Santos 2 x 0 Estudiantes

Data: 24/04/2018, terça-feira, 21h30.
Competição: Copa Libertadores – Grupo 6 – 4ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 10.969 pagantes
Renda: R$ 409.460,00
Árbitro: Eber Aquino (PAR)
Auxiliares: Dario Gaona e Rodney Aquino (ambos do PAR)
Cartões amarelos: Alison (S); Campi, Braña, Dubarbier, Escobar e Lattanzio (E).
Cartão vermelho: Escobar (E).
Gols: Gabigol (43-1) e Lucas Veríssimo (04-2).

SANTOS
Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Alison, Léo Cittadini (Renato) e Jean Mota; Copete (Arthur Gomes), Rodrygo (Vitor Bueno) e Gabriel.
Técnico: Jair Ventura

ESTUDIANTES DE LA PLATA
Andújar; Sánchez, Desábato; Schunke, Braña, Rodríguez (Escobar), Gómez (Gímenez), Dubarbier (Lattanzio) e Campi; Melano e Otero.
Técnico: Lucas Bernardi



Em noite de redenções, Santos vence o Estudiantes e encaminha classificação

Em noite de redenção para Copete e Gabigol, o Santos venceu o Estudiantes por 2 a 0 na noite desta terça-feira, na Vila Belmiro, chegou a nove pontos no Grupo 6 e ficou bem perto da vaga nas oitavas de final da Libertadores da América. Os gols foram marcados por Gabriel Barbosa e Lucas Veríssimo.

Copete não atuava desde o dia 11 de março, em derrota para o São Bento. Com Eduardo Sasha fora por causa de pancada no tornozelo esquerdo e Arthur Gomes debilitado por conta de um entorse no joelho direito, o colombiano teve chance de ser titular e foi muito bem. Foi dele a assistência para Gabriel no primeiro gol.

E por falar em Gabigol, ele honrou o apelido. Depois de dois meses de jejum, o camisa 10 desencantou. Com a categoria de seus melhores momentos, o Menino da Vila deslocou Andújar e correu para abraçar o técnico Jair Ventura.

O Peixe controlou o jogo desde o primeiro minuto, pouco sofreu e poderia até ter feito mais gols. Rodrygo não fez gol ou deu assistência, mas foi um dos destaques. Em um lance no segundo tempo, quase fez um golaço. A joia voltou a cansar e foi mais uma vez substituída no segundo tempo.

O jogo

O Santos dominou os 46 primeiros minutos de jogo. O Peixe controlou a partida desde o apito inicial e acuou o Estudiantes na Vila Belmiro. O goleiro Vanderlei foi um mero espectador.

As primeiras oportunidades vieram com Rodrygo, pelo lado esquerdo do ataque. Logo aos dois minutos, Copete, de volta ao time após mais de um mês, acertou o travessão.

Com Rodrygo inspirado, Gabigol aceso e Copete melhor do que nas últimas atuações, o Peixe seguiu perto do gol, que quase veio aos 17 minutos, em finalização de chapa do Gabigol rente à trave esquerda de Andújar.

O alvinegro chegava à intermediária ofensiva com facilidade, mas pecava no último passe. Na segunda metade do jogo, o time passou a exagerar nos cruzamentos. Com três zagueiros, o Estudiantes levava a melhor.

E quando parecia mais distante de abrir o placar, o Santos saiu na frente. Copete acertou lindo lançamento de direita para Gabigol, com muita categoria, deslocar Andújar aos 43 minutos. O atacante desencantou depois de dois meses de jejum. Na comemoração, correu para os braços do técnico Jair Ventura. E vários jogadores abraçaram o colombiano.

Na segunda etapa, o cenário não mudou. E logo aos quatro minutos, o Santos ampliou. Jean Mota cobrou falta na cabeça de Lucas Veríssimo. O zagueiro marcou pela terceira vez com a camisa do Peixe.

Aos 14 minutos, o Estudiantes criou sua melhor chance. E na verdade, nem teve mérito. Dubarbier cruzou, David Braz afastou mal, a bola bateu em Otero e quase entrou. Vanderlei nem se mexeu.

Os argentinos se lançaram ao atacante e, enquanto isso, o Santos teve espaço no contra-ataque. E foi dessa forma que o terceiro gol quase veio aos 19 minutos, quando Gabigol recebeu longo lançamento de Jean Mota e chutou bem, para boa defesa de Andújar. Na sequência, em nova ligação direta, agora com Dodô, Rodrygo arrancou, mas errou na hora de cruzar.

Aos 27 minutos, Rodrygo quase fez um golaço. Domínio perfeito em cruzamento de Daniel Guedes, drible para a direita e chute raspando o travessão. E aos 37, veio a resposta, em linda defesa do goleiro Vanderlei em voleio de Sanchéz. Nos minutos finais, os argentinos não esboçaram a reação e o Santos confirmou a vitória.

