Santos 3 x 0 Portuguesa

Data: 20/05/2000, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.894 pagantes
Renda: R$ 47.735,00
Árbitros: Paulo César de Oliveira e Edilson Pereira de Carvalho.
Cartões amarelos: Valdir, Eduardo Marques, Caio e Robert (S); Denílson, Fabrício e Emerson (P).
Gols: Caio (10-1), Baiano (11-2) e Valdir (13-2).

SANTOS
Carlos Germano; Baiano, Galván, André Luis e Dutra (Robert); Claudiomiro, Rincón, Anderson Luiz e Eduardo Marques (Valdo); Caio e Valdir (Dodô).
Técnico: Giba

PORTUGUESA
Fabiano; Denílson (Cafu), Emerson, Fabrício e Wagner; Simão, Elson, Marquinhos e Evandro (Alexandre); Bendinho (Da Silva) e Jean.
Técnico: Nelsinho Baptista



“Novo” Santos vence e confirma ascensão

Superando a Lusa, time do litoral faz 13 pontos e se classifica para as semifinais na frente do rival São Paulo

O Santos confirmou a sua ascensão e venceu a Lusa por 3 a 0, na Vila Belmiro, se classificando para as semifinais do Campeonato Paulista em primeiro lugar no Grupo 7, com 13 pontos. A Lusa, que não obtém um título desde 1973, mais uma vez perdeu num momento decisivo.

A equipe do litoral teve que superar também a péssima arbitragem de Edílson Pereira dos Santos, que errou claramente contra o Santos em dois lances no primeiro tempo, quando o jogo estava apenas 1 a 0.

O Santos começou melhor e chegou ao ataque com mais frequência do que o rival. Aos 6min, o lateral Baiano, do Santos, chutou forte de fora da área e o goleiro Fabiano fez boa defesa.

Aos 10min, Caio passou por três zagueiros adversários e chutou de fora da área. Num lance de sorte, a bola quicou num montinho e enganou Fabiano, que já caía para a defesa, encobrindo-o.

Por alguns instantes, a Lusa se desarticulou. Três minutos depois do gol, Caio lançou Valdir que, sozinho diante de Fabiano, perdeu a chance.

A Lusa tinha dificuldades em chegar ao ataque, porque o Santos estava bem armado na defesa.

A partir dos 30min, a equipe do Canindé assumiu o controle do jogo e teve maior posse de bola, embora não ameaçasse o adversário, por sentir a falta de um “”matador”. Bentinho esteve sonolento no primeiro tempo e Jean não se encontrou em campo.

No fim do primeiro tempo, a Lusa quase marcou em jogadas de bola parada. Carlos Germano evitou o empate.

Aos 41min, Valdir recebeu livre pela direita e foi derrubado por Fabiano fora da área. Além de não marcar a infração, o juiz deu cartão amarelo a Valdir, a quem acusou de simular a falta.

Um minuto depois, Elson cometeu pênalti claro sobre Valdir, e Edílson Pereira dos Santos mais uma vez não marcou. Por terem reclamado, Eduardo Marques e Caio receberam cartão amarelo.

Para o começo do segundo tempo, o técnico Nelsinho, da Lusa, pôs Cafu no lugar de Denílson.

A Lusa começou bem, mas, aos 11min, Baiano aproveitou um rebote e a má colocação de Fabiano, adiantado, para encobrir o goleiro e fazer o segundo do Santos.

Dois minutos depois, Fabiano falhou novamente. Após cruzamento de Robert pela esquerda, Valdir se antecipou a ele e tocou para o gol.

Da Silva e Alexandre entraram nos lugares de Bentinho e Evandro. A Lusa melhorou, criando mais oportunidades. Marquinhos cabeceou uma bola na trave, e Da Silva obrigou Germano a fazer duas boas defesas.

O Santos, em contra-ataques, ameaçava. No fim do jogo, com a vitória praticamente assegurada, a torcida santista gritou “olé” enquanto os jogadores do time da casa trocavam passes.

Valdir marca e põe fim a jejum de 13 jogos sem gols

O atacante Valdir acabou ontem com um jejum de 13 jogos sem marcar. A ausência dos gols incomodava Valdir, apesar dos elogios do treinador e dos torcedores. O jogador deixou o campo aplaudido pela torcida.

“Jogava bem e cumpria o que o Giba (técnico) pedia, mas faltava o gol. Estava me sentindo abafado e tirei um peso das costas”, disse.

Outro jogador que deixou o campo ovacionado foi o goleiro Carlos Germano. “É muito importante a primeira colocação no grupo. Dá moral para a próxima fase”, afirmou.

Convocado para os amistosos da seleção brasileira na Europa, Germano será substituído por Fábio Costa quarta-feira, no jogo contra o Juventude, em Caxias do Sul, pela Copa do Brasil.

O técnico Giba elogiou a seriedade do time e cumprimentou o atacante Dodô, que substituiu Valdir. “Dodô sabe que tem lugar no time”, disse Giba.

O atacante manteve a frieza. “Não preciso provar nada. Estou na reserva por opção do treinador. Quando ele achar que tenho condições de ser titular, estarei pronto.”, afirmou.