Santos 0 x 0 Botafogo-SP – 3 x 1 pênaltis

Data: 21/03/2018, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Paulista – Quartas-de-final – Jogo de volta
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.209 pagantes
Renda: R$ 166.630,00
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho
Auxilieres: Marcelo Carvalho Van Gasse e Daniel Paulo Ziolli.
Cartão amarelo: Diones (B).

SANTOS
Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Alison; Eduardo Sasha (Vitor Bueno), Léo Cittadini, Jean Mota (Diogo Vitor) e Rodrygo (Arthur Gomes); Gabriel.
Técnico: Jair Ventura

BOTAFOGO-SP
Tiago Cardoso; Marcos Martins, Naylhor, Plínio (Carlos Henrique) e Mascarenhas; Willian Oliveira, Diones, Lucas Taylor (Jheimy), Danielzinho (Cafu) e Dodô; Bruno Moraes.
Técnico: Léo Condé



Santos elimina o Botafogo nos pênaltis e avança à semifinal

Depois de 0 a 0 em 180 minutos, o Santos eliminou o Botafogo nos pênaltis, por 3 a 1, na Vila Belmiro. Arthur Gomes converteu a penalidade decisiva depois de Vitor Bueno e Lucas Veríssimo errarem. A equipe de Ribeirão Preto chutou três para fora.

O Peixe agora aguarda pelo adversário na semifinal. Palmeiras e Novorizontino se enfrentam nesta quarta-feira. O Corinthians recebe o Bragantino nesta quinta.

O jogo:

Os primeiros minutos do jogo empolgaram, mas a animação parou em pouco tempo. Depois de chances em sequência do Santos, o Botafogo acertou a marcação e a partida ficou monótona, com poucas oportunidades.

Aos 19 minutos, o Botinha teve seu melhor momento na etapa inicial. Danielzinho encontrou Bruno Moraes, que parou em Vanderlei. No rebote, o centroavante tentou de novo, e a bola passou perto da trave esquerda do goleiro.

Depois de algumas finalizações de fora da área, o Santos teve a melhor chance nos minutos finais, quando Daniel Guedes cruzou e Dodô, no segundo pau, bateu de primeira e quase marcou.

Nos 45 minutos finais, o jogo foi um pouco mais movimentado. O Santos diminuiu os cruzamentos para tentar infiltrações e finalizações de fora da área. Gabigol teve duas chances. Na primeira, aos 4, chutou por cima do gol. Na segunda, arrancou sozinho, não teve força para ganhar dos defensores e tentou cavar pênalti.

No segundo tempo, o Botafogo ofereceu menos perigo, mas o Peixe seguiu sem criatividade. O time abusou dos cruzamentos e só levou perigo em finalizações de fora da área, principalmente com chutes de Arthur Gomes, aos 38 e 44, defendidos por Tiago Cardoso. Pouco antes, Gabigol recebeu bom passe de Daniel Guedes, mas tentou um gol improvável e não servir Eduardo Sasha, que estava sozinho.

Penalidades máximas

Gabigol converteu o primeiro pênalti, Jheimy empatou, Vitor Bueno e Bruno Moraes desperdiçaram, Diogo Vitor colocou o Santos na frente, antes de Dodô chutar longe. Lucas Veríssimo assustou a torcida ao bater por cima, mas Willian Oliveira errou e Arthur Gomes classificou o Peixe para a semifinal.

Bastidores – Santos TV:

Jair analisa classificação e pede um 10 no Santos: “É evidente”

O Santos teve dificuldade para eliminar o Botafogo e avançar à semifinal do Campeonato Paulista. Depois de 0 a 0 no Santa Cruz e na Vila Belmiro, o Peixe avançou por 3 a 1 nos pênaltis. Mesmo assim, o técnico Jair Ventura valoriza a classificação e cita a eliminação na mesma fase da competição em 2017.

“É o sentimento de um trabalho em início, mas a classificação é importante. Sentimos a atmosfera do clube… E fomos eliminados na mesma fase no ano passado (para a Ponte Preta), com equipe que não estava em formação. Dos 10 da linha, só dois jogaram (David Braz e Lucas Veríssimo) mais o Vanderlei. Demos passo à frente, mas ainda pouco pelo tamanho do Santos. Agora não vamos analisar adversário. A parte do Santos foi feita. Primeiro tempo não foi nosso melhor jogo, melhoramos no segundo, criamos mais chances. Não vencemos no tempo normal, mas tivemos eficiência e controle emocional nos pênaltis. Agora vamos esperar o adversário”, disse o treinador, em entrevista coletiva.

Depois de criar poucas chances em 180 minutos, Jair voltou a pedir um camisa 10 no Peixe. Para o técnico, a necessidade de um armador é “evidente”.

