Santos 1 x 3 São Bento

Data: 11/03/2018, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 12ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 3.816 pagantes
Renda: R$ 104.250,00
Árbitro: Vinicius Furlan
Auxiliares: Herman Brumel Vani e Alberto Poletto Masseira
Cartões amarelos: Luiz Felipe (S).
Gols: Marcelo Cordeiro (43-1, de pênalti), Arthur Gomes (45-1, de pênalti); Lúcio Flávio (33-2) e Fábio Bahia (48-2).

SANTOS
Vladimir; Robson Bambu (Victor Yan), Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Dodô; Guilherme Nunes (Gabriel Calabres), Renato e Vitor Bueno (Copete); Diogo Vitor, Arthur Gomes e Yuri Alberto.
Técnico: Jair Ventura

SÃO BENTO
Rodrigo Viana; Lucas Farias, Luizão, João Paulo (Douglas Assis) e Marcelo Cordeiro; Fábio Bahia, Diego Felipe e Cássio (Maicon Souza); Marquinho (Léo Itaperuna), Everaldo e Lúcio Flávio.
Técnico: Paulo Roberto Santos



Reservas falham, e Santos perde para o São Bento na Vila

Com time reserva, o Santos perdeu para o eliminado São Bento por 3 a 1 neste domingo, na Vila Belmiro. O Peixe marcou com Arthur Gomes. Marcelo Cordeiro, Lúcio Flávio e Fábio Bahia fizeram para a equipe de Sorocaba.

No primeiro tempo, o alvinegro teve a bola nos pés, mas pouco assustou. A emoção ficou para os minutos finais. Robson Bambu cometeu pênalti em Everaldo. Marcelo Cordeiro converteu, aos 43′. Segundos depois, Arthur Gomes cavou pênalti e botou para as redes.

Na segunda etapa, em jogo mais aberto, o alvinegro criou mais, esbarrou no goleiro Rodrigo Viana, e viu o São Bento surpreender. Lucas Farias arrancou pela direita e cruzou, Luiz Felipe falhou e Lúcio Flávio empurrou. Desentrosado, o Santos não teve forças para reagir e ainda viu o São Bento fazer o terceiro após Vladimir subir para o escanteio nos acréscimos e deixar o gol vazio.

O Peixe termina a primeira fase do Paulistão como líder do Grupo D, com 18 pontos, e o quarto no geral, atrás de Palmeiras, Corinthians e Novorizontino. O alvinegro enfrentará o Botafogo nas quartas de final do Campeonato Paulista. O Santos decidirá em casa, provavelmente no Pacaembu.

O jogo:

O primeiro tempo foi bem mais morno que o forte calor na Baixada Santista. O Santos, como esperado, ficou com a posse de bola e tentou controlar o jogo, mas não criou grandes chances. O São Bento marcou bem e quase não assustou Vladimir.

O Peixe chegava bem até a intermediária ofensiva, mas pecava no último passe. O São Bento roubava a bola e se livrava rapidamente, sem aproveitar as oportunidades.

A primeira etapa só se animou nos minutos finais. Aos 43 minutos, Robson Bambu derrubou Everaldo na área. Marcelo Cordeiro converteu. E segundos depois, a resposta santista também veio em uma penalidade máxima. Arthur sofreu e fez. Ambos os lances são questionáveis.

O segundo tempo começou mais aberto. Aos 8 minutos, Cássio encontrou Everaldo sozinho na área, o atacante deslocou Vladimir, mas Bambu interceptou antes da bola ultrapassar a linha.

Cinco minutos depois, o Peixe teve duas chances para virar. Dodô tabelou com Renato e cruzou para Yuri Alberto, de carrinho, finalizar para grande defesa de Rodrigo Viana na pequena área. Na sequência, Diogo Vitor arriscou de longe e o goleiro espalmou novamente.

O Santos voltou a assustar com Yuri Alberto. Em partida discreta, o centroavante arrancou aos 21, fez fila, mas chutou por cima do gol, ganhando aplausos do torcedor.

E aos 33, veio a ducha d’água fria. Lucas Farias arrancou pela direita e cruzou para Lúcio Flávio, no segundo pau, empurrar para as redes. Luiz Felipe falhou no lance. E segundos depois, Vladimir fez grande defesa em chute de Everaldo para evitar o pior.

Nos minutos finais, o Santos nem esteve perto do empate. O São Bento administrou bem e ainda fez o terceiro, quando o goleiro Vladimir subiu para escanteio, Diogo Vitor perdeu a bola no rebote e Fábio Bahia fez o terceiro, com gol vazio.

