Santos 1 x 2 Internacional

Data, 10/06/2018, domingo, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 11ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 8.124 pessoas
Renda: R$ 179.645,00
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (Fifa-RJ).
Auxiliares: Luiz Claudio Regazone e Carlos Henrique Alves de Lima Filho (ambos do RJ).
Cartões amarelos: Jean Mota e Diego Pituca (S); Edenílson, Rossi e Rodrigo Dourado (I).
Cartão vermelho: Lucas Veríssimo (S).
Gols: Leandro Damião (33-1, de pênalti); Gabriel (06-2, de pênalti) e Victor Cuesta (08-2).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Diego Pituca, Renato e Jean Mota (Bruno Henrique); Gabriel (Gustavo Henrique), Rodrygo e Eduardo Sasha (Léo Cittadini).
Técnico: Jair Ventura

INTERNACIONAL
Danilo Fernandes (Daniel); Fabiano, Rodrigo Moledo, Cuesta e Iago; Rodrigo Dourado, Edenílson e Patrick; Lucca (Nico López), William Pottker e Leandro Damião (Rossi).
Técnico: Odair Hellmann



Santos vacila, perde para o Inter na Vila e segue próximo do Z4

Em jogo bem disputado, apesar da arbitragem ruim de Wagner do Nascimento Magalhães, o Internacional conseguiu uma grande vitória sobre o Santos na noite deste domingo, em plena Vila Belmiro. Leandro Damião, em pênalti mal marcado pelo juiz, e Victor Cuesta fizeram os gols colorados. Gabigol, em outro pênalti inexistente, balançou a única rede dos santistas.

Com uma reação atrapalhada pelo zagueiro Lucas Veríssimo, expulso de campo logo após o segundo gol dos gaúchos, o Peixe estaciona nos dez pontos conquistados, apenas um acima da zona de rebaixamento à Série B, mas com um jogo a menos do que os seus adversários. Já o Inter, com 19, é o quinto colocado da competição.

O jogo

O duelo entre Santos e Internacional foi bastante movimentado desde os primeiros minutos, com o time gaúcho apostando nos contra-ataques e o Peixe tentando rodar a bola na frente da área adversária para aproveitar o trio Rodrygo-Gabigol-Sasha. Nessa proposta, porém, destacou-se um erro do juiz Wagner do Nascimento Magalhães.

Aos 30 minutos, quando ambos os times haviam ameaçado apenas em chutes de fora da área, ele viu um contato faltoso de Renato quando o volante se enroscou com Iago, dentro da área. Pênalti marcado e muito reclamado pelos santistas, que não aceitaram as justificativas do árbitro. Sem problemas com isso, Leandro Damião deslocou Vanderlei e abriu o placar.

O gol pareceu desconcertar um pouco a equipe do Peixe, que fazia partida tranquila até aquele momento. Jean Mota e Diego Pituca levaram cartões amarelos por entradas com força desmedida. Passaram-se quase dez minutos até que a bola voltasse a ser trabalhada com calma pelos donos da casa.

Quando isso aconteceu, Gabriel caiu pelo lado direito e achou lindo passe entre as pernas de Iago para Sasha. O atacante santista invadiu a pequena área pela direita e chutou forte, cruzado, mas carimbou o pé da trave de Danilo Fernandes.

O Santos voltou para o segundo tempo com Bruno Henrique na vaga de Jean Mota e não demorou a ganhar um presente do juiz como compensação pelo pênalti. Após lançamento de Diego Pituca, Gabigol simplesmente caiu ao passar ao lado de Rodrigo Moledo e o juiz não titubeou para marcar o pênalti. Na cobrança, o camisa mostrou qualidade e só deslocou Daniel, que substituíra o machucado Danilo Fernandes no intervalo.

