Santos 1 x 1 Flamengo

Data: 25/07/2018, quarta-feira, 21h45.
Competiçao: Campeonato Brasileiro – 15ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 11.843 pagantes
Renda: R$ 292.847,00
Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA).
Auxiliares: Elicarlos Franco de Oliveira e Jucimar dos Santos Dias (ambos da BA).
Cartões amarelos: Luiz Felipe (S) e Diego (F).
Gols: Éverton Ribeiro (02-1) e Rodrygo (33-1).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo (Luiz Felipe), Gustavo Henrique e Dodô; Alison, Diego Pituca (Léo Cittadini) e Eduardo Sasha (Renato); Rodrygo, Bruno Henrique e Gabriel.
Técnico: Serginho Chulapa (interino)

FLAMENGO
Diego Alves; Rodinei, Léo Duarte, Réver e Renê; Cuéllar, Lucas Paquetá, Éverton Ribeiro, Diego (Henrique Dourado) e Matheus Sávio (Geuvânio); Guerrero (Uribe).
Técnico: Maurício Barbieri



Santos reage com show de Rodrygo e empata com o Flamengo na Vila

O Santos mostrou poder de reação e um melhor futebol do que com o técnico Jair Ventura para empatar em 1 a 1 com o Flamengo na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com o ponto conquistado, o Peixe subiu para a 13ª colocação e pode ajudar o São Paulo. O Rubro-Negro se manteve líder, mas pode ser ultrapassado pelo Tricolor, que enfrentará o Grêmio, em Porto Alegre, nesta quinta-feira.

O Flamengo abriu o placar aos 2 minutos, em erro de Bruno Henrique num escanteio e gol de Éverton Ribeiro no segundo pau. O time dirigido por Serginho Chulapa não sentiu o susto e propôs o jogo, com certa desorganização, mas muita raça e pressão na saída de bola carioca, algo que não vinha ocorrendo.

Depois de martelar os visitantes, Rodrygo mostrou que o Real Madrid-ESP acertou e deu um show na Vila. Ele passou por três marcadores e tocou para Gabigol empatar. A jogada foi tão bonita que os companheiros comemoraram com o raio, enquanto Gabriel, ao desencantar, correu para o outro lado.

No segundo tempo, o Santos criou menos e o Flamengo acertou a marcação. O Peixe deu esperança ao torcedor, enquanto o Rubro-Negro terminou mais uma rodada sem perder.

O jogo:

O Santos, com o técnico interino Serginho Chulapa e na 15ª colocação, sofreu um gol do líder Flamengo aos 2 minutos, em casa. Motivos de sobra para desespero, mas o Peixe mostrou força e conseguiu reagir.

O Rubro-Negro abriu o placar com Éverton Ribeiro, após Bruno Henrique perder o tempo da bola e desviar para trás. Na origem do lance, Alison, em uma tentativa de demonstração de raça, deu um bico na bola para a linha de fundo.

O alvinegro demorou poucos minutos para responder ao gol sofrido e passou a tentar, de certa forma desorganizado e muito dependente do lado direito com Victor Ferraz e Rodrygo, empatar. E deu certo. Depois de assustar, o raio decidiu. Recebeu pela direita em um lance que parecia morto, passou por três e cruzou para Gabigol desencantar.

O Santos ainda teve chances para virar e reclamou de um pênalti após toque no braço de Léo Duarte em finalização de Bruno Henrique. O camisa 11, o pior em campo, ainda desperdiçou chance de cabeça depois de cruzamento de Dodô.

O Santos, confiante depois do empate, foi para cima do Flamengo, adiantou as linhas e buscou a virada. O Flamengo, com postura um pouco mais conservadora, adotou a cautela nos primeiros minutos da segunda etapa.

O Peixe não criou chances claras e depois sentiu o cansaço. O Rubro-Negro, então, passou a ter a posse de bola. O goleiro Vanderlei não foi exigido e o contra-ataque alvinegro não encaixou.

Nos minutos finais, a única chance criada foi do Flamengo, em chute do ex-santista Geuvânio para o goleiro Vanderlei espalmar. Empate merecido na Vila Belmiro.

Bastidores – Santos TV:

Chulapa elogia o Santos, cobra Gabigol e Bruno Henrique e diz: “Sede de cerveja”

O auxiliar e interino Serginho Chulapa gostou da atuação do Santos no empate em 1 a 1 com o Flamengo nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. O ponto não altera muito a posição do Peixe, 13º, mas demonstra força diante do líder da competição.

“Disputamos um jogo contra o primeiro colocado. Time muda um e o nível é o mesmo. Time mostrou determinação, foi um jogo igual. Primeiro tempo muito bom, Vanderlei só fez uma defesa no segundo tempo, no chute do Geuvânio, e tivemos mais oportunidades. Sai satisfeito porque não empatamos com qualquer time, foi com o líder. Tivemos uma evolução boa”, disse Chulapa.

