Palmeiras 0 x 1 Santos

Data: 30/09/2017, sábado, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 26ª rodada
Local: Allianz Parque, em São Paulo, SP.
Renda: R$ 2.760.716,34
Público: 37.527 pagantes
Árbitro: Marcelo Aparecido R. de Souza (SP)
Auxiliares: Anderson José de Moraes Coelho e Bruno Salgado Rizo (ambos de SP).
Cartões amarelos: Luan, Mayke e Fernando Prass (P); Matheus Jesus, Jean Mota, Zeca, Alisson e Bruno Henrique (S).
Gol: Ricardo Oliveira (30-2).

PALMEIRAS
Fernando Prass; Mayke, Luan, Juninho e Zé Roberto (Thiago Santos); Tchê Tchê, Jean (Guerra), Moisés e Dudu; Willian (Borja) e Deyverson.
Técnico: Cuca

SANTOS
Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Alison, Matheus Jesus e Jean Mota (Serginho); Copete, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira (Kayke).
Técnico: Levir Culpi



Com gol de Oliveira, Santos bate Palmeiras e mantém perseguição

O Santos defendeu a segunda posição do Campeonato Brasileiro com sucesso na noite deste sábado. No Estádio Palestra Itália, com um gol do centroavante Ricardo Oliveira, o time alvinegro ganhou do Palmeiras por 1 a 0, mantendo a perseguição ao líder Corinthians.

Com 47 pontos ganhos, o Santos encurta provisoriamente para sete a vantagem do Corinthians, que enfrenta o Cruzeiro às 16 horas (de Brasília) deste domingo, no Mineirão. Já o Palmeiras segue com os mesmos 43 pontos, no quarto lugar do Campeonato Brasileiro.

O jogo:

A chuva que castigou a região da arena palmeirense durante a noite deste sábado comprometeu a parte do gramado mais próxima aos bancos de reservas, na qual os atletas tinham dificuldades para conduzir a bola. O primeiro tempo do clássico foi disputado, mas com poucas chances de gol.

A melhor jogada de ataque do Palmeiras durante a etapa inicial diante do Santos foi um chute de longa distância. Após cobrança de escanteio de Dudu pela esquerda, a zaga alvinegra afastou. Jean aproveitou a sobra e bateu de fora da área, à direita da meta de Vanderlei.

Já o Santos levou perigo durante os acréscimos do primeiro tempo. Daniel Guedes invadiu a área pela direita e cruzou. Após vacilo de Luan e Jean, a bola sobrou para finalização de Ricardo Oliveira, mas o experiente Fernando Prass conseguiu salvar com o pé.

Durante o intervalo, funcionários da arena palmeirense usaram um equipamento para tentar melhorar as áreas do gramado mais comprometidas pelo acúmulo de água. A chuva continuou, e Cuca voltou para o segundo tempo com Thiago Santos no lugar de Zé Roberto, deslocando Tchê Tchê para a lateral esquerda.

Pouco depois de Guerra substituir Jean, Moisés recebeu pela direita e cruzou. Deyverson furou na primeira trave e Dudu também não conseguiu completar na segunda. O Palmeiras cresceu no jogo e, empurrado pela torcida, partiu em busca da vitória.

Jogando de maneira cirúrgica, o Santos aproveitou um de seus poucos ataques no segundo tempo para decidir o jogo. Aos 30 minutos, Bruno Henrique recebeu pela esquerda e cruzou para cabeçada certeira de Ricardo Oliveira. Desesperado em busca do empate, o Palmeiras perdeu sua última chance com Dudu após lançamento de Juninho.

Bastidores – Santos TV:

Levir exalta superação do Santos e evita fazer contas por título

O Santos venceu o Palmeiras por 1 a 0 na noite deste sábado e se colocou como principal candidato a maior perseguidor do líder Corinthians no Campeonato Brasileiro. Ainda assim, o técnico Levir Culpi prefere não fazer contas pelo título. O comandante santista, porém, traçou uma meta ousada para o time da Baixada: não perder até o fim do torneio.

Com o triunfo, o primeiro no reformado Palestra Itália, o Santos chegou aos 47 pontos, sete atrás do Corinthians, que enfrenta o Cruzeiro, neste domingo, no Mineirão. De quebra, o time de Levir abriu uma vantagem de quatro pontos para o quarto colocado Palmeiras.