O que parecia ser a senha para o Peixe se reerguer, no entanto, acabou pouco depois. Após dois minutos, em falta cobrada na área santista, Victor Cuesta subiu mais alto que Veríssimo e testou para o gol, sem chances para Vanderlei. Além de perder a disputa, porém, o defensor, que foi observado por um olheiro do Lyon na Vila, perdeu também a cabeça, xingou o auxiliar Luiz Claudio Regazone e acabou expulso de campo.

O buraco na defesa fez com que Jair tirasse de campo Gabriel que fazia boa apresentação, e promovesse a entrada de Gustavo Henrique. Apesar de recomposto no setor defensivo, o Peixe perdeu poder de criação e só voltou a criar perigo quando Léo Cittadini substituiu o lesionado Eduardo Sasha.

Mais consistente na armação, o time da casa conseguiu pressionar nos 20 minutos finais, chegando bem em chute de fora da área de Bruno Henrique, que passou rente à trave de Daniel.

Jair lamenta nova derrota e distanciamento da torcida

O técnico Jair Ventura não conseguiu esconder sua decepção com a derrota do Santos por 2 a 1 para o Internacional, na noite deste domingo, na Vila Belmiro, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro. Depois de golear o Vitória e jogar bem no empate contra o Corinthians, em Itaquera, o Peixe não conseguiu fechar a série dentro dos seus domínios.

“Do jeito que estávamos jogando, propondo o jogo e sofrendo só com transição, poderíamos ter saído com outro resultado. Uma situação que a gente fica chateado em dobro, torcida estava chateada, história do jogo acabou sendo ruim. Eles vão ficando distantes. Quando vencemos, eles nos aproximam. Com mais vitórias do que derrotas, conseguimos trazer a torcida para gente”, avaliou Jair.

De acordo com o comandante, a expulsão de Lucas Veríssimo, ainda no começo do segundo tempo, “foi determinante” para o triunfo dos colorados. Com apenas dez pontos conquistados, o Alvinegro pode ir para a parada da Copa do Mundo na zona de rebaixamento caso não vença o Fluminense na quarta-feira, no Maracanã.

“Queria os 16 pontos, mas trabalho jogo a jogo. Não faço metas a longo prazo. Não temos o direito de nos abalar. Foi um jogo atípico pela situação de ter um a menos. Jogamos muito bem contra o Corinthians, último jogo fora, tivemos posse e chances claras. Agora, vamos buscar ter outra grande performance e aliar isso com o resultado positivo”, avaliou.

Jair ainda mostrou bastante confiança em seu trabalho ao dizer que não conseguia se lembrar de jogos em que o Peixe tenha feito apresentações ruins recentemente. Para ele, o Peixe conseguiria o triunfo se não tivesse Veríssimo expulso.

“Difícil lembrar todos os jogos. Não consigo buscar outras derrotas. Faltou hoje ter ficado com os 11 jogadores. Fizemos grande jogos contra Vitória e Corinthians. Hoje ficar com um a menos nos prejudicou”, concluiu.

Braz lamenta expulsão, mas avisa: “Temos que assumir nossos erros”

O zagueiro David Braz deixou o campo da Vila Belmiro incomodado com os erros do árbitro Wagner do Nascimento Magalhães, mas não quis encobrir a atuação inconstante do Santos na derrota por 2 a 1 para o Internacional, na noite deste domingo, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro.

“Não culpo totalmente a arbitragem, temos que assumir os nossos erros, mas se não tivesse o pênalti o jogo seria mais equilibrado”, comentou o defensor, lembrando do lance em que o juiz anotou penalidade de Renato sobre Iago, ainda no primeiro tempo. Na ocasião, os dois se chocaram claramente sem contato faltoso do santista.

“Ele também acabou expulsando o Lucas Veríssimo e facilitou para o Inter. Já estava difícil com 11 contra 11. A gente lutou, espero que o torcedor entenda isso”, relembrou Braz, que viu o companheiro ser expulso após o 2 a 1 do Inter, depois de muita reclamação com o auxiliar.

