Portuguesa 2 x 0 Santos

Data: 06/05/2000, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio do Canindé, em São Paulo, SP.
Público e renda: N/D
Árbitros: Alfredo Loebeling e Silvio Talarico
Cartão vermelho: Gálvan (S, 45-1).
Gols: Leandro (45-1, de pênalti) e Leandro (41-2).

PORTUGUESA
Fabiano; Cafu (Sandro), Emerson, Tinho e Wagner; Simão, Elson, Marquinhos e Evandro; Leandro e Bentinho (Da Silva).
Técnico: Nelsinho Baptista

SANTOS
Carlos Germano; Baiano, Galván, Claudiomiro e Rubens Cardoso; Anderson Luiz, Rincón, Valdo e Caio (Robert); Valdir e Deivid.
Técnico: Carlos Alberto Silva



Leandro marca dois, Lusa derrota Santos e é líder

Time do Canindé obtém vitória por 2 a 0 e fica em 1º no Grupo 7

Com dois gols do atacante Leandro, que pleiteia uma vaga na seleção olímpica do Brasil que disputará os Jogos de Sydney, em setembro, a Lusa derrotou ontem o Santos, no Canindé, por 2 a 0.

Com o resultado, assumiu a liderança do Grupo 7 da terceira fase do Paulista, com quatro pontos. O Santos é o segundo colocado, com três. São Paulo e Guarani, que jogam hoje, têm um e zero, respectivamente.

Com a vitória em casa, a Lusa, que vinha tendo melhor desempenho quando jogava fora de seu estádio, acabou superando a “síndrome do Canindé”.

Depois de um início melhor do que o do adversário, tendo perdido ótima chance de gol logo aos 6min, com Bentinho, a Lusa cedeu espaço para o Santos, que passou a dominar a partida.

Aos 22min, o time de Carlos Alberto Silva quase marcou após rebatida do goleiro Fabiano, em chute de Deivid, mas o zagueiro Tinho, com muitas dificuldades, conseguiu tocar para escanteio.

Onze minutos mais tarde, Émerson falhou na zaga da Lusa, mas Deivid, livre, acabou chutando para fora.

Pouco depois, o atacante Valdir foi derrubado na área por Fabiano. Valdo, no entanto, perdeu a chance de abrir o placar, chutando o pênalti na trave.

Aos 45min, foi a vez de a Lusa ter um pênalti a seu favor. O atacante Leandro foi derrubado pelo zagueiro Galván, que já tinha recebido amarelo e acabou expulso de campo. O próprio Leandro bateu e marcou.

No segundo tempo, empurrado por sua torcida, o Santos partiu novamente para o ataque, mas a Lusa, contra-atacando, era mais perigosa.

Aos 17min, Evandro penetrou livre na área adversária, mas Carlos Germano fez bela defesa. No rebote, Leandro chutou, e o goleiro de novo conseguiu rebater.

Aos 24min foi a vez de Da Silva perder outra chance, desperdiçando a oportunidade de ampliar o marcador.

A partir do minuto seguinte, a torcida do Santos passou a se impacientar, não parando de chamar o técnico Carlos Alberto Silva de burro, pedindo sua saída do comando do time.

A Lusa, então, que já se mostrava muito mais perigosa do que os rivais, continuou atacando.

Aos 40min, por exemplo, Leandro, livre diante do goleiro Carlos Germano, chutou com força, alto, para fora, perdendo outra boa chance de gol.
Um minuto depois, no entanto, Leandro não desperdiçou a oportunidade e aumentou o placar.

Nos últimos instantes, a Lusa ainda deu “olé” nos adversários.

Promoção de diretoria vira fracasso

A ótima fase do time, que não perde há nove jogos, e a distribuição de ingressos aos primeiros 8.000 torcedores que aparecessem no Canindé com a camisa da Lusa não foram suficientes para atrair sua torcida para o clássico de ontem.

Apesar da tentativa da diretoria do clube, os santistas eram ampla maioria no estádio. Aborrecido com a situação, o presidente Amílcar Casado disse que não estava satisfeito e que espera que, a partir da próxima rodada e principalmente após a vitória na partida de ontem, a torcida passe a prestigiar mais o time.

Segundo o dirigente, mesmo com a distribuição de 8.000 ingressos, não havia mais do que 6.000 torcedores da Lusa.

Mas o fracasso da promoção não significa que ela terminará. Para os próximos jogos da equipe no Canindé, tanto pelo Paulista quanto pela Copa do Brasil, a idéia é promover outras iniciativas que possam atrair torcedores. Uma das possibilidades é a realização de sorteio de eletrodomésticos.