Botafogo-SP 0 x 0 Santos

Data: 18/03/2018, domingo, 19h30.
Competição: Campeonato Paulista – Semifinal – Jogo de ida (13ª rodada)
Local: Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, SP.
Público: 11.933 pagantes
Renda: R$ 344.315,00
Árbitro: Raphael Claus
Auxiliares: Alex Eng Ribeiro e Rogério Pablos Zanardo
Cartôes amarelos: Dodô e Plínio (B); Jean Mota (S).

BOTAFOGO
Tiago Cardoso; Marcos Martins, Naylhor, Plínio e Mascarenhas; Willian Oliveira, Diones, Lucas Taylor (Wesley), Danielzinho (Cafu) e Dodô; Bruno Moraes (Jheimy).
Técnico: Léo Condé

SANTOS
Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Alison; Eduardo Sasha (Diogo Vitor), Léo Cittadini (Vitor Bueno), Jean Mota e Rodrygo (Arthur); Gabriel.
Técnico: Jair Ventura



Santos e Botafogo-SP iniciam briga por vaga na semi com empate

Santos e Botafogo fizeram uma partida com poucas emoções durante a noite deste domingo. No Estádio Santa Cruz, as duas equipes protagonizaram o único confronto pelas quartas de final do Campeonato Paulista encerrado com um empate por 0 a 0.

Na briga por uma vaga na semi, o duelo decisivo entre Santos e Botafogo-SP está marcado para as 19h30 (de Brasília) desta quarta-feira, no Estádio da Vila Belmiro. Em caso de novo empate, o classificado será conhecido nos pênaltis.

Em uma partida com raras chances de gol, o Santos teve sua melhor oportunidade logo no início, mas o jovem Rodrygo mandou a bola na trave. O nível do jogo caiu durante a etapa complementar, marcada por exibições de pouca inspiração de ambas as equipes.

Bastidores – Santos TV:

O jogo:

Em um começo de partida movimentado no Estádio Santa Cruz, Cittadini deixou Gabriel na cara do gol. Em posição de impedimento, não marcado pela arbitragem, o atacante chutou para defesa de Tiago Cardoso. No rebote, Rodrygo acertou a trave.

O Botafogo-SP não precisou de muito tempo para dar trabalho a Vanderlei em Ribeirão Preto. Pelo lado direito, Lucas Taylor descolou belo passe para Danielzinho. O meia girou e bateu firme, mas o goleiro santista, bem colocado, conseguiu espalmar com segurança.

Após um início de partida movimentado, os dois times diminuíram a intensidade e as oportunidades de gol escassearam. Com Santos e Botafogo-SP sem conseguir articular jogadas consistentes no campo de ataque, o primeiro tempo acabou com o placar inalterado.

A primeira oportunidade do Santos durante a etapa complementar veio após cobrança de escanteio pelo lado esquerdo. Posicionado na segunda trave, Lucas Veríssimo usou a cabeça para completar. A bola cruzou a área e David Braz tentou alcançar, sem sucesso.

O Botafogo-SP procurou responder em uma jogada de bola parada. Em cobrança de falta frontal, da intermediária, o lateral Mascarenhas resolveu bater direto para o gol. O tiro saiu forte e rasteiro, mas passou à esquerda da meta defendida por Vanderlei.

Na tentativa de mudar o panorama da partida, o técnico Jair Ventura resolveu mexer e promoveu as entradas de Diogo Vitor, Vitor Bueno e Arthur nos lugares de Eduardo Sasha, Léo Cittadini e Rodrygo, respectivamente. Ainda assim, o placar acabou em 0 a 0.

Jair Ventura entende que Santos sentiu cansaço por Libertadores

Com dificuldades para criar chances de gol, o Santos ficou no empate por 0 a 0 diante do Botafogo-SP na noite deste domingo, no Estádio Santa Cruz. De acordo com o técnico Jair Ventura, seu time sentiu o cansaço acumulado no recente triunfo sobre o Nacional-URU, pela Copa Libertadores.

Na noite da última quinta-feira, no Estádio do Pacaembu, o atacante Gabriel foi expulso de maneira infantil logo no primeiro tempo. Ainda assim, o Santos conseguiu ganhar por 3 a 1 do tradicional Nacional pela Libertadores, mesmo em desvantagem numérica.

“Lógico que pesou. Tivemos o jogo da Libertadores com um homem a menos, com desgaste emocional. Contra um time multicampeão da Libertadores, foi uma partida dificílima. Com um a menos, fizemos dois gols. Então, o desgaste é grande”, declarou Jair Ventura.

O Palmeiras, algoz do Novorizontino, foi o único grande que venceu na abertura das quartas de final do Campeonato Paulista, uma vez que o Corinthians perdeu do Bragantino e o São Paulo, do São Caetano. Questionado se considera o empate fora de casa um bom resultado, o técnico santista negou.