“Teve um pênalti duvidoso para o Internacional no primeiro tempo, o árbitro mesmo falou que estava em dúvida e decidiu marcar porque teve o choque. Depois acho que ele acabou compensando no lance do Gabriel, não achei que houve falta ali”, reconheceu o jogador, citando a queda de Gabigol no começo do segundo tempo, prontamente recompensada pelo juiz com a penalidade do empate alvinegro.

“Ali na bola parada o Cuesta estava na frente. Enfim… ficamos com um a menos, corremos atrás e criamos oportunidades, infelizmente não conseguimos concluir. Tem que levantar a cabeça, tem muita coisa pela frente, o resultado não foi bom, mas temos que reagir”, concluiu.

Sasha sofre lesão no tornozelo e pode ceder vaga a Bruno Henrique

O atacante Eduardo Sasha sofreu uma lesão no tornozelo direito durante a derrota por 2 a 1 do Santos para o Internacional, na noite do último domingo, na Vila Belmiro. O atleta será reavaliado nesta segunda e, a princípio, pode até dar lugar a Bruno Henrique na partida contra o Fluminense, nesta quarta, no Maracanã.

O problema com avante se deu já na metade final do segundo tempo, quando ele acabou pisando em falso no pé do lateral esquerdo Iago, em lance na ponta direita. O jogador caiu no chão e reclamou de muitas dores, forçando o técnico Jair Ventura a utilizar a sua última substituição disponível.

“Se eu soubesse que o Sasha estava machucado, teria tirado ele antes. Escolhi um dos atacantes. Tive que fazer a última por conta de lesão. Pela lesão do Sasha, não pude fazer nada diferente”, comentou o treinador, que optou por Léo Cittadini no embate com os gaúchos, mas tinha um jogador a menos e precisava equilibrar seu meio-campo.

“O Inter sofre poucos gols, se defendem bem. Tivemos que envolver eles, criar oportunidades. Não conseguimos criar chances com um jogador a menos. Uma pena”, continuou o comandante, que reluta em confirmar a utilização de Bruno no Maracanã por uma questão física.

Depois de sofrer uma lesão no olho logo no primeiro jogo da temporada, o atleta voltou há dois meses e sofreu uma lesão muscular. De volta aos poucos, ele teve sua maior minutagem em campo justamente no final de semana, quando atuou por 45 minutos. Além dele, Jair tem algumas outras opções para substituir Sasha: Copete e Arthur Gomes.

Santos aceita proposta do Lyon e aguarda por divisão dos direitos de Veríssimo

A divisão de 20% dos direitos econômicos de Lucas Veríssimo é o que separa a venda do Santos ao Lyon-FRA. O zagueiro precisa costurar um acerto com dois de seus empresários, Marcos Ribeiro e Aparecido Inácio, o Cidão.

O Lyon oferece 9 milhões de euros (R$ 39 milhões) limpos ao Peixe por 80% dos direitos e 1 milhão de euros (R$ 4,3 milhões) pelo restante. O jogador tem 10 e os outros 10 estão divididos entre as empresas MGS Sports e AIRC Sports.

Todas as partes veem o negócio encaminhado. O alvinegro já aceitou o valor e aguarda pela composição. Para satisfazer os agentes, Veríssimo não descarta abrir mão de sua parte. Ele vê com bons olhos a ida ao futebol europeu neste momento. Há uma reunião marcada para a próxima quinta-feira.

O Lyon enviou Florian Maurice, chefe de recrutamento de atletas do clube, para a Vila Belmiro neste domingo, na derrota por 2 a 1 para o Internacional. O olheiro oficial viu o defensor ser expulso no segundo tempo após reclamar acintosamente com um dos auxiliares. O fato não muda o desejo do clube francês.