Bastidores – Santos TV:

Renato diz que derrota pesa, mas pede foco do Santos na Libertadores

Capitão do Santos, Renato falou sobre a derrota por 3 a 1 para o São Bento neste domingo, na Vila Belmiro, pela última rodada da primeira fase do Campeonato Paulista. O volante de 38 anos manteve o discurso ameno e já falou da Libertadores. O próximo jogo será contra o Nacional-URU, quinta-feira, no Pacaembu, pela segunda rodada.

“A gente sabia que era um jogo difícil. Eles fizeram marcação homem a homem. Esse gol no final foi mérito deles. Infelizmente não conseguimos a vitória, mas agora temos um jogo importante na Libertadores, no Pacaembu”, disse o veterano, ao Premiere.

“Resultado pesa, sim, mas agora é pensar na Libertadores. Lutamos até o fim, não aproveitamos as oportunidades e eles foram felizes”, completou.

O Peixe terminou a primeira fase como líder do Grupo D, mas na quarta colocação geral, atrás de Palmeiras, Corinthians e Novorizontino. O alvinegro enfrentará o Botafogo nas quartas de final e decidirá em casa, provavelmente no Pacaembu.

Jair vê lado bom de derrota no Santos: “Sei com quem posso contar”

O Santos perdeu por 3 a 1 para o São Bento, neste domingo, na Vila Belmiro, mas o técnico Jair Ventura acredita que há como tirar coisas positivas da atuação. Agora é possível saber com quais reservas se pode contar para o decorrer da temporada.

“Não posso tirar o jogo dentro de um contexto. Classificação com duas rodadas de antecedência e, por isso, oportunizei mais de 30 atletas em 13 jogos. Agora, em momentos decisivos, sei com quem posso contar. Torcida quer vencer, derrota é ruim, mas Santos teve luxo de time alternativo para conhecer o elenco”, disse Jair, em entrevista coletiva.

“Tivemos coisas positivas e negativas. Coisas que não gostamos, fizemos avaliação individual e vamos observar o jogo de novo. Fica complicado expor, principalmente individualmente, mas muitas coisas que tínhamos dúvidas viraram certeza. É importante. Gosto muito de justiça. E de repente eu teria que chegar em momento decisivo sem olhar. E agora são 30 jogadores observados em 13 jogos. Chegamos em um momento decisivo conhecendo bem o elenco. A derrota em casa é ruim, lógico, mas espero que o torcedor entenda o planejamento”, completou.

Com o tropeço, o Santos seguiu como líder do Grupo D do Campeonato Paulista, com 18 pontos, mas ficou atrás de Palmeiras, Corinthians e Novorizontino. O Peixe enfrentará o Botafogo nas quartas de final, com o segundo jogo em casa. A diretoria quer mandar o duelo no Pacaembu. Jair Ventura diz não ter preferência.

“O Santos tem o privilégio de ter duas casas. Compartilho desse privilégio. Santos será forte nas duas casas”, concluiu o treinador.

Jair assume responsabilidade por má atuação de Bambu no Santos

Robson Bambu foi uma das novidades do Santos na derrota por 3 a 1 para o São Bento, neste domingo. Zagueiro de origem, o Menino da Vila foi lateral-direito e não foi bem. Ele cometeu o pênalti do primeiro gol dos visitantes.

O técnico Jair Ventura admitiu que Bambu não se destacou e assumiu a responsabilidade pela escalação. O defensor foi xingado pela torcida no caminho para o vestiário após o apito final.

“É complicado, menino quebrou galho. Ficou em cima para o Victor Ferraz jogar e eu não tinha outra opção. Daniel Guedes treinou forte hoje pela manhã e eu tive que sacrificar. Esses xingamentos têm minha responsabilidade. Não tenho problema em escalar. Não fez um grande jogo, saiu cansado, naquela vontade de fazer, melhorar, acabou não aguentando. É um zagueiro com grande velocidade, pode ser um lateral mesmo, como vinha treinando. Não coloquei ele de lateral ontem, ele vinha treinando. Ele treinou na vaga do Ferraz. Não vou mentir que ele foi bem, mas temos que levar em consideração que estava adaptado e foi um pedido meu”, explicou o treinador.

Daniel Guedes deve permanecer como titular contra o Nacional-URU na próxima quinta-feira, no Pacaembu, pela segunda rodada da Libertadores. Victor Ferraz está em fase final de recuperação e pode ser novidade na lista de relacionados.

Jornada dupla: Santos treinou com titulares antes de derrota com reservas

O time reserva do Santos perdeu por 3 a 1 para o São Bento na tarde deste domingo, na Vila Belmiro. E os titulares treinaram de manhã, no CT Rei Pelé, em jornada dupla do técnico Jair Ventura.

