Santos 1 x 0 Atlético-PR

Data: 23/09/2017, sábado, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 25ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 4.257 pagantes
Renda: R$ 118.835,00
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Auxiliares: Guilherme Dias Camilo e Sidmar dos Santos Meurer (ambos de MG).
Cartões amarelos: David Braz (S) e Lucho (A).
Gol: Bruno Henrique (34-1).

SANTOS
Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Alison (Matheus Jesus), Vecchio (Serginho) e Jean Mota; Copete, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira.
Técnico: Levir Culpi

ATLÉTICO-PR
Weverton; Jonathan, Paulo André, Wanderson e Fabrício; Pavez, Lucho (Rossetto), Felipe Gedoz (Lucas Fernandes), Nikão e Sidcley (Ribamar); Guilherme.
Técnico: Fabiano Soares



Santos ‘esquece’ trauma da Libertadores e vence Atlético-PR na Vila

A melancólica eliminação do Santos na Libertadores vai demorar muito para sair da cabeça dos santistas. Neste sábado, porém, o Peixe conseguiu afastar um pouco a má impressão que deixou na derrota para o Barcelona de Guaiaquil. Estreando seu novo uniforme, o time comandado por Levir Culpi venceu o Atlético-PR por 1 a 0, na Vila Belmiro, espantou uma possível crise e manteve-se vivo na luta pelo título do Campeonato Brasileiro.

Com o triunfo, o alvinegro chegou aos 44 pontos, ultrapassando Grêmio, com 43, e diminuindo a diferença para o líder Corinthians, que tem 53. Os dois rivais, porém, jogam neste domingo. O time paranaense, por sua vez, parou nos 34 pontos e não encostou no G6 do Brasileirão.

O jogo confirmou que o Peixe é o grande carrasco do Furacão em 2017. O Rubro-Negro foi superado dentro de casa no primeiro turno – 2 a 0 dentro da Arena da Baixada. De quebra, os paranaenses foram eliminados nas oitavas da Libertadores com duas derrotas – 3 a 2 na Vila Capanema e 1 a 0 no litoral paulista.

O jogo:

Assim como aconteceu contra o Barcelona de Guaiaquil, na última quarta, o Santos optou por deixar a bola no pé do Atlético-PR no início do jogo. Porém, a equipe paranaense não conseguiu assustar e quem chegou primeiro foi o Peixe. Aos 16 minutos, Bruno Henrique chutou de fora da área e Weverton salvou.

Já aos 23, foi a vez de Copete lançar para Ricardo Oliveira, que finalizou de primeira, mas mandou por cima.

A resposta do Furacão veio dois minutos depois, quando Gedoz driblou Alison com facilidade e soltou uma bomba de longe. Porém, Vanderlei foi firme na bola e defendeu. Aos 33, a cena se repetiu. O atleticano passou tranquilamente pelo volante santista, mas acabou chutando para fora.

O Peixe avançou no lance seguinte e foi fatal. Após bomba de Jean Mota manda de fora da área, Weverton espalmou, mas soltou nos pés de Bruno Henrique, que só empurrou para abrir o placar na Vila Belmiro.

Em desvantagem, o Atlético-PR se lançou ao ataque antes do intervalo, mas parou em Vanderlei, que fez linda defesa após voleio de Nikão e manteve o 1 a 0 no primeiro tempo.

Mesmo com a vitória parcial, o Peixe voltou melhor que o Furacão para o segundo tempo. Logo aos 3 minutos, Bruno Henrique entortou a marcação na entrada da área, mas acabou mandando por cima do gol de Weverton.

A equipe comandada por Fabiano Soares, por sua vez, não conseguia assustar a meta defendida por Vanderlei. Em compensação, o Santos perdeu boas oportunidades aos 14 minutos. Na primeira, Daniel Guedes fez belo cruzamento para Copete, que bateu de ombro e mandou pra fora. Na sequência, o próprio colombiano aproveitou erro do Furacão bateu colocado da entrada da área, obrigando Weverton a fazer boa defesa.

O Atlético-PR ‘acordou’ aos 24, quando Fabrício bateu firme pelo lado e a bola chegou a tocar na trave de Vanderlei. Dois minutos depois, Nikão cortou o goleiro santista e tocou para Ribamar dentro da área. O atacante bateu para o gol, mas David Braz cortou em cima e salvou o Peixe.

Na reta final do confronto, o Furacão se lançou ao ataque, mas abriu um buraco em sua defesa, proporcionando bons contra-ataques ao Santos e deixando a partida aberta. Porém, ninguém balançou as redes e a partida terminou mesmo com o triunfo santista.

Levir comemora ‘recuperação psicológica’ do Santos após eliminação

Ser eliminado de uma Libertadores nunca é fácil. Porém, o Santos caiu no torneio continental após perder dentro de sua própria casa, o que traumatizou ainda mais o elenco e a torcida. Mesmo assim, os santistas precisam erguer a cabeça rapidamente para enfrentarem o Atlético-PR, neste sábado, na Vila Belmiro, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro.

E apesar de toda a pressão depois da queda na Libertadores, o Peixe conseguiu bater o Furacão por 1 a 0 e segue sonhando com a conquista do Brasileirão. Para o técnico Levir Culpi, porém, a recuperação da confiança foi até mais importante do que o triunfo em si.