“Não gosto de fazer contas. Tenho pavor disso, porque existe matemática, lógica. Mas se deve encarar os três próximos pontos. Acho possível um time como o Santos vencer todos os jogos. Coloquei uma meta aos jogadores, depois do jogo do Barcelona, de terminarmos a competição de forma invicta, porque garantimos a Libertadores do ano que vem e todos saem valorizados. (O título) é possível. Tudo pode acontecer na matemática. Por isso não faço contas”, explicou Levir, em entrevista coletiva, após a partida.

O treinador disse ainda não ter se surpreendido com a vitória, apesar dos desfalques de Lucas Lima, Renato, Gustavo Henrique e Victor Ferraz. Também elogiou a atuação defensiva do Santos e a superação com o gramado encharcado pela chuva que caiu incessantemente desde o início da tarde em São Paulo.

“Eu esperava (a vitória). Nunca deixei de citar a qualidade do elenco do Santos. Há pouco tempo, o meio de campo tinha Thiago Maia, Lucas Lima e Renato. Os três não jogaram hoje. É muito difícil você dar um padrão novamente com três ou quatro desfalques”, avaliou.

“Mas esses caras estão provando o contrário. Temos conseguido bons resultados com atuações convincentes. O time foi firme. Não tinha favorável nada para o Santos aqui, inclusive o gramado. Tivemos méritos, sim. Fiquei muito feliz com a atuação dentro dessas circunstancias”, comemorou.

Por fim, Levir Culpi lembrou das dificuldades encontradas após a eliminação na Copa Libertadores para o Barcelona-QUE e, em tom de desabafo, dedicou a inédita vitória a todos no Santos.

“A derrota na Libertadores magoou muito a gente. Logo depois tínhamos Atlético-PR e o time respondeu bem. Um empenho elogiável e digno de eu ficar orgulhoso de fazer parte desse grupo. Dedico essa vitória aos familiares dos jogadores, aos funcionários do Santos – foi a primeira vitória no Allianz Parque. Gostaria de dividir essa alegria, foi uma vitória muito marcante pelas dificuldades criadas”, encerrou.

Cuca reprova juiz, lamenta chances perdidas e considera revés injusto

No 1000º clássico de sua história, disputado na noite deste sábado, o Palmeiras acabou derrotado por 1 a 0 pelo Santos, no Estádio Palestra Itália. O técnico Cuca, além de reprovar a arbitragem, lamentou as chances perdidas por seu time e considerou o resultado injusto.

Com o gramado prejudicado pela chuva que atingiu a região do Estádio Palestra Itália, o primeiro tempo foi de poucas emoções. O Palmeiras dominou as ações durante a etapa complementar, mas não aproveitou as oportunidades criadas e acabou vazado por Ricardo Oliveira.

“O time encorpou no segundo tempo e colocou o Santos no campo de defesa. Jogamos muito bem em todos os sentidos, mas a bola não entrou. Perdemos gols incríveis, o Deyverson e o Dudu poderiam ter marcado na mesma jogada. E fomos penalizados na única chance do Santos, a meu ver injustamente”, analisou o treinador.

Os palmeirenses reclamaram intensamente da arbitragem de Marcelo Aparecido de Souza. Cuca não viu falta em Alejandro Guerra na jogada que originou o gol de Ricardo Oliveira, mas considerou pênalti sobre Miguel Borja nos minutos finais do confronto.

“Vi o lance. Quando o rapaz joga o corpo em cima do Borja, ele não tinha outra opção, a não ser cair. A arbitragem penalizou o Luan com o amarelo, mas o lateral direito deles fez cinco faltas no Dudu e não levou. Houve diferença de critérios. Foi o responsável pelo placar? Não, mas o critério dele nos prejudicou”, afirmou Cuca.

O lateral direito Mayke e o zagueiro Luan, advertidos com o terceiro cartão amarelo diante do Santos, são desfalques certos para o treinador no confronto com o Bahia. Por outro lado, o zagueiro Edu Dracena e o lateral esquerdo Egídio retornam após suspensão automática.