Portuguesa 1 x 2 Santos

Data: 15/09/1999, quarta-feira.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 10ª rodada
Local: Estádio do Canindé, em São Paulo, SP.
Público: 7.069 pagantes
Renda: R$ 68.635,00
Árbitro: Oscar Roberto Godói (SP).
Gols: Aílton (05-1); Cláudio (10-2) e Gustavo Nery (11-2).

SANTOS
Zetti; Michel, Andrei, Claudio e Gustavo Nery; Élson, Narciso, Lúcio (Aílton) e Eduardo Marques (Marcos Bazílio); Dodô e Rodrigão (Marcelo Silva).
Técnico: Paulo Autuori

PORTUGUESA
Adinan; Marcio Goiano (Edu), Emerson, Fabrício e Marcelo Santos; Simão, França (Marcelo Borges), Alexandre e Evandro; Leandro e Ailton.
Técnico: Zagallo



Santos bate Lusa e amplia chance

O Santos venceu a Lusa ontem à noite de virada por 2 a 1, no estádio do Canindé, pelo Campeonato Brasileiro, e ficou mais próximo da zona de classificação.

O time do técnico Paulo Autuori chegou a 15 pontos e aumentou suas chances de passagem à próxima fase. Já a Lusa fica em situação delicada, com dez pontos, e começa a temer o rebaixamento.

Precisando da vitória, a Lusa foi ao ataque com vontade no início. Logo aos 3min, Leandro tocou de cabeça após cruzamento de Evandro e quase marcou.

Três minutos depois, o placar foi aberto pela Lusa. Aílton recebeu sozinho na área, driblou Andrei e tocou na saída de Zetti.

Desorganizado, o Santos ameaçava apenas em lances de bola parada. O zagueiro Cláudio, que fazia a sua estréia, teve três chances de cabeça só na primeira etapa. Na terceira, aos 21min, cabeceou forte no canto esquerdo de Adinam e empatou a partida.

A partir daí, o jogo ficou equilibrado. Leandro, sem ritmo de jogo, perdeu grande chance aos 25min ao furar, quase na pequena área, um cruzamento de Aílton.

No minuto seguinte, Eduardo Marques avançou pela direita e finalizou bem, mas Adinam conseguiu espalmar para escanteio.

O jogo corria quase que só no meio-campo, e os zagueiros de ambos os lados procuravam mais os ” chutões” para a frente do que tentar sair jogando.
Os chutes de fora da área eram a solução. E França, aos 42min, quase marcou dessa forma.

No segundo tempo, os times voltaram sem alterações. O jogo seguiu concentrado no meio.

Os lances de bola parada continuavam proporcionando as melhores chances de gol. Aos 8min, França quase acertou o ângulo direito de Zetti em uma falta.

O troco do Santos acabou em gol. Dois minutos depois, Gustavo acertou um forte chute de fora da área. A bola entrou no ângulo, sem chances para Adinam. Após o gol, o jogador santista chorou.

O Santos passou a jogar em contra-ataques. A Lusa pressionou no final, sem resultado.

Santos tenta hoje ser 50% (Em 15/09/1999)

O Santos lutará no jogo de hoje para se tornar um time 50% no Brasileiro. Se o Corinthians conseguiu até a sétima rodada conquistar 100% dos pontos disputados (hoje tem 80%), o Santos precisa da vitória para alcançar a metade desse aproveitamento.

O técnico Paulo Autuori avalia que a média de 50% garante a permanência do time próximo da zona de classificação, que envolve os oito primeiros colocados.

Ao ganhar do Botafogo-SP por 2 a 0 e interromper uma sequência de seis jogos sem vencer no Brasileiro, o Santos conseguiu saltar do 18º para o 15º lugar, obtendo 44,4% dos pontos que jogou.

“A vitória (contra a Lusa) nos colocará de novo com 50% dos pontos disputados, o que é excelente. Você vê que a distância entre céu e inferno neste Brasileiro é muito curta”, declarou Autuori.

O meia Lúcio acredita que a “tranquilidade” proporcionada pela vitória sobre o Botafogo-SP ajudará na reação do time. “Recuperamos a tranquilidade para tocarmos mais a bola e fazermos jogadas individuais”, disse.

