Rio Branco 1 x 2 Santos

Data: 27/03/1999, sábado.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Décio Vitta, em Americana, SP.
Público: 7.829
Árbitro: Edilson Pereira de Carvalho
Cartão vermelho Rodrigão (S).
Gols: Rodrigão (14-1), Marcos Assunção (18-2) e Marcos Teixeira (38-2).

RIO BRANCO
Maurício; Augusto, Maxsandro, Gilmar e Marcos Teixeira (Paulo César); Careca (Charles), Odair, Marcos Sena e João Marcelo (Jackson); Sandro e Pena.
Técnico: Lula Pereira

SANTOS
Zetti; Michel, Argel, Andrei (Jean) e Gustavo Nery; Marcos Assunção, Narciso (Marcos Bazílio), Eduardo Marques (Lúcio) e Jorginho; Rodrigo Fabri e Rodrigão.
Técnico: Emerson Leão



Santos bate Rio Branco e lidera Grupo 4

Com um jogador a menos, time santista quebra tabu de não vencer fora de casa no interior paulista desde 97

O Santos derrotou o Rio Branco ontem, em Americana, por 2 a 1. Foi a segunda vitória do time santista no Campeonato Paulista e a primeira em jogos fora de casa no interior do Estado desde 1997, quando venceu o Araçatuba.

Com a vitória, o Santos assumiu a liderança do Grupo 4 do Paulista, com oito pontos, dois a mais que o Corinthians, que tem dois jogos a menos.

Sem Viola, contundido na coxa esquerda, o Santos entrou em campo com o ataque formado por Rodrigo e Rodrigão. A novidade na defesa foi a estréia do zagueiro Andrei, que não jogava há sete meses, quando defendia o Betis, da Espanha.

O Rio Branco estava empolgado pela goleada de 7 a 1, a maior do Campeonato Paulista até agora, aplicada sobre o Mogi Mirim na última quarta-feira.

Os dois times começaram o jogo com posicionamentos ofensivos. Cada equipe perdeu duas boas chances de gol nos primeiros dez minutos, impedidas pelos goleiros adversários.

Aos 14min, quando o Rio Branco estava melhor, o Santos abriu o placar. Marcos Assunção levou a bola pela ponta direita, ganhou do zagueiro na velocidade e cruzou rasteiro. Rodrigão tocou de primeira, colocando a bola rente à trave de Mauricio.

O gol deixou o time da casa atordoado. O Santos aproveitou para pressionar, mas desperdiçou chances de ampliar o marcador.

O Rio Branco, com a boa atuação de Odair e Marcos Sena na armação das jogadas, equilibrou a partida e, aos 39min, chegou ao empate. Depois de um cruzamento desperdiçado pelos atacantes, a bola sobrou para o ala Marcos Teixeira, na linha lateral da grande área, que acertou o chute junto ao travessão do gol defendido por Zetti.

No segundo tempo, o técnico Leão colocou Marcos Basílio no lugar de Narciso, para melhorar a marcação. A alteração deu resultado, e o time santista voltou melhor. Aos 18min, numa cobrança de falta, Marcos Assunção bateu forte e fez o segundo gol do Santos.

Três minutos depois, o atacante santista Rodrigão fez uma falta por trás em Marcos Teixeira e foi expulso. Até aquele momento, nenhum cartão havia sido mostrado pelo árbitro Edilson Pereira de Carvalho.

Os dois treinadores fizeram então várias substituições. O Santos promoveu o retorno do atacante Lúcio, que não jogava no time principal desde o ano passado. O Rio Branco trocou seu dois laterais por atacantes.

Aos 39min, o meia Charles, do Rio Branco, chutou da intermediária. A bola foi desviada para o gol santista, de cabeça, por Pena, mas o árbitro anulou, apontando impedimento do atacante.

Aos 42min, Marcos Assunção teve a grande chance de ampliar, chutando forte dentro da grande área. O goleiro Mauricio defendeu.

Leão critica arbitragem

O técnico Leão elogiou a atuação do Santos ontem, após a vitória sobre o Rio Branco, mas criticou a atuação da arbitragem, que expulsou o atacante Rodrigão.

O jogador do Santos foi expulso no início do segundo tempo após cometer uma falta por trás. Segundo Leão, a medida foi injusta pela falta de critérios da arbitragem.

“Houve uma falta igual contra nosso time e o jogador não foi expulso”, disse.

O juiz Edilson Pereira de Carvalho não quis comentar as declarações do técnico Leão.

