.”

Para ele, “é normal a troca de técnico quando as coisas não vão bem. O momento é de alerta, mas não tenho problemas pessoais com o Leão, que é excelente técnico. Era hora de mudar.”

Um dos poucos jogadores a falar sobre a saída do técnico foi o volante Narciso, que estava desgastado com Leão.

“Todos estão chateados com a saída do técnico, mas vamos erguer a cabeça e ir em frente. Eu não estava mal fisicamente, talvez tecnicamente, mas sempre respeitei as decisões dele e jamais o critiquei, como saiu na imprensa”, disse Narciso.

Cilinho pode ser o novo treinador

O presidente do Santos, Samir Abdul-Hak, deu uma pista na manhã de ontem de quem poderá ser o novo técnico do Santos. Ele elogiou muito o técnico Cilinho, que atualmente dirige o América, de São José do Rio Preto, com o qual foi campeão da Série A-2 do Campeonato Paulista.

“Ele mostrou o seu valor e a sua competência com o América. É um excelente técnico e já trabalhou no Santos, conhece como as coisas funcionam aqui.”

Leão confirmou que recebeu uma proposta do Sport, de Recife, mas recusou porque ainda estava vinculado ao Santos. “Ainda não tenho proposta de clube algum.”