Corinthians 1 x 1 Santos

Data: 06/06/2018, quarta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 10ª rodada
Local: Arena Corinthians, em São Paulo, SP.
Público: 27.586 pagantes
Renda: R$ 1.249.919,56
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG)
Auxiliares: Guilherme Dias Camilo (Fifa-MG) e Rodrigo Corrêa (Fifa-RJ)
Cartões amarelos: Roger, Kazim e Romero (C); Victor Ferraz e Lucas Veríssimo (S).
Gols: Roger (07-2) e Victor Ferraz (30-2).

CORINTHIANS
Walter; Mantuan, Balbuena, Henrique e Sidcley; Gabriel e Maycon; Pedrinho (Mateus Vital), Rodriguinho e Romero; Roger (Emerson Sheik).
Técnico: Osmar Loss

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Diego Pituca, Renato e Jean Mota; Gabriel (Léo Cittadini), Eduardo Sasha (Bruno Henrique) e Rodrygo (Copete).
Técnico: Jair Ventura



Sem paz, Corinthians e Santos empatam em jogo quente na Arena

Corinthians e Santos entraram em campo na noite desta quarta-feira buscando paz para os seus treinadores, mas acharam um jogo movimentado no gramado da Arena Corinthians. Em grande atuação de Rodrygo, o Santos foi superior ao Timão e só não saiu com a vitória porque Gabigol não honrou seu nome. O time da casa, que saiu na frente com Roger, não soube se segurar e levou o empate de Victor Ferraz.

Com o resultado, o clube do Parque São Jorge fica cada vez mais longe dos líderes da competição, podendo ver o Flamengo abrir oito pontos de vantagem ao final da rodada. O Peixe, por sua vez, tem 10 pontos conquistados, com um jogo a menos que os adversários, ainda mais próximo da zona de rebaixamento do que do grupo de cima.

Na próxima rodada, os comandados de Osmar Loss terão pela frente o Vitória, novamente em Itaquera, às 21h (de Brasília) do sábado, no penúltimo duelo antes da parada para a disputa da Copa do Mundo. Jair e os seus atletas, por outro lado, encaram o Internacional às 19h (de Brasília) do domingo, na Vila Belmiro.

O jogo

O primeiro tempo começou com as duas equipes impondo um ritmo muito abaixo da expectativa para o clássico, recheado de passes laterais e pouca objetividade. Os únicos que quebravam essa lógica eram Romero e Pedrinho, sempre tentando movimentar-se para o meio e trocar de posição. Rodriguinho e Roger, no entanto, destoaram bastante e mataram a maioria das jogadas corintianas.

Do outro lado, o Peixe postou-se para aproveitar os contra-ataques, principalmente na habilidade do ótimo Rodrygo. No jogo de xadrez entre Loss e Ventura, quem começou melhor foi o time da casa. O lance de maior perigo no começo veio com Sidcley, que recebeu pela esquerda após boa jogada de Pedrinho e bateu cruzado. A bola passou rente à trave de Vanderlei, à direita do gol santista.

O Timão seguiu rondando a área a adversária, mas sem conseguir finalizações de qualidade. Os lances mais perigosos saíam de fora da área, como uma tentativa de Gabriel, por cima do gol. Na resposta, Rodrygo ganhou a jogada pela esquerda e conseguiu espaço na entrada da área para bater. Walter, bem posicionado mandou para escanteio. Foi a senha, no entanto, para o Peixe se sentir confortável.

Pouco depois, em novo escanteio, Jean Mota bateu fechado, a defesa corintiana falhou, Walter ficou plantado e a bola sobrou para Gabigol sem goleiro. O atacante, porém, não honrou o cenário perfeito para quem tem esse apelido, viu a bola quicar, bater no seu joelho e ir por cima do gol. Na resposta, Romero deu lindo “rolinho” no próprio Gabigol, puxou contragolpe e Maycon tentou finalizar na entrada da área, mas mandou fácil para Vanderlei.

O atacante santista, no entanto, teve uma segunda chance de mostrar que merece o apelido, mas falhou novamente. Depois de puxar bom contra-ataque, ele acalmou o lance e, depois de o Santos rodar a bola, recebeu na entrada da área. Em uma rara tabela realizada na defesa corintiana, ele tocou e ganhou na frente de Sasha. Cara a cara com Walter, no entanto, tentou tirar demais do goleiro e mandou para fora.

A resposta do Corinthians saiu de maneira cruel, um dos adjetivos que a torcida santista costuma dar ao seu centroavante. Em uma rara jogada em que Rodriguinho movimentou-se bem, Pedrinho acionou o armador na lateral direita da área e ele cruzou rasteiro para Roger. O centroavante, que também não havia se achado em campo até aquele momento, bateu Veríssimo na movimentação e chutou cruzado, rasteiro, vencendo Vanderlei.

O gol, no entanto, foi um momento fortuito do Timão, que seguiu pior do que o rival, mesmo em vantagem e jogando em casa. É verdade que o juiz ignorou um pênalti claro quando a bola ricocheteou na mão de Renato dentro da grande área, mas aquele lance ofensivo foi apenas um respiro alvinegro em meio às diversas bolas alçadas na área pelos santistas. E logo elas resultaram no empate do Peixe.

