Novorizontino 2 x 1 Santos

Data: 07/03/2018, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 11ª rodada
Local: Estádio Jorge Ismael de Biasi, em Novo Horizonte, SP.
Público: 5.426
Renda: R$ 152.995,00
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho
Auxiliares: Daniel Luis Marques e Luiz Alberto Andrini Nogueira
Cartões amarelos: Alisson Safira, Jean Patrick, Rafael Ratão e Tallyson (N); Gustavo Henrique e Alison (S).
Cartão vermelho: Jean Patrick (N).
Gols: Juninho (19-1), Yuri Alberto (09-2) e Lucas Veríssimo (14-2, contra).

NOVORIZONTINO
Oliveira; Tony, Anderson Salles, Éder e Tallyson; Adilson Goiano, Jean Patrick e Jean Carlos (Lucas Siqueira); Cléo Silva, Juninho (Rafael Ratão) e Alisson Safira (Guilherme).
Técnico: Doriva

SANTOS
Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Dodô; Alison; Arthur Gomes (Diogo Vitor), Léo Cittadini, Vecchio (Vitor Bueno) e Rodrygo (Eduardo Sasha); Yuri Alberto.
Técnico: Jair Ventura



Santos esbarra no gramado e perde para o Novorizontino

O Santos esbarrou na chuva e em um gramado de péssimas condições ao perder por 2 a 1 para o Novorizontino na noite desta quarta-feira, no Estádio Jorge Ismael de Biasi, pela 11ª rodada do Campeonato Paulista. Com time técnico e oito garotos revelados nas categorias de base, o Peixe criou muito pouco. Com a vitória, os donos da casa garantiram a classificação e enfrentarão o Palmeiras nas quartas de final.

O técnico Jair Ventura poupou alguns titulares, como David Braz, Gabigol e Eduardo Sasha, e apostou na velocidade de Rodrygo, Arthur Gomes e Yuri Alberto na frente. Com campo pesado, a alternativa não deu certo.

O Novorizontino abriu o placar com Juninho no primeiro tempo. Na segunda etapa, o Santos esboçou a reação ao empatar com Yuri Alberto aos nove minutos, mas Lucas Veríssimo (contra) desempatou logo na sequência. E mesmo com a expulsão de Jean Patrick aos 21′, o Peixe não teve forças para buscar o empate.

O jogo:

É difícil escrever mais de três parágrafos sobre o primeiro tempo em Novo Horizonte. A chuva e o gramado ruim fizeram com que o futebol fosse impraticável. Em 45 minutos, quatro finalizações foram contabilizadas. Duas para cada lado.

E na primeira, o Novorizontino fez o gol. Aos 19 minutos, Jean Carlos lançou Juninho, que bateu forte, a bola desviou em Lucas Veríssimo e matou o goleiro Vanderlei. Daniel Guedes e Alison, sem a ajuda de Arthur Gomes, foram envolvidos na triangulação.

Aos 21, a equipe da casa quase ampliou. Éder, na pequena área, chutou e Gustavo Henrique, com as costas, debaixo do gol, salvou. No mais, chutões e passes que esbarraram nas poças d’água.

O Santos voltou um pouco melhor para o segundo tempo e deu mostras de que poderia virar. Aos nove minutos, o estreante Dodô cobrou bem uma falta para a área, o goleiro Oliveira não afastou e Yuri Alberto empurrou para as redes. Aos 16 anos, o centroavante marcou pela primeira vez no debute como titular.

Quando o placar marcava 14′, porém, veio a ducha de água fria. Vecchio errou passe na intermediária, o Novorizontino invadiu a área com Alisson Safira e o chute cruzado explodiu em Lucas Veríssimo, que fez contra, retomando a vantagem para o time do interior.