Melhor em campo, Rodrygo explica vômito em vitória do Santos: “Tranquilo”

Rodrygo foi eleito, pelos organizadores da Libertadores, o melhor jogador na vitória do Santos por 2 a 0 sobre o Estudiantes nesta terça-feira, na Vila Belmiro. A vitória encaminhou a classificação do Peixe às oitavas de final.

E mais do que sua atuação, o atacante chamou a atenção por passar mal em campo. Ele recebeu um chute no estômago e vomitou. Os médicos solicitaram a sua saída, mas ele pediu para permanecer.

“É um campeonato muito difícil, mas tudo está na cabeça, é manter a concentração. Acabei vomitando ali fora, mas só joguei para fora e voltei tranquilo. Já estou pronto para tomar outra, tranquilo (risos)”, disse Rodrygo, à Fox Sports.

No segundo tempo, Rodrygo quase fez um golaço. Ele recebeu um cruzamento de Daniel Guedes no segundo pau, dominou perfeitamente a bola, driblou e chutou rente ao travessão. Ele acabou substituído, ovacionado pelos mais de 10 mil torcedores presentes.

Jair vibra por resgate de Copete no Santos: “Eu não liberei”

Em má fase, Copete vinha brigando por um vaga no banco de reservas do Santos. E nessa terça-feira, a situação mudou. O colombiano aproveitou o problema no tornozelo de Eduardo Sasha e as dores no joelho de Arthur Gomes após entorse para ser titular e se destacar nos 2 a 0 sobre o Estudiantes, na Vila Belmiro.

Copete foi procurado por alguns clubes, como o Vitória, mas Jair Ventura optou por sua permanência. O técnico explica suas motivações e comemora pela decisão aparentemente correta.

“Trabalhamos o Copete para recuperá-lo e hoje deu passe decisivo (na assistência para Gabigol) Ele aproveitou a oportunidade da melhor maneira possível. Ele trabalha demais e não vivia no seu melhor momento. Hoje foi importante. Se eu fizesse o que todos queriam, teria emprestado o Copete”, disse Jair, em entrevista coletiva.

“Tiveram muitas propostas para o Copete e eu não liberei. Quis recuperá-lo, trazê-lo pra gente. Ele não estava em um momento bom, mas temos que recuperar esses atletas. A gente critica as pessoas. A gente julga muito. E julgaram o Copete para nada, o menino entrou e fez um grande jogo”, completou.

A contusão de Eduardo Sasha não preocupa o departamento médico e o atacante deve retornar contra o Nacional, no Uruguai, dia 1º de maio. De qualquer forma, Copete mostrou que pode ser importante na temporada.

Gabigol minimiza jejum, comemora vitória e cita “bronca” de Jair

Depois de dois meses sem marcar, Gabigol quebrou o jejum ao abrir o placar na vitória do Santos por 2 a 0 sobre o Estudiantes nesta terça-feira, na Vila Belmiro. O resultado encaminhou a classificação do Peixe às oitavas de final. O alvinegro precisa de um ponto contra Nacional no Uruguai e Real Garcilaso em casa.

O camisa 10 minimiza o período sem marcar, exalta a vitória, destaca a mobilidade no ataque e cita uma bronca do técnico Jair Ventura.

“A gente procura movimentar bastante, sabemos que temos atacantes leves. Copete e Sasha já jogaram de centroavante, hoje fui eu. Jair fica até meio bravo quando fico saindo da área. Centroavante não tem que fazer só gol. Tem que batalhar, lutar, abrir espaço para os companheiros, o importante é ajudar o time na vitória”, disse Gabriel à Fox Sports.

“Não pesa (o jejum de gols), eu venho fazendo o que sempre treinei. Pude ter calma na hora da fazer o gol, muito bom voltar a marcar. Não me incomoda, o que me incomoda é não ganhar. Hoje conseguimos uma vitória e tem o bônus do gol”, completou.

Léo Cittadini e Vecchio viram novas preocupações no Santos

Depois de entorse no tornozelo de Eduardo Sasha e entorse no joelho de Arthur Gomes, o Santos ganhou novas preocupações no departamento médico: Léo Cittadini e Vecchio

Cittadini sofreu uma entorse durante a vitória por 2 a 0 sobre o Estudiantes, nesta terça-feira, na Vila Belmiro. E Vecchio não foi relacionado por causa de tendinite. O técnico Jair Ventura citou os problemas físicos, mas não deu detalhes dos locais ou da gravidade.

O Santos voltará a campo para enfrentar o Nacional, no Uruguai, dia 1º de maio, pela quinta rodada da fase de grupos da Libertadores. O Peixe espera recuperar todo o elenco para a partida. Se empatar, o alvinegro garante a vaga nas oitavas de final com um jogo de antecedência.

Bruno Henrique, com lesão muscular de grau 2 na coxa esquerda, é desfalque certo. De qualquer forma, o atacante já estaria suspenso na Libertadores por conta de uma expulsão contra o Barcelona de Guayaquil, na edição de 2017 da competição continental.