O Peixe poupou seus principais jogadores pensando no duelo pela Libertadores, contra o Nacional, quinta-feira, no Pacaembu, pela segunda rodada da competição continental.

“Resultado não foi bom, mas treinei com prováveis titulares, temos mais duas ou três sessões de treino e podemos chegar afiados na Libertadores, já que estávamos classificados com antecedência”, explicou o treinador.
O provável time titular do alvinegro para a partida contra os uruguaios é: Vanderlei, Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Alison; Eduardo Sasha, Léo Cittadini, Vecchio e Rodrygo; Gabigol.

Santos tem pior público do ano; Jair justifica: “Time alternativo”

O Santos teve seu pior público em 2018 na derrota por 3 a 1 para o São Bento, neste domingo, na Vila Belmiro: 3.816 pagantes, com renda de R$ 104.250,00.

Antes deste domingo, o Peixe recebeu 7508 contra o Bragantino, 6.608 diante do Santo André e 4.165 na vitória sobre o São Caetano. No Pacaembu, a média de público é de 22.980 após dois jogos: Ituano e Corinthians.

Em coletiva de imprensa, o técnico Jair Ventura entendeu o baixo público e projetou casa cheia na quinta-feira, no Pacaembu, contra o Nacional-URU, pela segunda rodada da Libertadores.

“Torcida sabia do time alternativo, da classificação, e entendemos. Quando for decisivo, faremos grande festa como fizemos no Pacaembu (contra o Corinthians). Eu imagino que a torcida vá entender o planejamento feito (contra o Santo André) e vá nos apoiar na quinta-feira”, afirmou o treinador.

A diretoria presidida por José Carlos Peres tem a premissa de dividir os mandos de campo entre Vila Belmiro e Pacaembu pela metade.

Jair usa 31, acha soluções e vê carências após 1ª fase do Santos

O Santos terminou a primeira fase do Campeonato Paulista como líder do Grupo D, com 18 pontos, e quarto na classificação geral, atrás de Palmeiras, Corinthians e Novorizontino. Para o técnico Jair Ventura, o saldo foi positivo, principalmente pela rodagem dada ao elenco.

Novo no comando, o treinador utilizou 31 dos 37 jogadores inscritos no Paulistão. E dentre os seis não aproveitados, um é o terceiro goleiro (João Paulo), dois ficaram a maior parte do tempo no departamento médico (Cleber e Yuri) e três foram recém-promovidos das categorias de base (Matheus Guedes, Emerson Barbosa e Lucas Lourenço).

“Oportunizei mais de 30 atletas (são 31) em 13 jogos. Agora, em momentos decisivos, saberemos com quem contar. Torcida quer vencer, derrota é ruim, mas Santos teve luxo de time alternativo para conhecer o elenco”, explicou Jair, em entrevista coletiva no último domingo.

No “intensivão” com o plantel em menos de dois meses e 12 partidas no Estadual, Jair Ventura encontrou soluções e teve a certeza de algumas carências. Veja um resumo abaixo.

Goleiros

O Peixe não tem qualquer carência nesse setor. Vanderlei é um dos melhores do Brasil e Vladimir costuma dar conta do recado quando acionado. João Paulo, terceira opção, chegou a ser titular em 2017 e também se mostrou confiável.

Laterais

Na ala direita, há um problema. Daniel Guedes é o atual titular. Victor Ferraz, em recuperação de luxação no ombro direito, é a alternativa. Não há, porém, uma terceira peça. O zagueiro Robson Bambu treinou como lateral e atuou assim na derrota para o São Bento, mas não convenceu.

Na lateral esquerda, Jair parece estar bem servido. Dodô foi contratado e vem sendo titular, Caju é o reserva e Jean Mota e Copete já desempenharam bem a função. Emerson Barbosa treina no sub-20 e pode pintar em caso de alguma necessidade. Romário foi emprestado ao Ceará após ir mal nas duas primeiras partidas.

Zagueiros

É, certamente, onde o Santos menos tem problemas. Os titulares Lucas Veríssimo e David Braz são regulares e ainda há Luiz Felipe, Gustavo Henrique, Cleber Reis, Robson Bambu e Matheus Guedes. Cleber, que não recebeu qualquer chance em 2018, deve ser emprestado.

Meio-campistas

É a área do campo onde Jair Ventura precisa se preocupar. No esquema 4-1-4-1, Alison é titular absoluto como primeiro “1”. À frente, Vecchio só deixou de jogar quando o alvinegro poupou a todos diante do São Bento, mas é irregular. O terceiro elemento, no momento, é Léo Cittadini, que busca afirmação.