Aos 21 minutos, o Santos teve uma boa notícia. Jean Patrick recebeu dois cartões amarelos em sequência por reclamação e foi expulso. Ele discutiu com o capitão Anderson Salles antes de ser advertido. Mesmo com a vantagem, porém, o Peixe esbarrou em pouca inspiração e gramado ruim.

Nos minutos finais, o alvinegro pressionou, mas não criou chances claras de gol e perdeu por 2 a 1 para o Novorizontino, classificado para as quartas de final do Campeonato Paulista, assim como o Santos.

Jair resume derrota do Santos: “Jogo foi por água abaixo”

Jair Ventura isentou o Santos de críticas após a derrota por 2 a 1 para o Novorizontino nesta quarta-feira, no Estádio Jorge Ismael de Biasi. Para o técnico, as condições ruins do gramado encharcado prejudicam qualquer análise.

“Tentamos, criamos, tivemos mais posse, mais chances. Eles tiveram um chute no gol e fizeram. Foram eficientes e nós não fomos. Não conseguimos colocar a bola para dentro. Qualquer análise hoje seria injusta por conta da chuva. O jogo foi por água abaixo”, resumiu o treinador.

O Peixe poupou alguns jogadores, como David Braz, Gabigol e Eduardo Sasha. A opção por um ataque leve, formado por Rodrygo, Arthur Gomes e Yuri Alberto não deu certo por causa do campo.

“Iniciamos a partida com o nosso ataque mais leve. O time do Santos trabalha bem a posse de bola, time com mais gols com construção no campeonato, mas não teve jogo dentro desta estratégia de primeira e segunda bola e força. Realmente fomos prejudicados e saímos com a derrota”, completou o treinador.

Jair pede chegada de um camisa 9 ao Santos: “Estamos buscando”

Na visão do técnico Jair Ventura, a derrota por 2 a 1 para o Novorizontino, nesta quarta-feira, em Novo Horizonte, mostrou que o Santos precisa de um centroavante clássico, forte e que possa segurar a bola no ataque. Um legítimo pivô.

Em gramado encharcado, o Peixe teve o garoto Yuri Alberto como titular. Ele fez o gol, mas não tem essas características. Rodrigão não tem treinado bem e não foi relacionado por opção técnica.

“O jogo pediu um jogador mais forte, de área. Estamos buscando ainda no mercado. Alguém para jogos pesados, principalmente na Libertadores. Nacional e Estudiantes vão ser jogos pesados. Um jogo de chuva mostrou que teremos dificuldades. Vamos ter que achar alternativas dentro do elenco e mercado para suprir”, disse o treinador.

Gabigol é o centroavante titular. O camisa 10, porém, tem mobilidade e não faz um bom pivô, assim como Yuri Alberto. Com Rodrigão em baixa, o alvinegro buscará soluções no mercado. O clube teve interesse em Barcos, da LDU-EQU, Tréllez, hoje no São Paulo, e Ábila, do Boca Juniors-ARG, mas as negociações não evoluíram.

Dodô aprova estreia pelo Santos e vê “ambiente hostil” como teste

Dodô estreou pelo Santos na derrota por 2 a 1 para o Novorizontino nesta quarta-feira, no Estádio Jorge Ismael de Biasi. Depois de nove meses sem atuar, o lateral-esquerdo teve atuação segura e aguentou os 90 minutos.

O ala superou o gramado ruim e a chuva para não comprometer. A última partida foi em maio de 2017, em derrota da Sampdoria por 7 a 3 contra a Lazio pelo Campeonato Italiano. Dodô entende que as condições adversas foram um bom teste visando a Libertadores.

“Não diria que faltou perna, mas com o campo assim ficou mais difícil de jogar. Nosso time gosta de ficar com a bola no pé, tocar a bola… Campo hoje era impraticável. Um ambiente hostil assim a gente vai encontrar na Libertadores. Foi válida a experiência para o nosso time, ainda mais para os mais jovens. Foi um jogo difícil, um campo difícil. Numa infelicidade fizemos um gol contra. Vale a experiência. Empenho não faltou”, disse Dodô, ao Premiere.

