Santos 2 x 1 Ponte Preta

Data: 12/10/2013, sábado, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 28ª rodada
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 8.607 presentes (7.230 pagantes e 1.377 não pagantes)
Renda: R$ 241.720,00
Árbitro: Marcelo Aparecido R. de Souza (SP)
Auxiliares: Gustavo Rodrigues de Oliveira e Fabricio Porfirio de Moura (ambos de SP).
Cartões amarelos: Edu Dracena, Alison, Cicinho e Leandrinho (S); Elias, Ferron e Edson Bastos (PP).
Cartão vermelho: Cicinho (S).
Gols: Everton Costa (44-1), Montillo (23-2) e Rafael Ratão (44-2).

SANTOS
Aranha; Cicinho, Edu Dracena, Gustavo Henrique, Emerson, Alison (Alan Santos), Arouca, Cícero, Montillo (Leandrinho), Thiago Ribeiro e Everton Costa (Victor Andrade).
Técnico: Claudinei Oliveira.

PONTE PRETA
Roberto; Régis, Ferron, Diego Sacoman, Uendel, Baraka, Alef (Leonardo), Fellipe Bastos, Elias (Adrianinho), Rildo (Rafael Ratão) e Willian.
Técnico: Jorginho.



Com golaço de Montillo, Santos vence Ponte Preta no Pacaembu

Com gols de Everton Costa e Montillo, time santista bate campineiros por 2 a 1 e chega ao sexto lugar na classificação. Já a Ponte Preta permanece na zona de rebaixamento

Na primeira partida que mandou fora da Vila Belmiro neste Campeonato Brasileiro , o Santos derrotou a Ponte Preta , vice-lanterna da competição, no Pacaembu, por 2 a 1, e terminou este sábado na sexta colocação do Campeonato Brasileiro, com 39 pontos conquistados. O time campineiro estacionou nos 26 pontos e pode ver a distância para a saída da zona de rebaixamento aumentar até o fim da 28ª rodada.

Everton Costa, aos 45 minutos do primeiro tempo, abriu o caminho para a vitória santista, em seu primeiro gol com a camisa do time alvinegro. Montillo, aos 24 da segunda etapa, marcou o segundo. Rafael Ratão, aos 44 do segundo tempo, diminuiu para a Ponte.

Esta foi a primeira vitória do Peixe sobre a Ponte Preta em 2013. Até então, haviam sido duas derrotas: uma na fase de classificação do Campeonato Paulista, por 3 a 1, e outra no primeiro turno do Brasileirão, por 1 a 0.

O Santos volta a campo na próxima quarta-feira, quando recebe o Internacional na Vila Belmiro, sem o lateral direito Cicinho, que foi expulso neste sábado após retardar cobrança de lateral e receber o segundo cartão amarelo. No mesmo dia, a Macaca enfrenta o Coritiba no Moisés Lucarelli, desfalcada do meia Elias, que recebeu o terceiro cartão amarelo diante do Peixe.

O jogo

A Ponte começou a partida tentando surpreender o Santos. Logo na saída de bola, Rildo recebeu na esquerda, avançou contra a marcação de Cicinho e sofreu falta. Além da cobrança da bola parada, a Macaca teve uma sequência de dois escanteios, em que levou perigo ao gol de Aranha.

A primeira chance clara de gol foi criada pelo time de Campinas, aos 26 minutos. Após cruzamento de escanteio, Ferron subiu e cabeceou a bola com força no meio do gol. Aranha teve de se esticar para mandar a bola por cima do travessão e salvar o Santos.

Também pelo alto o Santos quase abriu o placar. Livre de marcação, Gustavo Henrique aproveitou cruzamento de Montillo e cabeceou forte. Bola passou por cima do gol, triscando o travessão.

Aos 45 minutos, no último lance de ataque do primeiro tempo, o placar foi aberto. Montillo cobrou falta da intermediária na cabeça de Everton Costa, que, com um sutil desvio de cabeça, tirou o goleiro Roberto da jogada e marcou para o Santos. Foi o primeiro gol do atacante pelo Alvinegro Praiano.

Aproveitando-se da vantagem no marcador, o Santos voltou para a segunda etapa com uma postura diferente, e passou a defender com todos os jogadores posicionados no campo de defesa, esperando o melhor momento para contra-atacar.

A primeira boa chegada da equipe santista na segunda etapa foi somente aos 21 minutos. Em rápida jogada, Cicinho recebeu de Montillo e finalizou de primeira. Roberto, bem colocado, agarrou a bola sem dificuldades.

O esperado contra-ataque para o Santos surgiu aos 24 minutos, e foi mortal. Cícero dominou a bola atrás do meio de campo, deu um chapéu em Ferron, ganhou de Diego Sacoman na velocidade e rolou para Montillo, que, com categoria, completou para o gol.

Algumas das melhores oportunidades da Macaca no segundo tempo surgiram dos pés de Fellipe Bastos. Três chutes de falta e um remate de fora da área assustaram o goleiro Aranha. Aos 32 minutos, William perdeu a chance mais clara. O vice-artilheiro do Campeonato Brasileiro recebeu livre na pequena área, dominou tirando de Aranha, mas viu Cicinho evitar o gol com um carrinho providencial.

Aos 44 minutos, a Ponte conseguiu diminuir o prejuízo. Rafael Ratão se aproveitou de falha geral da defesa santista, saiu cara a cara com Aranha e só teve o trabalho de tocar para o fundo das redes.

A Ponte ainda quase chegou ao gol de empate. Aranha salvou o Santos em lance frente a frente com William. Pouco depois, o time de Campinas teve nova chance em bola aérea.

Bastidores – Santos TV:

Montillo rejeita rótulo de ‘salvador’ no Santos e Aranha comemora boa fase

Meia argentino voltou de contusão e teve papel decisivo na vitória sobre a Ponte Preta, assim como o goleiro, que salvou a equipe de levar o empate no final

De volta à equipe do Santos neste sábado, após se recuperar de lesão na panturrilha direita, o argentino Montillo deu assistência para Everton Costa abrir o placar e marcou o segundo gol santista contra a Ponte Preta, na vitória por 2 a 1 . Apesar da boa atuação, o meia disse não acreditar que seja o principal jogador do time.

“Tento fazer o melhor dentro de campo. Hoje (sábado) conseguiu uma assistência e um gol, mas parabenizo todo o time, porque sem eles seria difícil. Me acho uma peça importante, mas não me acho o salvador”, declarou Montillo.

Outro destaque do Santos na partida foi o goleiro Aranha. Além das boas defesas ao longo da partida, o arqueiro salvou a equipe santista no final do jogo, quando viu William sair livre na sua frente e, com grande defesa, evitou o empate da Ponte Preta.

“Vou fazer meu trabalho e, se for do agrado de todo mundo, vou continuar até quando for necessário. Mesmo antes de ser titular, já tinha entrado em umas 30 partidas pelo Santos. E nunca fui criticado, sempre tive a confiança da diretoria”, disse o experiente goleiro, de 32 anos.