Internacional 1 x 2 Santos

Data: 10/09/2013, terça-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 10ª rodada (adiado)
Local: Estádio do Vale, em Novo Hamburgo, RS.
Público: 8.382 presentes (7.793 pagantes).
Renda: R$ 245.576,00
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ/Fifa).
Auxiliares: Bruno Boschilia (PR/Fifa) e Wagner de Almeida Santos (RJ).
Cartões amarelos: Willians (I); Cicinho, Alison e Edu Dracena (S).
Cartão vermelho: Fabrício (I).
Gols: Thiago Ribeiro (27-1); Renato Abreu (21-2) e D’Alessandro (30-2, de pênalti).

INTERNACIONAL
Alisson; Jackson (Alex), Alan, Juan e Fabrício; Ygor, Willians, Otávio (Rafael Moura) e D’Alessandro; Scocco (Caio) e Leandro Damião.
Técnico: Dunga

SANTOS
Aranha; Cicinho, Edu Dracena, Gustavo Henrique e Emerson; Alison, Alan Santos (Renê Júnior), Leandrinho (Renato Abreu) e Cícero; Thiago Ribeiro e Giva (Everton Costa).
Técnico: Claudinei Oliveira



Santos vence Internacional em jogo atrasado no Brasileirão

Internacional e Santos finalmente se enfrentaram nesta terça-feira em jogo atrasado da décima rodada do Campeonato Brasileiro, e os paulistas levaram a melhor. Mesmo atuando no Estádio do Vale, em Novo Hamburgo, e com a proposta clara de se fechar e aproveitar os contra-ataques, o Santos venceu por 2 a 1 com gols de Thiago Ribeiro e Renato Abreu. D’Alessandro descontou.

O resultado faz o Santos sonhar mais alto no Brasileirão. A equipe, que ainda tem um jogo a menos que as demais, subiu para a sétima posição, com 28 pontos, seis a menos que o Atlético-PR, quarto colocado. Na próxima rodada, a 20.ª, o adversário será o Flamengo, quinta-feira, no Maracanã. No mesmo dia, o Inter, sexto colocado, com 30 pontos, pega o Vitória, novamente no Estádio do Vale.

O jogo desta terça-feira foi marcado pela falta de criatividade de ambas as equipes, que só conseguiram marcar em jogadas de bola parada. Depois de diminuir o placar, o Inter até conseguiu levar mais perigo, mas esbarrou nos erros de finalização de seus atacantes, na eficiente marcação santista e em uma noite inspirada de Aranha.

O jogo:

O início foi movimentado, com as duas equipes chegando antes dos cinco minutos. Aos dois, Giva recebeu de Leandrinho, ganhou de Juan na velocidade e só não marcou porque o goleiro Alisson saiu abafando. Aos quatro, o Inter respondeu. Leandro Damião recebeu pela intermediária e tocou para Scocco, que arriscou por cima.

O Inter ainda teve mais uma boa chegada aos 12, quando Scocco ganhou de Cícero e bateu em cima de Edu Dracena. A sobra ficou com D’Alessandro, que bateu colocado à direita. Mas logo a marcação santista começou a levar a melhor. O time paulista deixava os donos da casa chegarem até a intermediária, mas então apertavam a marcação e tentavam sair em contra-ataque.

Nenhuma das duas equipes tinha sucesso ofensivamente, o que fez o jogo ficar morno. O Santos via o Inter dominar as ações, mas “achou” seu primeiro gol em um lance de bola parada. Aos 27, Leandrinho cobrou escanteio da direita, Cícero desviou na primeira trave e Thiago Ribeiro chegou por trás para tocar para as redes.

O Inter cresceu e começou a incomodar mais. Primeiro foi Scocco que costurou pela intermediária e bateu por cima. Depois, o jovem Otávio tabelou com o atacante argentino e bateu para boa defesa de Aranha. D’Alessandro ainda teve a última chance em cobrança de falta, mas o placar não mudaria mais no primeiro tempo.

O time da casa voltou para o segundo tempo com a mesma postura, mas seguia sem conseguir furar o bloqueio santista. Insatisfeito, o técnico Dunga fez duas alterações, com as entradas de Alex e Caio nas vagas de Jackson e Scocco. Logo no primeiro lance, Ygor, agora atuando como lateral-direito, cruzou e Caio quase marcou.

O Inter ganhou em velocidade e ficou mais incisivo. Improvisado, Ygor infernizava a vida de Emerson pelo lado direito do ataque, mas o Santos contou com a sorte para fazer o segundo. Claudinei Oliveira colocou em campo Renato Abreu na vaga de Leandrinho e o meia foi direto cobrar uma falta pelo lado direito. Ele não pegou tão bem, mas a bola desviou na barreira e Alisson não alcançou.

O gol desestabilizou o Inter e aí o Santos cresceu. Renato Abreu levou perigo em novo chute de longe, e Gustavo Henrique perdeu a chance de marcar de cabeça. Então foi a vez do Inter “achar” um gol. Após escanteio da direita, Caio cabeceou, a bola tocou no braço de Alison e o árbitro marcou pênalti. D’Alessandro bateu bem e diminuiu.

Desta vez o gol animou o Inter, que passou a perder chance atrás de chance. Cicinho recuou mal e entregou a bola para Leandro Damião, que ganhou de Edu Dracena na corrida e, sozinho, foi parado por Aranha. Na sequência, D’Alessandro fez boa jogada pela direita e cruzou para Rafael Moura, que cabeceou para fora. Caio, nos acréscimos, ainda jogaria por cima mais uma grande oportunidade.

Após grande atuação, Aranha divide méritos por vitória sobre o Internacional

Uma das principais peças do Santos na vitória sobre o Internacional, por 2 a 1, o goleiro Aranha ficou satisfeito com o resultado alcançado, mas evitou exaltar a sua própria atuação na partida. O camisa 1 dividiu os méritos com o restante da equipe praiana pelo triunfo fora de casa, em jogo atrasado válido pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro.

“Temos que ressaltar a força do conjunto, que esteve muito bem contra o Inter. Todos têm trabalhado muito e, quando não dá para o goleiro, o sistema defensivo tem feito um excelente trabalho”, disse Aranha.

Sobre a sua exibição individual, o arqueiro santista destacou que procurou se manter concentrado durante todo o confronto, principalmente por conta do alto índice de bolas levantadas para a grande área.

“Foi um jogo complicado, com lances difíceis. Mas, felizmente, consegui ter bastante atenção e fui feliz nas jogadas em que fui exigido”, concluiu.