Grêmio 5 x 1 Santos

Data: 06/05/2018, domingo, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 3ª rodada
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS.
Público: 27.844
Renda: R$ 822.966,00
Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez (PE)
Auxiliares: Cleberson do Nascimento Leite e Marcelino Castro de Nazare (ambos do PE).
Cartões amarelos: Lucas Veríssimo, Dodô e Alison (S).
Gols: Maicon (30-1), Jean Mota (32-1) e Everton (46-2); Maicon (09-2), André (24-2) e Arthur (34-2).

GRÊMIO
Marcelo Grohe; Léo Moura (Madson), Pedro Geromel, Kannemann e Bruno Cortez (Marcelo Oliveira); Maicon, Arthur, Ramiro, Luan e Everton; André (Jael).
Técnico: Renato Gaúcho

SANTOS
Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Alison, Léo Cittadini (Copete) e Jean Mota; Eduardo Sasha, Rodrygo (Vitor Bueno) e Gabriel (Arthur Gomes).
Técnico: Jair Ventura



Retranca não funciona, e Santos é goleado pelo Grêmio

O Grêmio goleou o Santos por 5 a 1 na noite deste domingo, em sua arena, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. O Tricolor superou a retranca do Peixe com tranquilidade e marcou com Maicon (2), Everton, André e Arthur. O de honra foi de Jean Mota.

Os gaúchos dominaram o jogo desde o início e viram um alvinegro de certa forma covarde, tentando se defender e se desfazendo da bola com rapidez. No primeiro tempo, o Santos perdeu “apenas” por 2 a 1. Na segunda etapa, com a mesma postura, os visitantes sucumbiram à pressão.

O Grêmio, insaciável, tentou aumentar a goleada a todo tempo. O Santos, nocauteado, tentou não ser humilhado. A derrota teve gritos de olé desde cedo e até uma discussão calorosa entre os companheiros Vanderlei e Alison.

O jogo:

O Grêmio teve domínio total nos primeiros 48 minutos de jogo. A postura do Santos, desde o pontapé inicial, ficou clara: defender e tentar se contra-atacar. O problema foi uma retranca incompetente e a dificuldade para trocar três passes consecutivos quando a bola, poucas vezes, ficou nos pés dos alvinegros.

Com o Peixe quase todo na defesa, o Tricolor teve calma para rodar a bola e tentar encontrar espaços. Em boa parte da etapa inicial, a saída foi finalizar de fora da área. Com o tempo, porém, os atalhos foram encontrados, principalmente depois do primeiro gol. E um golaço. Aos 30 minutos, Maicon recebeu na intermediária ofensiva. O capitão teve tempo para dominar, olhar pensar e… brilhar. Um chute indefensável, no ângulo de Vanderlei.

Ao tomar o gol, o alvinegro teve que abdicar de sua postura conservadora. Mas durou pouco. Dois minutos depois, Rodrygo acelerou e Léo Cittadini tocou para Jean Mota achar um gol. O meia chutou fraco, com a perna direita (ruim) e contou com o desvio em Kannemann para pegar Marcelo Grohe no contrapé.

Com a igualdade no placar, o Santos poderia ter tentado incomodar mais o Grêmio, mas voltou para a estratégia inicial: se defender. E não deu certo: O Grêmio empilhou chances, viu Luan acertar o travessão, e aos 46 minutos, a justiça foi feita, quando Everton recebeu de Léo Moura na área e deslocou Vanderlei. Alison e Lucas Veríssimo não foram bem na jogada.

Depois de perder por pouco no primeiro tempo, o Santos sucumbiu na segunda etapa. A conversa no vestiário deve ter sido a mesma da preleção e, mesmo com a desvantagem, a postura foi a mesma: tentar se defender e atacar quando der.

O Grêmio, insaciável, ampliou novamente com Maicon, em cobrança de falta perfeita aos 9 minutos. Sem qualquer indício de reação, o Peixe tinha um novo objetivo: não ser goleado. E a missão não foi alcançada. Depois de várias chances criadas, André fez valer a ‘Lei do Ex’ e empurrou após passe de Luan aos 24 minutos. E aos 34′, Arthur, com todo o espaço do mundo, deslocou Vanderlei em mais uma tentativa de fora da área.

Em todo esse tempo relatado acima, o Santos foi incapaz de criar uma chance clara de gol. E a jogada do quarto do Grêmio resume o que foi a partida, com gritos de olé desde cedo: Daniel Guedes invadiu a área e chutou o chão. Na sequência, contra-ataque concluído por André.