“Passei confiança desde segunda, quando me avisaram… Não tenho vaidade, qualquer hora eu embarco. Acho que passei confiança. Importante porque o time vinha de resultados ruins com o Jair, lamentei muito a saída dele, e estavam querendo buscar um resultado positivo aqui. Empate foi dos males o menor. E motivação. Cobrar, que é o mais importante. Conversei com um por um e depois em conjunto na preleção. Acho que o time fez um bom jogo”, completou o auxiliar.

Chulapa admitiu a má atuação de Bruno Henrique e prometeu cobrar Gabigol, autor do gol de empate do Santos contra o Flamengo.

“Ele (Bruno Henrique) sabe que é o jogador que esperamos muito. Hoje não esteve bem, mas com essa sequência vai ser o Bruno Henrique de antes. Marcou, lutou. Se não joga bem, tem que correr. Esperamos muito dele. Não é o jogador de hoje, a gente conhece, mas teve entrega”, explicou.

“Procuro passar para ele que não é um centroavante, é um meia. Com Ricardo Oliveira, caia pelas laterais e fazia gol que dói. Tem hora que quer enfeitar muito e dei uma dura, mas fez gol, se entregou. Entrega do time foi muito legal. Ele devagarzinho vou pôr na linha. Fez o gol muito importante e dá muita moral”, concluiu.

E para terminar, Serginho Chulapa agradeceu à imprensa e arrancou gargalhadas dos jornalistas: “Estou com uma sede de cerveja que vocês nem imaginam”.

Capitão, Ferraz diz que Santos não pode comemorar empate: “Ganhar todas”

Sem David Braz (suspenso) e Renato (no banco de reservas), Victor Ferraz foi capitão do Santos pela primeira vez na temporada. E o lateral-direito não gostou do empate em 1 a 1 com o Flamengo na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O lateral-direito diz que o elenco não tem o direito de comemorar o ponto conquistado, nem que tenha sido contra o líder do Campeonato Brasileiro.

“Santos não pode comemorar empate na Vila. Se comemorar, está tudo errado. Temos que ganhar todas e essa vai ser a cobrança no vestiário. Enfrentamos uma grande equipe, mas queríamos ganhar. Temos que fazer os três pontos para pensar na decisão pela Copa do Brasil”, disse o camisa 4.

Mauricio Barbieri acusa Chulapa, que adota bom-humor: “Passado me condena”

O técnico interino do Santos, Serginho Chulapa, e o treinador do Flamengo, Mauricio Barbieri, se estranharam no empate em 1 a 1 na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Barbieri diz que Chulapa o xingou, enquanto o veterano, com bom-humor, afirma que o flamenguista “fugiu” dele e lamenta o histórico negativo enquanto atleta polêmico.

“Ele disse que eu estava falando muito. No intervalo foi falar comigo com palavras de baixo calão, me xingou e eu falei pro bandeira que ele tinha visto. Deveria ter tomado uma atitude. Depois disso aconteceu de novo. Ele foi um grande jogador. Isso é ruim para ele e para a instituição que ele representa. Uma pena que um bom jogo fique manchado por isso”, disse Barbieri. “Acho que o Serginho está equivocado. Ele sabe bem o que aconteceu, não foi isso. Acho que ele foi um atleta fantástico, mas isso não dá a ele o direito de agir como ele agiu. Não sei o que passou pela cabeça dele”. Esse tipo de comportamento (do Chulapa) depõe contra a instituição. As imagens é o árbitro quem tem de tomar providência”, completou.

“Quando acabou o jogo, estou indo para o vestiário e o treinador deles estava saindo. Quando me viu, saiu correndo, não sei o motivo. Não sou o louco de antes. Foi correndo e reclamou que eu queria bater nele. Fui falar com o juiz e ele me expulsou. Passado me condena, é uma desgraça. Independentemente disso, não ligo para isso, o mais importante é que os jogadores se empenharam ao máximo. Resultado não sei se é igual, mas 13 chutes cada time no gol. Tivemos três chances no primeiro tempo”, relatou Chulapa.

“Juiz me expulsou. Juro por Deus. Primeira vez que eu não sei o porquê. Depois me abraçou, tudo de bom, me expulsa e tudo de bom? Tem que vir outro. Para mim, sinceramente, não dá não. É sofrimento. Fazia tempo que eu não assumia. Mas acho que temos outras pessoas que podemos ficar e ajudar, ficar no banco. Vamos procurar fazer o melhor mesmo não estando no banco”, concluiu.

A CBF divulgou a súmula no início desta quinta-feira e referendou o discurso de Barbieri: “Serginho Chulapa adentrou o campo e se dirigiu até o técnico Mauricio Barbieri, pronunciando as seguintes palavras: “Seu f…, você quis apitar o jogo. sendo em seguida contido pelos atletas e membros da comissão técnica do Santos.

Serginho Chulapa não poderá comandar o Santos do gramado contra o América-MG, domingo, mais uma vez na Vila Belmiro. O Peixe espera ter um novo técnico até lá.