Após tanto tentar, Rodrygo conseguiu descolar bom lance pela esquerda após Pedrinho ser desarmado. Romero teve de ajudar no lado direito e deixou um buraco na esquerda. O ponta santista cruzou no segundo pau e Victor Ferraz, acompanhado por um atrasado Rodriguinho, testou para fazer o gol. Walter, que falhou no lance ao cair para dentro do gol, ainda salvou sua barra – e o empate – ao fazer linda defesa em finalização de Rodrygo, assegurando o 1 a 1.

Bastidores – Santos TV:

Jair diz que não se preocupa com Santos perto do Z-4: “Caminho certo”

A goleada sobre o Vitória e o empate em 1 a 1 com o Corinthians, em Itaquera, nesta quarta-feira, devolveram a paz a Jair Ventura no Santos. Antes pressionado, o técnico ganha sobrevida e elogia o desempenho do time.

Depois de duas boas atuações, o Peixe é o 15º no Campeonato Brasileiro. O treinador diz que não se preocupa com a posição na tabela neste momento.

“Sabemos que podemos melhorar, com certeza. A briga do Santos não é embaixo na tabela. Pelo futebol que vem apresentando o Santos, não vamos brigar lá embaixo. Vamos sair. Não estou preocupado. Claro que a pressão fica no treinador. No Brasileiro, sim, foi a melhor atuação. Santos conseguiu ser melhor nos 90 minutos”, disse Jair, em entrevista coletiva.”

“Não saio feliz pelo que nós criamos. Merecíamos uma sorte melhor. Não posso me contentar com o empate. Não fizemos um jogo para empatar. Ou a gente ganha ou a gente perde, jogamos para frente. Não conseguimos fazer mais um gol. A gente sabe. Quem assistiu os lances, vai concordar comigo. Estamos no caminho certo”, completou.

Victor Ferraz elogia Santos em clássico e diz que empate não é bom

Autor do gol do Santos no empate em 1 a 1 com o Corinthians nesta quarta-feira, na arena do rival, Victor Ferraz não viu o ponto conquistado como bom resultado. O lateral-direito entende que a vitória seria merecida.

“Empate não está de bom tamanho. Santos jogou para ganhar. Nossa mentalidade é vencedora. Se tivesse de ter um vencedor, seria o Santos. Normalmente não perdemos esses gols. Mas tenho certeza que contra o Inter vão sair os gols e a vitória”, disse o camisa 4, em entrevista à Rádio Bandeirantes.

O ala, que fez um gol de cabeça após cruzamento de Rodrygo no segundo tempo, lamentou o vandalismo da torcida do Timão – que arremessou diversos objetos no gramado -, e previu um campeonato de recuperação.

“Isso aqui não pode acontecer, ser agredido dessa maneira. Estão com raiva e por pouco não deixamos eles com mais raiva ainda”, afirmou Ferraz ao Premiere.

“Começamos embaixo e já conseguimos recuperar. Já que não deu para começar melhor, vamos tentar o campeonato de recuperação. Temos duas pedreiras e vamos fazer tudo para ganhar e irmos melhores para a parada”, concluiu.

Vanderlei ironiza moedas da torcida do Corinthians: “Dá para comprar um lanche”

Vanderlei foi alvo de moedas da torcida do Corinthians no empate em 1 a 1 do Santos na noite desta quarta-feira, na arena do rival. O goleiro ironizou o vandalismo dos donos da casa.

“Jogaram moeda, errorex (corretivo)… Dá para comprar um lanche com essas moedas (risos). Xingar é normal, jogar as coisas no campo atrapalha o espetáculo”, disse o goleiro, ao Premiere.

O camisa 1 do Peixe analisou o resultado e foi mais um a afirmar que a vitória seria merecida. O alvinegro criou diversas chances e parou em grande defesa de Walter em chute de Rodrygo e duas chances claríssimas desperdiçadas por Gabigol.

“A gente poderia estar mais feliz com a vitória. Tivemos inúmeras chances, mas futebol é assim. Pelo menos conseguimos o empate fora de casa e agora temos que vencer com o Inter. Com a qualidade que temos, não podemos empatar”, completou.

David Braz defende Gabigol após chances desperdiçadas: “Tem nossa confiança”

Gabriel Barbosa, conhecido como Gabigol, teve uma noite infeliz nesta quarta-feira, no empate do Santos por 1 a 1 com o Corinthians, na arena do rival, pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O camisa 10 perdeu duas chances claríssimas, uma em cada tempo. Na primeira, na pequena área, sem goleiro, não teve reação e a bola bateu no seu joelho e subiu. Na segunda, tabelou com Eduardo Sasha e, sozinho, também chutou por cima. Ele acabou substituído por Léo Cittadini nos minutos finais.

Um dos capitães do elenco, David Braz defendeu o companheiro e evitou culpá-lo pelo resultado. Pelo que criou, o Peixe poderia ter vencido pela primeira vez fora de casa no Campeonato Brasileiro.

“Ele não tem o apelido à toa, está acostumado a fazer gols, mas faltou sorte. Ele deve estar revoltado no vestiário e vamos procurar passar tranquilidade a ele. Ele tem nossa confiança”, disse o zagueiro, à Rádio Bandeirantes.