Internacional 3 x 0 Santos

Data: 15/11/2001, quinta-feira, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 24ª rodada
Local: Estádio do Beira Rio, em Porto Alegre, RS.
Público: 28.411 pagantes
Renda: R$ 339.180,00
Árbitro: Alvaro Azevedo Quelhas
Cartão vermelho: Fábio Costa (S).
Gols: Luiz Cláudio (21-1), Carlinhos (34-2, de pênalti) e Jackson (47-2).

INTERNACIONAL
João Gabriel; Bruno (Barão), Gilmar Lima, Ronaldo e Wederson; Duilio, Carlinhos, Leandro Guerreiro e Jackson; Daniel Carvalho (Leandrão) e Luiz Cláudio (Diogo).
Técnico: Carlos Alberto Parreira

SANTOS
Fábio Costa; Preto, Galván (Pitarelli) e Pereira; Valdir (Leandro), Marcelo Silva, Renato, Canindé e Elano; Marcelinho Carioca (Paulo Almeida) e Viola.
Técnico: Cabralzinho



Santos perde no Sul e se distancia da classificação

Derrotada pelo Inter, equipe cai para o 12º lugar e fica mais longe de obter uma vaga para a 2ª fase do Brasileirão

O Internacional derrotou o Santos por 3 a 0, em Porto Alegre, e chegou aos 40 pontos no Campeonato Brasileiro, aproximando-se da classificação para a próxima fase.

O time da Vila Belmiro, com esse resultado, caiu para o 12º lugar, com 35 pontos, e reduziu suas chances de ficar entre os oito mais bem colocados que passam à fase seguinte do torneio.

No domingo, o Santos enfrenta a Ponte Preta, nona colocada com 38 pontos e seu rival direto na disputa por uma vaga, em casa. Já o Inter, sexto colocado, pegará o desesperado Flamengo.

O time do técnico Carlos Alberto Parreira começou o jogo tentando se impor ao rival.

Com uma formação que resguardava o setor defensivo da equipe e permitia que seus atacantes tivessem mais liberdade de ação, o Inter encurralou o adversário, especialmente por intermédio do atacante Daniel Carvalho.

Aos 5min, Jackson passou a bola para Carlinhos na entrada da área, que lançou Daniel Carvalho. Ele arrancou em velocidade pela esquerda, chegou ao fundo e cruzou. Fábio Costa evitou o gol do Inter ao fazer a intervenção no momento em que Jackson se preparava para concluir.

Em seguida, novamente com Daniel Carvalho, o melhor em campo, a equipe gaúcha chegou ao primeiro gol, aos 21min. O atacante do Inter driblou Galván e levantou a bola para Luiz Cláudio, que, quase sem ângulo, conseguiu uma bela conclusão por cobertura.

O Santos tentou reagir. Marcelinho foi até a linha de fundo, pela esquerda, e chutou com perigo. Depois disso, aos 37min, o meia-atacante santista, contundido, deixou o gramado.

No segundo tempo, o time comandado por Parreira recuou e deu espaços ao rival.

Em seguida, o treinador, percebendo a falha, orientou sua equipe a adiantar a marcação. Isso, porém, foi insuficiente para conter os atacantes adversários.

O Santos envolvia a defesa rival com facilidade e criou pelo menos duas boas oportunidades de gol, que não foram aproveitadas.

Apesar de estarem sendo pressionados, os gaúchos chegaram ao segundo gol. O atacante Diogo invadiu a área e foi derrubado por Galván. O juiz marcou pênalti, e Carlinhos ampliou o placar.

No lance, o goleiro santista Fábio Costa foi expulso após reclamar da marcação do árbitro Alvaro Azeredo Quelhas. Para a entrada do goleiro reserva Pitarelli, Cabralzinho tirou Gálvan.

A equipe gaúcha se aproveitou do fato de ter um jogador a mais que o adversário e continuou dominando a partida.

No final do jogo, Jackson entrou na área santista, driblou o zagueiro Pereira e chutou no canto direito de Pitarelli, fechando o placar a favor dos gaúchos.

Paulistas apostam no fator campo

Os jogadores do Santos deixaram o estádio ainda esperançosos na classificação. E para tanto querem vencer as duas partidas que têm para disputar na Vila Belmiro -contra Ponte Preta e Vasco.

“Eu ainda acredito muito na classificação. Sei que temos condições de vencer os jogos que temos em casa. Nosso time tem qualidade, e sei que na Vila vamos ganhar as nossas partidas”, afirmou o zagueiro Preto.

O goleiro Fábio Costa, que desfalca a equipe no próximo jogo porque terá de cumprir suspensão automática, foi fortemente repreendido por Cabralzinho devido à sua expulsão. Assim como os outros jogadores, ele discordou da marcação do pênalti.

Além de ter reclamado do juiz, o jogador bateu palmas ironicamente. “Parecia algo premeditado”, desabafou o atleta.