Segundo Leão, o resultado da partida poderia ter sido melhor para o Santos. “O time jogou compacto e acho que poderíamos ter feito mais dois gols. O importante é que ganhamos”, disse.

Ele elogiou ainda a atuação do zagueiro Andrei, que estreou ontem no time.

O meia Marcos Assunção, autor do gol da vitória, afirmou que a marcação imposta pelo seu time, foi fundamental para o resultado.

O treinador do Rio Branco, Lula Pereira, criticou as falhas individuais de seu time. “Os jogadores, mesmo com a expulsão de Rodrigão, não souberam aproveitar.” Para ele, perder para o Santos é normal, apesar de o Rio Branco ter vencido o Mogi Mirim no jogo anterior por 7 a 1. “Agora teremos que vencer o Guarani fora de casa.”



Sem Viola, Santos tenta quebrar tabu (Em 27/03/1999)

A ausência do atacante Viola, machucado, representará uma dificuldade adicional para o Santos conseguir uma vitória hoje, em Americana, onde o retrospecto em jogos contra o Rio Branco é amplamente favorável ao adversário.

Dos seis confrontos entre os dois times pelo Paulista em Americana, o Santos só venceu um -5 a 2, em 1996. Nos demais, houve dois empates -2 a 2 em 93 e 1 a 1 em 97- e três vitórias do Rio Branco -2 a 0 (94), 4 a 2 (95) e 2 a 1 (98).

O desfalque de Viola foi notificado ontem pelos médicos ao técnico Leão. Um exame de ressonância magnética constatou uma lesão muscular na coxa esquerda do jogador. A contusão o manterá afastado por tempo indeterminado, segundo o médico Antonio Taira.

Embora já tenha marcado seis vezes nos três jogos pela Copa do Brasil, Viola ainda não fez gols no Campeonato Paulista.

Sem o atacante, o Santos terá uma dupla de xarás na frente -Rodrigo e Rodrigão.

Leão está descontente com a quantidade de erros de finalização da equipe. Ele avalia que o time está desperdiçando as chances de gol que cria por “falta de decisão”.

O treinador já havia apontado o defeito no treino que antecedeu a derrota por 2 a 1 para o São Paulo.

“No treino de hoje (ontem), tivemos três chances reais em lances de cabeça com o Rodrigo, o Jorginho e o Rodrigão e erramos todos. Faltou decisão”, disse o técnico.

“Centroavante que não faz gols morre de fome. O professor sempre diz que, se eu aproveitar duas de cada dez chances, já está bom”, afirmou Rodrigão.

Goleada

Leão espera que o entusiasmo do Rio Branco -o time vem de uma goleada de 7 a 1 sobre o Mogi Mirim- favoreça o Santos.

“Quem faz sete gols é porque tem um bom poder ofensivo. Então, esperamos que eles saiam mesmo para o ataque”, disse o treinador, na esperança de o adversário deixar espaços em sua defesa para os atacantes santistas.

Além de Viola, o Santos não poderá contar com o volante Claudiomiro, com os reservas Caíco e Élder, todos machucados, e com o atacante Alessandro, que está servindo a seleção brasileira na excursão pela Ásia.

Devido à carência motivada pelos desfalques, o técnico não cedeu nenhum de seus jogadores para o time de aspirantes, que atuará na preliminar. Fernando, Anderson, Valdir, Jean, Marcos Basílio, Camanducaia, Aristizábal e Lúcio estarão no banco de reservas.

A partir de 5 de abril, o titular Michel e o reserva Jean também passarão a desfalcar o grupo. Ontem, os dois foram convocados para a seleção brasileira sub-23 que disputará um amistoso contra os EUA, dia 7, em Brasília.

Andrei volta a jogar depois de sete meses

Quarenta e cinco dias depois de ser apresentado como reforço para a temporada deste ano, o zagueiro Andrei estréia hoje no Santos.

Emprestado pela equipe espanhola do Real Betis até o final do ano, o jogador está escalado para compor a dupla de zaga com Argel.

A última partida disputada por Andrei aconteceu em agosto do ano passado, um amistoso entre Betis e Extremadura, na Espanha. Depois disso, ele se manteve inativo em razão de atritos com os dirigentes do Betis e devido a uma contusão no tornozelo.

“Fisicamente, já estou bem, depois de treinar por mais de 40 dias. Agora, o mais importante é o entrosamento e o ritmo de jogo”, disse o jogador.