O Lyon teve a concorrência do também francês Olympique de Marselha. O rival ofereceu 8 milhões de euros (R$ 35 milhões) e, como não se classificou para a Liga dos Campeões, está atrás na disputa. Os marselheses vão para a Liga Europa.

O Torino-ITA ofereceu 7,5 milhões de euros e também ficou para trás no páreo. Em fevereiro, o Peixe quase vendeu Lucas Veríssimo para o Spartak Moscou-RUS. A oferta foi dos mesmos 7,5 milhões de euros (R$ 32 milhões, à época), mas um desacerto entre os empresários inviabilizou o acordo e o zagueiro permaneceu.

Veríssimo tem contrato até 30 de junho de 2022 e vê a transferência para a Europa com bons olhos. Em 2017, o zagueiro esteve na mira do Stuttgart-ALE, Saint-Éttiene-FRA e ainda foi observado in loco por funcionários da Juventus-ITA. Sua saída é vista como uma das soluções para aliviar as contas e não prejudicar tanto a equipe titular do Santos, já que há David Braz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Robson Bambu à disposição.

Com entorse no tornozelo, Sasha só volta ao Santos depois da Copa

Com uma entorse de grau 1 no tornozelo direito, Eduardo Sasha vai desfalcar o Santos contra o Fluminense nesta quarta-feira, no Maracanã, e só voltará a jogar depois da Copa do Mundo na Rússia. O elenco terá 10 dias de recesso depois da partida no Rio de Janeiro. Bruno Henrique, ainda sem plenas condições de jogo, é a provável opção do técnico Jair Ventura.

O atacante torceu o tornozelo no segundo tempo da derrota por 2 a 1 para o Internacional, neste domingo, na Vila Belmiro. O jogador sentiu muitas dores e foi substituído por Léo Cittadini.

Sasha operou o tornozelo direito em quatro oportunidades, mas não haverá necessidade de nova intervenção dessa vez. A previsão é que ele volte a treinar com bola em até duas semanas.

Contratado nesta temporada, o atacante caiu de rendimento e não marca um gol há quase três meses, desde o dia 15 de março. No total, são seis em 30 partidas. Depois de empréstimo, o Santos comprou Sasha junto ao Internacional em troca por Zeca. O contrato vai até 2022.

Após três jogos, Santos volta a ter lucro na Vila Belmiro

O Santos voltou a lucrar com a bilheteria em uma partida na Vila Belmiro neste domingo, em duelo contra o Internacional, pelo Campeonato Brasileiro. O Peixe arrecadou R$ 44.248,09 com os 8.124 presentes e a renda total de R$ 179.645,00.

O Peixe vinha de três prejuízos consecutivos – R$ 40 mil diante do Vitória, R$ 28 mil contra o Luverdense e mais R$ 384 ante o Paraná.

Presidente do Santos não garante Jair em caso de derrota para o Fluminense

Pela primeira vez, o presidente do Santos, José Carlos Peres, não garantiu a permanência do técnico Jair Ventura. A explicação foi dada após a reunião do Comitê de Gestão na noite desta segunda-feira, na Vila Belmiro.

Peres falou em um balanço geral depois da partida contra o Fluminense, quarta-feira, no Maracaná, a última antes do recesso para a Copa do Mundo na Rússia. Em caso de nova derrota, Jair pode ser demitido.

“Temos um jogo contra o Fluminense, não vamos esquecer da classificação na Libertadores e Copa do Brasil, mas não está bem no Brasileiro. Depois desse jogo, vamos nos reunir e fazer um balanço, uma conversa franca para entender. Estar a um ponto da zona de rebaixamento não é confortável. Eu também não estou garantido, temos que ver o que ele precisa. O conjunto que vai decidir o que vai acontecer daqui para frente”.

O Santos ocupa a 16ª colocação no Campeonato Brasileiro, com 10 pontos. No total, Jair Ventura tem 13 vitórias, sete empates e 14 derrotas na temporada. O contrato do treinador vai até o fim do ano.