Quatro jogadores entrarão no time. Um deles, o zagueiro Cláudio, estreará no lugar do titular Jean, que ficará pelo menos 15 dias afastado por uma lesão nos ligamentos do joelho direito. Na frente, Rodrigão, que entrou no meio do último jogo, será mantido. No meio, Eduardo Marques ganhou o lugar de Fumagalli O volante Elson cumpriu suspensão e volta. Sai Marcos Bazílio.

Reforços animam Zagallo

O técnico Zagallo poderá contar hoje com dois importantes reforços: o atacante Leandro e o zagueiro Emerson. Os dois jogadores sofreram graves contusões no Campeonato Paulista e voltam após meses de afastamento.

“O setor defensivo e o setor de ataque ficarão mais reforçados agora. Eles vêm treinando bem”, disse Zagallo, mais otimista com as chances de sua equipe.

“Temos a obrigação de vencer. Precisamos chegar logo no 13”, disse o treinador, referindo-se à pontuação de seu time, que soma dez pontos no Brasileiro e, com uma vitória, chega a 13 pontos.

O técnico entende que seu time deve produzir o mesmo jogo que fez contra o São Paulo para vencer o Santos no Canindé. Zagallo lamentou os pontos perdidos contra time médios, como o Vitória.

O otimismo também tomou conta de quem está voltando. “Com duas vitórias, ficamos entre os oito melhores do campeonato”, disse Emerson.

Zagallo não poderá contar com o meia Evandro, suspenso. Em seu lugar, deverá atuar Marcelo Borges. Segundo o treinador, a CBF foi muito rigorosa ao suspender Evandro por mais de um jogo -ele foi expulso na partida contra o São Paulo.

A diretoria da Lusa tentava até ontem conseguir efeito suspensivo para a punição de Evandro.

Os diretores também tentam garantir que o clássico contra o Corinthians seja no Canindé -o rival quer jogar no Morumbi.

Lusa joga hoje em nome do Timor

A Lusa planeja fazer hoje, no clássico contra o Santos, no Canindé, uma lembrança à crise por que está passando o Timor Leste, ex-colônia de Portugal que busca a independência da Indonésia.

“Estamos pedindo à CBF (Confederação Brasileira de Futebol) uma autorização para mostrarmos no jogo algumas faixas de apoio ao povo do Timor Leste. Não é uma manifestação política. É uma manifestação humanitária”, disse o vice-presidente de futebol do clube, Ilídio Lico.

A CBF decidiu proibir manifestações políticas nos jogos do Brasileiro após jogadores exibirem camisas com mensagens.

Ilídio Lico disse que a idéia das faixas foi da presidência do clube, mas a iniciativa teve inspiração no futebol europeu.

A seleção de Portugal enfrentou a Romênia na quarta-feira passada pelas eliminatórias da Eurocopa-2000 com uma tarja negra na camisa lembrando a crise no Timor Leste. Nos últimos dias, os clubes portugueses têm feito manifestações semelhantes.

A Uefa, entidade que controla o futebol europeu, porém, proibiu ontem o Boavista de fazer mensagens alusivas à crise em Timor Leste em jogo pela Copa dos Campeões, contra o Rosenborg.

O órgão máximo do futebol na Europa entendeu que as mensagens teriam conotação política, e não humanitária -a Uefa também proíbe mensagens políticas em partidas de futebol.

Ilídio Lico confessou não saber bem o que está acontecendo em Timor Leste. “”Não estou bem por dentro do que está acontecendo lá. Mas sou contra a violência, sou contra as guerras. Não gostaria que o Brasil enviasse tropas ao Timor Leste para lutar. Só se for para manter a paz”, disse.

Relatos de organizações de direitos humanos falam em quase 200 mil mortos em 20 anos de conflitos no território.

As faixas que devem ser exibidas hoje no estádio do Canindé também foram elaboradas por outras entidades ligadas à comunidade portuguesa em São Paulo.

Até o fechamento da edição, a Lusa não havia conseguido autorização para a manifestação.