Santos 1 x 0 Atlético-PR

Data: 10/08/2017, quinta-feira, 21h45.
Competição: Copa Libertadores – Oitavas de final – Jogo de volta
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 12.360 pagantes
Renda: R$ 622.995,00
Árbitro: Mauro Viglian (ARG)
Auxiliares: Diego Bonda e Gabriel Chade (ambos da ARG).
Cartões amarelos: Guilherme (A).
Gol: Bruno Henrique (32-2).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Alison (Daniel Guedes), Yuri (Jean Mota) e Lucas Lima; Copete (Thiago Ribeiro), Bruno Henrique e Ricardo Oliveira.
Técnico: Levir Culpi

ATLÉTICO-PR
Weverton; Jonathan, Paulo André, Thiago Heleno e Fabrício; Rossetto (Bruno Guimarães), Lucho e Nikão, Sidcley (Pablo) e Guilherme; Ribamar (Ederson).
Técnico: Fabiano Soares



Santos é dominado pelo Atlético-PR, mas marca no fim e avança na Libertadores

Parece repetitivo escrever que o futebol não é uma ciência exata. Porém, o duelo entre Santos e Atlético-PR, nesta quinta-feira, na Vila Belmiro, apenas expõe como esse é um esporte inexplicável. Completamente dominado dentro de seu estádio, o time comandado por Levir Culpi foi posto ‘na roda’ e viu o Furacão pressionar, parando em Vanderlei, Veríssimo e na trave. E quando a pressão atleticana parecia que daria resultado, foi o alvinegro que marcou com Bruno Henrique, na reta final do segundo tempo, e confirmou a classificação para as quartas de final da Libertadores.

Com a vaga garantida, o Peixe agora se prepara para encarar o Barcelona de Guayaquil na próxima fase da competição continental. Porém, como o embate só acontecerá em setembro, a equipe comandada por Levir Culpi precisa ‘virar a chavinha’ e pensar no Campeonato Brasileiro, já que pega o Fluminense na próxima segunda-feira, às 20h (de Brasília), no Pacaembu.

O Furacão, por sua vez, esquece de vez a Libertadores e mira suas forças apenas na luta para chegar no G6 do Brasileirão. No próximo domingo, o time paranaense recebe o Bahia, às 19h, pela 20ª rodada do torneio nacional.

O jogo:

O jogo começou truncado na Vila Belmiro, como uma decisão de Libertadores. Precisando reverter a vantagem, o Atlético-PR demonstrou mais ímpeto no início e teve a primeira boa chegada do duelo. Aos 9 minutos, Nikão driblou Victor Ferraz no lado esquerdo e bateu. A bola desviou na zaga e assustou Vanderlei.

No lance seguinte, Nikão avançou novamente pela esquerda e cruzou na área. David Braz furou ao tentar afastar, mas o camisa 1 do Peixe salvou.

As duas chegadas atleticanas ‘acordaram’ o Santos, que respondeu na sequência, quando Bruno Henrique recebeu de Ricardo Oliveira e bateu de longe, passando perto do travessão de Weverton.

Porém, após a primeira chance desperdiçada, o alvinegro recuou e entregou a bola para o Furacão, esperando por um contra-ataque. O time de Curitiba, por sua vez, passou a dominar as ações e só não abriu o placar porque o Peixe tinha Vanderlei embaixo da trave.

Mostrando nenhum abatimento por ficar fora da lista de convocados da Seleção Brasileira, o goleiro santista fez três grandes defesas em um minuto e salvou o Santos novamente na Vila.

A pressão atleticana continuou. Aproveitando-se da fragilidade no meio-campo santista com Yuri e Alison, a equipe comandada por Fabiano Soares botou o Peixe ‘na roda’. Aos 37 minutos, Jonathan avançou com facilidade pelo lado direito e cruzou para o meio da área. Sidcley, completamente sozinho, bateu no meio do gol. Porém, se Vanderlei estava vendido no lance, foi a vez de Lucas Veríssimo colocar o peito na bola, em cima da linha, e livrar o alvinegro de ir para o intervalo em desvantagem no marcador.

Mesmo com a entrada de Jean Mota na vaga de Yuri, o segundo tempo começou da mesma forma que o primeiro: com o Atlético-PR dominando completamente o Santos dentro da Vila. Aos 13 minutos, Jonathan cruzou para Ribamar, mas Lucas Veríssimo dividiu com o atacante e afastou o perigo.

Dois minutos depois, porém, o Peixe finalmente assustou o goleiro Weverton. Após lindo lançamento de Jean Mota, Veríssimo desviou de cabeça e a bola tirou tinta da trave esquerda do arqueiro atleticano.

A chance desperdiçada pelo alvinegro não diminuiu o ímpeto do Furacão, que seguiu dominando e pressionando em plena Vila Belmiro. Aos 26 minutos, Sidcley mandou de fora da área e obrigou Vanderlei a fazer mais uma boa defesa.

No lance seguinte, quem salvou o Santos foi a trave. Após cruzamento de Nikão, Jonathan apareceu livre na área e cabeceou na trave. Logo depois, Sidcley também avançou sem marcação e só parou em Vanderlei.

Porém, mesmo sendo completamente amassado na Vila, o Peixe conseguiu encaixar o tão esperado contra-ataque e matou o confronto. Aos 32 minutos, Lucas Lima lançou para Ricardo Oliveira na direita. O atacante cruzou na medida para Bruno Henrique apenas escorar e decretar a classificação santista na Libertadores.

Bastidores – Santos TV:

Herói do Santos, Vanderlei esquece seleção: ‘Estou em um grande clube’

Já virou rotina escrever que Vanderlei foi o herói do Santos. Nesta quinta-feira, o camisa 1 foi decisivo mais uma vez, fez diversas defesas importantes e segurou a pressão do Atlético-PR em plena Vila Belmiro, garantindo a classificação santista para as quartas de final da Libertadores.

Antes de ser protagonista do alvinegro de noite, o goleiro viu o técnico Tite deixá-lo de fora da lista de convocados da seleção brasileira para a os jogos contra o Equador, no próximo dia 31, em Porto Alegre, e Colômbia, no dia 5 de setembro, fora de casa, válidos pelas Eliminatórias Sul-Americanas. Esquecido pelo comandante da amarelinha, Vanderlei valorizou seu momento no Santos.

“Não tenho o que reclamar de nada (sobre a não convocação). Estou em um grande clube, jogando grandes campeonatos. Tenho consciência de que tenho feito o meu melhor”, disse o camisa 1 após a vitória por 1 a 0 sobre o Atlético-PR, na Vila Belmiro.

Com a vaga garantida, o Santos agora se prepara para encarar o Barcelona de Guayaquil nas quartas de final da competição continental. O embate acontecerá em setembro.

“A gente precisava dessa classificação. Eles (Atlético-PR) fizeram uma bela partida, mas o importante é passar de fase. O Barcelona é um adversário difícil. Precisamos fazer um bom jogo fora de casa para ficarmos mais tranquilos na Vila”, concluiu Vanderlei.