Atlético-PR 2 x 0 Santos

Data: 31/05/2018, quinta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 8ª rodada
Local: Arena da Baixada, em Curitiba, PR.
Público: 9.173 pagantes
Renda: R$ 181.655,00
Árbitro: Sávio Pereira Sampaio (DF)
Auxiliares: Daniel Henrique da Silva Andrade e Ciro Chaban Junqueira (ambos do DF).
Cartões amarelos: Pablo (CAP); Bruno Henrique (S).
Gols: Thiago Heleno (17-1) e Guilherme (08-2).

ATLÉTICO-PR
Santos; Wanderson, Thiago Heleno e José Ivaldo; Matheus Rossetto, Camacho, Lucho González (Bruno Guimarães) e Thiago Carleto; Nikão (Bergson), Guilherme (Raphael Veiga) e Pablo.
Técnico: Fernando Diniz

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Diego Pituca (Léo Cittadini), Renato (Bruno Henrique) e Jean Mota; Gabigol, Rodrygo (Yuri Alberto) e Eduardo Sasha.
Técnico: Jair Ventura



Atlético-PR vence com facilidade e empurra o Santos para o Z-4

O Atlético-PR dominou o jogo e venceu o Santos por 2 a 0 na noite desta quinta-feira, na Arena da Baixada, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro. Com os três pontos, o Furacão vai ao 13º lugar. O Peixe entrou na zona do rebaixamento, na 18ª colocação.

O Atlético fez um gol em cada tempo, com Thiago Heleno e Guilherme. O alvinegro, desorganizado, não esboçou reação e poderia ter sido goleado se os donos da casa tivessem tido mais capricho nas finalizações. A sequência de resultados negativos coloca o técnico Jair Ventura na berlinda.

O jogo

O Santos fez bons primeiros minutos. Defendia-se bem, mostrava certo perigo nos contra-ataques e imaginava-se uma partida diferente das recentes. Foi apenas uma ilusão.

O Atlético-PR passou a dominar o jogo e abriu o placar aos 17 minutos, quando Thiago Carleto cobrou escanteio, Camacho tirou Lucas Veríssimo do lance e Thiago Heleno, sozinho, venceu Vanderlei em cabeceio.

Daí em diante, o enredo do Peixe foi o mesmo de quase todos os jogos da temporada: desorganização, defesa bagunçada e buraco entre meio e ataque. O Furacão esteve mais próximo de ampliar do que o alvinegro de empatar, como na bola no travessão de Nikão aos 35.

E NADA MUDA

O Atlético-PR seguiu melhor no segundo tempo e ampliou logo aos oito minutos, quando Vanderlei falhou em cobrança de falta de Carleto e Guilherme aproveitou o rebote. O segundo gol do Furacão acabou com qualquer ponto positivo que o Santos tinha no jogo.

Desesperado, o Peixe apostou no chuveirinho e nos chutes de fora da área, sem uma jogada trabalhada. Com espaço, os donos da casa criaram chances e poderiam ter goleado se tivessem mais capricho nos contragolpes. Nem Bruno Henrique ajudou o Alvinegro na reação. O técnico Jair Ventura só mexeu a partir dos 17 e não conseguiu fazer o time melhorar.

Aos 35 minutos, o goleiro Vanderlei fez três boas defesas em sequência para impedir o terceiro gol e uma derrota ainda mais vergonhosa dos visitantes. O apito final foi de alívio para o torcedor.

Jair divide diretoria, e Santos espera até domingo para avaliar permanência

Antes unanimidade na diretoria do Santos, Jair Ventura está na berlinda. O técnico corre risco de demissão após mais uma derrota, desta vez para o Atlético-PR, por 2 a 0, nesta quinta-feira, na Arena da Baixada, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe vai esperar pelo jogo de domingo, contra o Vitória, na Vila Belmiro, para deliberar. A decisão pela demissão ou permanência precisa passar por votação no Comitê de Gestão, formado pelo presidente José Carlos Peres, o vice Orlando Rollo e sete dirigentes. Reuniões do colegiado costumam ocorrer às segundas-feiras.

Peres está em Londres, na Inglaterra, na chefia da delegação da seleção brasileira na preparação para a Copa do Mundo na Rússia. O mandatário volta na segunda-feira. Em rápido contato com a Gazeta Esportiva, o presidente foi ponderado e falou que é preciso ter calma neste momento: “Vamos ver. Temos que restabelecer a ordem primeiro”.

Presidente interino, Orlando Rollo está com a delegação do Santos em Curitiba. O vice também foi ouvido pela reportagem, negou a demissão neste momento e se limitou a dizer que “a decisão tem que passar pelo Comitê de Gestão”.