Nos minutos finais, o Peixe, nocauteado, correu o risco de uma goleada histórica. O Grêmio, melhor time do futebol brasileiro, teve o luxo de preservar Léo Moura, Bruno Cortez e André. O alvinegro tentou melhorar com as entradas de Copete, Arthur Gomes e Vitor Bueno, mas não melhorou. Nem perto disso.

Jair nega vexame, mas admite noite ruim do Santos após goleada

O Santos foi goleado por 5 a 1 pelo Grêmio neste domingo, em Porto Alegre, mas Jair Ventura não acredita que tenha sido um vexame. O técnico, porém, admitiu a noite ruim do Peixe.

“Foi um jogo onde uma equipe fez uma excelente partida e nós não fizemos. Todo mundo tem a liberdade de expressão, mas vejo placar elástico de uma equipe com treinador há muito tempo, e em contrapartida o Santos longe de seu melhor jogo. Não acho que seria essa palavra (vexame), mas você (repórter) tem total liberdade de falar”, disse Jair, em entrevista coletiva.

O treinador não achou que errou em sua estratégia de jogo, de marcar bem e buscar contra-ataque. Na visão de Jair, o Peixe já venceu assim em outras oportunidades.

“Sobre a estratégia, foi a mesma de quando ganhamos, mas hoje não deu certo por uma noite muito boa do Grêmio e uma não boa do Santos. Poderíamos ter saído com outro placar, poderia ter sido diferente, agora é fácil falar. Temos que fazer diferente na próxima oportunidade”, completou.

Braz “elogia” discussão entre Vanderlei e Alison após goleada e critica arbitragem

A goleada por 5 a 1 para o Grêmio neste domingo, em Porto Alegre, causou até uma discussão entre companheiros do Santos. Vanderlei e Alison bateram boca de forma calorosa pouco antes do apito final.

Capitão, David Braz viu o lado bom da discussão entre os santistas. A reportagem do SporTV tentou ouvir Vanderlei, mas o zagueiro pediu para falar no lugar do camisa 1.

“Às vezes acontece isso pelo resultado e jogo ruim. Faz parte. São grandes amigos. É até bom por ninguém estar contente com o resultado. Vamos nos cobrar e o resultado diz tudo”, disse o camisa 14.

Braz elogiou o futebol do Grêmio e admitiu a inferioridade do Santos nessa partida, mas também reclamou da arbitragem de Pericles Bassols Pegado Cortez (PE).

“Grêmio vem jogando bem, tem o fator casa, mas tem a ajudinha da arbitragem também. Pelo amor de Deus. Gol de falta no Maicon não foi. André grita e é falta. Grêmio se animou com esse gol e a gente saiu para a frente, tentou ir para cima e aproveitaram o contra-ataque. Agora tem que ter cabeça fria, é difícil, e teremos decisão na Copa do Brasil”, concluiu o defensor.

Presidente do Santos apoia Jair e promete reforços para ajudá-lo

A derrota por 5 a 1 para o Grêmio não faz o Santos cogitar a demissão de Jair Ventura. Pelo contrário. O presidente José Carlos Peres e os demais dirigentes aprovam o trabalho do técnico e veem parcela de culpa nas dificuldades neste início de temporada.

A principal dívida com Jair é a ausência de um meia para substituir Lucas Lima. E esse armador só virá depois da Copa do Mundo, a partir de julho, na reabertura da janela internacional de transferências e a retomada do futebol no país.

“Não há nenhuma possibilidade de demissão”, disse Peres, em rápido contato com a reportagem da Gazeta Esportiva, antes de responder o que pode fazer para ajudar Jair Ventura.

“Reforços! Mas dependemos da janela se desejarmos qualidade”, completou o presidente, indicando que as soluções não virão do mercado nacional.

O Comitê de Gestão do Santos se reunirá na noite desta segunda-feira, na Vila Belmiro, para tratar de reforços e outros assuntos. A ideia é definir os alvos e encaminhar as negociações. Um volante, um meia e um centroavante estão nos planos. Até o momento, Dodô, Gabigol e Eduardo Sasha, três titulares, foram contratados.

Uma das preocupações do Peixe é a postura do elenco nas derrotas para o Nacional-URU e Grêmio. A apatia é vista como incomum, além da discussão em campo entre Vanderlei e Alison e a cera feita pelos atletas desde os primeiros minutos. Uma conversa da diretoria com os jogadores está prevista para os próximos dias.