“Para essa camisa que estou vestindo, o único bom resultado é vencer. Aqui, estamos sempre acostumados a vencer. Se você não vence e não perde, não é o pior resultado. Mas o resultado (ideal) seria a vitória. Jogamos para vencer, mas não conseguimos”, declarou, habituado com a pressão em seu cargo.

“Existe cobrança sempre. A cobrança no futebol é diária. Saímos exaltados do último jogo e, no penúltimo, crucificados. No futebol, o céu e o inferno vivem muito perto. A cada jogo, você tem que provar. Mas faz parte. Foi o que escolhi para minha vida e vamos lidando assim. Espero que possa ter mais vitórias do que derrotas”, declarou.

Jair elogia Cittadini e explica Renato fora: “Joga quem está melhor”

Capitão do Santos no começo de 2018, Renato agora é opção no banco de reservas. O ídolo foi barrado para a entrada de Léo Cittadini no time titular. O técnico Jair Ventura elogia o garoto e explica a opção.

“Tivemos chances claras com Gabriel e Rodrygo que poderiam mudar a história do jogo. Mas não tiro o mérito do Léo, que organiza muito bem a sua equipe, muito difícil ter uma infiltração na linha dele. Tivemos mais posse de bola, as chances mais claras do jogos…”, disse Jair, quando questionado sobre o empate em 0 a 0 com o Botafogo, neste domingo, em Ribeirão Preto.

“É uma briga saudável (entre os dois), como em todas as equipes do mundo. Sempre com respeito. Conheço Renato desde o Botafogo, está buscando espaço, assim como Léo e todos. E o Santos vai crescendo assim, jogando quem está melhor”, completou.

Com Alison e Léo Cittadini em alta, Jair Ventura precisa definir o terceiro homem do meio-campo. Jean Mota não foi bem diante do Botafogo. A opção é Vecchio, que também foi para o banco para a entrada de Dodô na lateral esquerda. A prioridade da diretoria é trazer um meia para, enfim, substituir Lucas Lima.

Depois do empate em Ribeirão Preto, o Santos precisa de uma vitória simples para avançar às semifinais do Campeonato Paulista. Uma nova igualdade levaria a decisão para os pênaltis.

Vitor Bueno admite jogo apático: “Não é a cara do Santos”

Em um jogo monótono, disputado na noite deste domingo, o Santos ficou no empate sem gols contra o Botafogo-SP, no Estádio Santa Cruz. Vitor Bueno admitiu a exibição abaixo do esperado, mas apostou na classificação à semifinal do Campeonato Paulista na Vila Belmiro.

Na melhor chance da partida, ainda no primeiro tempo, Gabriel chutou para defesa do goleiro Tiago Cardoso e, no rebote, o jovem Rodrygo acertou a trave. O nível das duas equipes caiu durante a etapa completar e as oportunidades escassearam em Ribeirão Preto.

“Acho que (o jogo) ficou um pouco moroso, sim. Apático. Não é a cara do Santos, mas foi essa a tática que nos pediram para fazer e, dentro disso, executamos bem”, declarou Vitor Bueno ao Sportv, sobre a estratégia do time dirigido por Jair Ventura de não se expor jogando no Estádio Santa Cruz.

“Quando um time grande enfrenta um adversário do interior, eles tendem a se fechar mesmo. Foi sempre assim. Quando perdemos do Bragantino, foi desse jeito. Eles jogaram no nosso erro e saíram em um contra-ataque para fazer o gol. Então, é desse jeito”, analisou Bueno.

O confronto decisivo entre Santos e Botafogo-SP está marcado para as 19h30 (de Brasília) desta quarta-feira, no Estádio da Vila Belmiro. Em caso de novo empate, o classificado à semifinal do Campeonato Paulista será conhecido a partir de cobranças de pênalti.

“Não era o que nós queríamos. Queríamos sair já com uma vitória, para levar a vantagem à Vila Belmiro, mas, infelizmente, não conseguimos. De todo modo, não perdemos nem tomamos gol. Quarta-feira, que possamos fazer um grande jogo e sair classificados”, disse Bueno.

Rodrygo, após bola na trave no Santos: “Estou devendo um gol”

O Santos empatou em 0 a 0 com o Botafogo neste domingo, em Ribeirão Preto, pelo jogo de ida das quartas de final do Campeonato Paulista. E se não fosse pelo azar de Rodrygo, a história seria diferente.

Logo nos primeiros minutos da partida, Léo Cittadini deu excelente passe para Gabigol chutar de primeira. No rebote, Rodrygo, quase na pequena área e com o goleiro Tiago Cardoso no chão, acertou a trave. Em seu Twitter, a joia lamentou o ocorrido.

“Estou devendo um gol para vocês, nação”, escreveu o atacante.