Mesmo irregular, o Santos está nas oitavas de final da Libertadores e quartas da Copa do Brasil. Em compensação, o Peixe ocupa a 18ª colocação e está na zona do rebaixamento no Campeonato Brasileiro. O alvinegro foi eliminado na semifinal do Paulistão.

Jair não cogita pedir demissão no Santos: “Aqui não tem covarde”

Pressionado após mais uma derrota, dessa vez para o Atlético-PR, na Arena da Baixada, Jair Ventura afirma que não pedirá demissão do Santos. O técnico diz que recebeu o respaldo do vice-presidente Orlando Rollo depois de mais um resultado negativo neste domingo, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro. O Peixe foi para a 18ª colocação, na zona do rebaixamento.

“Se eu vou pedir demissão? Eu não peço demissão. Aqui não tem covarde para entregar o cargo. Já falei com o vice-presidente e ele deu respaldo. Essa gestão confia muito no meu trabalho em longo prazo”, disse Jair, em entrevista coletiva.

A permanência de Jair Ventura divide opiniões na diretoria do Peixe. A permanência será reavaliada depois do jogo de domingo, contra o Vitória, na Vila Belmiro. Em caso de nova atuação ruim, o Comitê de Gestão se reunirá e pode votar pela demissão.

Peres está em Londres, na Inglaterra, na chefia da delegação da seleção brasileira na preparação para a Copa do Mundo na Rússia. O mandatário volta na segunda-feira. Em rápido contato com a Gazeta Esportiva, o presidente foi ponderado e falou que é preciso ter calma neste momento: “Vamos ver. Temos que restabelecer a ordem primeiro”.

Presidente interino, Orlando Rollo está com a delegação do Santos em Curitiba. O vice também foi ouvido pela reportagem, negou a demissão neste momento e se limitou a dizer que “a decisão tem que passar pelo Comitê de Gestão”.

Torcedores do Santos invadem hotel em Curitiba para protestar

Torcedores do Santos protestaram contra o time em invasão ao hotel onde o elenco está hospedado em Curitiba, depois da derrota por 2 a 0 para o Atlético-PR, neste domingo, na Arena da Baixada, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro.

O vice-presidente Orlando Rollo, o volante Renato e o atacante Gabigol foram conversar com os santistas. Gabriel Barbosa foi um dos maiores alvos da torcida.

O conflito dentro do hotel foi superado e o protesto continuou fora do estabelecimento, depois do ônibus chegar com os atletas. A delegação volta para Santos apenas nesta sexta-feira.

Pressionado, Santos aposta em vendas e investidores por reforços

O Santos tem aproveitamento de 45% em 2018 e está na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. O técnico Jair Ventura está pressionado e o Peixe entende que o maior problema está na falta de boas opções no elenco. A situação financeira do clube, porém, atrapalha a busca por reforços.

O alvinegro gastou tudo em dívidas urgentes e no dinheiro necessário para colocar salários e premiações do elenco em dia. Agora, está zerado. Não há qualquer poder de investimento. Nem para opções desconhecidas no mercado.

Diante desse cenário, o Santos aposta em dois fatores para conseguir trazer caras novas no segundo semestre, depois da Copa do Mundo: venda de jogadores do elenco e apoio de investidores.

O Peixe quer negociar atletas que não são unanimidade para fazer caixa e poder contratar quem possa ser titular. São os casos de Daniel Guedes, Jean Mota, Vecchio e Copete, por exemplo. Lucas Veríssimo, bem conceituado no elenco, é outro que deve sair. Recentemente, o zagueiro trocou de empresário visando melhores propostas.

O alvinegro cogitou aliviar os cofres com Rodrygo. O Barcelona aumentou a proposta e ofereceu 30 milhões de euros (R$ 130 milhões) pelos 80% direitos econômicos do clube. A ideia dos espanhóis era garantir a compra e tê-lo apenas em 2020. A resposta foi ‘não’.

Sobre os investidores, o Santos tem conversado com alguns empresários. Um deles é Delcir Sonda, do Grupo DIS. O agente tem ótimo relacionamento com o presidente José Carlos Peres e está disposto a repassar atletas promissores, de até 23 anos, ao Peixe.

Outros dois empresários e sócios prometeram ao alvinegro a compra de Lucas Zelarayán, do Tigres-MEX. A intenção da dupla é realizar a vontade do meia, de jogar no Santos, e ficar com a representação do atleta no mercado. O argentino também está na mira do Racing e River Plate, da Argentina.

O Peixe quer ao menos quatro reforços: dois meio-campistas e dois atacantes. Além de Zelarayán, Carlos Sanchéz, do Monterrey-MEX, Bryan Ruiz, de saída do Sporting-POR, Paulo Henrique Ganso, do Sevilla-ESP, Thiago Maia, do Lille-FRA, e Favio Álvarez, do Tucumán-ARG, estão na mira.