O experiente Renato perdeu a vaga. Matheus Jesus foi negociado com o Gamba Osaka-JAP e Vitor Bueno não correspondeu quando acionado. Jean Mota ganhou as principais chances na lateral e pode ser uma solução no meio. Guilherme Nunes se mostrou um bom substituto para Alison. Gabriel Calabres, destaque da Copinha, e Victor Yan, promovido do sub-17, atuaram por poucos minutos na última rodada. Lucas Lourenço não saiu do banco de reservas e Yuri, com fratura em osso do pé direito, está fora de combate desde o começo da temporada.

Uma observação importante: Diego Pituca, não inscrito no Campeonato Paulista, tem agradado nos treinamentos, está na lista da Libertadores e pode ser novidade em um futuro próximo. Canhoto, ele é meia de origem no Botafogo-SP, mas também pode atuar como volante.

Atacantes

Enquanto espera pelo retorno de Bruno Henrique, em fase final de recuperação de contusão na retina do olho direito, o Santos procura o terceiro atacante para jogar ao lado de Eduardo Sasha e Gabigol.

Neste momento, Rodrygo larga na frente e deve ser titular contra o Nacional-URU, pela Libertadores. Arthur Gomes, Copete e Diogo Vitor são opções para o lado do campo. Yuri Alberto é reposição para Gabigol. Rodrigão perdeu espaço e nem vem sendo relacionado.

Time-base

Neste momento da temporada, a equipe titular do Santos é Vanderlei, Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Alison; Eduardo Sasha, Léo Cittadini, Vecchio e Rodrygo; Gabigol.

Victor Ferraz e Dodô brigam por espaço nas laterais. Se Rodrygo vacilar, Arthur Gomes é a primeira opção. E Bruno Henrique deve retornar ainda nas fases finais do Campeonato Paulista. Para as quartas de final, o Peixe pode fazer quatro mudanças entre os inscritos. Romário e Matheus Jesus, negociados, serão substituídos. Pituca é um provável nome.

Veja todos os jogadores utilizados pelo Santos na primeira fase do Campeonato Paulista:

Goleiros: Vanderlei e Vladimir
Laterais: Daniel Guedes, Victor Ferraz, Dodô, Romário e Caju
Zagueiros: Lucas Veríssimo, David Braz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Robson Bambu
Meio-campistas: Alison, Renato, Vecchio, Léo Cittadini, Vitor Bueno, Matheus Jesus, Gabriel Calabres, Guilherme Nunes, Victor Yan e Jean Mota
Atacantes: Eduardo Sasha, Rodrygo, Gabigol, Bruno Henrique, Arthur Gomes, Copete, Rodrigão, Yuri Alberto e Diogo Vitor

Aos 16 anos, Victor Yan vibra por estreia inesperada no Santos

Victor Yan, 16 anos, estreou como jogador profissional do Santos no último domingo, na derrota por 3 a 1 para o São Bento, na Vila Belmiro, pela última rodada da primeira fase do Campeonato Paulista.

A chance não era esperada. Com todos os titulares poupados, Yan, Emerson e Lucas Lourenço, das categorias de base, foram chamados para compor o banco de reservas. E Victor foi acionado para substituir Robson Bambu na metade final do segundo tempo.

Volante de origem, Victor Yan fez alguns treinamentos como lateral-direito com o técnico Jair Ventura no começo da temporada. A experiência o fez debutar no Peixe.

“Foi uma emoção enorme, não só pra mim, mas pra minha família também. Com certeza é algo que ficará marcado para sempre na minha vida. Sempre sonhei com isso. Quero agradecer a Deus, aos meus companheiros, a comissão técnica e ao Santos por esse momento maravilhoso. Espero que seja o primeiro de muitos jogos com essa camisa que carrega uma história linda no futebol”, disse Yan, do sub-17.

Surpreso com a oportunidade, o meio-campista revela a conversa com Jair na área técnica antes de entrar e lamenta a estreia com derrota na Vila.

“Eu fiquei muito feliz quando soube que ia para o jogo. O Jair já tinha falado comigo sobre uma chance no profissional, mas não imaginei que fosse acontecer tão rápido. Ali na hora que eu fui entrar, ele me passou as orientações, pediu pra ajudar bastante na marcação e trocar com o Guilherme (Nunes) na bola parada. Infelizmente tomamos o segundo gol, então eu tive que sair mais para o jogo, já que o time estava perdendo”, completou.

Victor Yan é um dos destaques da equipe sub-17 e tem multa rescisória de 50 milhões de euros (pouco mais de R$ 200 milhões). O volante tem boa saída de jogo e faz muitos gols na base.