“É difícil avaliar pelo jogo. Estou feliz que consegui aguentar os 90 minutos fisicamente, ainda mais com o campo assim. Não senti nada. Essas duas semanas que fiquei trabalhando forte no CT valeram a pena”, completou.

Yuri Alberto comemora 1º gol pelo Santos: “Felicidade única”

Na estreia como titular, Yuri Alberto, de 16 anos, fez seu primeiro gol pelo Santos na derrota por 2 a 1 para o Novorizontino, nesta quarta-feira, no Estádio Jorge Ismael de Biasi. Triste pelo tropeço, o Menino da Vila comemora o feito.

“Eu e minha família não imaginávamos que seria tudo tão rápido assim. Estou aprendendo e evoluindo a cada dia, a cada treinamento e a cada oportunidade que tenho. Já estava muito feliz em ser titular pela primeira vez. E ainda pude fazer meu gol. Sem dúvidas, foi uma felicidade única e a realização de um sonho meu e de minha família. Só fico triste por termos perdido em um dia tão especial para mim”, diz Yuri Alberto.

Com o gol, Yuri superou Gabigol por dois dias e se tornou o sexto mais novo a marcar na história do Peixe. Veja o ranking completo abaixo.

“É uma honra para mim ter meu nome ligado a números de jogadores que marcaram história aqui no Santos. A minha está apenas começando e eu quero muito seguir os passos de todos esses ídolos, com gols, vitórias e, claro, títulos. Quero muito agradecer
ao Jair Ventura e à comissão técnica pelos ensinamentos e pelas oportunidades que tenho tido. Estão me dando muito confiança, para que eu esteja conseguindo crescer e me superar”, afirmou o centroavante.

1º – Coutinho – 14 anos e 11 meses
17/05/1958 – Santos 7 x 1 Sírio Libanês-GO

2º – Pelé – 15 anos, 10 meses e 15 dias
07/09/1956 – Corinthians-SA 1 x 7 Santos

3º – Edu – 16 anos, 7 meses e 11 dias
17/03/1966 – Santos 4 x 0 Bangu-RJ

4º – Victor Andrade – 16 anos, 10 meses e 9 dias
08/08/2012 – Santos 4 x 2 Cruzeiro

5º – Diego – 16 anos,11 meses e 15 dias
13/02/2002 – Santos 4 x 2 Ji-Paraná-RO

6º – Yuri Alberto – 16 anos, 11 meses e 20 dias
07/03/2018 – Novorizontino 2 x 1 Santos

7º – Gabriel – 16 anos, 11 meses e 22 dias
21/08/2013 – Santos 1 x 0 Grêmio

8º – Rodrygo – 17 anos e 16 dias
25/01/2018 – Ponte Preta 1 x 2 Santos

9º – Neymar – 17 anos, 1 mês e 10 dias
15/03/2009 – Santos 3 x 0 Mogi Mirim

Santos confirma saída de Matheus Jesus rumo ao Japão

O Santos confirmou nesta quinta-feira a saída de Matheus Jesus. O volante será reforço do Gamba Osaka, time do técnico Levir Culpi no Japão. Sem espaço no Peixe, ele foi cedido pelo Estoril-POR até o fim deste ano. A informação foi antecipada pela Gazeta Esportiva nesta quarta-feira.

Matheus tinha contrato com o alvinegro até o fim do ano, mas o clube não teve interesse na permanência em definitivo e aceitou liberá-lo. Em 2018, ele fez apenas quatro jogos, um como titular, e acabou substituído no intervalo contra o Ituano, no Pacaembu.

O volante de 20 nem foi relacionado pelo técnico Jair Ventura para a partida contra o Novorizontino, nesta quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), no Estádio Jorge Ismael de Biasi. Ele aguarda pelo “ok” de seus representantes para viajar ao Japão nesta semana.