“O tamanho da decepção do jogo passado, transportado para essa noite, dava pra imaginar um resultado negativo contra o Atlético. É uma carga pesada. E tivemos apenas três dias de preparo para jogar contra um time de grande porte. Quero dedicar a vitória a todos os jogadores. Nós ficamos decepcionados, mas do lado de fora. Eles ficam do lado de dentro e têm que se recuperar. Então eu dedico aos jogadores que participaram da partida e aos torcedores que vieram torcer pelo Santos. Eu acho que depois de uma derrota, nós devíamos encher o estádio. Colocar o estádio para cima. O maior valor foi a recuperação psicológica. O poder de fogo deles foi impressionante, eu gostei muito de ver”, disse Levir em entrevista coletiva após a partida deste sábado.

Com o triunfo, o alvinegro chegou aos 44 pontos, ultrapassando Grêmio, com 43, e diminuindo a diferença para o líder Corinthians, que tem 53. Os dois rivais, porém, jogam neste domingo. Na próxima rodada, o Peixe visita o Palmeiras, no sábado que vem, às 19h (de Brasília), em São Paulo.

“O próximo adversário é simplesmente o Palmeiras. Imagine se tivéssemos perdido hoje. A repercussão que seria. Por isso eu quero agradecer as pessoas que vieram torcer por nós. Eles (Atlético-PR) tiveram uma semana, enquanto nós três dias. Eu penso que podemos fazer um bom jogo pelo Palmeiras também. Nós traçamos uma meta. Faltam 13 jogos. Nós tivemos 16 jogos sem perder. Nós queremos completar a temporada sem perder. Passou. Você desliga o fator “Libertadores” e liga outro. Só nos restou o Brasileiro. A parte psicológica é envolver todos nessa situação e é a parte mais difícil do futebol”, concluiu Levir.

Guilherme crê que Santos mereceu a vitória e lamenta erros de passe

O atacante Guilherme lamentou a derrota sofrida para o Santos na noite deste sábado, por 1 a 0, entretanto, não crê que o Atlético-PR tenha tido uma má atuação coletiva. Na visão do jogador que pertence ao Corinthians, o time acabou pecando nos detalhes e relembrou o bom desempenho recente para garantir que o Furacão seguirá firme na briga por uma vaga na Libertadores do próximo ano.

“A gente tem feito um final de primeiro turno e início de segundo muito bom. Nosso intuito aqui era vencer. Por uma questão de detalhe tomamos um gol, talvez faltou a gente ser mais incisivo ali no ataque, ser mais forte no último lance. É um resultado que o Santos mereceu, tiveram até mais chances no final. Agora é seguir o trabalho, porque ainda temos a meta de alcançar o G6”, disse Guilherme ao Premiere após a partida.

O atacante também negou que o gol do Santos já na reta final do primeiro tempo tenha abalado a equipe, que foi para o intervalo em desvantagem. Ainda assim, Guilherme admitiu que os erros protagonizados pelos jogadores do Atlético-PR na etapa complementar não podem se repetir.

“A gente continuou conseguindo jogar, quando iniciou o segundo tempo tivemos um número grande de erros de passe até estabilizar novamente. É algo que não dá para explicar, vai do jogo, de cada um. Um erra, o outro acaba errando também, vira uma bola de neve. Aí no início do segundo tempo demorou para a gente reequilibrar o jogo, talvez tenha demorado para encontrarmos o jogo novamente, aí já era tarde”, completou.

Após prejuízo de R$ 30 mil na Vila, Santos leva duelo com Vitória para o Pacaembu (Em 27/09/2017)

Apenas alguns dias após registrar o seu menor público no Campeonato Brasileiro, o Santos decidiu tirar o seu próximo jogo como mandante na Vila Belmiro. A CBF anunciou que o clube optou por levar o duelo com o Vitória, pela 28ª rodada e agendado para 16 de outubro, para o estádio do Pacaembu.

Ainda de ressaca pela eliminação nas quartas de final da Copa Libertadores para o Barcelona de Guayaquil, o Santos voltou a campo no último sábado para encarar o Atlético Paranaense. O time venceu o compromisso por 1 a 0, mas a partida registrou o seu pior público como mandante neste Brasileirão, com apenas 4.257 pagantes.

A baixa presença da torcida acabou provocando prejuízo de R$ 29.189,08 ao Santos, de acordo com o borderô publicado pela CBF no seu site oficial. E a situação pode ter pesado para a decisão da diretoria de mudar o palco do próximo jogo como mandante no Brasileirão – antes, o time fará partidas como visitante contra o Palmeiras e a Ponte Preta.

Afinal, o Santos já entrou em campo oito vezes no Pacaembu nesta temporada, sendo sete delas em competições oficiais, com média de público de mais de 22 mil pagantes por compromisso. Os números são bem superiores, portanto, aos da Vila Belmiro, onde o Santos tem média de cerca de 8.600 pessoas em 20 partidas disputadas no seu estádio.

Além disso, os bons resultados esportivos levam a diretoria a levar mais jogos do Santos ao Pacaembu, onde o time está invicto há 23 jogos. Agora, então, em 16 de outubro, o time tentará ampliar o retrospecto positivo e atrair mais público no duelo com o Vitória.