“Fica evidente. Estamos buscando um camisa 10. Jean, Vecchio, Bueno jogaram e estão tentando segurar a 10. Eu brinco com eles, brinquei com o Vecchio… Tem que ser o cara para ser titular absoluto. Enquanto não achamos, vamos buscar. Diogo (Vitor) entrou bem pelo meio, com característica diferente. Queria esse poder pelo meio. Ele entrou, foi bem, fiz a mudança do Sasha, que pediu para sair. Queria tirar um volante para colocar um atacante, mas não consegui. Botafogo veio bem postado, na transição, sem tirar seu mérito. Tivemos dificuldade de entrar nesse equipe. Com as duas linhas de quatro, é muito difícil”, completou.

Jair admite exagero em cruzamentos no Santos: “Vamos corrigir”

Com dificuldades para encontrar espaços na defesa do Botafogo-SP e a chuva forte na Vila Belmiro, o Santos abusou dos cruzamentos e não se deu bem antes da partida terminar em 0 a 0 e a classificação para a semifinal do Campeonato Paulista vir nos pênaltis.

O Peixe cruzou 43 vezes. 31 erradas. Vários dos levantamentos foram feitos da intermediária, sem jogadas até a linha de fundo, facilitando para a defesa adversária, que fica de frente para a bola.

O técnico Jair Ventura admite que, nesse duelo, os cruzamentos foram exagerados, mas destaca a importância do fundamento para o alvinegro no Paulistão.

“A gente tem o levantamento do Campeonato Paulista. Santos é a equipe que mais acerta cruzamentos. Cruzamentos que terminam em lance de gol. Não é aleatório como o Nacional-URU. Tentamos triangulações com campo apoiado. Foi mais pela chuva e boa defesa do Botafogo… Concordo que houve um pouco de exagero, mas vamos corrigir”, explicou o treinador.

Enquanto a defesa se mantém segura, o Santos não fez gols em 180 minutos contra o Botafogo. O Peixe precisará melhorar o desempenho ofensivo para a sequência do Paulistão. O adversário na semifinal será definido nesta quinta-feira e pode ser Palmeiras, o mais provável, ou São Paulo.

Arthur ressalta volta por cima e Gabigol cita luta em campo no Santos

Arthur Gomes lavou a alma nesta quarta-feira, ao converter o pênalti da classificação do Santos contra o Botafogo, na Vila Belmiro. O atacante perdeu uma penalidade na vitória sobre o Nacional, pela Libertadores.

“Não se pode abaixar a cabeça. Foi mais importante a cobrança hoje, era decisão. Todo dia que venho jogar futebol eu sinto que algo diferente vai acontecer. Eu faço o que eu amo”, disse o atacante, ao Premiere, antes de ser defendido pelo técnico Jair Ventura.

“Quando Arthur perdeu pênalti, recebi críticas pelo menino bater. E fico feliz por ele ter dado a volta por cima. Fico feliz. Ele merece”, afirmou o treinador.

Gabigol também converteu seu pênalti, mas não se destacou durante os 90 minutos. Depois de desperdiçar algumas chances, o camisa 10 valoriza sua luta em campo.

“Tentei lutar bastante. Centroavante hoje não é mais só gol, tem que ajudar na marcação. Foi um jogo difícil, mas importante é a vitória”, explicou o atacante.

Diogo Vitor agrada como meia e vira nova opção no Santos de Jair

O maior desafio do Santos de Jair Ventura é encontrar o meia titular. Sem reforço para o setor, Jair Ventura já testou Vecchio, Jean Mota, Vitor Bueno… E a nova opção é Diogo Vitor.

Com características de ponta, Diogo também pode atuar centralizado, como na partida contra o Botafogo-SP, na última quarta-feira, na Vila Belmiro. O jogador foi elogiado pelo técnico.

“Estamos buscando um camisa 10. Jean, Vecchio, Bueno, e eles estão tentando segurar a 10. Eu brinco com eles, brinquei com o Vecchio… Tem que ser o cara para ser titular absoluto. Enquanto não achamos, vamos buscar. Diogo (Vitor) entrou bem pelo meio, com característica diferente. Queria esse poder pelo meio. Ele entrou e foi bem”, disse Jair.

Sem ter o passe como principal fundamento, Diogo Vitor conduz mais a bola e tem o drible e o chute de fora da área como característica, diferentemente dos concorrentes de posição. Nos treinamentos, o atleta tem sido adaptado ao papel de camisa 10, número que vestia no Santos B, mas sem exercer o papel de armador.

O Peixe tentou Lucas Zelarayán, do Tigres-MEX, e Marquinhos Gabriel, do Corinthians, mas sem sucesso. Ganso, do Sevilla-ESP, interessa caso consiga rescindir o contrato com o clube espanhol.